A reação das autoridades cariocas

Por Luiz Gonzaga da Silva 

As autoridades do Estado do Rio começam a reagir.

Do Dia

PM anuncia medidas para combater onda de arrastões na cidade

Coronel Lima Castro diz patrulhamento em vias expressas será permanente e Cabral admite que incidente de hoje tem ligação com UPPs

Rio – Representantes da Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Militar e a Polícia Civil realizaram uma reunião na manhã desta segunda-feira. O objetivo do encontro, que contou com a participação do delegado Roberto Sá (sub-secretário de planejamento operacional), coronel Mário Sérgio Duarte (comandante geral da PM) e Allan Turnowski (Chefe de Polícia Civil), foi traçar estratégias de combate à onda de arrastões na cidade. 

 Deisi Rezende / Agência O Dia
Mário Sérgio, comandante geral da PM, durante reunião que tomou medidas para coibir novos arrastões | Deisi Rezende / Agência O Dia

Quatro medidas serão tomadas para coibir as ações criminosas desta natureza. Na primeira, 140 motocicletas compradas para reforçar o patrulhamento em vias expressas serão colocadas nas ruas a partir desta terça-feira – hoje a PM fará o translado dos veículos para os respectivos batalhões.

AsegA segunda medida diz respeito às folgas dos policiais. A corporação quer dimunuir o número de policiais em casa durante as festas de fim de ano, justamente para aumentar o efetivo nas ruas. A terceira visa aumentar o número de blitzes, coibindo assim possíveis ações. A quarta é utilizar o Batalhão de Choque para dar apoio ao patrulhamento das vias expressas.

Na manhã desta segunda-feira, cinco bandidos armados atacaram motoristas no Trevo das Margaridas, próximo à Avenida Brasil, na altura de Irajá, Zona Norte do Rio. Os criminosos roubaram e incendiaram três veículos – uma van de passageiros que fazia o trajeto de Belford Roxo para o Centro -, além de um Monza e uma Uno.

Leia também:  Em 2019, das pessoas mortas pela polícia brasileira, 80% eram negras

O tráfego ficou complicado na Avenida Brasil e na Rodovia Presidente Dutra, sentido ao Centro,  em função do incidente. Este é o quinto ataque a motoristas em 48 horas. Também em Irajá, uma cabine da PM foi atingida por um tiro de fuzil disparado por criminosos. A PM acredita que o ataque tenha sido de autoria do mesmo grupo que colocou fogo nos veículos no Trevo das Margaridas.

Cabral admite que crimes podem ter ligação com UPPs

Após os incidentes desta manhã o coronel Lima Castro, responsável pelo setor de Comunicação Social da Polícia Militar, informou que o patrulhamento em vias expressas será permanente. “Estamos colocando 140 motocicletas nas ruas. Estas motos puderam ser implacadas na última sexta-feira e agora já podem ser utilizadas. Além disso, o Batalhão de Choque dará apoio às ações de patrulhamento. O patrulhamento será permanente”, disse o coronel Lima Castro.

O governador Sérgio Cabral admitiu que os atos criminosos podem estar ligados ao fato dos traficantes estarem perdendo espaço em decorrência da implantação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) em comunidades do Rio.

“Sem dúvida, os arrastões têm relação com reconquista de território e com nova política de segurança pública do Rio. Mas não vamos retroceder, continuaremos reconquistando territórios e levando a paz às comunidades – disse o governador. 

Nova onda de arrastões neste fim de semana

Motoristas do Rio voltaram a sofrer neste fim de semana com uma onda de arrastões de bandidos em vários pontos do estado em menos de 24h. Um dos ataques aconteceu domingo à noite, em frente ao Palácio Guanabara, sede do governo, em Laranjeiras. Foram cinco arrastões e no primeiro, na Rodovia BR-116 (Rio-Magé), altura de Caxias, um eletricista foi morto na frente da família com tiro de fuzil, no sábado à noite – seu corpo foi sepultado nesta segunda-feira no Cemitério Nossa Senhora das Graças, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Domingo à noite, na Via Dutra, altura de Pavuna, um rapaz foi baleado na cabeça em outro arrastão e está internado em estado grave no Hospital Getúlio Vargas.

Leia também:  Ex-secretário de Saúde do RJ tem bens bloqueados

Houve ataques que levaram pânico a motoristas também na Lagoa e na Linha Vermelha. Neste último, criminosos bloquearam o trânsito em plena luz do dia, assaltaram os ocupantes de um carro, incendiaram outros dois e atiraram contra um veículo da Aeronáutica, além de explodirem uma granada nele.

Na Linha Vermelha, eram cerca de 13h, quando seis bandidos armados com cinco fuzis e uma granada fecharam a pista sentido Centro da Linha Vermelha, altura de Vigário Geral. O grupo estava em dois carros: Corsa Sedan e Voyage. Os criminosos levaram pertences de passageiros de um Palio, e queimaram um Prisma e um Fox, após expulsarem os ocupantes. “Eles mandaram a gente sair”, afirmou a professora aposentada Maria de Lourdes Albuquerque, 53, que estava no Fox. “Voltei para buscar a minha bolsa depois. Quando o fogo apagou, peguei o que sobrou da minha aliança que tinha escondido no carro”, contou.

O sargento da Aeronáutica Renato Fernandes da Silva estava com carro oficial, um Fiat Doblò, enguiçado na lateral da via, e foi ameaçado. “Quando apontaram o fuzil para mim, eu consegui fugir pelo lado do carona e pular para o mato”, contou. 

Em arrastão na Via Dutra, bandidos armados de fuzis bloquearam trecho da estrada sentido São Paulo, altura de Pavuna, e roubaram um Kia Cerato e um Prisma. Na ação uma das vítimas, Guilherme Feitosa da Silva, de 26 anos, foi baleado na cabeça e foi levado para o Hospital Getúlio Vargas, e seu estado é grave.

Na Lagoa, seis motoristas foram atacados e tiveram dinheiro e pertences levados. A polícia investiga se o ataque na Lagoa foi promovido pelos mesmos ladrões que agiram nas Laranjeiras momentos antes.

Leia também:  Ciro Gomes será convidado a assumir Finanças do Rio de Janeiro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome