Transportes representam quase 50% da alta do IPCA-15 de janeiro

Repare que apenas Carne e Cereais, Leguminosas e Oleaginosas representaram quase 30% do índice acumulado.

Participação dos setores de transporte na greve geral de 14 de junho foi abaixo da esperada. Maioria dos tribunais desrespeitam direito de greve dos trabalhadores e concedem decisões favoráveis aos setores patronais (FOGUINHO/ARQUIVO IMPRENSA SMETAL)
  1. O índice geral do mês foi 0,48%. No acumulado de 12 meses, 4,57%.
  2. No mês, a maior alta foi em Educação, com 2,39%, efeito sazonal conhecido, pelo fato de ser a época das matrículas. Seguem-se Transportes (1,11%) e Artigos de Residência 1,01%). Individualmente, apenas Transportes pesou em 0,22%, quase metade da alta.
  3. Quando se analisa o impacto de cada grupo no resultado final, percebe-se o seguinte na inflação de fevereiro: dos 0,48%, Transportes respondeu por 0,22%, Educação por 0,14% e Alimentação por 0,12%. Quem puxou o IPCA para baixo foi o subgrupo Habitação (-0,12%) e Comunicação (-0,01%). E o índice ainda não captou os efeitos dos últimos aumentos de combustíveis.
  4. No acumulado de 12 meses, dos 4,57% de alta, 3,11% foram puxados pela Alimentação, seguido por Habitação (0,61%).

No grupo dos Alimentos, o câmbio deu o ritmo. No acumulado de 12 meses, Cereais, Leguminosas e Oleaginosas aumentaram 57,65%; Óleos e Gorduras, com 56,02%, mas também Tubérculos, frutas etc,

Repare que apenas Carne e Cereais, Leguminosas e Oleaginosas representaram quase 30% do índice acumulado.

Publicado por Google DriveDenunciar abuso

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora