Ministério Público do Rio entra no jogo e vai analisar a política genocida de Witzel

Do site do MPE do Rio de Janeiro

Rio de Janeiro de Luto

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) lamenta a morte da menina Ágatha Vitória, no Complexo do Alemão, e do policial Leonardo Oliveira dos Santos, morto no interior de uma viatura em Niterói. O MP fluminense presta solidariedade às famílias das vítimas, assim como a de tantos outros inocentes vitimados durante ações policiais.

A instituição, por meio da Promotoria de Justiça com atribuição, acompanhará as investigações conduzidas pela Polícia Civil para identificar as circunstâncias em que ocorreram os fatos. O MPRJ tem o compromisso firmado junto ao Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) de priorizar a apuração e a responsabilização de crimes que resultem na morte de crianças e adolescentes no Estado.

O Ministério Público, que detém o dever constitucional de exercer o controle externo da atividade policial, também está atento à política pública de segurança que vem sendo adotada. O MPRJ, por meio do seu centro de pesquisas (CENPE/MPRJ), vem elaborando um minucioso estudo sobre o tema  para que a atual política de segurança seja cuidadosamente analisada, para que tragédias como essa não se repitam.

O uso inapropriado ou extralegal da força letal pela polícia, quando desmedido e frequente, além de afetar a legitimidade da instituição policial, configura um problema público que deve ser debatido de forma ampla.

A defesa do direito à vida é o princípio que deve nortear as políticas públicas na área de segurança com ações eficazes com o uso da inteligência, planejamento e técnica que atinjam os objetivos esperados pela sociedade, sem atentar contra a integridade da população.

Leia também:  Máquina que operou no WhatsApp a favor Bolsonaro pode cair no inquérito do STF

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. Agora ? E para efetivamente tomarem medidas para responsabilizarem esse IMBECIL que aterroriza o Estado,quantos INOCENTES ainda vão precisar morrer ?

    14
  2. Independentemente de discussão, se nem há pena de morte (ou sequer prisão perpétua*) no país, mesmo após julgamento e condenação, como pode um ex-juiz (?) eleito governador de estado defender publicamente que um criminoso deve ser sumariamente “abatido”? É no mínimo crime de responsabilidade pois o Executivo é obrigado a manter defender e cumprir a lei, ainda mais um ex-magistrado (?).
    Os fatos (crescimento de mortes pela polícia, incluindo inocentes, o que é inaceitável) estão longe de justificar sequer a diminuição (manipulada?) de assassinatos, que se mantém longe de níveis aceitáveis.
    O caos social neste pais está tão grande que formamos milhões de eleitores para este tipo de gente.

    * Na realidade brasileira, onde não há mínimas condições sociais para muitos (educação, habitação, saúde, emprego, etc.), onde não há capacidade prisional nem condições de ressocialização e onde parte da policia complementa seus parcos ganhos com extorsão e associação ao crime, a prisão perpétua é evidentemente uma necessidade que, embora não resolva (só a melhora da condição social diminuirá), minimiza danos, frente à essa realidade cruel que vivemos, podendo ser adotada pelo menos enquanto não modificarmos este quadro cruel.

  3. Estamos assistindo ao desmonte de programas que auxiliavam na educação!
    Está acontecendo…
    Escolas particulares que ofereciam vagas noturnas hoje têm menos alunos!
    Muitos agora sem emprego, sem perspectiva na área que estudavam, muitos agora têm é divida!
    A divida de um sonho arrebentado pelos donos do golpe!
    Se houvesse uma revolução e tudo voltasse ao que era, até esse estudante se reprogramar, reconquistar seus espaços novamente ainda assim levaria tempo!
    Violência absurda contra essas vidas!
    Para que uma vida saia da miséria e passe para a classe média, estima-se que será preciso que se passe 8 gerações até que chegue esse dia!
    E os donos do golpe não podem morrem sem multiplicar seus bilhões!
    É um absurdo sem limites!
    Nos EUA você não pode construir de qualquer jeito, lá tem lei e a lei cobra também dos políticos, das autoridades para que criem soluções!
    Se aqui há favela é por que houve omissão de judiciário, executivo e legislativo!
    Agora o tráfico oferece dinheiro a qualquer um que quiser vender!
    Só tem uma condição!
    Tem que ser bom nisso!
    E quem vender com mais astúcia leva a melhor sobre os mais “bobos”!
    A violência, o crime, vai formar violentos, vai formar criminosos!
    Agora se o estado não tomar atitudes como estado, vai entrar na guerra dos violentos!
    Perda para todos os lados!
    Fruto de burrice, corrupção e astúcia…
    Precisamos honra pública nos 3 poderes!

  4. Finalmente de volta aos intocáveis…
    justamente o que os moradores mais querem, a volta da convivência pacífica entre eles e a polícia

    quase chegamos lá com uso da inteligência, aos grandes traficantes, mas aí entrou Witzel com seus alvos constantes, qualquer morador

    é um caso a ser estudado e investigado com urgência, de onde vem tanto ódio a todos do local e à inteligência

  5. Precisa de estudo pra saber que subir num helicóptero e atirar na população é um absurdo? A tragédia da menina de 8 anos foi precedida por um sem-número de tragédias. A polícia do Rio já matou centenas de brasileiros esse ano. Eu não boto fé em MPF, STF ou coisa que o valha, só boto fé na população.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome