Limitado e de pensamento binário, diz El País sobre Deltan Dallagnol

Jornal foi chamado de esquerdista e tratado como inimigo pelo procurador da Lava Jato, que numa ação sem ética e profissionalismo, privilegiou o site O Antagonista com informações solicitadas pelo El País

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O jornal El País avalia que a relação de Deltan Dallagnol com a imprensa é própria de pessoas “limitadas e de pensamento binário”, e incompatível com a conduta ética que se espera de um procurador da República.

A manifestação ocorre depois que mensagens de Telegram divulgadas pelo The Intercept Brasil mostraram que Dallagnol entregou um furo de reportagem do El País ao site aliado O Antagonista, apenas porque considerou o diário espanhol “de esquerda” e ficou com medo das “intenções” por trás da matéria em andamento.

Segundo o El País, Dallagnol foi procurado dentro da praxe jornalística de dar espaço para o “outro lado” de uma história. No caso, a reportagem tratada de uma audiência com Rodrigo Tacla Duran na Espanha.

“Ao tentar apequenar o EL PAÍS, ele mesmo reduz seu tamanho. Intimidar-se por questões corriqueiras da imprensa, colocando um veículo como inimigo, é próprio de figuras limitadas, de pensamento binário”, disparou o jornal.

“A democracia pregada pelo procurador parece que só vale para quem embarca em suas teses sem questioná-las, apesar das vozes jurídicas que o criticam —e apesar deste mesmo jornal ter dado espaço ao procurador e a seu time”, acrescentou.

Na visão do El País, Dallagnol respira um “maniqueísmo barato, mesclado com uma vaidade tosca que em nada colabora para uma investigação sadia.”

O jornal ainda lembrou que “nunca pregou o fim da Lava Jato ou coisa do gênero” e sempre celebrou o que deveria ser elogiado. “Mas jamais deixaríamos de noticiar os atropelos da operação que juristas respeitados nos apontaram.”

Leia também:  Prisão da Lava Jato no Paraná abrigará detentos com coronavírus

“Dallagnol tem poder e se incomoda conosco, como já deixou claro em mais de uma ocasião. O poder requer pessoas de visão abrangente, além de humildade e responsabilidade.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. E ainda recebe régios proventos mensais para ser o que é. Imaginemos as milhares e milhares de pessoas comuns, sem notoriedade- um simples CPF, que tem seus direitos fundamentais nas mãos dessa galera…

  2. O golpe parlamentar de 2016 provavelmente foi arquitetado de 2013 a 2014 pelos grandes empresários deste país juntamente com outros empresários estrangeiros, onde, eles precisavam de alguns políticos, do congresso nacional, do Ministério Público, da Polícia Federal e de algumas emissoras mercenárias como a rede globo, a record e outras.
    Com isso, esse grande grupo de empresários poderosos usaram o congresso nacional para promover o golpe de 2016 e criaram uma força tarefa que foi chamada de lava-jato, com a finalidade de caçar seus inimigos políticos através do poder judiciário.
    Aparentemente parece que estes propósitos deram certos, porque, metade da população brasileira acreditou e ainda acredita em tudo o que aconteceu e a classe alta se deu muito bem.
    Portanto, chamar Deltan Dallagnol de limitado é ser muito elegante, porque, ele e Sérgio Moro são: limitados; puxa-sacos; mentirosos; incompetentes e anti-éticos, levando a nação não somente a um grande prejuízo financeiro, mas principalmente a um grande prejuízo cultural, onde, um povo perde sua identidade, perde sua confiança e principalmente passam a acreditar que a verdade não existe e a mentira passa a ser uma ferramenta a ser usada no cotidiano.
    Observação: Bolsonaro é um louco/miliciano que caiu de paraquedas em todo esse processo.
    Assim sendo, podemos perguntar: “Brasil qual é o teu negócio, o nome do teu sócio, confia em mim!”

  3. Tirando as exceções, o judiciário brasileiro é a prova de que é possível estudar para ficar mais burro. É inacreditável a concentração de asnos portadores de diploma de direito. Se bem que, sejamos honestos, não é uma exclusividade desse curso. No Brasil tem asno diplomado pra todo tipo e gosto. É o país da mediocridade.

  4. Vagabundo.
    E um vagabundo deste continua funcionário público porque o Brasil, a cada dia que passa, se mostra um país governado por estúpidos e bandidos.
    O mesmo se aplica ao chefe deste rato, o tal de moro.

  5. Sérgio moro ex juizeco de Curitiba CANALHA deltan também vc é outro que manipula a mídia todos criminosos CORRUPTOS ladrões é uma vergonha nacional BANDIDOS NÃO tem caráter tem que ser severamente castigados presos

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome