Bolsonaro será investigado por prevaricação em contratos de vacinas

Inquérito vai investigar se houve omissão do mandatário nas irregularidades, uma vez que ele sabia, e se ele se beneficiou pessoalmente

Foto: Divulgação

Jornal GGN – Jair Bolsonaro será investigado por prevaricação nos contratos da vacina indiana Covaxin. Em meio às suspeitas, a Polícia Federal abriu um inquérito.

O pedido partiu por pressão do Supremo Tribunal Federal (STF) à Procuradoria-Geral da República (PGR), diante dos indícios de irregularidades levantados e escancarados na CPI da Covid no Senado.

O chefe de importação, Luis Ricardo Miranda, e seu irmão, deputado Luis Miranda (DEM-DF), afirmaram na CPI da Pandemia, que avisaram o presidente Jair Bolsonaro, ainda em março deste ano, sobre as suspeitas de corrupção na negociação da compra da vacina Covaxin.

No depoimento, eles listaram que a Invoice da Covaxin indicava menos doses, previa um pagamento adiantado de US$ 45 milhões, o que não estava previsto no contrato, e que trazia o nome de uma terceira empresa que sairia beneficiada, a Madison Biotech, com sede em Singapura.

As informações foram ainda confirmadas pelo funcionário da pasta, William Santana, na última sexta-feira (09). O inquérito vai investigar se houve omissão do mandatário nas irregularidades, uma vez que ele teria tomado conhecimento, e se ele seria também beneficiado pessoalmente com o esquema.

Por deter foro privilegiado, o presidente será investigado pelo Serviço de Inquéritos Especiais (Sinq) da PF.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador