Banco Mundial recomenda a Temer aumento do Bolsa Família para conter avanço da pobreza

 
Jornal GGN – O Banco Mundial recomendou que o governo brasileiro aumente o orçamento do Bolsa Família para o ano de 2017 com o objetivo de conter o avanço da pobreza.
 
Segundo reportagem do Estadão, o Banco projetou que o orçamento deste ano deveria ser de R$ 30,4 bilhões. O governo Temer, contudo, pretende gastar até R$ 29,3 bilhões, e vem encampando ações para aumentar o corte de beneficiários desde o ano passado. Em 2016, o orçamento do programa social criado durante a presidência de Lula doi de R$ 28 bilhões.
 
“Sem esse investimento, o banco calcula que a proporção de pessoas em situação de extrema pobreza (com renda per capita inferior a R$ 70) subiria de 3,4% em 2015 para 4,2% em 2017. Com a ampliação do programa, o número em 2017 cairia para 3,5%.”
 
Ainda segundo a reportagem, “considerando a faixa de pobreza (renda per capita de até R$ 170), a proporção subiria de 8,7% para 9,8% em um cenário sem elevação do orçamento do programa, ante 9,5% caso o investimento seja feito.”
 
De acprdp com o economista do Banco Mundial, Emmanuel Skoufias, se o Brasil acha “possível” ou não fazer esse aumento no orçamento do programa de transferência de renda, é uma situação a ser avaliada pelo governo.
 
Porém, ele sugeriu que os recursos fossem retirados do “dinheiro que o governo direciona ao ricos. “Dos gastos tributários, a chamada ‘bolsa empresário'”, por exemplo.
 
“Entre 2004 e 2014, mais de 28 milhões de brasileiros saíram da linha abaixo da pobreza, de acordo com o relatório da instituição”, lembrou o jornal.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora