Venezuela oferece 107 médicos para socorrer Manaus

O governo de Nicolás Maduro também envia a Manaus neste sábado, 16, caminhões carregados com cilindros de oxigênio

Foto: Bruno Kelly/Reuters

Jornal GGN – Além de fazer o envio de caminhões carregados com cilindros de oxigênio para Manaus (AM), neste sábado, 16, o governo da Venezuela ofereceu a ajuda de 107 médicos, formados pela Escola Latino-Americana de Medicina de Caracas, para ajudar o sistema de saúde da capital, que encontrou em colapso essa semana após o aumento de casos de Covid-19.

Na noite desta sexta-feira, 15, o chanceler da venezuelano, Jorge Arreaza, afirmou por meio de redes sociais que os médicos compareceram ao consulado da Venezuela em Boa Vista (RR) para oferecerem seus serviços ao estado e enviaram uma carta ao governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), para concretizar a oferta.

Em meio a inércia do governo federal sobre a crise em Manaus, países foram acionados para prestar socorro. O governo de Nicolás Maduro, apesar de ser alvo dos ataques da gestão de Jair Bolsonaro (sem partido), logo se manifestou a favor do estado brasileiro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Importante considerar o conjunto de mensagens que a população tem recebido do “governo federal”. “Não se preocupe, não é grave”; “Não é grave, não precisa se proteger”; “Você pegou a doença, se morrer, paciência”; “Eu digo pra não se preocupar, mas se morrer por causa daquilo que digo, a responsabilidade é sua”.
    Soma-se a isso: “Eu não vou me preocupar”; “Você se preocupa pois é um fraco”, “Quem se preocupa não tem coragem”; “Estou doente, agora preciso de uma maca na UTI e oxigênio”.
    É como se tivesse dito a alguém que ele é plenamente racional, de tomar todas as decisões e que elas estarão sempre certas (o que importa é a minha opinião, e não a relação entre o dito e a realidade), surgindo uma horda de onipotentes e arrogantes que, no fim e ao cabo, mostraram-se otários.
    E os médicos, auxiliares de enfermagem, técnicos de enfermagem, enfermeiros, atendentes, assistentes de limpeza e manutenção, motoristas e suporte de emergência do Samu? Muitos deles estão exaustos, sofrerão com despersonalização, estresse pós-traumático.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome