“Saudade do Janot”: Procuradores de Curitiba detonam Dodge em mensagens de Telegram

Conversas de Telegram mostram que procuradores de primeira instância negaram à Dodge qualquer participação no acordão bilionário assinado com a Petrobras, que resultaria na fundação bilionária da Lava Jato

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Novas conversas de Telegram analisadas e reveladas pelo El País em parceria com o Intercept Brasil, nesta sexta (9), mostram que os procuradores da Lava Jato em Curitiba detestam e são insubordinados à comandante do Ministério Público Federal, Raquel Dodge.

Deltan Dallagnol chegou a planejar vazar informações para a imprensa para pressionar a procuradora-geral da República a agir de acordo com os interesses da força-tarefa. No caso, ele queria que ela enviasse para a homologação no Supremo Tribunal Federal a delação de Leo Pinheiro, da OAS, o principal detrator de Lula.

As conversas comprovam ainda que os procuradores de primeira instância negaram à Dodge qualquer participação no acordão bilionário assinado com a Petrobras nos EUA, que resultaria numa fundação privada com 1,25 bilhão provenientes de multa aplicada à estatal. O dinheiro, que estaria sob a influência de Curitiba, seria usado em investimentos abstratos em “combate à corrupção” e ações sociais.

“(…) se ela quer assinar algum acordo aqui em Curitiba que volte a ser procuradora da República”, disparou o procurador Januário Paludo. Os procuradores ficaram muito contrariados quando ela recorreu à Suprema Corte contra a fundação.

Além da questão das delações que estão paradas, aguardando homologação, os procuradores denotam que Dodge é um problema porque é quem controla o orçamento do MPF, e também teria “relação estreita” com Gilmar Mendes, seu suposto padrinho na indicação para a PGR no governo de Michel Temer.

Mas a demora com as delações era o principal motivo de revolta.

Em uma das mensagens, o procurador Athayde Ribeiro Costa deixa claro que até Sergio Moro estava cobrando agilizada na homologação da delação de Léo Pinheiro. “Russia acabou de perguntar se evoluiu LP”, escreveu aos colegas de chat. Havia preocupação de que os advogados de delatores decidissem ignorar o MPF e fechar acordo diretamente com a Polícia Federal, dada a demora da PGR.

“SAUDADES DO JANOT”

O relacionamento com o ex-PGR Rodrigo Janot, por outro lado, era muito mais amistoso.

Deltan Dallagnol tinha um canal de comunicação aberto diretamente com Janot. Nas mensagens em que ataca Dodge, ele diz expressamente que sente saudades do ex-chefe do MPF.

Em um dos diálogos, ele escreveu: “Janot, o maior diferencial é que Vc, por características pessoais, permitiu que esse trabalho integrado acontecesse, a começar pela criação da FT e todo apoio que deu e dá ao nosso trabalho. Vc merece um monumento em nossa história. Grande abraço, Deltan.”

Os elogios de Deltan a Janot foram, depois, substituídos por dissimulação.

Em agosto de 2018, sem fazer nenhum comentário adicional, Dodge enviou para Deltan, no Telegram, o link de uma matéria dizendo que ela teria um relacionamento cheio de “atritos” com a Lava Jato.

Apesar de ser o principal mentor de vazamentos como estratégia para detonar Dodge na imprensa, Deltan respondeu: “É uma pena que problemas dentro da instituição acabem expostos na imprensa. Como lhe disse, não temos essa prática de notas.”

INQUÉRITO DAS FAKE NEWS

No episódio em que o Supremo Tribunal Federal decidiu investigar procuradores e outras autoridades por ataques aos ministros da Corte (inquérito das fake news), Anderson Lodetti escreveu: “Raquel está destruindo o MPF, achincalhando a gente…[…] teria que ser incinerada publicamente, internamente e internacionalmente.”

FUNDAÇÃO DA LAVA JATO

Os procuradores voltaram a carga quando, em abril de 2019, Dodge finalmente recorreu ao STF para suspender o acordo feito pela Petrobras e procuradores de Curitiba, em janeiro, dando destinação à metade da multa de R$ 2,5 bilhões que a estatal pagou nos EUA.

“O barraco tem nome e sobrenome. Raquel dodge. O Oswaldo instaurou pgea para pedir informações sobre o acordo”, disse Paludo no grupo Filhos do Januário 4.

PGEA é uma medida administrativa utilizada pelo corregedor-geral do MPF, Oswaldo Barbosa, para ter acesso aos documentos sobre o acordo.

Foi a Oswaldo que Paludo desferiu a frase: “Eu disse para ele que se ela quer assinar algum acordo aqui em Curitiba que volte a ser procuradora da República”, demonstrando que Dodge ficou de fora das negociações.

“Ele já havia me cantado a bola lá em BSB que era para falar com a RD sobre o acordo. Eu nem liguei. A mulher está possessa.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

6 comentários

  1. De tanto servir para delações sem provas, a fofoca passou a ser o fio condutor da atuação de todos os procuradores da força tarefa mente e lava

    um bando de fofoqueiros também pratica terrorismo

  2. É a Pátria da Aberração !! Do Absurdo !! Do Surreal !! O Estado Brasileiro extorquindo o Estado Brasileiro !! O Estado Brasileiro ajudando uma Nação Estrangeira a extorquir o Estado Brasileiro !! 40 anos de Redemocracia em 30 anos de Constituição Cidadã !! Que Projeto vitorioso e inigualável em 9 décadas de Estado Fascista !! Entendemos a pressa e prontidão na PETROBRÁS aceitar pagar 19 bilhões de indenização à Justiça NorteAmericana. Com total e absoluta ajuda do Poder Judiciário Brasileiro, MP Federal e Estado Brasileiro. Existe algo parecido em tamanha mediocridade política na história da Humanidade?!!! Uma multa várias vezes maior que o exposto desfalque que dizem ter havido na Estatal !!! NÃO NOS FALTAM NEM AS PENAS !!!! E o MP Federal ficaria com sua parte, é lógico e revelado. O mesmo Estado Brasileiro do mesmo MP e Judiciário Brasileiro, cujas Prefeituras Municipais de MG estão entrando com Ações na Justiça Britânica contra a Controladora Britânica da SAMARCO, porque a Justiça Britânica é mais célere, séria e comprometida com as Indenizações e Reparações ao POVO BRASILEIRO, que o Poder Judiciário Brasileiro !!! O Estado Brasileiro e seus Cidadãos mendigando alguma seriedade e respeito em Terras Estrangeiras !! Se não existisse o Judiciário Brasileiro, seria preciso inventá-lo. É um BORDEL INSTITUCIONAL fingindo produzir Justiça. É inominável e abjeto Estado Brasileiro !!!! Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação. QUE LIXO !!!!!!!!!!!!!!!!

    • e pra fechar com chave de ouro é um dos sistemas judiciários mais caros do mundo, com salários altos e cheio de auxílios, nome bonito de ganhar a mais e ainda nem pagar imposto nenhum.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome