Recife: João Campos leva 29% dos votos e Marília Arraes, 27,9%

Marília conseguiu reduzir a diferença para João Campos, que vinha liderando isolado nas pesquisas de opinião divulgadas antes do pleito

Jornal GGN – Os dados atualizados pelo Tribunal Superior Eleitoral por volta das 22h40 mostram que o segundo turno em Recife será disputado entre João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT). A candidata petista surpreendeu ao reduzir a diferença para o filho de Eduardo Campo, que era maior nas pesquisas de opinião.

Com 100% das urnas apuradas, o pessebista ficou com 29,17% dos votos (233 mil votos) e a petista, 27,85% (ou 233 mil votos). O candidato do DEM, Mendonça Filho, alcançou 25,11% dos votos – ou 200 mil, no total.

Segundo a pesquisa de boca de urna divulgada pelo Ibope por volta das 17h08 do domingo de eleição (15/11), Campos tinha 35% dos votos válidos, ante 30% de Marília.

Na pesquisa de opinião do Ibope da véspera da eleição, Marília marcou 26% dos votos válidos e Campos, 39%.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Na análise da era Trump, EUA se debruçam sobre a herança escravagista

2 comentários

  1. UM É FILHO DO FINADO EDUARDO CAMPOS, A OUTRA NETA DO ARRAES. Não acredito que tornem-se corruptos como Aécio Neves, sobrinho do Dr. Tancredo Neves mas, nada contra os jovens, muito pelo contrário, mas são eleitos usando o nome da família. Quantos políticos corruptos, sabiamente corruptos, que conseguem transferir seu cacife eleitoral para filhos e netos? Muitas vezes a família toda é eleita como no caso dos Bostas. O Rodrigo Maia se não fosse filho do Cesar Maia seria eleito? Algo tem que mudar. Não é fácil tirar o povo da alienação. Ainda vivemos o tempo do churrasco na semana anterior a eleição.

  2. Do berço ao trono. O que tem de errado com isto? Afinal a Capitania Hereditária de Pernambuco só foi confrontada pela Universidade do Recife durante o 2. Reinado e 1.a República. Sabemos da tragédia que se seguiu após o Golpe Civil Militar Fascista de 1930. A volta dos currais eleitorais, seus Feudos e Nepotismo. Nepotismo? Imagina !!! Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome