Para entender a ação do Pavão Misterioso contra o jornalismo do Intercept, por Meteoro Brasil

A divulgação de vazamentos pelo Intercept é produção jornalística. O que o Pavão Misterioso faz, sendo parte da estrutura de comunicação do bolsonarismo, é embalar memes e criar fake news na tentativa de aliviar a barra da Lava Jato

Do Meteoro Brasil

Sempre que novos vazamentos mostram o caráter partidário da Lava Jato, surge no Twitter o Pavão Misterioso; uma conta falsa encarregada de intimidar e caluniar os jornalistas que se colocam entre o bolsonarismo e seus interesses. Nesse vídeo, o canal Meteoro Brasil tenta entender o que faz do Pavão uma peça única na história da comunicação política brasileira.

Caro leitor do GGN, estamos em campanha solidária para financiar um documentário sobre as consequências da capitalização da Previdência na vida do povo, tomando o Chile como exemplo. Com apenas R$ 10, você ajuda a tirar esse projeto de jornalismo independente do papel. Participe: www.catarse.me/oexemplodochile

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Um passeio na história do conservadorismo norte-americano

6 comentários

  1. Já que o tal Pavão Misterioso hackeou o celular do Glenn ele poderia logo revelar ao Moro quem passou os vazamentos da Lava Jato para ele;;;

    5
    1
  2. Já que o tal Pavão Misterioso hackeou o celular do Glenn ele poderia logo revelar ao Moro quem passou os vazamentos da Lava Jato para ele…

    2
    1
  3. Ora, ora, todo mundo sabe que o pavão misterioso é o Ednardo.
    O outro, é só um misterioso pavão dentro do armário, que escreve em inglês com os pés.

    2
    3
  4. Desculpem, mas o que o The Intercept produziu, com relação às matérias sobre “vazamentos da Lava Jato” não é jornalismo que mereça esse nome. Por quê? Porque a imprensa, diferentemente do público (individual ou coletivo) tem certos deveres previstos no Código de Ética do Jornalista Brasileiro; sendo o veículo The Intercept publicado tb no Brasil, ele deve seguir essas regrinhas básicas, dentre as quais, destacam-se:
    o(a) jornalista: 1º) é um(a) defensor(a) da democracia, dos interesses públicos e da VERDADE; 2º) é RESPONSÁVEL pela VERACIDADE das informações que publica e pela PROBIDADE de sua(s) fonte(s); 3º) tem o DEVER de publicar a versão de todas as partes envolvidas na informação que publica (assim, o The Intercept) tinha que ter ouvido e publicado as versões de Moro e Dellagnol sobre o fato); 4º) não pode utilizar meios ilícitos para obter sua(s) informação(ções), (raqueamento é um ilicítico penal) e 5º) embora podendo, por motivo de segurança, preservar o sigilo de sua(s) fonte(s), deve, sempre que possível, revelá-la(s), garantindo ao público e aos envolvidos a possibilidade de checar a(s) informação(ções) e conferir-lhe, ou não, CREDIBILIDADE. Por fim, o(a) jornalista deve publicar uma matéria de qualidade e não com tantas erratas como a publicada pelo The Intercept.
    Seguem, abaixo, alguns artigos do já mencionado código.
    Art. 2º(…).
    I – a divulgação da informação precisa e correta é dever dos meios de comunicação e deve ser cumprida (…);
    II – a produção e a divulgação da informação devem se pautar pela veracidade dos fatos (…);
    III – a liberdade de imprensa, direito e pressuposto do exercício do jornalismo, implica compromisso com a responsabilidade social inerente à profissão;
    (…).
    Art. 4º O compromisso fundamental do jornalista é com a verdade no relato dos fatos, razão pela qual ele deve pautar seu trabalho pela precisa apuração e pela sua correta divulgação.
    (…).
    Art. 6º É dever do jornalista:
    (…)VIII – respeitar o direito à intimidade, à privacidade, à honra e à imagem do cidadão;
    (…)
    Art. 7º O jornalista não pode:
    (…)
    III – impedir a manifestação de opiniões divergentes ou o livre debate de ideias;
    (…)
    V – usar o jornalismo para incitar a violência, a intolerância, o arbítrio e o crime;
    (…)
    Art. 8º O jornalista é responsável por toda a informação que divulga, desde que seu trabalho não tenha sido alterado (…).
    (…)
    Art. 10. A opinião manifestada em meios de informação deve ser exercida com responsabilidade.
    Art. 11. O jornalista não pode divulgar informações:
    I – visando o interesse pessoal ou buscando vantagem econômica;
    (…)
    III – obtidas de maneira inadequada, (…).
    Art. 12. O jornalista deve:
    I – ressalvadas as especificidades da assessoria de imprensa, ouvir sempre, antes da divulgação dos fatos, o maior número de pessoas e instituições envolvidas em uma cobertura jornalística, principalmente aquelas que são objeto de acusações não suficientemente demonstradas ou verificadas;
    II – buscar provas que fundamentem as informações de interesse público;
    III – tratar com respeito todas as pessoas mencionadas nas informações que divulgar;
    (…)
    VI – promover a retificação das informações que se revelem falsas ou inexatas e defender o direito de resposta às pessoas ou organizações envolvidas ou mencionadas em matérias de sua autoria ou por cuja publicação foi o responsável;
    VII – defender a soberania nacional em seus aspectos político, econômico, social e cultural;
    VIII – preservar a língua e a cultura do Brasil, respeitando a diversidade e as identidades culturais;
    (…).
    Art. 13. (…).
    Parágrafo único. Esta disposição não pode ser usada como argumento, motivo ou desculpa para que o jornalista deixe de ouvir pessoas com opiniões divergentes das suas.
    (…)
    Art. 16. Compete à Comissão Nacional de Ética:
    (…)
    III – fazer denúncias públicas sobre casos de desrespeito aos princípios deste Código;
    (…)
    Art. 17. Os jornalistas que descumprirem o presente Código de Ética estão sujeitos às penalidades de observação, advertência, suspensão e exclusão do quadro social do sindicato e à publicação da decisão da comissão de ética em veículo de ampla circulação.
    (…)
    Vitória, 04 de agosto de 2007.
    Federação Nacional dos Jornalistas

    3
    2
    • Maria Elizabeth,

      O Intercept do Glenn não faz jornalismo como a globo, admitamos.
      O Intercept não deturpa fatos, não manipula notícias e nem a percepção das pessoas.
      Ele não omite verdades, não retransmite mentiras e tem um grande interesse na verdade independentemente das consequências ou a quem possa atingir.
      De fato, se analisarmos suas reportagens sob esse aspecto, você até pode ter razão em afirmar que ele “não faz jornalismo”.
      A Globo, se tivesse recebido o material que o Glenn recebeu, teriam jogado imediatamente no lixo. Afinal, foi ela quem deu causa ao que se denuncia hoje.
      A verdade não interessa a quem costuma mentir.
      Acho que para criticar um jornalista como o Glenn há que se ter mais competência e coragem que ele.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome