Caminhoneiros param avenida Paulista pelo fim do isolamento

O motim era pelo fim da quarentena decretada pelo governo do estado e pela prefeitura de São Paulo, clamam por isolamento vertical e apoiam o presidente Jair Bolsonaro.

Foto Felipe Pereira – UOL

Jornal GGN – Caminhoneiros estacionaram seus veículos na avenida Paulista nesta segunda-feira, ocupando duas faixas. O motim era pelo fim da quarentena decretada pelo governo do estado e pela prefeitura de São Paulo, clamam por isolamento vertical e apoiam o presidente Jair Bolsonaro. As informações são do UOL.

Segundo a reportagem, a fila de caminhões cobriu três quadras de extensão, antecedida por uma carreata de vans. Além das buzinas, o protesto incluía um caixão com imagens de Bruno Covas e de João Doria. E mais adesivos de ‘fora Doria’, alvo principal.

A Polícia Militar chegou a negociar com os manifestantes, para que deixassem a avenida às 15h30, e seriam escoltados para fora da cidade.

Um dos motoristas afrontou a PM dizendo que não sairia do local pois isso seria acatar as ordens de João Doria. Ato contínuo, arregimentaram manifestantes que se sentaram na avenida, impedindo a dispersão.

Os PMs acompanharam a movimentação da calçada e um capitão tentou fazer a linha dura, o que não surtiu efeito. Foi desacatado por um manifestante e ficou por isso mesmo.

Meia hora depois a manifestação se dispersou com reclamos contra a polícia de João Doria.

A Secretaria de Logística e Transportes, em nota, lamentou a ação dos caminhoneiros e listou a série de medidas tomadas para permitir que o trabalho da categoria continue. Lamenta, no entanto, que a manifestação seja contra o isolamento, único meio eficaz de garantir a saúde da população em momento que a pandemia já matou 3.743 pessoas no estado.

7 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

peregrino

- 2020-05-11 23:14:56

Movimento tem tudo para provocar desabastecimento... daí podem partir para bloqueio de estradas e de entregas de mercadorias por vários dias fascistada caminhoneira está afoita com as oferta$

Avelino

- 2020-05-11 22:45:17

A PM de SP é bollsonarica, se fossem professores, o pau já teria comido faz tempo.

João Ferreira Bastos

- 2020-05-11 22:14:09

Basta ligar para a PM de SP E informar que uma manifestação de professores fechou a Paulista. Em 30 minutos estará liberada

Carlos Elisio

- 2020-05-11 21:11:01

Há algum tempo, aqui no GGN, num artigo onde um lider caminhoneiro reclamava de alguma ação prometida mas não cumprida pelo bozo, eu comentei, olhando a beca do "lider", que o cara parecia tudo menos motorista de caminhão. E este movimento mostra que minhas suspeitas têm fundamento. Mas estes manes poderão ser úteis. Afinal o objetivo nao é restringir a movimentação da população? Então um bloqueio ajuda. Mas e a PM? Cade as bombas de gas? As balas de borracha? As prisões por desacato? Em tempo: uma sugestao para que os que protestam contra isolamento e pedem a bagunça na rua, que levará a mais mortes, assine um compromisso de não ocupar os leitos em caso de contágio é muito bem vinda.

EYS

- 2020-05-11 20:25:53

'mas o Espírito entrou em mim e me pôs em pé. Ele me disse: "Vá para casa e tranque-se".' EZEQUIEL 3:24

Não é o caminhoneiro cachorrinho de locaute.

- 2020-05-11 19:50:04

Se eles assinarem termos de compromisso para não ocuparem leitos dos SUS e caso contaminarem alguém tomem 30 anos de cadeia sem progressão de pena...

Lúcio Vieira

- 2020-05-11 19:43:59

Estas presepadas muito bem orquestradas, com plaquinhas e faixas bem produzidas, de populares não tem é nada. Já que a PF que era morista agora é bolsonarista. Os órgãos de vigilância e investigação, legais e ilegais estão nas mãos do bolsonarismo, se os governadores não enfrentarem e investigarem com suas polícias civis, quem e o que se encontram por trás, o discurso do popular vai pegando. O dinheiro dos mesmos que financiam fake news está por trás.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador