Os arrastões no Rio

E mais sobre o arrastão com incêndio de carros no Rio de Janeiro. Como observarão, queimaram carro de gente que com certeza tem uma condição financeira bem pior que a dos criminosos organizados. E, claro, tenho cá meus medos de que a Olimpíada de 2016 só será calma por conta de algum acordo na miúda feito com os chefes dos morros. Segue:

Criminosos fazem mais um arrastão e queimam carros no Rio Uma das vítimas foi confundida com polical. “Quando peguei minha carteira para dar um deles disse ‘atira nele que ele é policial'” 

Daniel Gonçalves e Anderson Ramos, iG Rio de Janeiro | 22/11/2010 08:29 – Atualizada às 10:14

Pelo menos quatro homens armados com fuzis e pistolas, e usando coletes a prova de balas, fizeram um arrastão e atearam fogo em três veículos na manhã desta segunda-feira na rua Itapera, perto do Trevo das Margaridas, que faz a ligação entre a avenida Brasil e a rodovia Presidente Dutra, em Irajá, na zona norte do Rio de Janeiro. Dois carros de passeio e uma van foram incendiados.

Segundo a PM, os donos dos automóveis foram assaltados e obrigados a abandonarem os veículos. Uma das vítimas, o mecânico Wagner Villas Boas, de 45 anos, teve o carro, um Monza, incendiado. Os bandidos acharam que ele era policial e que estava armado. “Pensei que eu iria morrer. Quando peguei minha carteira para dar um deles disse ‘atira nele que ele é policial’. Aí eu tirei a camisa para mostrar que não estava armado”.

 

Foto: Agência Estado

Bandidos atearam fogo em três veículos na rua Itapera, perto do Trevo das Margaridas, na zona norte

De acordo com as vítimas, o crime aconteceu por volta das 6h30. O comerciante José Augusto estava dirigindo um Fiat Uno da empresa em que trabalha quando foi parado. Ao iG ele disse que chegou a pedir que os bandidos não roubassem o carro, já que o mesmo não tem seguro. Segundo José, um dos criminosos disse que eles eram do “bonde do Borel”. O Morro do Borel é localizado na Tijuca, na zona norte, e recentemente ganhou uma Unidade de Polícia Pacificadora.

O terceiro automóvel, uma van, levava aproximadamente quinze passageiros. O motorista, Elias Ferreira de Lima, de 64 anos, afirmou que as pessoas começaram a correr quando saltaram.

Os bandidos conseguiram fugir. Operários de um shopping que está sendo construído próximo do local do crime viram toda a ação. Eles disseram que cada criminoso tinha uma garrafa pet com gasolina. Parte do material usado pelo bando para atear fogo foi abandonado na via.

Ainda de acordo com as testemunhas, os criminosos fugiram em um Voyage em direção a avenida Meriti. Policiais militares dos batalhões de Olaria e Irajá reforçaram o patrulhamento na área.

No domingo (21), criminosos assaltaram motoristas em três pontos da cidade do Rio de Janeiro. Em laranjeiras, na zona sul da capital fluminense, um bando armado roubou um carro na rua Presidente Carlos Campos, próximo ao Palácio Guanabara, sede do governo. Eles conseguiram fugir levando pertences dos ocupantes do automóvel. O caso foi registrado 9ª DP (Catete).

Motoristas foram atacados também na rodovia Presidente Dutra, na altura de Pavuna, na zona norte. Dois automóveis foram roubados. Policiais militares chegaram a trocar tiros com os bandidos, mas ninguém foi preso.

Na Lagoa, na zona sul, quatro criminosos fecharam a rua Bogari e assaltaram os ocupantes de pelo menos três carros que passavam pala via. Pertences e as chaves dos automóveis foram levados.

Viatura alvejada

No início da tarde de domingo, dois carros foram incendiados na Linha Vermelha, na altura de Vigário Geral, na zona norte. Um veículo da Diretoria de Material do Comando da Aeronáutica (Comaer) foi alvejado por disparos de fuzil e também por uma granada. O sargento Renato Fernandes da Silva, que estava no veículo oficial, conseguiu fugir quando foi abordado pelos marginais.

Automóveis que circulavam pela via passaram a voltar na contramão na via expressa, que teria sido fechada por homens armados com fuzis. Três veículos teriam sido assaltados, mas a Polícia Militar não confirma a informação.

O Rio vive este mês uma onda de carros incendiados. Apenas em uma semana, foram sete automóveis queimados nas ruas.


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome