Governador de RR é cassado por distribuir cestas básicas nas eleições de 2022

Renato Santana
Renato Santana é jornalista e escreve para o Jornal GGN desde maio de 2023. Tem passagem pelos portais Infoamazônia, Observatório da Mineração, Le Monde Diplomatique, Brasil de Fato, A Tribuna, além do jornal Porantim, sobre a questão indígena, entre outros. Em 2010, ganhou prêmio Vladimir Herzog por série de reportagens que investigou a atuação de grupos de extermínio em 2006, após ataques do PCC a postos policiais em São Paulo.
[email protected]

Denarium manteve apoio a Bolsonaro e fez campanha para ele no estado em que o ex-presidente obteve 76,08% dos votos nas eleições 2022

Antonio Denarium durante diplomação como governador de Roraima. Foto: Secom-RR/Divulgação

O governador de Roraima, Antonio Denarium, teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Roraima. Com placar de 4 x 3, os desembargadores decidiram pela cassação nesta segunda-feira (14) pela acusação de distribuição de cestas básicas nas eleições de 2022. Ele está no segundo mandato, nega as acusações e informou que irá recorrer à instância superior. 

Eleito pela primeira vez para um cargo público na onda bolsonarista de 2018, Denarium manteve apoio a Bolsonaro nas eleições de 2022 e fez campanha para ele no estado. Roraima foi o estado brasileiro em que Bolsonaro obteve 76,08% dos votos no segundo turno, o melhor desempenho do país.  

A decisão contra Denarium cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com isso, ele permanece no cargo até a decisão superior. O mandato como governador foi o primeiro cargo público dele: antes, era empresário do agronegócio, setor com forte presença em Roraima. 

Voto de minerva  

A cassação foi decidida pelo voto da presidente do TRE, desembargadora Elaine Bianchi. Ela determinou que o governador deverá deixar o cargo para realização de novas eleições assim que for publicado o acórdão do julgamento, bem como o pagamento de multa. 

O TRE acolheu o pedido do diretório regional do Avante. Na ação, o Avante alegou que o governo usou “programas sociais destinados a pessoas carentes com intuito eleitoreiro” por meio da Lei no 1.639, de 24 de janeiro de 2022. 

Durante o período eleitoral, o governo já havia realizado a ampliação do “Cesta da Família”, o que, para o Avante, foi feito com o intuito de captar votos durante as eleições de 2022.

Aumento de beneficiados 

No pedido, o Avante argumenta que “houve significativo aumento do número de beneficiados dos projetos sociais”. No ano de 2022, o governo teria gasto mais que o dobro de 2020 e 2021 com verbas destinadas ao fortalecimento da política de segurança alimentar e nutricional, cita o pedido.

O julgamento do TRE começou no dia 30 de maio, mas foi adiado duas vezes após pedido de vistas dos juízes Francisco Guimarães e Ataliba de Albuquerque. À época, Ataliba levantou uma questão de ordem a respeito do vice da chapa não ser mencionado no processo.

Outro lado 

Em nota, Denarium disse que está com “a consciência tranquila de que fiz o correto pelo bem do nosso povo. As ações realizadas pelo nosso governo sempre tiveram objetivo de ajudar quem mais precisa”. 

LEIA MAIS:

Renato Santana

Renato Santana é jornalista e escreve para o Jornal GGN desde maio de 2023. Tem passagem pelos portais Infoamazônia, Observatório da Mineração, Le Monde Diplomatique, Brasil de Fato, A Tribuna, além do jornal Porantim, sobre a questão indígena, entre outros. Em 2010, ganhou prêmio Vladimir Herzog por série de reportagens que investigou a atuação de grupos de extermínio em 2006, após ataques do PCC a postos policiais em São Paulo.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador