Sob Bolsonaro, Fundação Palmares se transfere para prédio deteriorado

Instituição que deveria preservar a memória e cultura do povo negro no Brasil levará seu acervo história para um espaço com infiltrações e avarias

Jornal GGN – É destaque no Estadão desta quinta (1º) que a Fundação Palmares, em Brasília, está de mudança. Nas próximas semanas, a instituição que deveria preservar a memória e história do povo negro no Brasil transferirá todo seu acervo para um depósito deteriorado pelo tempo, uma “espécie de almoxarifado” que pertence à EBC, “tomado por infiltrações e avarias”.

O jornal ouviu pessoas do movimento negro que destacaram que se trata do “desmonte” oficial da Fundação Palmares, hoje presidida por um negro bolsonarista, Sergio Camargo, que repudia a luta antirracista e suas pautas.

No novo espaço da EBC, a sede receberá o nome de “André Rebouças”, um abolicionista “monarquista” escolhido a dedo por Camargo.

O jornal alertou ainda que o prédio deveria passar por uma reforma que já estava prevista antes da mudança, mas a Fundação Palmares decidiu antecipar a transferência e não deu nenhuma satisfação sobre como pretende manter o acervo histórico em segurança dentro do local comprometido.

Nesta quinta, mais cedo, a imprensa noticiou que a Fundação Palmares excluiu da galeria de personalidades negras a candidata à Prefeitura do Rio de Janeiro, Benedita da Silva (PT). Camargo insinuou que a ex-governadora está envolvida com corrupção. Não há condenações contra Benedita. Em vídeo resposta, ela afirmou que vai acionar a Justiça contra a decisão.

Leia mais:

“Capitão do mato”: Benedita reage à “ataque” do presidente da Fundação Palmares

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora