FHC, de “príncipe da sociologia” a “rei da hipocrisia”

 

Ontem o Jornal da Gazeta veiculou matéria sobre a Operação Lava Jato dando grande destaque ao fato de FHC ter dito que está envergonhado do que ocorre no Brasil. Sobre o passado do próprio FHC nada foi dito pelos telejornalistas.

FHC é suspeito de ter mandado comprar votos parlamentares para garantir a aprovação da Emenda Constitucional que possibilitou a sua reeleição.  Com ajuda da imprensa, ele se apropriou da paternidade do Plano Real, o qual foi concebido por outras pessoas durante a gestão de Itamar Franco. Todos os membros da equipe de FHC enriqueceram de maneira não muito honesta durante a troca da moeda (episódio contado em detalhes por Luis Nassif em seu livro “Os Cabeças de Planilha”). A escandalosa venda de estatais a preço de banana durante o governo FHC é objeto de suspeitas até os dias de hoje e já rendeu vários livros. Durante o governo dele as denuncias de corrupção eram sumariamente arquivadas pelo Procurador Geral da República e a PF era absolutamente inoperante.

Ontem FHC exigiu a punição dos petistas por causa do escandalo na Petrobras. Curiosamente, ele nunca exigiu apuração e punição para tucanos envolvidos em corrupção (mensalão tucano de Minas Gerais, roubalheira do Metrô em SP, etc…), nem tampouco se mostrou indignado com o desfecho do caso envolvendo o tráfico de 450 quilos de cocaína num helicóptero de propriedade de um deputado ligado a Aécio Neves. O ex-príncipe da sociologia também não estranhou o fato da Sabesp ter distribuído lucros pouco antes da maior crise hídrica de São Paulo e o instituto dele embolsou 500 mil reais da companhia sem que o ex-presidente ficasse corado. FHC nunca criticou os Ministros Gimar Mendes, Marco Aurélio de Mello e Ellen Gracie em razão das decisões absurdas que os três proferiram para beneficiar réus tucanos e impedir ou bloquear investigações contra banqueiros ligados ao PSDB.

FHC é um ator consumado. Ao atacar os petistas na televisão ontem ele se portou como se fosse um homem de reputação ilibada, alguém cujo passado é absolutamente isento de manchas. Quem não o conhece chega até a  acreditar que FHC está realmente preocupado com o combate à corrupção. Há algumas décadas a imprensa transformou-o no príncipe da sociologia. Ontem o Jornal da Gazeta o utilizou como uma arma para destruir o governo Dilma Rousseff e FHC se ajustou perfeitamente ao novo papel que a imprensa lhe atribuiu. Ele é o novo rei da hipocrisia.

O idoso líder tucano disse no Jornal da Gazeta que está envergonhado com o que ocorre no Brasil. Mas a verdade é que ele está envergonhando os brasileiros. Não só isto, FHC coloca em risco a democracia, a mesma democracia que ele supostamente ajudou a construir.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

62 comentários

  1. Sem mais, nem menos. Na veia

    “Ontem o Jornal da Gazeta veiculou matéria sobre a Operação Lava Jato dando grande destaque ao fato de FHC ter dito que está envergonhado do que ocorre no Brasil. Sobre o passado do próprio FHC nada foi dito pelos telejornalistas.”

    Esse é o Brasil seletivo que não conseguiu sair da “casa grande e senzala”

  2. Decrépito,leso ,flautulento..

      Na Bôca do Lixo, Café Central,Praça da Sé e afins,poderemos encontrar pessoas mais bem avaliadas, mais, digamos ¨espertas¨ que o ¨bôca fôfa¨. Atualmente , êle está disponível para qualquer ¨pornochanchada¨,pegadinhas,filmes de terceira. Aceita também papel de coadjuvante ou ¨papel de parede¨. Deveriam,filhos e espôsa,  dar um basta neste ¨velho velhaco¨.

     

  3. A melhor defesa é o ataque

    FHC é raposa matreira.
    Nessas ultimas prisões e apreensões feitas pela PF deve haver peixe graúdo ligado umbilicalmente aos tucanos, daí o por quê do ataque tão incisivo ao PT.

  4. Está incorreta a parte da

    Está incorreta a parte da frase “FHC é suspeito de ter mandado comprar votos”. Está comprovado isso, conforme o livro O Príncipe da Privatoria, do Palmério Dória, e a reportagem da Folha da época.

    • Documentário tucano, a Mercedes chilena e a admissão da “compra”

      Há um documentário feito por amigos do príncipe, para exaltá-lo, em que podemos ver e ouvir:

      1) O “exilado” desfilando em sua reluzente Mercedes pelas ruas chilenas, provavelmente comprada com a gorda aposentadoria vagabunda de professor de sociologéia (não confundir com a DST) aos 37 anos…

      2) Seu comentário de viva-voz, onde ele fala da compra da re-eleição: “…até acho que houve…”

      Se quiserem ver, corram, pois certamente será editado, censurado ou retirado de circulação.

      Afinal (como eu), são contra “qualquer” tipo de censura.

      Exceto a própria.

      • Acalme-se colega!

        Eu vi este documentário numa madrugada, na cama, em um canal cujo não me lembro e não me preocupei com o título. Posso?

        Quanto a suas “exigências”, poderia responder-lhe apeneas como “vire-se” ou “procure”. Espero que o fato de não ter colocado estas informações não invalide o comentário ou a recomendação. Mas em respeito ao nosso razoável alinhamento em muitos assuntos, fiz para a senhora o que poderia apenas ter-lhe recomendado.

        Em alguns poucos minutos pesquisando Fenrando Henrique Cardoso” (óoooh!) achei o mencionado documentário, exigido tão educadamente por V,Sa. Subsidiado pela Ancine, abaixo os links dele, em 4 partes, com minhas sentidas e envergonhadas desculpas. Humildemente, rogo-lhe procurar sozinha os trechos mencionados e fico evidentemente à sua inteira disposição.para o caso em que não o queira.

        https://www.youtube.com/watch?v=Fq2dLNRC4kw

        https://www.youtube.com/watch?v=dwJWHCRdI88

        https://www.youtube.com/watch?v=Aa3Od7HhQaY

        https://www.youtube.com/watch?v=Nsx51S7NMTE

        A Mercedes Benz 350S, nova em folha, foi descrita pelo colega Fanciscor Weffort como” a mais linda mercedes azul que tinha visto na vida”, e é também mencionada nos livros “O Principe da Privataria” e “Reinventing Democracy in Brazil”. Perdoe-me por não lhe dar as páginas e a linha do parágrafo. Sei que compreenderá.

        Esperando ter redimido a grave falta, reitero minhas mais abrangentes escusas por qualquer inconveniente causado.

          • Despropositado seria se não fosse irônico

            Mas espero ter-lhe atendido. Não me custou nada,

            O importante é que no final, fique tudo legal.

            E que agreguemos sempre um algo a mais. E melhor.

          • OK, com isso concordo

            Agora, sendo chata, em relaçao ao título do comentário, ele é ilógico. Como uma ironia poderia nao ser despropositada por ser ironia? Rs, rs. 

          • Já que vc insiste…

            “… poderia nao ser despropositada por ser ironia?”

            Logicizando a lógica: “poderia ser despropositada por não ser ironia”…

            É só trocar o “não” de lugar.

             

            PS: Para sua informação, não estou estrelando nenhum comentário, apenas atendendo suas questões. Abs.

          • Estou começando a suspeitar que vc é masoquista, não linguista

            Se vc quiser continuar, será um “prazer miserável”, fazer o quê?

            Uma não ironia não é ironia, é outra coisa…

            Quem procura, acha…

          • Nao sou masoquista. Nao gosto é de EMBROMAÇAO

            Uma coisa que nao é ironia é outra coisa, concordo. Mas entao o fato de ser ironia nao pode ser usado para justificar o caráter ácido da sua primeira resposta. E passe bem. 

  5. Depois de mais de 500 anos

    Depois de mais de 500 anos que a direita rouba nesse país e ninguém nunca ficou indignado com nada. Agora nem é tudo sendo roubado pela esquerda, talvez só um naquinho, e gagarismo da direita fica aos berros.

    •  
      Ah, assim também não. Fomos

       

      Ah, assim também não. Fomos às ruas por um Fiat Elba, os jardins da casa da dinda e várias maracutaias ( lembra quando surgiu esse termo ? ) de maior e menor portes. E impicharam o anjo.

       

  6. Fotografia: Liga dos homens bons reúne o que temos de melhor

     

    Nunca uma foto sintetizou tão bem a esperança de uma nação. Passado, presente e futuro juntos …

    Notem neste quadro maneirista as expressões faciais dos personagens, …. Ao centro temos o audaz governador bandeirante, que com a mão passa a ideia clara de se segurar firmemente no poder, enquanto à esquerda (da foto) podemos ver o grande estadista FHC … com uma expressão de enorme sabedoria, …, o lado direito da foto, justamente Aécio Neves, que ajeita elegantemente o casaco … O quadro se encerra … de um lado brilha o homen dourado, Goldman, de outro Aluízio Nunes, como se fossem dois gárgulas góticos por onde escoam a sabedoria da luta anti bolchevista.

    Verdadeira obra prima.

    Prof Hariovaldo

    • Notem a pinta do Picolé de Chuchu

      Está explicando à imprensa que fará quadras de basquete na Cantareira.

      A obra social-esportiva está estimada em 3,5 bilhões…

    • A hipocrisia e o exclusivismo em grau máximo.

      O professor hariovaldo insinua genialmente como esses luminares se irmanam. O diabo é que

      ninguem, más ninguem mesmo, nem aqui nesse espaço, se atreve a dizer quem  e o que eles

       realmente são. As sociedades sedretas, não tão secretas…nada ou quase nada brasileiras, porem

      imbatíveis justamente na hipocrisia e no exclusivismo levado às últimas consequências. Para falar

      pouco…

  7. Se a Presidenta comprir a

    Se a Presidenta comprir a palavra de “não deixar pedra sobre pedra”, deve reservar a primeira desse desmonte para a Gení, aquela da compra dos votos para reeleição.

  8. Os patéticos arroubos

    Os patéticos arroubos moralistas de FHC e de seu pupilo Aécio são de estarrecer. Deviam conter-se nessa compulsiva empreitada golpista. Discrição e comedimento são altamente recomendáveis para quem tem um baita telhado de vidro e um monte de esqueletos em armários e gavetas da justiça. O vento sempre pode mudar de direção e romper a blindagem.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  9. O) pessoal tentou um golpe

    O) pessoal tentou um golpe para tirar o Pt, não deu, agora estão acelerando a coisa antes que alguem mele, a grita desse povo é que já sabem que vai sobrar e nessa entrará o coitidismo, vão se dizer perseguidos, o primeiro é o minieor já que o Pimentel se for esperto só poe a mão lá depois de passar tudo a limpo e passar o rodo na turminha dele que está lá o esperando para derruba-lo, se fizer o contrario não a outra palavra para definir, é muito nescio.

    • na mesma veia .nao ta na hora.

      O Janio de Freitas escreveu que ser oposiçao da muito trabalho.O  Aecio nao é chegado a suores,acrescento eu.Trabalho assusta o filhinho de papai netinhodo do cartel midiatico.

  10. Fica a certeza que essa

    Fica a certeza que essa hitória de “nova polica”,era o maior 171,pois foi dona Marina que começou a ressucitação,

    dessa mumia,como bem lembrado Hipocresia é palavra chave desses fariseus.

  11. justiça seja feita, o jornal

    justiça seja feita, o jornal da gazeta foi o unico que falou quando do lançamento do livro a privataria tucana, onde bob fernandes justamente tocou no ponto do porque nenhum outro veiculo de midia ter noticiado.

  12. “A escandalosa venda de

    “A escandalosa venda de estatais a preço de banana durante o governo FHC é objeto de suspeitas até os dias de hoje e já rendeu vários livros.”

    O PT está há doze anos no poder e não tomou qualquer providência para encarcerar FHC por compra de votos?

    O PT está há doze anos no poder e até agora não tentou reestatizar aquelas empresas vendidas a preço de banana? Por que seria? Seria porque eram um cabide de empregos? Seria porque não sabiam sequer o que era produtividade? Seria porque foram leiloadas, quem pagou, levou?

    Não sei quem é esse Fábio Ribeiro, se é jornalista ou petista, mas seu artigo é uma lástima…

    • O sr. , por acaso, lê

      O sr. , por acaso, lê jornais, assiste TV ? Não parece. Parece mesmo esses trolzinhos pagos. Desculpe, mas é esta a imagem que o sr. passa quando comenta.

  13. Infelizmente, não temos mais

    Infelizmente, não temos mais o horário político para desmascarar as palhaçadas da mídia tucana e golpista. Dilma só conseguirá se expressar livremente, sem montagem distorcida, se convocar cadeia de rádio e TV, como tem direito de fazer. Os caciques tucanos, todos eles envolvidos com todo tipo de práticas não republicanas, estão soltos e agindo impunemente, com total desenvoltura na mídia golpista. Eles sempre contaram com esse horário eleitoral gratuito quase 24 horas por dia, para atacar o PT, Lula, Dilma e os movimentos sociais e as conquistas sociais. Enquanto Dilma não usar a máquina do governo para construir uma mídia alternativa e secar a fonte publicitária governamental da mídia tucana, estaremos reféns desses golpismos cotidianos.

  14. Repulsa & repugnância

    FHC, Aécio Neves, Aloysio Nunes et caterva representam o que de mais nojento temos hoje na política. Não existe surpresa no comportamento do FHC. Ele na verdade sempre foi um velhaco, canalha, vaidoso, arrogante, desonesto, presunçoso e hipócrita. Agora, como está idoso, aproveita-se desta condição para atirar pedras em quem derrotou suas propostas podres nas urnas.

    Já o tal do Aloysio, é um poço de ódio, uma bilis ambulante, um sujeito baixo, vulgar e sombrio que faz bem o tipo do batedor de carteira que, pego, grita “pega ladrão”.  São igualmente criminosos. Enriqueceram e são pagos para destruir e entregar o Brasil. Por dentro. Vermes é o que são. FHC o “grande estadista”, pfffff…

     

     

  15. O Sr. idoso, vaidoso e invejoso!

    Assisti na TV esse senhor idoso e sem auto crítica. Fiquei envergonhada e constrangida por atitude pequena de um ex-presidente que, sabidamente tem um passado tão obscuro. Nem falo mais nada. Ando caladinha e acredito mesmo, que ando mais calada do que Álvaro Dias !  Cruz Credo!

  16. Dei uma corrida nos

    Dei uma corrida nos comentários sem lê-los;

          E todos são contra F H C .

             Como assim, que todos são contra F H C sem le- los? 

               A resposta é simples.Ao correr os comentários, todos tinham 5 estrelas.

                   E alguém aqui deixa 5 estrelas pra quem fala mal do PT ou elogia alguém do PSDB?

                     Mas nem que fosse o Papa;

                      Ler pra que?

  17. Completando: Eu só leio

    Completando: Eu só leio comentários com 3 estrelas ou menos.E se for duas ou menos, leio com mais interesse ainda.

          Não suporto baba-ovo. E muito menos fanatismo ou  seita.

                    Fora os pagos pra escrever.

      ps:Isso na polítca.Nas outras imensas modalidades do blog, que são muitas, aí sim gosto de ler de zero a 5 estrelas.

  18. Como FHC pode criticar o

    Como FHC pode criticar o Gilmar Mendes? Este truculento pseudo-juíz foi a melhor solução encontrada já que FHC não pôde indicar a si mesmo para o STF. Alías, coisa com a qual não se conforma até hoje. “Por que não? Afinal de contas eu sou eu”

  19. FHC e história

    Não comento mais sr.cardoso, pediu pra esquecermos seus escritos(e dele por “supuesto”), a propósito nosso último ditador tem uma frase semelhante. Façamos sua vontade.

  20.  
    Uma ressalva: quem

     

    Uma ressalva: quem transformou FH em príncipe da sociologia não foi a imprensa, mas a tal academia . E pensar que Florestan deu corda pra ele.

    • Xô que não…

      Uma velha tia minha, não tão bem informada, muito menos acadêmica, assim que tomou conhecimento da “peça” me disse: “esse metido aí pensa que é príncipe ou o que?”.

  21.            Sinceramente, este

               Sinceramente, este senhor nunca me enganou, Nassif. No que se refere ao papel vil e desprezível de setores da mídia, seria importante que pessoas, iguais a você, que tem a prerrogativa de escrever para milhões de brasileiros, também não baixassem a guarda. Para cada incensatez tucana, seja do rei da hiprocrisia, seja dos senhores Aécio Neves, Serra, Aloizio Nunes, Alkimim, enfm de qualquer tucano que prefere desconstruir e desqualificar o governo popular da presidenta Dilma, mostrassem a verdade, fazendo o contra ponto com a era tucana e desmascarando estes senhores.

               Continue assim, Nassif: isento e justo. Quando qualquer petista pisar na bola, não se furte em criticá-lo e exigir sua punição. Também quando estes senhores tucanos que se dizem bastião da moralidade errarem, seja igualmente implacável.

  22. O príncipe da moeda.

    O primeiro a desmascarar FHC foi o professor, pesquisador e escritor Gilberto Vasconcellos, em seu livro O príncipe da moeda, publicado em 1997.

  23. Estranho é ele não sentir

    Estranho é ele não sentir vergonha quando os maus feitos são no governo PSDB. Por que não ficas envergonhado quando são seus comparças metem a mão no patrimonio nacional.

    Talvez pelo mesmo fato de defender a legalização da maconha só quando não tem poder para fazer. Sera que o governador Picolé de Chuchu Pinóquio concorda?

     

    è sem duvida o Rei dos Hipocritas.

    Parabéns FdpHC

  24. É preciso mais bem entender Fernando Henrique Cardoso

     

    Fábio de Oliveira Ribeiro,

    Aqui e ali nós vamos tendo a nossa divergência. É o caso por exemplo dos dois comentários que eu enviei para você domingo, 01/06/2014 às 21:14 e quarta-feira, 11/06/2014 às 14:58, sendo este último junto a sua resposta enviada segunda-feira, 02/06/2014 às 08:54 junto ao seu post “JB afundou ao cavalgar no tigre da mídia e cresceu ao desmontar do Tribunal” de sexta-feira, 30/05/2014 às 13:12, aqui no blog de Luis Nassif e que pode ser visto no seguinte endereço:

    https://jornalggn.com.br/blog/fabio-de-oliveira-ribeiro/jb-afundou-ao-cavalgar-no-tigre-da-midia-e-cresceu-ao-desmontar-do-tribunal

    Aqui também eu não vejo como nós não nos divergimos. Eu tenho certa aversão a que se comente sobre corrupção. E são várias as razões para essa minha resistência a que se traga como motivo de debate o tema de corrupção. Primeiro considero que para a maioria trata-se de tema no qual não se tem nenhum domínio devendo mais pertencer a área de especialistas. Especialistas seriam a polícia investigativa, o Ministério Público, os Juízes e seus auxiliares e os advogados dos réus do crime de corrupção.

    A segunda razão é que o tema ainda precisa de ser bem definido. Fiquei surpreso quando li recentemente o artigo “Opinião: lei de bolsas de seguros pode deixar milhares de americanos sem atendimento” de terça-feira, 11/11/2014, de Paul Krugman e que pode ser visto no seguinte endereço:

    http://noticias.uol.com.br/blogs-e-colunas/coluna/paul-krugman/2014/11/11/opiniao-lei-de-bolsas-de-seguros-pode-deixar-milhares-de-americanos-sem-atendimento.htm

    Paul Krugman termina o artigo dizendo:

    “Logo, vamos deixar bem claro o que está acontecendo aqui. Os juízes que apoiam esse absurdo cruel não são estúpidos; eles sabem o que estão fazendo. Eles são na verdade corruptos, dispostos a perverter a lei para servir aos seus mestres políticos. E o que descobriremos nos próximos meses é quão profunda é a corrupção”.

    Pensei até que os termos corruptos e corrupção apareceram por problema de tradução, mas no original do artigo e com o título “The Latest Frivolous Attack on Obamacare” e que saiu no domingo, 09/11/2014, está escrito:

    “So let’s be clear about what’s happening here. Judges who support this cruel absurdity aren’t stupid; they know what they’re doing. What they are, instead, is corrupt, willing to pervert the law to serve political masters. And what we’ll find out in the months ahead is how deep the corruption goes”.

    Enfim não há confusão possível. Tenho Paul Krugman em alta conta, mas nesse caso ele me decepcionou.

    É um tema em que a definição ainda não é tão clara que no seu significado jurídico o ministro Enrique Ricardo Lewandowski no curso do processo da Ação Penal 470, acompanhando a mudança de entendimento de outros juízes, também mudou de entendimento. Aliás foi isso que eu disse para você lá no meu segundo comentário junto ao post “JB afundou ao cavalgar no tigre da mídia e cresceu ao desmontar do Tribunal” e por isso eu indiquei lá a declaração do voto do ministro Enrique Ricardo Lewandowski proferido na sessão de quinta-feira, 20/09/2012 e que pode ser visto no seguinte endereço:

    http://www.youtube.com/watch?v=m6uyOzTG2T8

    E o terceiro motivo é o reconhecimento para os que acompanham o processo orçamentário com mais rigor que não há espaço para valores expressivos de corrupção. Dificilmente a corrupção alcançaria 5% das despesas públicas que estando na ordem de 35% do PIB representariam valor em torno de menos de 2% do PIB.

    Dentro da condição de insipiência e incipiência do conhecimento sobre a corrupção, não se sabendo dar caráter objetivo sobre o entendimento que se tem a respeito de corrupção, há de reconhecer a dificuldade em quantificar o quanto seria a corrupção. Coloquei ali um limite, mas isso não é suficiente para saber se um governo é mais ou menos corrupto do que outro utilizando como comparação dados de percentual do PIB para medir a corrupção.

    Na ausência de um critério para medir a corrupção eu imaginei um que seria o tamanho do déficit público expresso no crescimento da dívida pública em relação ao PIB. Assim, um governo que deixa crescer muito a dívida pública seria um governo corrupto e um governo que reduz ou não deixa a dívida pública crescer seria um governo onde a corrupção não existiria. Só que a corrupção vai sempre existir o que me faz acreditar que este critério ainda nos deixa no mínimo no limbo.

    E há uma quarta razão para não dar importância a este tema da corrupção. Trata-se do fato de que não há nenhuma relação entre o que se acredita seja o nível de corrupção de um país e a sua taxa de crescimento do PIB. Países onde se acredita que o nível de corrupção seja elevado crescem em taxas mais rápidas do que países onde se acredita que o nível de corrupção seja menor. E menos dentro de um país há muitos exemplos em que quando se acreditava que a corrupção era elevada as taxas de crescimento também eram elevadas. Depois que se combateu bastante a corrupção, o crescimento diminui bastante. Um exemplo típico desta situação é o caso do Japão. Até o final da década de 70 quando o país crescia a taxas de 6% ao ano falava-se muito da corrupção no Japão. Depois de um combate sistemático a corrupção que apareceu em vários escândalos, o Japão deixou de crescer.

    Sei que muitos alegariam que o dinheiro gasto em corrupção poderia ser utilizado para construir escolas, hospitais e pontes e refinarias. Ocorre que é justamente na construção de escolas, hospitais, pontes e refinarias que mais se criam espaços para a corrupção. E muito pior seria não os fazer. 

    Aliás, a minha ojeriza em relação a este tema de corrupção levou-me a imaginar uma lei que teria um efeito imenso no debate político. Pela minha lei o primeiro que falasse sobre corrupção teria a cabeça decepada. Em pouco tempo ninguém mais falaria sobre corrupção. É claro que esta lei só é viável como uma alegoria. Formal e materialmente seria uma lei inconstitucional e se não fosse, a aplicação dela seria temerária pela brutalidade da medida e pela dificuldade de fiscalização e das possibilidades desenfreadas de injustiças.

    Além disso, há que se reconhecer que criados em um ambiente em que se falava de corrupção a torto e a direito, crianças e gagás continuariam falando sobre corrupção. E há mais, em um país em que a corrupção fosse espraiada, ninguém falaria sobre corrupção. Então a lei da cabeça decepada não teria praticamente alguma utilidade.

    E aqui surge uma ilação curiosa. Se em um país em que todos são corruptos ninguém falaria sobre corrupção, pode-se dizer que em um país em que muitos falam sobre corrupção, excetuando da contagem as crianças e os gagas, o nível de corrupção é inversamente proporcional ao número de pessoas que falam sobre corrupção. Assim, quanto mais se fala sobre corrupção menos corrupto é um país.

    Tudo que eu disse acima e um dos motivos para justificar a minha contrariedade com o que você disse sobre Fernando Henrique Cardoso. Sou muito crítico de Fernando Henrique Cardoso, embora não seja minha área nunca considerei Fernando Henrique Cardoso o “príncipe da sociologia” e embora eu sempre vi hipocrisia nas ideias que ele divulga eu não o tenho como hipócrita no contexto em que você o toma.

    Eu nunca considerei Fernando Henrique Cardoso corrupto. É claro que com a nova interpretação da corrupção dada pelo STF no julgamento da Ação Penal 470, tão bem expressa pelo ministro Enrique Ricardo Lewandowski na sessão de julgamento de quinta-feira, 20/09/2014, e tendo em vista que na tipificação do crime de corrupção o legislador fala apenas em vantagem indevida e não em vantagem pecuniária indevida, eu precisaria rever meus conceitos, pois pode ser que Fernando Henrique Cardoso possa ter recebido de alguma Universidade o título de “doctor honoris causa” mediante um descaminho qualquer que talvez não o permitisse ser chamado de homem probo.

    É claro que se tomasse o critério do crescimento da dívida pública em relação ao PIB como critério para avaliar o tamanho da corrupção, o governo de Fernando Henrique Cardoso seria o mais corrupto na história do Brasil. Há que se reconhecer entretanto, que este critério é incipiente e frágil para se medir corrupção. De todo modo, tendo como base valores pecuniários eu penso que não cabe dizer que Fernando Henrique foi corrupto.

    No caso da emenda da reeleição muito provavelmente foram empresários interessados na reeleição de Fernando Henrique Cardoso que financiaram o convencimento de algum representante. E que se destaque, na época eu dizia que eles estavam dando um tiro no pé, pois o maior trunfo de Fernando Henrique Cardoso era a inflação baixa e por ela ele moveria mundos e fundos (É só modo de expressão, isto é, ele faria tudo sem ser corrupto). Então pelos motivos apontados acima e por um desinteresse financeiro de Fernando Henrique Cardoso, de quem parece orgulhar muito do título de “príncipe da sociologia”, não considero correto considerar que ele estaria impedido de acusar o governo Lula de corrupto ou que ele faz essa acusação de modo hipócrita.

    É claro que se se toma o termo corrupção no sentido mais amplo, o que tem feito Fernando Henrique Cardoso senão corromper a linguagem? Pelo menos é assim que se deve entender ao dizer que o PSDB foi criado para trazer a ética na política, que o PSDB foi criado para tirar o fisiologismo da política, ou dizer que a inflação é o mais injusto dos impostos pois atinge os mais pobres, ou dizer em defesa do parlamentarismo que governo bom o povo põe e governo ruim o povo tira, e depois utilizar esse mesmo argumento em defesa da emenda da reeleição no presidencialismo.

    E por fim, lembrando ainda que eu tenho por mim que só crianças e gagás é que tratam desse assunto, não vejo como censurar a reação de Fernando Henrique Cardoso os escândalos que estão sendo levantados na Petrobras.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 15/11/2014

  25. Sobre provas da compra de votos da emenda da reeleição de 1997

     Fernando Rodrigues fala sobre as provas da compra de votos da emenda da reeleição de 1997 : 

    <object width=”420″ height=”315″><param name=”movie” value=”//www.youtube.com/v/ABIGjnjuDCo?h

     

  26. é preciso dizer que, como

    é preciso dizer que, como planejou Golbery, FHC era apenas, como o que mais temos nas universidades, a penas mais um  rábula academicista sem voto popular;  cheio de diploma e mente lotada de titica. Foi Lula quem emprestou macação suado para FHC ir sentir cheiro de povo em porta de fábrica e o povo não desconfiar que FHC tinha cheiro de elite vagabunda.

  27. Esse senhor, também deu causa

    Esse senhor, também deu causa à corrupção na Petrobrás quando expediu o famigerado  Decreto 2745/98 que dá incrível facilidade dos gestores dessa empresa para contratar quem é do jeito que quiserem.

  28. Este Ex Presidente, dito

    Este Ex Presidente, dito sociologo e  membro da ABL já ha algum tempo emite opinões que  fazem nós Brasileiros corar de vergonha.! ! ! !

    Seria overdosee daquele comprimido AZUL utilizado em excesso depois do seu casamento com a ninfeta ? 

  29. Principe da privataria

    Vergonha devia ter ele que dilapidou o patrimônio público com a venda de estatais a preço de banana depois de quebrá-las para ficar atraente aos compradores, vergonha deveria ter de se apropriar do plano real criado no governo Itamar pelo então Rubens Ricupero, ministro da Fazenda de 30 de março a 6 de setembro de 1994, durante o período de implantação do Plano Real. Encaminhou, em 30 de junho de 1994, ao presidente a exposição de motivos que criou o Plano Real,1 um plano de estabilização econômica idealizado por uma equipe de economistas de que faziam parte Persio Arida, André Lara Resende,Gustavo Franco, Pedro Malan, Edmar Bacha, Clóvis Carvalho, Winston Fritsch, entre outros.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome