Relatório do Congresso dos EUA aponta Bolsonaro como risco à democracia

Segundo o documento, a falta de governança brasileira ameaça os direitos humanos e a proteção do meio ambiente

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Jornal GGN –  O Congresso norte-americano aponta a ameaça do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) para a democracia, os direitos humanos e o meio ambiente. A crítica é feita no novo relatório de análise interna das relações entre o Brasil e Estado Unidos. 

Intitulado o “Brasil: histórico e relações com os EUA”,  o documento de 26 páginas foi feito pelo CRS (Serviço de Pesquisa do Congresso) e traz a assinatura do especialista em América Latina, Peter J. Meyer.

Segundo o documento, apesar de Bolsonaro se mostrar alinhado com o governo de Donald Trump, a ação não anula a falta de governança brasileira. “As relações se aproximaram desde 2019, já que a política externa do presidente Bolsonaro priorizou o alinhamento à administração Trump. Mesmo assim, diferenças de políticas surgiram acerca de questões sensíveis”, diz parte. 

Em suma, a análise aponta para uma “erosão da democracia” no Brasil, ocasionada pela falta de políticas responsáveis da gestão Bolsonaro, que tem entregado diversos cargos a militares e, em contrapartida, tem atacado a imprensa e organizações da luta pelo direitos humanos e de proteção do meio ambiente. 

“Essa abordagem de confronto alienou potenciais aliados no Congresso de tendência conservadora e prejudicou a capacidade do Brasil de enfrentar sérios desafios, como a pandemia de Covid-19 e o desmatamento na Amazônia brasileira. Ele também colocou um estresse adicional no país já sobrecarregado contra as instituições democráticas”, prosseguiu.

O texto também destaca as desigualdades econômicas, que colocam em xeque o crescimento brasileiro desde 2014, agravado pelos governos de Michel Temer (MDB) e Bolsonaro.

“Após um período de forte crescimento econômico e aumento de influência internacional durante a primeira década do século XXI, o Brasil tem lutado com uma série de crises domésticas nos últimos anos. Desde 2014, o país passou por uma profunda recessão, taxa recorde de homicídios e escândalo de corrupção em massa”, pontuou.

Com informações do Metrópoles. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Celular “5G”: soberania nacional amesquinhada, por Arnaldo César

2 comentários

  1. Só agora, grande irmão do norte!?
    quem vê assim pode pensar que o grande irmão nunca contribuiu para o Brasil pós golpe ficar com duas faces de governança, uma vergonhosa e outra muito estimulante aos seus interesses

  2. Palhaços! O sujeito que ocupa a presidência da República só ameaça a democracia porque houve um golpe de Estado onde os falcões do Norte, como sempre,estavam patrocinando.
    Essa gente não presta.
    Destruíram o Afeganistão, o Iraque,a Líbia e tentaram com a Síria e o Irã e Venezuela e ainda estão tentando.
    Com o Brasil a coisa é diferente: no lugar de destruir eles se aproveitaram da escória pós- golpe e estão pegando tudo que interessa.
    Se tem alguém que ameaça a democracia no mundo Esse alguém são os falcões do Norte.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome