Ibope: Dois em cada três paulistanos discordam do boicote à Coronavac por Bolsonaro

Os mais pobres são os que mais discordam da postura do presidente. No grupo que ganha até um salário mínimo, há um total de 71% de desaprovação

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – A maioria dos paulistanos discorda do veto de Jair Bolsonaro à compra da vacina Coronavac, produzida pela chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. A informação foi apurada pela pesquisa Ibope divulgada neste sábado (31) pelo jornal Estadão.

Segundo o estudo, 54% dos participantes disseram discordar totalmente da postura do presidente, que por rixa com João Doria, mandou cancelar um protocolo de compra de 46 milhões de doses da vacina ao custo de R$ 1,9 bilhão. Outros 13% afirmaram “discordar em parte”.

Outros 19% responderam concordar totalmente com Bolsonaro e 8% disseram concordar em parte. Um total de 7% não opinaram. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.

Os mais jovens são os mais críticos a Bolsonaro. “Entre os entrevistados de 16 a 24 anos, 78% disseram discordar do presidente totalmente ou em parte. A faixa etária de 35 a 44 anos é a única em que a maioria absoluta não discorda totalmente do presidente: são 49% nessa situação. Mas na soma das respostas dos que discordaram em algum grau nesse grupo, o porcentual ainda é alto: 68%”, escreveu o Estadão.

As mulheres também são um pouco mais críticas que os homens: 69% delas discordam de Bolsonaro, enquanto entre homens o índice é de 65%.

Os mais pobres são os que mais discordam da postura do presidente. No grupo que ganha até um salário mínimo, há um total de 71% de desaprovação em relação ao cancelamento da compra da vacina.

Ainda segundo o Estadão, “a maior diferença foi observada quando os dados foram analisados conforme a religião do entrevistado. Enquanto entre os católicos, o índice de discordância é de 72%, entre os evangélicos, a taxa ficou em 57%.”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome