OAS assina leniência e paga multa bilionária para voltar aos contratos públicos

R$ 320 milhões dizem respeito à multa com base na Lei Anticorrupção e outros R$ 84 milhões, por ter violado a Lei de Improbidade Administrativa

Jornal GGN – A OAS assinou acordo de leniência com a Advocacia-Geral da União (AGU) e a Controladoria-Geral da União (CGU) nesta quinta-feira (14), e admitiu pagar uma multa de R$ 1,92 bilhão até dezembro de 2047. Segundo O Globo, os “recursos serão destinados à União e às empresas lesadas pela atuação da companhia.”

Do total, R$ 700 milhões são referentes à restituição de valores pagos a título de propina, R$ 800 milhões por conta do enriquecimento ilícito da empresa, R$ 320 milhões dizem respeito à multa com base na Lei Anticorrupção e outros R$ 84 milhões, por ter violado a Lei de Improbidade Administrativa.

Segundo o advogado-geral da União André Mendonça, com a assinatura do acordo, a OAS pode voltar a ter contratos com órgãos públicos federais, mesmo em recuperação judicial.

O jornal ainda afirmou que “há pessoas politicamente expostas (PEPs)” no acordo da OAS. A CGU não quis informar “quantas atendiam a esse perfil”, pois os dados do acordo serão mantidos sob sigilo para não atrapalhar as investigações.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora