Bolsonaro trabalha para colocar Eduardo líder na Câmara, e PSL se divide

Bolsonaristas entregaram lista com 27 assinaturas para tirar Waldir. Foi então apresentada um contra-lista para que fique, com 32 deputados. Como o PSL tem 53 deputados, a conta fica meio estranha, pois não fecha.

Jornal GGN – E começou uma guerra de listas de apoio dentro do PSL, partido de Jair Bolsonaro e de Luciano Bivar. Os dois personagens querem definir o líder do partido na Câmara. Bolsonaro trabalha por seu filho Zero03, o Eduardo, e Bivar não quer perder o controle da legenda. A informação é da Folha.

A guerra está deflagrada. E começou há mais de uma semana. Bolsonaro deixou escapar que Bivar está ‘queimado pra caramba’ antes que ele tivesse sido alvo de operação da Polícia Federal sobre candidaturas laranjas. Agora Bolsonaro decidiu que quer Eduardo no comando da sigla na Câmara, o que significa a substituição do atual líder da bancada, que é o Delegado Waldir.

Bolsonaristas entregaram lista com 27 assinaturas para tirar Waldir. Foi então apresentada um contra-lista para que fique, com 32 deputados. Como o PSL tem 53 deputados, a conta fica meio estranha, pois não fecha. Mas, como a lista que mantém Waldir na liderança foi a última a ser protocolada, é a que vale no momento.

Eduardo afirmou em coletiva que seu compromisso vai até dezembro, isso com a Câmara, pois ano que vem tem eleições.

O próximo passo das listas é a checagem a ser feita pela administração da Câmara para conferir se são autênticas. O passo seguinte é que Rodrigo Maia (DEM-RJ) chancele a medida para que ela entre em vigor. Nenhum grupo divulgou seu documento.

A manobra encabeçada por Jair Bolsonaro, para que seu filho assuma a liderança, é parte da crise instalada no partido. Waldir está atuando, desde a semana passada, tirando deputados da ala dissidente de comissões e posições de liderança do partido.

Já Eduardo afirma que sua intenção é apenas manter o ‘status quo’ pois ocorreu uma retaliação e ‘pareceu que se estava fazendo política com o fígado’. E afirmou ainda que sua nomeação para embaixador em Washington é coisa secundária. O foco, segundo ele, são os eleitores da legenda.

Leia também:  Modesta proposta para melhor aproveitamento dos filhos das pessoas pobres, por Sebastião Nunes

O grupo de parlamentares bolsonaristas é composto pelo líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), Carlos Jordy (RJ), Bia Kicis (DF), Carla Zambelli (SP), Filipe Barros (PR), entre outros que assinaram a notificação de Bolsonaro pedindo mais transparência no PSL.

Parlamentares relataram que Bolsonaro está ligando pessoalmente para cada um da bancada e cobrando voto no filho dele.

À noite, áudios divulgados por pessoas ligadas ao PSL e atribuídos por eles a Bolsonaro indicam o que seria a ação do presidente para convencer os deputados para a troca do líder do partido.

A crise está toda relacionada com a tentativa de Bolsonaro de ‘fazer auditoria nas contas do partido’, como forma de se afastar da crise do laranjal. Bivar resiste à manobra.

Leia a matéria na íntegra aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Afinal, o qie papai quer pro filhote? Que frite hamburguer nos eua ou que cuide de um laranjal? Cozinheiro ou agricultor?
    Grandes são as duvidas de quem caga e anda para o país e não respeita nem os imbecis que neles votaram.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome