“Nenhum imposto será criado, em especial contra igrejas”, diz Bolsonaro

Em vídeo nas redes, Bolsonaro desautoriza secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, que anunciou em entrevista a jornal a criação de um novo imposto que acabaria com a contribuição previdenciária que incide sobre a folha de pagamento

Jornal GGN – “Quero dizer que em nosso governo nenhum novo imposto será criado, em especial contra as igrejas, que, além de terem um excelente trabalho social prestado a toda a comunidade, reclamam eles, em parte com razão ao meu entendimento, que há uma bitributação nessa área”, afirmou Jair Bolsonaro em transmissão nas redes sociais, nesta segunda (29).

A fala do presidente é uma reação a uma entrevista de seu secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, que anunciou a criação de um novo imposto que acabaria com a contribuição previdenciária que incide sobre a folha de pagamento. A reportagem foi publicada pela Folha de S. Paulo.

“Quero me dirigir a todos vocês, dizendo que essa declaração não procede”, corrigiu rapidamente Bolsonaro.

A ideia de Cintra era criar o novo tributo para “simplificar o modelo de arrecadação no país”, mas com “abrangência”, caindo também sobre igrejas, que hoje são isentas.

Bolsonaro foi eleito com apoio em massa de lideranças e igrejas evangélicas. Nesta segunda, o Estadão informa que o presidente perdeu o voto de confiança entre nordestinos e mais pobres. Por religião, os evangélicos (23 pontos) só não recuaram mais do que os católicos (33 pontos a menos na avaliação positiva do governo).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Giro Econômico GGN: confira um balanço dos mercados internacionais

2 comentários

  1. Camaradas, post interessante

    Dada a reconhecida dificuldade que o presidente bozo tem em ler e, ainda mais; em entender o que está escrito; quem fez o “press release” para ele?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome