ONU alerta sobre oceanos em risco

Segundo relatório oceanos podem sofrer com temperaturas mais altas e menos oxigênio, afetando milhões de pessoas

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Entre as devastadoras mudanças que têm atingido o clima do planeta, os oceanos poderão sofrer ainda neste século os efeitos de altas temperaturas, água mais ácida e menos oxigênio. Os dados são do relatório do Painel Intergovernamental sobre as Alterações Climáticas (IPCC), criado pelas Nações Unidas (ONU), divulgado nesta quarta-feira, 25 de setembro. 

O relatório sobre os oceanos e massas de gelo permanentes da Terra, a criosfera, alerta sobre os efeitos das mudanças climáticas na devastação dos mares. Inundações costeiras, tempestades tropicais, regiões geladas derretendo em ritmo acelerado, afetam milhões de pessoas que vivem nestas áreas.

Os cientistas do IPCC mostram que os oceanos estão aumentando a temperatura desde 1970, absorvendo cerca de “90% do calor em excesso no sistema climático”. 

Segundo o relatório “ao absorver mais dióxido de carbono, o oceano sofreu um aumento da acidez à superfície”. Com isso, é muito provável que 20 a 30% do dióxido de carbono (CO2) emitido pela atividade humana desde 1980 foi parar no oceano e provocou uma perda de oxigênio em todo mar.

Os autores expressam a extrema urgência de “ações oportunas, ambiciosas e coordenadas” para combater todas essas mudanças “sem precedentes e duradouras” nos oceanos e na criosfera que forma 10% da superfície do planeta. 

“O oceano e a criosfera acolhem habitats únicos e estão ligados a outros componentes do sistema climático através de trocas globais de água, energia e carbono”, explicou o relatório. O alerta também é sobre a vida de “670 milhões de pessoas nas regiões de alta montanha e 680 milhões de pessoas nas zonas costeiras mais baixas que dependem diretamente destes sistemas”.

A análise destaca os efeitos de uma adaptação “ambiciosa e eficaz para o desenvolvimento sustentável” e os “custos e riscos crescentes de uma ação adiada” sobre os dados apontados. 

Temperatura global

O IPCC ainda traz dados sobre a temperatura global, que “atingiu 1.ºC acima do nível pré-industrial”. O feito é resultado das “emissões passadas e atuais de gases de efeito de estufa” e há provas “esmagadoras de que isso pode provocar profundas consequências para os ecossistemas e as pessoas”.

Os cientistas do painel alertam que uma “redução urgente das emissões de gases de efeito estufa” pode desacelerar as mudanças nos oceanos e em áreas de gelo, assim preservando “os ecossistemas e os meios de subsistência”.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador