Investigações em torno da família Bolsonaro podem avançar em 2022

Depois de impedir avanço de apurações em torno da família, presidente deve ser mais pressionado em meio ao ano eleitoral

(esq.p/dir): Eduardo Bolsonaro, Jair Renan Bolsonaro, Jair Bolsonaro, Carlos Bolsonaro e Flávio Bolsonaro. Foto: Reprodução

Jornal GGN – Depois de conseguir travar ou diminuir o ritmo das investigações ao seu entorno e ao de sua família no ano de 2021, o presidente Jair Bolsonaro pode enfrentar mais dificuldades no ano em que tentará se reeleger.

Reportagem do jornal Folha de São Paulo lista alguns dos casos em que a investigação em torno do clã pode avançar em 2022, como o caso de “rachadinha” no gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro e da empresa de Jair Renan Bolsonaro.

No caso do próprio presidente, ele pode ser alvo de apurações pelos ataques cometidos contra o sistema eleitoral e pela falsa associação entre a vacinação contra a covid-19 e a contaminação pelo vírus da Aids.

Em 2021, o presidente e sua família contaram com a participação do Tribunal de Contas da União (TCU), que arquivou diversos casos de peso envolvendo a família Bolsonaro, como o suposto favorecimento à empresa do filho do ‘04’.

Boa parte dos casos que não foram investigados teve como relator o então ministro Raimundo Carneiro, que acabou ganhando uma indicação de Bolsonaro para assumir a embaixada brasileira em Portugal.

Leia Também

Bolsonaro turbina verba publicitária para 2022

Covid-19: consulta para vacinação infantil tem perguntas inadequadas

Redação

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador