Manifesto pela democracia aumenta tensão na Fiesp, diz jornalista

Apoiadores de Bolsonaro dizem que texto leva entidade na direção de Lula; publicação foi assinada por cerca de 20% dos sindicatos

Prédio da FIESP, na Avenida Paulista
Prédio da FIESP, na Avenida Paulista. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Apoie o lançamento do novo documentário da TVGGN sobre a ameaça eleitoral bolsonarista e os esquemas da ultradireita mundial. Saiba mais aqui!

O clima de tensão na Fiesp aumentou por conta da publicação do texto em que a entidade faz a defesa da democracia, publicado em página inteira nos jornais de ontem.

Isso se deve por conta da oposição de diversos sindicatos de peso à publicação do texto, como a Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil).

Os apoiadores do atual presidente (que, como frisa Jardim, “não são poucos”) dizem que a entidade foi levada a tal situação por conta do atual presidente, Josué Gomes da Silva, filho do ex-vice-presidente José Alencar.

Vale lembrar que, até dezembro passado, a Fiesp tinha um viés bolsonarista encarnado em seu então presidente, Paulo Skaf.

Em sua coluna no jornal O Globo, o jornalista Lauro Jardim diz que cerca de 20% dos sindicatos filiados à Fiesp assinaram de fato o texto publicado, e o assunto será discutido em reunião de cúpula programada para segunda-feira.

Leia Também

Leia a íntegra da carta da Fiesp pela democracia e justiça

“Mais da metade do PIB” aderiu ao manifesto pela democracia e respeito às eleições, dizem organizadores

Agronegócio e sistema financeiro se manifestam em defesa da democracia

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador