PF faz buscas contra empresários e blogueiros bolsonaristas no inquérito das fake news

29 mandados miram Roberto Jefferson, Luciano Hang, Carla Zambelli, Bia Kicis, Sara Winter, Allan dos Santos (Terça Livre), Daniel Garcia entre outros

Jornal GGN – A Polícia Federal deflagrou nesta quarta (27) uma fase ostensiva do inquérito das fake news que tramita no Supremo Tribunal Federal. Empresários e blogueiros bolsonaristas foram alvos de busca e apreensão, enquanto deputados federais e estaduais serão ouvidos no prazo de 10 dias pelas autoridades.

Estão na mira da PF o empresário Luciano Hang, o ex-deputado Roberto Jefferson, os blogueiros Allan dos Santos (Terça Livre) e Sara Winter, entre outros bolsonaristas que passam pelas buscas e apreensão (confira lista abaixo).

A PF vai colher o depoimento, sem buscas e apreensão, dos deputados Bia Kicis, Carla Zambelli, Filipe Barros, Geraldo Junio e Luiz Phillipe de Orleans e Bragança. Douglas Garcia teve buscas em seu gabinete, contra os assessores. A polícia apreendeu computadores.

Segundo informações da PF, foram identificados pelo menos quatro financiadores dos grupo que espalha fake news na internet contra ministros do Supremo. São, no mínimo, 12 os perfis em redes sociais que atuam de forma padronizada.

Na internet, Douglas Garcia disse que a operação é uma “perseguição” e uma tentativa de criminalizar a liberdade de expressão. “Polícia Federal no meu gabinete: a perseguição do inquérito inconstitucional 4.781 estabelecido pela ditatoga com o intuito de criminalizar a liberdade de expressão e a atividade parlamentar.

Confira a lista divulgada até agora:

INTIMADOS A DEPOR

  • Bia Kicis
  • Carla Zambelli
  • Daniel Lúcio
  • Filipe Barros
  • Geraldo Junio
  • Luiz Phillipe de Orleans e Bragança
  • Douglas Garcia
  • Gildevânio Ilso

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Muita atenção! Muita Atenção nessa hora. Como o governo do sujeito que ocupa a presidência da república já demonstrou que a PF não tem autonomia nenhuma,diferentemente dos governos republicanos e populares,o que pode estar ocorrendo,quase com certeza absoluta,é uma operação despiste para poder atacar os inimigos (como se referem a quem tem ideias diferentes das deles) com toda voracidade possível.
    Essa gente não sabe governar mas sabe muito bem fazer auê.

    3
    1
  2. Disse um deles:”…intuito de criminalizar a liberdade de expressão e a atividade parlamentar.”
    Cara de pau!
    Assim como trump, criminosos brasileiros taxam de “liberdade de expressão ” a disseminação de mentiras e calúnias nas redes.
    Agora, olhando os nomes listados no artigo, nao apenas percebemos a ausência de outros “chefes”, como também acho intrigante que seres de tão baixa relevância há dois ou tres anos conseguem causar tanto mal ao país.

  3. Para ser da Milícia Eletrônica, a que cria “fake news” e espalha ignorância e violência, requer dois recursos: ter dinheiro e ser neoliberal (o que significa adotar a barbárie). Sem ambos esses requisitos, nem pensar. Por isso é que nessa senda a turma mais civilizada, a que demanda educação, espírito crítico e diálogo, não tem paridade de armas.

    E sim, informação também pode ser considerada arma sem o menor prejuízo para a precisão do termo “arma”.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome