“Antipetismo”, sobrenomes Ódio, Inveja e Egoísmo, por Zê Carota

“Antipetismo”, sobrenomes Ódio, Inveja e Egoísmo

por Zê Carota

 

“antipetismo” é o novo “Ele sabia”.

“antipetismo” é o novo “ Não tenho prova cabal contra Dirceu, mas vou condená-lo porque a literatura jurídica me permite”, papagaiado por rosa weber.

“antipetismo” é o novo juridiquês, em latim, pra tornar grave, legal, moral e verdade tudo que não se conseguiria provar em português.

“antipetismo” é o novo “Não é pelos R$ 0,20”, do mpl.

“antipetismo” é o novo “Não vai ter Copa!!!”, dos junhistas de 2013.

“antipetismo” é o novo “movimento apartidário, manifestações pacíficas”, da globo.

“antipetismo” é o novo “Dilma, vai tomar no cu!”.

“antipetismo” é o novo “Leviana!”, de aécio, com dedo em riste.

“antipetismo” é o novo “Vou pedir recontagem de votos”, também de aécio.

“antipetismo” é o novo “Não quero que ela saia, quero sangrar a Dilma, não quero que o Brasil seja presidido pelo Michel Temer”, do aloysio nunes, ministro de temer.

“antipetismo” é a nova carta de vice decorativo.

“antipetismo” é o novo “Nossa bandeira jamais será vermelha!”.

“antipetismo” são os novos bonecos de Dilma e Lula enforcados em viaduto e ou inflados e vestidos de presidiários.

antipetismo” é o novo adesivo da presidenta Dilma com as pernas arreganhadas, nos tanques de automóveis, pra ser estuprada com a pistolas de combustível.

“antipetismo” é o novo “Pela pátria, pela minha família, pela moral, por Deus, pelo meu estado (até pela memória do ustra), SIM!!!!!”, daquele abjeto abril de 2016.

“antipetismo” é o novo pato inflável da fiesp.

“antipetismo” é o novo “ Tem que ter impeachment. É a única saída. Conversei ontem com uns ministros do Supremo. Os caras dizem ‘ó, só tem condições de… sem ela. Enquanto ela (Dilma) estiver ali, a imprensa, os caras querem tirar ela, essa porra não vai parar nunca. Rapaz, a solução mais fácil era botar o Michel. É um acordo, botar o Michel, num grande acordo nacional. Com o Supremo, com tudo. Aí parava tudo, delimitava onde está, pronto”, do jucá e do sérgio machado.

“antipetismo” é “Aprovado no Senado o impeachment. Dilma perde o mandato, Temer assume”.

“antipetismo” é o novo PowerPoint pra dizer que “Ele é o chefe da maior quadrilha”.

“antipetismo” é o novo “Não tenho provas, mas tenho convicção”, do mesmo moro que escreveu aquele voto da rosa weber.

“antipetismo” é o novo “Lula preso”.

“antipetismo” é o “É bom jair se acostumando”.

“antipetismo” é “Bolsonaro lidera as pesquisas de intenção de voto”.

“antipetismo” é “Lula perdeu o poder de transferir votos”.

“antipetismo” é “Lula lidera com 49%” e “STF proíbe Lula de concorrer à presidência”.

“antipetismo” é o “Haddad é poste”.

“antipetismo” é “Haddad já subiu tudo o que tinha pra subir”.

“antipetismo” é voto útil, ainda no primeiro turno, quando se está em segundo lugar.

“antipetismo” é voto útil, ainda no primeiro turno, quando se parou em terceiro lugar.

“antipetismo” é “só ele ganha do coiso no segundo turno” quando o adversário perderia para o tal coiso.

“antipetismo é “se ele for para o segundo turno, ele ganha do coiso com mais vantagem” quando o adversário já ganha do tal coiso.

“antipetismo” é apostar no caos, evangelizar para o caos, se o adversário vencer.

“antipetismo” é querer que todos acreditem que, se vencer, o país não terá instabilidade porque os donos do golpe reconhecerão a derrota, e não porque verão no vencedor um permitido.

“antipetismo” é cobrar inequívoco apoio para si, para seu candidato, mas negar-se a qualquer sinal evidente de igual apoio para o adversário que, para o bem do país e de seu Povo, TEM que derrotar o único e verdadeiro inimigo: o FASCISMO.

“antipetismo” é justificar voto usando a primeira pessoa do singular, jamais a primeira do plural – e todo e qualquer país é (ou deveria ser) um imenso nós.

“antipetismo” é um golpe desesperado, abjeto e cafajeste de querer igualar o PT e seus expoentes à matilha do fascismo que o golpeou, prendeu e trincou (ou “polarizou” o país).

“antipetismo”, em suma e em verdade, é ódio de classe, seja o original, dinástico, hereditário ou o contraído por compreensão política individual ou sectária, por preguiça de pensar e pelo medo de lutar e conquistar com que se quer contaminar a todos.

ambos, original e contraído, são potencializados e difundidos por baronatos de comunicação que agem como cães de guarda dos privilégios bandidos e impunes dos inimigos de sempre do Povo.

o “antipetismo” é uma cultura velha e velhaca, há quarenta anos, no mínimo, urrando medo e babando ódio em centenas de milhares de manchetes de rádios, tvs, jornais e revistas, produzindo um misto de lobotomia e adestramento ao ódio em massa contra o primeiro homem público que, desde o início de sua vida pública, não defendeu nenhuma revolução, mas, pacífico até demais, democrata até demais no trato com quem merecia, no mínimo, cadeia, tão somente um mínimo de igualdade de oportunidade e de direitos para todos.

o “antipetismo” é uma pirraça de quem, se tudo der errado, não terá um segundo e um milímetro de sua vida alterados para a indignidade, e que, se se cansar do entorno, pode dar um tempo no primeiro mundo.

o “antipetismo” viaja para o exterior, se encanta com o que vê, se orgulha de conhecer cada vez mais e melhor países avançados, mas ignora (amplo sentido) por completo o Brasil profundo, desprezando que o feio, o insuficiente, o insuportável deste é que, com seu Povo explorado em todos os seus direitos, forças e riquezas, garantiram e garantem, via governos e capital corruptores internacionais e governos vassalos e corruptos nativos, a civilidade dos estrangeiros invejada pelos nossos provincianos.

o “antipetismo” é um híbrido de rancor, inveja e única desculpa daqueles que, incapazes de, com feitos, escreverem uma biografia política própria, admirável e, pois, inesquecível, precisam se projetar pela única e canalha forma possível: tentando, em vão, desqualificar, criminalizar ou eclipsar quem escreveu a sua na alma de milhões.

o “antipetismo” é anti-Brasil.

o “antipetismo” é anti-Povo.

o “antipetismo” é o secular “ponha-se no seu lugar” vestido de novo, caso o que se crê privilégio exclusivo for negado em forma de conquista popular (vide foto que ilustra este texto, na qual já ficou claro que isso não ficaria ‘impune”).

o “antipetismo” é inventar a doença, ou ser o seu garoto-propaganda, pra vender caro a falsa “cura”.

o “antipetismo”, como um vampiro, precisa sugar tudo de todos até que se tornem tão inúteis e covardes quanto ele.

o “antipetismo” precisa subestimar a inteligência alheia ao nível da sua, para que seja esquecido o seu avesso ainda maior: o pró-petismo que, apesar de tudo e de todos, venceu as quatro últimas eleições.

o “antipetismo”, não importando o portador, é uma doença, e, como tal, deve ser sumariamente eliminada, começando pela sua forma mais letal: o fascismo.

pé na reta, fé na curva e à luta (que não cessará ao final das eleições, seja quem for o eleito, e que, certeza, não terá a presença dos arautos do medo, ocupados que estarão, uma vez mais, e sempre, somente consigo mesmos).

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora