Na Nicarágua, Justiça é manipulada para condenar manifestantes contra o governo

Quando bolsonaristas ameaçam reeditar o AI-5 ou endurecer as leis para prevenir que o Brasil vire o Chile, é para a Nicarágua que os brasileiros precisam olhar

Jornal GGN – Tudo começou com idosos protestando contra uma reforma da Previdência. A repressão que caiu sobre eles despertou sentimento de revolta na população, que foi às ruas, em massa, pedir o fim dos 12 anos do atual governo autoritário na Nicarágua.

Foram 328 mortos desde então, e pelo menos 311 detidos pelas forças do presidente Daniel Ortega, que começou a manipular o sistema de Justiça para levar à condenação todos os dissidentes.

Quando bolsonaristas ameaçam reeditar o AI-5 ou endurecer as leis, para prevenir que o Brasil vire o Chile, é para a Nicarágua que os brasileiros precisam olhar.

Reportagem especial do El País expõe as violações a direitos básicos, “como detenções e buscas com ordens das autoridades competentes, o direito à presunção de inocência, o direito de ser liberado dentro de 48 horas, se não for apresentado a um juiz , direito a um juiz natural, princípio da proporcionalidade, princípio da velocidade processual.”

“(…) é mostrado como os direitos à dignidade humana foram violados, o direito à defesa, o princípio da legalidade, o princípio da oralidade e publicidade dos julgamentos, o direito de ter juízes imparciais e apegados à lei.”

Entre mais de 3 centenas de casos mapeados pelo jornal em parceria com um órgão da OEA, quatro foram abordados. São violações contra uma mulher transgênero, mantida presa com outros homens por causa dos protestos; uma senhora, também presa, com as unhas arrancadas em sessões de tortura promovidas pelo Estado.

Um jovem estudante sofreu com descargas elétricas nos testículos. Um líder camponês foi condenado a 216 anos por ter quebrado a “ordem constitucional”. O processo foi conduzido por juízes e procuradores alinhados ao governo.

Leia também:  Fora de Pauta

Toda a série especial está disponível aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. NICARÁGUA SOFRE ATAQUES DOS EUA É ESPIONADA PELA CIA COM OS MESMOS INTERESSES EM TODA AMÉRICA LATINA E ORTEGA ESTÁ FAZENDO O CERTO NA PROTEÇÃO DE SEU PAÍS,QUEREM UM JUNHO DE 2013 NA TERRA DE SANDINO MAS NÃO PASSARÃO.

    5
    4
  2. É preciso ter muito cuidado ao se analisar casos envolvendo a Nicarágua de Ortega, que já demonstrou que não é nenhum santo, porém seu governo vem sofrendo os mesmos ataques de que é vítima Cuba e Venezuela por parte do Grande Irmão do Norte.

    Nessas condições, é muito difícil manter uma democracia plana, pois isso facilita o golpe por parte dos inimigos, como aconteceu em vários países latinos como Honduras, Paraguai, Brasil e Bolívia por último.
    Que fazer?
    Entregar ou recrudescer?

    É uma decisão espinhosa, quando se recrudesce, no mais das vezes acaba em muitos casos por errar a mão e aí a oposição/CIA denuncia a falta de democracia. Quando amolece é hora de enfiar a viola no saco e pedir asilo, pois a oposição/CIA só se contenta com a queda do governo e nada mais.

    Quem vai parar o Grande Irmão do Norte?

    Depois da eleição na Bolivia e por que não do Brasil, qualquer investigação que tenha a chancela da OEA é totalmente suspeita. A OEA hoje é a mão de gato usada pelos EUA para disfarçar a sua intervenção.
    É preciso juntar quantos países latinos forem possível e denunciar a parcialidade dessa organização, deixando-a, se possível e criando uma OELA – Organização de Estados Latino Americanos, embora uma coisa não impeça a outra.
    Alguem sabe se ja existe na AL organização igual ou semelhante? Se sim há que fortalece-la para se contrapor a OEA.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome