PSOL denuncia governo Bolsonaro à OMS por falta de oxigênio em Manaus

O partido também pede que sejam solicitadas explicações das recomendações do presidente sobre o tratamento precoce com medicamentos ineficazes contra o vírus

Foto: Marcos Corrêa/PR
do PSOL

O PSOL envia nesta sexta-feira (15) à Organização Mundial de Saúde (OMS) uma denúncia contra o governo do presidente Jair Bolsonaro para que a entidade mundial cobre explicações e investigue a crise de abastecimento de oxigênio hospitalar na capital do Amazonas.

A base do pedido encaminhado é o Regulamento Sanitário Internacional, que define a resposta em até 24h pelos países signatários aos questionamentos da OMS.

O partido também pede que sejam solicitadas explicações sobre as recomendações do presidente sobre o tratamento precoce com medicamentos de eficácia não comprovada, como a cloroquina e a ivermectina. Desde o início da pandemia da Covid-19, o chefe do Executivo tem feito propaganda e recomendado o tratamento precoce com remédios sem comprovação científica no combate ao novo coronavírus.

Sobre a crise em Manaus, Bolsonaro chegou a justificar a alta de casos e mortes pela falta de recomendação do tratamento precoce. Nesta sexta-feira, 15, ele afirmou que o problema no local está “terrível”, mas disse que “o governo fez a sua parte”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora