Problema em servidor do CNPq pode ter comprometido milhares de dados acadêmicos

Plataforma Lattes, que abriga dados de cientistas de todo país, está fora do ar há dias

Foto: Herivelto Batista / ASCOM-MCTIC via Flickr – CC

Jornal GGN – Os sistemas virtuais do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, estão fora do ar há quatro dias. Ontem, 26, pesquisadores informaram a inacessibilidade da plataforma Lattes, que hospeda os currículos e até os trabalhos dos cientistas. 

O órgão não informou oficialmente a causa do problema, que foi identificado no sábado, apenas afirmou que “não há previsão para o restabelecimento total” dos sistemas, de acordo com o jornal Estado de S. Paulo

Segundo a Revista Fórum, no entanto, os pesquisadores que procuram a agência federal foram avisados que o sistema Lattes estava fora do ar, porque o servidor do CNPq “queimou” e, além disso, não havia backup dos dados da plataforma, o que poderia ter comprometido os dados.

Nas redes sociais, o governo federal se limitou a dizer que seguem os esforços para restabelecer os sistemas. “O CNPq informa que segue em esforço conjunto com o Ministério da Ciência Tecnologia e Inovações (MCTI) para o restabelecimento dos sistemas após evento que causou a indisponibilidade das plataformas”.

Eis o comunicado do CNPQ:

Informe CNPq – Indisponibilidade dos sistemas

Em continuidade aos comunicados sobre a indisponibilidade dos sistemas do CNPq, incluindo as Plataformas Lattes (Currículo Lattes, Diretório de Grupos de Pesquisa, Diretório de Instituições e Extrator Lattes) e Carlos Chagas, esclarecemos:

  1. O problema que causou a indisponibilidade dos sistemas já foi diagnosticado em parceria com empresas contratadas e os procedimentos para sua reparação foram iniciados.
  2. O pagamento das bolsas implementadas não será afetado.
  3. Todos os prazos de ações relacionadas ao fomento do CNPq, incluindo a Prestação de Contas, estão suspensos e, de ofício, serão prorrogados.
  4. Os comunicados oficiais do CNPq são feitos exclusivamente por meio dos canais oficiais na internet: site e redes sociais. Manteremos todos atualizados sempre que houver novas informações sobre a questão.
  5. O CNPq já dispõe de novos equipamentos de TI e a migração dos dados foi iniciada antes do ocorrido. Independentemente dessa migração, existem backups cujos conteúdos estão apoiando o restabelecimento dos sistemas.
  6. Para demais dúvidas, entre em contato com a Central de Atendimento pelo telefone 61 3211 4000 ou pelo e-mail [email protected]

Reforçamos que o CNPq/MCTI estão comprometidos com a restauração do acesso aos sistemas operacionais com a maior brevidade possível.

Coordenação de Comunicação Social

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. teremos similaridades deste inacreditável apagão do CNPQ com o caso das vacinas? primeiro parece desleixo ou pouco caso, mas ao aprofundar o caso vê-se que há intencionalidade do MEC de provocar o apagão mesmo, afinal, o que o desgoverno quer de verdade é privatizar o ensino superior para beneficiar as universidades particulares. é sempre bom lembrar que a irmã do ministro Guedes, Elizabeth Guedes é vice-presidente da Associação Nacional de Universidades Privadas (Anup), que representa os interesses de grandes monopólios educacionais, como Anhanguera, Estácio, Kroton, Uninove e Pitágoras. que tal abrir uma CPI, da mesma forma que foi feito para o apagão das vacinas no país? talvez ela possa nos apontar coisas que sequer imaginamos. fica a ideia para os partidos que defendem o ensino publico e gratuito.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome