Deputados clientes de prostituta de luxo do DF votaram sim pela família, por Eliane Trindade

Da Folha de S. Paulo

‘Sim’ ao impeachment para a mulher; afago no WhatsApp para a amante

Por Eliane Trindade

Companhia constante de políticos entre terças e quintas-feiras (a tradicional semana parlamentar em Brasília), a loura de 36 anos, estilo mignon e cabelos longos contabiliza entre os seus clientes um placar unanimamente favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff.

“Tenho quatro deputados da atual legislatura entre os meus clientes, de diferentes partidos. Minha bancada é poderosa”, gaba-se a garota de programa, que oscila temporadas como acompanhante fixa de homens ricos e poderosos na Capital da República.

“Todos votaram a favor do impeachment”, conta ela, que foi surpreendida, assim como governo, pela mudança de posição de última hora de um deles.

O resultado caseiro reflete a votação (367 sim e 167 não) do domingo (17), no plenário da Câmara dos Deputados, e está registrado em mensagens de WhatsApp.

Sob condição de sigilo, a acompanhante de luxo abre o aplicativo do celular e passa a exibir orgulhosa as inúmeras mensagens trocadas com um parlamentar do PMDB, dois do PP e um quarto do PR, durante a votação do impeachment e também no dia seguinte.

O conteúdo da intensa comunicação arquivada em seu iPhone 6, protegido por uma capinha dourada, demonstra a intimidade cultivada ao longo dos últimos quatro anos.

De um parlamentar do Rio de Janeiro, a loura recebeu um link no qual o nobre deputado aparece dedicando o voto pelo “sim” ao impeachment à família e fazendo uma ode à cidade onde tem sua base eleitoral. “Parabéns, vi você agora”, digitou ela em resposta. “Os bons vão permanecer.”

O texto enviado no início da noite de domingo, no calor da votação, foi enfeitado com uma sequência de emojis, entre eles oito aplausos.

O deputado retribuiu dois minutos depois com a imagem de um coração solitário, encerrando temporariamente a comunicação.

Os dois se conheceram em uma festa de aniversário de um outro parlamentar, na qual ela era uma das 20 mulheres convidadas para entreter dez deputados amigos do dono da festa. “Era tudo muito cafona e caro”, recorda-se.

Leia também:  Razão ou glória? Confetes não servem para nada, por Neemias Almeida

No reagabofe em 2014, ela se perfilou em um “corredor polonês” de meninas. Foi uma das escolhidas pelo líder de uma bancada, com quem dividiu uma suíte no hotel cinco estrelas, cuja ala presidencial foi alugada para a festança.

“Ninguém fala em dinheiro nessas horas, mas os presentes e a grana vêm naturalmente depois, ao virar a eleita de um cara desses”, diz.

Ela não esconde a inveja de um amiga que ganhou um par de sandálias Christian Louboutin logo depois do primeiro encontro.

A brasiliense entrou no círculo íntimo do poder graças às conexões de uma conhecida cafetina. Procurada pela Folha, a “promoter” desligou o celular ao saber do teor da reportagem.

RESCALDO

Um dia depois da votação do impeachment, o WhatsApp da loura continua bombando com o rescaldo da votação.

Na segunda-feira, um parlamentar de São Paulo, o mais conhecido da lista de clientes declarados dela –ou de amigos íntimos como prefere defini-los– envia o link do YouTube que imortalizou seu voto “por amor ao Brasil e à filha”.

O deputado do PP está exultante com a repercussão do seu “sim” entre o público que assistia à sessão em um telão na avenida Paulista, em São Paulo.

A acompanhante de luxo brasiliense só não foi brindada com uma justificativa de voto do seu amigo parlamentar que era tido como fiel ao governo até o último momento. “Fiquei chocada quando soube que ele mudou o voto. É o único da minha turma que é citado na Lava Jato.”

Ela encerra o papo mostrando uma mensagem enviada também por um dos nobres deputados de “sua bancada”. O parlamentar entra no clima de chacota que tomou as redes sociais, diante da enxurrada de dedicatórias às mulheres durante a votação histórica.

O meme ironizando o discurso moralista e hipócrita de suas excelências, listando o placar de esposas lisonjeadas (120), amantes zangadas (200), filhos falando “ai que mico” (300).

Leia também:  Com Uruguai e Paraguai e resistência argentina, Bolsonaro quer levantar conduta liberal ao Mercosul

LOVE BOAT

Com a presença rara em Brasília de mulheres e filhos no fim de semana para acompanhar a sessão histórica, o circuito de festas privativas promovidas por parlamentares ficou, digamos, mais familiar.

No fim de semana de impeachment, nada das tradicionais baladas regadas a mulheres bonitas e muita bebida, que são definidas como “plataformas de relações públicas e de exercício de poder” por um lobista das antigas acostumado a frequentá-las.

São opções de lazer para políticos, empresários e a fauna que gira em torno do poder em Brasília.

Na atual legislatura, as festas mais famosas acontecem em um barco de um senador goiano, apelidado de “love boat”. O senador também costuma emprestar o “barco do amor”, que conta com uma única e luxuosa suíte, para amigos.

Outro cenário de noitadas é a casa de um senador mineiro no Lago Sul, que tem uma boate com um sugestivo palco de “pole dance”. Periguetes com crachá do Congresso Nacional e outras que cobram por hora costumam disputar os convites para as baladas.

CAPITAL SEXY

Em outro circuito, Karina Sales, uma loura de 25 anos, 1m65 e 53 kg, conforme anúncio do site de acompanhantes Capital Sexy, diz que o impeachment foi frustrante em termos de movimento no já pouco aquecido mercado de sexo brasiliense.

“Por conta da política, o povo sumiu. Tá todo mundo preso nas sessões no Congresso. Esse impeachment é muito brochante”, diz.

Ela é pessimista com os rumos do país e do próprio negócio, em tempos de crise política e econômica. “Gata, desce Dilma, sobe Temer, não vai mudar nada.”

Karina cobra R$ 500 por programa, aceita todos os cartões de crédito e relata cenas de pechincha generalizada em tempos de Lava Jato: “Não interessa se é senador, deputado ou político menor, como prefeitos e vereadores que vêm atrás dos grandes, todos choram miséria na hora de fechar programa.”

Leia também:  Duas teses sobre a questão racial no Brasil, por Jones Manoel

O mercado não está bom nem para peixe famoso. “Uma estrela pornô da produtora Brasileirinhas veio para Brasília para a temporada do impeachment e foi embora dois dias antes da votação”, relata Artur Henrique, dono do site Capital Sexy, que promove os anúncios das acompanhantes de luxo. “O dinheiro sumiu”, resume ele.

Já o garoto de programa Franco, do site Bofes.com, diz que não tem do que reclamar de Brasília. “Pra mim, crise não existe”, garante ele, nascido em Fortaleza.

Como discrição é a alma do negócio, Franco não entrega a clientela VIP, disposta a pagar R$ 400 por um programa. “Se atendo político ou famoso, eu nem sei. Não tenho televisão em casa, só vejo Netflix.”

No fim de semana da votação do impeachment, o fã de “House of Cards” diz ter sido sondado para uma “suruba” no Lago Sul. “Mas o cliente acabou não contratando ninguém. Acontece muito.”

Segundo ele, o que tem bombado mesmo é a sauna de um dos hotéis mais tradicionais da Capital, ponto de encontro gay. “Os caras cobram muito barato, R$ 50. Ganham por quilometragem e na pegação fazem dez programas numa tarde”, explica Franco.

Ele não se animou a tomar partido e se juntar à multidão dividida pelo “muro da vergonha” para acompanhar a votação neste domingo, 17. “Tendo ou não impeachment, nada muda. A máquina toda é corrompida.”

Sua colega Karina também optou por outro programa para o domingão decisivo para o governo Dilma Rousseff. “Preferi bronzear meu corpitcho.”

Com o bronzeado sempre em dia, a loura do WhatsApp passou o fim de semana da votação do impeachment fora de Brasília. Afinal, “era o dia da patroa ser homenageada”. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

56 comentários

  1. Uma reportagem desta não é fofoca é fato jornalístico.

    No momento que os parlamentares fazem um ato dignificando a família, as esposas e os filhos fica claro que demonstrar que isto é uma farsa é um fato jornalístico, inclusive acho que é o momento dos paparazzi começarem a usar as suas câmaras somente para aqueles que dedicaram a família o seu voto, pois não é o caso de ficar com patrulha moral contra os parlamentares, mas sim de VERIFICAR SOMENTE SE AQUELES QUE SE DECLARAM PELA MORAL E BONS COSTUMES  SÃO MESMO MORALISTAS.

    • Tá certo seu Gaudério!

      Se fosse Lula ou Dilma contratando um(a) profissional do sexo a Folha teria estampado na capa. Como são políticos do baixo clero votando pelo impeachment vai para um canto bem oculto do jornal e entra na conta da suposta imparcialidade jornalística.

      Ou seja, mais do mesmo.

    • Fato jornalístico sim; e de grande interesse público

      Caro Rogério Maestri,

      Concordo com teu comentário. Convide o Pereira LF para um debate. Quero ver você desconstruí-lo, pois já demonstrou competência para isso.

      Sds,

                                                                                                        João de Paiva

  2.  
    A suruba política, ou a

     

    A suruba política, ou a política-suruba sempre existiu.

    A diferença é que agora é transmitida ao vivo.

     

     

  3. Pela família , por deus e a

    Pela família , por deus e a nação  , principalmente pela santinha que fica em casa na maioria do tempo cuidando das crianças Continuaremos roubando .

  4. Essas meninas de programa que

    Essas meninas de programa que tem clientela entre deputados “família” tem que tomar cuidado. Em Minas uma delas foi “arquivada”.

    Não se pode esquecer que grande parte dos deputados “sim, pela patroa” que são clientes das moças pertencem a bancada BBB, da bala, da bíblia e do boi, muitas vezes tudo ao mesmo tempo.

    PS: Essa loira “amiga íntima” dos moralistas do Cunha tem que ser personagem do livro a ser escrito sobre esse trágico-grotesco momento pelo qual passamos. Será um dos livros mais pronográficos já escrito. Pornografia com ou sem sexo, de todas as formas imagináveis ou inimagináveis

    • Dando nomes aos bois e às …..

      O nome da mulher assassinada misteriosamente em 1998, em BH, é Cristiana Aparecida Ferreira. Seguem abaixo algumas reportagens sobre o obscuro (e até hoje não esclarecido pelas “diligentes” polícias mineiras e brasileiras) episódio e sobre as figuras públicas da política e do meio empresarial envolvidas no caso.

      Sem esclarecimento também continuam os casos do “helicoca” e do jatinho que transportava Eduardo Campos, que caiu em santos em 13 de agosto de 2014, matando tripulantes e o então candidato à presidência. A PF que grampeia ilegalmente mictório de presos e conversas da presidente da república nada sabe sobre essas coisas. A aeronáutica brasileira só sabe dizer que não havia caixa preta no jatinho que transportava EC; nem a PF nem a aeronáutica se empenharam em esclarecer esses casos e até hoje não se sabe a quem pertencia o jatinho e quem encomendou os 445 de pasta-base de cocaína, apreendidos no “helicoca “,  de propriedade da família Perrela; por fim o senador Zezé Perrela integra a comissão que votará pela admissibilidade do pedido de impedimento da presidente Dilma.

       

      Mensalão Mineiro e Cristiane Aparecida Ferreira

      Publicado em 27/07/2012por 

      Por Wander

      Fantasma da modelo assassinada segue a aterrorizar políticos
      Lista da movimentação financeira da campanha de Azeredo contém nome da modelo recebendo R$ 1.850 milhão por determinação de Mares Guia

      Do Novo Jornal

      Função de repórter não é ser advogado de defesa ou assistente de acusação, menos ainda promotor ou juiz. Mas narrar os fatos ocorridos e em sendo necessário compará-los.

      O goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, já está encarcerando a alguns anos acusado de ser o mandante da morte da modelo Elisa Samúdio, num rumoroso caso onde não foi encontrado o cadáver e que, teoricamente, do ponto de vista técnico jurídico, não permitiria a detenção do goleiro flamenguista.

      Para complicar a situação, policiais e membros do Judiciário foram envolvidos em denúncias de extorsão e um dos indigitados matadores da modelo, o ex-policial “Bola”, foi expulso dos quadros da polícia de São Paulo, admitido na Polícia Civil de Minas Gerais, de onde acabou expulso também, mas mesmo assim no sítio dele era onde um grupo tático de policiais participava de treinamentos sem nenhuma explicação do governo de Minas ou da cúpula da Polícia Civil do Estado.

      Condenação

      Por outro lado, há quase três anos o teólogo e detetive particular Reynaldo Pacífico, acusado de matar a modelo Cristiane Aparecida Ferreira, nas dependências do San Francisco Flat, no centro de Belo Horizonte, foi condenado a 14 anos de reclusão em regime fechado e jamais foi detido.

      Na época, o crime ganhou repercussão nacional por envolver o nome de vários políticos de projeção, entre eles o ex-governador Itamar Franco, o ex-secretário da Casa Civil, Henrique Hargreves, o ex-governador Newton Cardoso, o ex-ministro do Turismo do primeiro governo do presidente Lula, Walfrido dos Mares Guia e o presidente da Companhia Energética de Minas Gerais, Djalma Moraes.

      Durante o júri popular foram citados para comparecer e depor o ex-governador Newton Cardoso e o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia. Newton Cardoso compareceu e depôs, dizendo-se isento de qualquer responsabilidade com o crime, tese que foi aceita. O ex-ministro Walfrido dos Mares Guia não compareceu perante o juiz singular, e em sua defesa alegou uma viagem inadiável a Miami.

      Na acusação funcionou o promotor Francisco Santiago que denunciou entre outros fatores as investigações somente terem começado com quatro meses de retardo, segundo ele, por “determinação do Palácio da Liberdade” onde a moça tinha livre acesso, além de descaracterizações do cenário do crime. Francisco Santiago conseguiu desmontar a versão de suicídio e condenar Reynaldo Pacífico a 14 anos de reclusão em regime fechado, o que nunca foi cumprido.

      No auge da divulgação pela mídia, surgiram as versões de que Aristides Junqueira teria pressionado o MPMG a não ouvir Walfrido dos Mares Guia, conforme estava previsto, sem que nenhuma autoridade tivesse se manifestado. A modelo Cristiane Aparecida Ferreira, além de envolvimento sexual com os políticos, teria se transformado também em agenciadora de garotas de programas e “mula” para o transporte de dinheiro proveniente do “mensalão”.

      Após o júri, um de seus parentes, cujo nome ele pediu para ser mantido em sigilo, revelou que no dia em que ela foi morta ele recebeu um telefonema dela, dado de São Paulo, pedindo para ir se encontrar com ela que estava de posse de uma mala com um milhão de reais. Ele viajou a São Paulo, houve um desencontro, Cristiane veio para Belo Horizonte e acabou sendo morta.

      Reviravolta

      Agora novo documento mostra que Cristiane Aparecida Ferreira teria recebido quase R$ 2 milhões de políticos e empresários ligados ao mensalão, levantando ainda mais a hipótese de que ela estaria associada ao caso e de que o assassinato pode estar relacionado ao esquema. O documento teria sido entregue a família de Cristiane e deve ser investigado.

      Foi em agosto de 2005 que a ligação da morte da modelo com o escândalo do mensalão veio a tona, após uma agenda com o telefone e o endereço de uma das agências de propaganda do empresário Marcos Valério Souza ser apreendida. Cristina Aparecida foi encontrada morta em 6 de agosto de 2000, em um flat de luxo em Belo Horizonte, após ser asfixiada. A morte dela ganhou repercussão nacional após policiais encontrarem anotações com contatos de várias autoridades do governo de Minas Gerais à época.

       

      O valerioduto abasteceu Gilmar Mendes

      O ministro do STF está entre os beneficiários do caixa 2 da campanha à reeleição do então governador Eduardo Azeredo em 1998. Confira a lista inéditapor Redação Carta Capital — publicado 27/07/2012 11p6, última modificação 27/07/2012 13p5inShare1  

      O ministro do STF na lista dos beneficiários do esquema

      CartaCapital publica na edição que chega às bancas em São Paulo nesta sexta-feira 27 uma lista inédita de beneficiários do caixa 2 da campanha à reeleição do então governador Eduardo Azeredo em 1998. O esquema foi operado pelo publicitário Marcos Valério de Souza, que assina a lista, registrada em cartório. O agora ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes aparece entre os beneficiários. Mendes teria recebido 185 mil reais.

      Há ainda governadores, deputados e senadores na lista. Entre os doadores, empresas públicas e prefeituras proibidas de fazer doações de campanha. O banqueiro Daniel Dantas também aparece como repassador de dinheiro ao caixa 2.

      A documentação foi entregue à Polícia Federal pelo advogado Dino Miraglia Filho, de Belo Horizonte. Ele defende a família da modelo Cristiana Aparecida Ferreira, assassinada em 2000. Segundo Miraglia, a morte foi “queima de arquivo”, pois a modelo participava do esquema e era escalada para transportar malas de dinheiro. Na lista, Cristiana aparece como destinatária de 1,8 milhão de reais.

       

       

    • Faz parte. Já sabem. É risco

      Faz parte. Já sabem. É risco profissional.

      Notastes o tamanho da inteligencia dela? A começar de não se envolver, de achar uma lado melhor que outro?

      De fato elas e eles (já que o que existe de rapazola fazendo todo tipo de coisa não é fácil), são muito mais éticos que seus clientes.

      Mundo cão!

  5. Resumo do Brasil de todos os tempos

    Resumo do Brasil

    Deus fez o homem 

    O homem fez as putas e os putos

    FHC fez o mensalão 

    Lula pensou que fez o STF

    Os coxinhas fizeram o Cunha

    e

    Não adiantou o povo fazer o voto.

  6. Considerando que a maior

    Considerando que a maior bancada da câmara pertence ao PEC (Partido do Eduardo Cunha), então podemos afirmar categoricamente que, além do maior partido, ele tem o maior harém!

  7. prostibulo

    Ainda bem que votaram pela família . Já pensou se tivessem votado pela sua prestadora de serviços ? Aí sim seria um escândalo . 

    De Collor dizia-se que andava com Claudia Raia. FHC levava Miriam Dutra a Nova York quando estava a serviço. Também aventava-se algo sobre Lula e Rosemary Noronha. Pallocci teve suas festinhas denunciadas pelo caseiro. Renan e sua amante . 

  8. Turbinando a fofoca inútil

    Belo post. Aumentou a minha cultura política. Faltou comentar sobre a cafetina Jeany Mary Corner. Lembram-se? Claro que nessas malandragens se envolvem só a turma do SIM. O pessoal do NÃO nem toma conhecimento dessas sirigaitas. Sabem como é: de casa para a Câmara, da Câmara para a missa e da missa pro berço. A autora deveria escrever um livro|: “A vida sexual da oposição e o tormento do papai-mamãe da situação na visão de uma jornalista que não tem o que fazer”.

    • De acordo

      Parcialidade chegou e parou. Será que partidários de Dilma não recorrem aos serviços das profissionais? Inocente aqui tô eu.

      • Nao é essa a questao

        O problema nao é usarem prostitutas de luxo. Embora pessoalmente ache isso repugnante, a vida privada de cada um só interessa à própria pessoa, e eu nao daria força a discursos moralistas. Mas o problema é exatamente a contradiçao entre o comportamento individual e o discurso moralista hipócrita que esses caras emitem. É isso que tem que ser denunciado.

        • Cara Ana

          Já que era uma reportagem, não custaria então dizer que até os que não possuem discurso moralista estariam entre os clientes. Não deixaria de mostrar a falsa moralidade.

          • Tem alguns que nem desenhando, Ana…

            Mas para boa parte deles o problema nao é de falta de compreensao, é de má fé mesmo. Dizem coisas em que nao acreditam, apenas para tentar abafar o que nao interessa a eles que seja mostrado.

          • Meus protestos

            Pode desenhar que eu gosto. Faço um esforço grande e às vezes até entendo.

    • O poder é isso, meu caro!
      Bem

      O poder é isso, meu caro!

      Bem distante de discursos estéticos, juras de ombridade e badulaques moralistas, cem por cento hipócritas.

      E ai de quem não conhecer disso: no mínimo será presa fácil dos lobos. Via de regra o poder é exercido por sociopatas, tendo um ou outro caso de “normalidade” pelo meio. Só.

      Ecce homo!

    • Caro colega.
      Onde vc

      Caro colega.

      Onde vc identificou no texto algo dizendo que a putaria do SIM é suja e a putaria do NÃO é santa?

      O texto é apenas uma crítica à hiprocrisia dos parlamentares quanto à um dos motivos mais elencados para o impeachment, a tal “destruição dos valores morais da família brasileira”. Assim como muitos estão vendo a hipocrisia dos que dizem que votam SIM contra a corrupção.

      Inclusive, só pra te informar se vc não sabe, muitos da turma do SIM (pra não dizer quase todos) são sim ou não dependendo das circunstâncias. Eles não estão do seu lado (contra o governo). Eles estão e estarão sempre do lado que for mais conveniente pra eles. Diante de um governo extremamente impopular e que não tem mais nada a oferecer eles, passaram a ser SIM. Eles só são fiéis às suas próprias hipocrisias.

      • Polêmica inutil

        É que achei o post uma grande bobagem. Não acho que essas questões sejam argumento inteligente. Qdo ironinizei o SIM e o NÃO insinuei que todos são cínicos. Só lembrei Mary Corner e nem toquei no assunto Rosemary Noronha, por ex.

          • Também

            não conheço ninguém que se interesse pelas opiniões deste ou de qualquer outro dos defensores daquela corja de bandidos falso moralistas que protagonizou o grotesco espetáculo, que nos ridiculariza vergonhosamente perante o mundo.

    • Caro Pereira, parece que não entendeste nada (mais uma vez)!

      François Mitterrand durante décadas tinha uma amante que inclusive participou discretamente das solenidades fúnebres do mesmo, era algo conhecido por todos os franceses maiores de idade, e por políticos tando da situação comoda oposição, e isto não era revelado por nenhum órgão de imprensa que se prestasse. Porém ele jamais fez discursos pela família francesa e pela ética sexual dos franceses, ou seja, jamais ele como 99% dos políticos franceses (homens e mulheres) jamais dão a mínima bola para o assunto.

      Quando uma revista de escândalos procurou chamar a atenção que o segundo no Front National (partido de extrema direita e conservador) que Florian Philippot era homossexual a imprensa em massa caiu na cabeça da revista que noticiou, Philippot se auto-declarou homossexual e daí por diante ninguém nem mais tocou no assunto (ou seja a extrema direita homofóbica do Brasil nem com a extrema direita francesa não tem vez).

      Ou seja, a sexualidade ou mesmo as traições (tanto para homens como para mulheres) é tratado como um assunto pessoal que não interessa a ninguém além dos diretamente envolvidos.

      Bem, daí poderíamos dizer que esta orientação deveria ser seguida no Brasil, o que realmente era há décadas, porém o que ocorre nos dias de hoje é que o congresso nacional e até candidatos a presidência da república viraram fiscais das sexualidade das pessoas. São várias incursões na vida privada dizendo que a sexualidade e as relações entre os casais deve respeitar a Bíblia ou qualquer livro sagrado. Não só querem falar sobre o assunto como legislar sobre o mesmo (cura gay e outros bobagens do tipo), querem influenciar em aspectos didáticos-pedagógicos que são objeto de estudo de especialistas no assunto e ficam trazendo para discussões religiosas.

      Além de tudo isto, na votação do golpe começaram a utilizar pretextos de defesa da família tradicional, de Deus, das boas relações familiares, e de outras besteiras que giram sobre o mesmo assunto, foi a gota d’água que faltava, como diz a Bíblia agiram como verdadeiros sepultos caiados, podres por dentro e pintados por fora.

      No momento em que se coloca assuntos que são de relevância a escolha de qualquer um, ter ou não ter amantes ou mesmo contratar profissionais do sexo, passam a ser assunto de pauta principalmente dos deputados que votaram SIM (bancadas evangélicas e da bala) é procedente mostrar o CINISMO COM QUE VOTAM ESTES DEPUTADOS. Eu até acharia que a imprensa poderia radicalizar e colocar alguns paparazzi nas portas dos motéis e fotografar a entrada destes falsos moralistas, pois uma coisa é manter uma vida concernente as suas escolhas sexuais livre, e querer esta liberdade só para eles criminalizando e discriminando quem não segue os que eles não fazem.

      Achei e acho procedente a notícia, pois ela está ancorada numa posição CÍNICA e inconveniente desses deputados, que são os mais sujos dos sujos, pois usam uma métrica para julgar os outros e para eles vale tudo.

      • Sr Rolando Lero

        Claro que ente. E com menos verbosidade e pedantismo ironizei o que considero irrelevante. Se vc acha procedente, uma reportagem digna de um Premio Esso, ok, recorte o post e coloque-o num quadro. Vc enrola demais. É muito prolixo. Pode compartilhar tbem com amigos, Nada contra. A opinião é livre.

        • Não é prolixidade é respeito.

          Quando contraponho alguém não gosto simplesmente de fazer frases curtas, exatamente em respeito ao meu interloctor, poderia simplesmente escrever alguns adjetivos desqualificando-o de forma tosca e simplista teus argumentos, porém acho que isto não é leal com adversários num debate civilizado.

          Acho melhor rodear de argumentos o meu ponto de vista, mesmo que isto me dê mais trabalho e perca tempo com isto, mas se de agora em diante quiseres que eu rebata tuas opiniões com meras palavras chaves tão comuns em blogues de terceira linha, poderei seguir este caminho, mas por favor, não reclame depois.

          .

          E mais um pequeno adendo, onde está o rolando lero no meu raciocínio, ele é moldado de tal forma que qualquer pessoas com qualquer nível intelectual entenda, por isto se torna um pouco redundante, devido a minha experiência de falar para públicos de diversos níveis de entendimento, tenho que ser “prolixo”, ou melhor, redundante.

      • A sexualidade ou a volúpia de quem quer que seja …

        Como destacou  o gaúcho, no comentário acima, pouco importa.

        Não interessa mesmo a ninguém o que fazem ou deixam de fazer em suas vidas privadas a menos que, cinicamente, venham usar o nome dos entes que deveriam ser mais sagrados, e é para muitos sinceros, e despejar suas hipocrisias para justificar o baixo caráter que tem, pois, são traidores, desleais, ladrões, mas, colocam-se como guardiães da moralidade.

        Sua colocação foi perfeita gaúcho.

        Obrigado.

  9. Deputado PP São Paulo

    Nas notas taquigráficas do Congresso Nacional, dá pra saber que é o deputado do PP de São Paulo que contrata prostituta de luxo.

     

    O SR. RICARDO IZAR (Bloco/PP-SP.) – Sr. Presidente, por amor ao Brasil, pela memória de meu pai, Ricardo Izar, por amor à minha filha e às futuras gerações, e por todos aqueles que exercem a cidadania na Avenida Paulista, o meu voto é “sim”.

  10. O ÂNUS ESCULACHADO, ESCULHAMBADO, ARREGAÇADO É SEMPRE O NOSSO

    DIFÍCIL DE ACEITAR, MAS NÓS SOMOS MESMO UM NADA! DIFÍCIL DE ACEITAR, MAS NÓS SOMOS MESMO UNS BOSTAS! DIFÍCIL DE ACEITAR, MAS NEM VALEMOS O NOSSO VOTO EM ELEIÇÕES DITAS DEMOCRÁTICAS – DEMOCRACIA AQUI NO BRASIL, SÓ SE FOR A DO DEMO, DO CAPETA, DO DEMÔNIO, A DEMO-CRACIA. O PODER DO DIABO.

    É GOLPE! É GOLPE! É GOLPE! É GOLPE! É GOLPE! É GOLPE! É GOLPE! É GOLPE! É GOLPE!

    PRESIDENTE DILMA, NAÇÃO BRASILEIRA, SABOTADOS POR TRAIDORES, PELO MENOS NOS ÚLTIMOS 18 MESES! SABOTADOS POR UMA LEVA DE COXINHAS HIPÓCRITAS

    IDIOTAS IDIOTIZADOS OU MANIPULADORES CONTUMAZES, PELO MENOS NOS ÚLTIMOS 18 MESES.

    MAS O ÂNUS ESCULACHADO, ESCULHAMBADO, ARREGAÇADO É SEMPRE O NOSSO NESTE BACANAL DE SABOTADORES

    >> https://gustavohorta.wordpress.com/2016/04/21/e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe-e-golpe/

  11. Os amigos tinham uma chacara

    Os amigos tinham uma chacara na beira do rio e todo fim de semana iam “pescar”. Levavam prostitutas para o bacanal. Um dia as esposas quizeram ir á pescaria, e os maridos tiveram que leva-las. Quando o caseiro viu as mulheres comentou: Que putaiada feia voces trouxeram desta vez.

  12. Sabedoria antiga

    Em uma de suas prédicas sobre o comportamento dos homens o Buda Sidartha exclamava sobre aqueles que dizem uma coisa e fazem outra tentando enganar a própria consciência e aqueles que os circundam. “Jamais confie nos moralistas ou naqueles que muito se vangloriam, estes sempre tem algo a esconder do sol.” Suttapitaka 6.

    E eis que Buda já fala sobre a hipocrisia e o falso moralismo a 2500 anos, e é sempre certeiro em dizer que aquele que mais arrota santidade é o que tem a maior quantidade de sujeira debaixo de sua roupa!

  13. nos tempos das delegacias de

    nos tempos das delegacias de costumes essas nobres figuras seriam presos por lenocínio….

    quase ia colocar latrocínio, mas fui confirmar para não acertar por linhas tão tortas;;;

  14. Fiquei mais interessado …

    Em saber qual era a opinião da acompanhante.

    Não me surpreenderia dela votar NÃO e não envolverr qualquer ente. Votaria por ela mesma e pela liberdade de todos.

  15. Em breve elas serão regulamentadas

    Não me adimirá se no futuro elas vierem a ter a profissão do sexo regulamentada… Aliás eu apoio, afinal é a profissão mais antiga do mundo! 

  16. Impeachment
    Brasil, Qual é o teu negócio?. O nome do teu sócio? Confia em mim!
    Há quase três décadas, Cazuza escrevia esta obra prima chamada Brasil!
    Sabe o que mudou de lá pra cá? Absolutamente nada! Se por um lado a ditadura militar foi vencida, por outro lado a opressão, a miséria, a corrupção, etc. pioraram no chamado governo civil.
    Novamente, vamos assistir no domingo a uma “festa” que os idiotas e sem falta se conhecimento chamam de “democracia”! Legalmente estão errados! Politicamente, bem… são levados!
    Vai Cazuza! “Não me convidaram, pra essa festa pobre que os homens armaram pra me convencer! A pagar sem ver, toda essa droga, que já vem malhada antes de eu nascer!”
    Analfabetismo político é o esterco que aduba apelos políticos baseados em pura ignorância. E, é justamente nessa hora que prevalece a “cegueira coletiva”, cujo a única luz no fim do túnel é a dos mesmos safados e ladrões que faziam parte desse governo corrupto! Agora, pulam fora do “barco” fazendo-se de bons cidadãos com os bolsos cheios de propina, aguardando a retomada de novas falcatruas!
    Meu Deus! Como é fácil manobrar um povo sem educação! Educação política, de cidadania, e vários outros tipos de educação!
    O povo ainda não percebeu a manobra política-empresarial! Não se deu conta que ao combater a corrupção e os corruptos, os corruptores (mais empresas, de vários seguimentos de mercado) com medo de virem à tona estão arquitetando tudo isso, para continuarem a “mamar nas tetas” do outro governo! O que, certamente o farão!
    Eu, não patrocino campanha política! E, você? Aliás, o meu VOTO sempre foi NULO (não em branco) porque nunca contemplei quem realmente de fato pudesse me representar em qualquer esfera política nesse País! E, fico orgulhoso e triste ao mesmo tempo ao saber que sempre estive certo! As mazelas desta classe política atestam ao meu favor!
    Cazuza e outros “visionários” nunca estiveram tão certos!
    Brasil
    Mostra a tua cara
    Quero ver quem paga
    Pra gente ficar assim
    Brasil
    Qual é o teu negócio?
    O nome do teu sócio?
    Confia em mim

    Grande pátria desimportante
    Em nenhum instante
    Eu vou te trair
    (Não vou te trair)
    Hypólito Martinez

  17. Impeachment
    Brasil, Qual é o teu negócio?. O nome do teu sócio? Confia em mim!
    Há quase três décadas, Cazuza escrevia esta obra prima chamada Brasil!
    Sabe o que mudou de lá pra cá? Absolutamente nada! Se por um lado a ditadura militar foi vencida, por outro lado a opressão, a miséria, a corrupção, etc. pioraram no chamado governo civil.
    Novamente, vamos assistir no domingo a uma “festa” que os idiotas e sem falta se conhecimento chamam de “democracia”! Legalmente estão errados! Politicamente, bem… são levados!
    Vai Cazuza! “Não me convidaram, pra essa festa pobre que os homens armaram pra me convencer! A pagar sem ver, toda essa droga, que já vem malhada antes de eu nascer!”
    Analfabetismo político é o esterco que aduba apelos políticos baseados em pura ignorância. E, é justamente nessa hora que prevalece a “cegueira coletiva”, cujo a única luz no fim do túnel é a dos mesmos safados e ladrões que faziam parte desse governo corrupto! Agora, pulam fora do “barco” fazendo-se de bons cidadãos com os bolsos cheios de propina, aguardando a retomada de novas falcatruas!
    Meu Deus! Como é fácil manobrar um povo sem educação! Educação política, de cidadania, e vários outros tipos de educação!
    O povo ainda não percebeu a manobra política-empresarial! Não se deu conta que ao combater a corrupção e os corruptos, os corruptores (mais empresas, de vários seguimentos de mercado) com medo de virem à tona estão arquitetando tudo isso, para continuarem a “mamar nas tetas” do outro governo! O que, certamente o farão!
    Eu, não patrocino campanha política! E, você? Aliás, o meu VOTO sempre foi NULO (não em branco) porque nunca contemplei quem realmente de fato pudesse me representar em qualquer esfera política nesse País! E, fico orgulhoso e triste ao mesmo tempo ao saber que sempre estive certo! As mazelas desta classe política atestam ao meu favor!
    Cazuza e outros “visionários” nunca estiveram tão certos!
    Brasil
    Mostra a tua cara
    Quero ver quem paga
    Pra gente ficar assim
    Brasil
    Qual é o teu negócio?
    O nome do teu sócio?
    Confia em mim

    Grande pátria desimportante
    Em nenhum instante
    Eu vou te trair
    (Não vou te trair)
    Hypólito Martinez

  18. hipocrisia da familia politica brasileira

    sem querer advogar esses politicos pilantras e golpistas, mas prostitutas de luxo e garotos de programa para agradar politicos existem em todos os paises, nao importa a ideologia dos mesmos, sempre foi assim na historia do mundo. O grave, em nosso pais, é o golpismo

  19. Anastásia esta na mão de

    Anastásia esta na mão de poucos, pois tem um segredo, que a sociedade principalmente mineira tem dificuldade de aceitar, que inviabilizaria seu futuro político

    https://limpinhoecheiroso.com/

    “Caso Anastasia” provoca revolta nos defensores da pluralidade sexual que denunciam o PSDB por apagar da mídia opção sexual de seus líderes.

    Via Novojornal

    Em pleno século 21, quando as liberdades e opções individuais são bandeiras de diversos partidos, inclusive do PSDB, onde sua maior liderança, o ex-presidente FHC, defende publicamente a descriminalização da maconha, outros temas são tratados como tabu e apagados da mídia.

    Na última semana de dezembro de 2012, chegou à redação do Novojornal denúncia informando que, com a ajuda da grande mídia e por meio de decisões judiciais, o PSDB vem conseguindo, nos últimos anos, impedir que a população tome conhecimento real do que pensam e fazem suas lideranças em relação à sexualidade.

    Nossa reportagem saiu a campo na procura de resposta para tão controverso tema e descobriu uma estrutura profissional atuando para o PSDB por intermédio de equipes de busca e análise das diversas mídias, das tradicionais imprensa escrita, falada e televisada, até as recentes mídias sociais.

    De posse das informações, passam a agir agências de notícias e escritórios de advocacia especializados em conseguir decisões judiciais para que os “relutantes” sejam obrigados a retirar qualquer menção sobre a opção sexual de suas lideranças.

    “O Caso Anastasia”, citado na denúncia recebida por Novojornal, foi comprovado. Anastasia, antes e durante seu mandato como vice-governador de Minas, na gestão de Aécio Neves, atuou como ativista ligado ao Movimento Gay de Minas (MGM), onde presidia e promovia ao lado de Oswaldo Braga, Danilo de Oliveira, dentre outros, o evento anti-homofobia, Rainbow Fest.

    Isso constava na Wikipédia, que teve o texto modificado em poucas horas após tal fato ser abordado nas redes sociais. Seu nome foi removido da página principal de domínio do Movimento Homossexual Brasileiro na enciclopédia virtual, seção Minas Gerais.

    Para quem não sabe, a Wikipédia tem a comunidade de moderadores mais forte da internet, o que resulta em uma análise antes que um artigo entre definitivamente no ar. O nome de Anastasia esteve muito tempo na página do grupo, o mais atuante de Minas. A explicação encontrada por Novojornal para retirada de seu nome foi que a remoção atendeu interesse do próprio movimento.

    Porém, tal ação fora documentada por meio de imagens. Como podiam ser vistas antes da intervenção e como ficou após a remoção. Entretanto, o caso mais ruidoso envolvendo o governador de Minas Gerais diz respeito a ele ter sido escolhido por Waldir Leite para edição de 2010 dos Golden Gays.

    Waldir Leite é escritor e jornalista. Trabalhou como roteirista de novelas na Globo e na Record. Foi repórter e editor do Jornal do Brasil, além de crítico literário do Caderno B, o suplemento de cultura do mesmo jornal. Atualmente assina um blog de cultura e comportamento com o seu nome.

    Foi neste blog que ocorreu a intervenção que causou maior repercussão entre as ações do PSDB no intuito de apagar da mídia a opção sexual de Anastasia. Agora, ao consultar o blog não se encontra a lista contendo o nome de Anastasia.

    Na matéria retirada, de acordo com Waldir Leite, autor da lista dos Golden Gays, que ocorre desde 2002, “o ex-militante gay Anastasia é apaixonado por Aécio Neves, a quem, entre os amigos mais íntimos, só se refere como ‘meu bofe’”.

    Segundo Waldir Leite:

    Os homens públicos que são gays têm mania de arrumar um casamento às pressas para disfarçar sua homossexualidade. Foi para disfarçar sua homossexualidade que Henrique Meirelles, o todo-poderoso da economia brasileira, casou-se em 2002 com a psiquiatra Eva Missini.

    Banqueiro bem-sucedido no Brasil e nos Estados Unidos, em 2004 Meirelles decidiu seguir carreira política e concorreu ao cargo de deputado federal por Goiás onde foi eleito com votação recorde. Ciente de que era conhecido como gay em sua terra natal, onde já tinha dado muita pinta, sua primeira providência antes de concorrer ao pleito foi se casar.

    Um casamento discreto, às pressas, em que os amigos que sempre frequentavam suas festas nem foram convidados. Um casamento de conveniência. Agora que se tornou uma estrela da política brasileira, Henrique Meirelles anda muito comedido. O chato de ser político é isso: o sujeito não pode ser ele mesmo. Não pode dar pinta. Não pode rodar a baiana. Não pode pegar bofes na sauna. É o preço que se paga. Mas na época em que era “apenas” presidente do Banco de Boston e uma das estrelas do mercado financeiro internacional Meirelles soltava a franga.

    Rapazes bonitões de Goiás viviam lhe fazendo visitas íntimas na mansão em que morava em Boston. Sempre que podia o banqueiro vinha passar temporadas em São Paulo onde costumava dar festas de arromba, em que não faltavam champanhe e rapazes bonitos. Principalmente rapazes bonitos.

    ‘O Meirelles sempre foi uma bicha festeira. Suas festas marcaram época em São Paulo’, diz um velho amigo do banqueiro, figura assídua da sua lista de convidados. Emo seu aniversário, dia 31 de agosto, o presidente do Banco Central gostava de dar festas temáticas, onde muitas vezes costumava aparecer fantasiado, para deleite das bichas amigas.

    Numa de suas festas mais famosas, denominada de Noite das Arábias, Henrique Meirelles apareceu fantasiado de Scherazade. Waal! Certamente nessa época ele ainda não tinha aspirações políticas.

    E prossegue:

    Presidente homossexual da República brasileira? De forma alguma! Afinal, não podemos esquecer Itamar Franco, que era uma doidivanas, uma maluca! O curioso é que Itamar foi vice de Fernando Collor, que também tem um prontuário gay. No livro escrito por Pedro Collor ele conta em detalhes o caso amoroso que o irmão Fernando teve com um certo coronel Dario, um militar que foi ajudante de ordens nos anos dourados da Casa da Dinda. Very sexy!

    Collor também teve um envolvimento com o deputado Paulo Otávio. Mas a vida gay de Fernando Collor começou ainda na juventude, quando ele era um garotão sarado e cheio de tesão. Foi nessa época que o ‘caçador de marajás’ teve um romance com o costureiro francês Pierre Cardin, que foi a Alagoas acompanhar as filmagens de Joana, a francesa, filme de Cacá Diegues, estrelado por Jeanne Moreau.

    Segundo Wandir Leite, na época, a estrela francesa era casada com Cardin. Pois bem. Enquanto La Moreau filmava com Cacá, Cardin se esbaldava com o adolescente Fernando Collor nos canaviais da periferia de Maceió. No livro de Pedro Collor ele também conta que seu irmão tinha um fetiche um tanto quanto gay: gostava de consumir cocaína por meio de supositário. Ui! Talvez por tudo isso Collor tenha sido o melhor presidente do Brasil pós-democracia.

    Ao falar de gays na política brasileira não podemos esquecer jamais de Delfim Netto, a ministra da Fazenda que reinou absoluta na época do governo militar. Essa era uma danada! Tão danada que tinha um grupo de rapazes a seu dispor que eram conhecidos como os Delfim Boys. Os Delfim Boys eram garotões másculos e viris que a poderosa Delfim protegia e amava com todas as suas forças. Generosa, a ministra sempre cuidou para que o futuro de seus rapazes fosse promissor. Muito deles depois que abandonaram as asas protetoras de tia Delfim se tornaram ricos e poderosos, graças à influência da ministra protetora. Um dos mais famosos Delfim Boys era um segurança bonitão que Delfim, apaixonado, ajudou muito. Anos depois, quando saiu da michetagem, ele acabou se tornando um poderoso empresário. Em sociedade tudo se sabe!

    A lista de bibas na política brasileira é extensa. Henrique Meirelles não é o único gay nascido em Goiás a se tornar uma celebridade da política nacional. Seu conterrâneo Maguito Vilella também sempre foi do babado. Como vemos, as meninas de Goiás são danadinhas! Representando Pernambuco temos o ex-governador e hoje senador Jarbas Vasconcelos. Esse tá sempre “namorando” misses e moças bonitas. Sua assessoria gosta de mostrá-lo como um machão pegador, mas lá em Pernambuco o que se conta é que ele gosta mesmo é de rapazes. Em Minas temos o nosso Aécio Neves, sempre muito namorador, mas que ostenta em seu currículo amoroso romances com outros homens. Que ótimo!”

    Na vida privada do cidadão comum, suas opções religiosas, políticas e sexuais dizem respeito apenas a ele. Porém, ao homem público, a quem a sociedade delega pelo voto poderes para atuar com imparcialidade no combate ou na defesa de temas de extrema importância para suas vidas, estas opções devem ser de conhecimento público.

    Após consultar sua assessoria jurídica e ouvir sociólogos, psicólogos e militantes que atuam no tema, o Novojornal concluiu que cabe a imprensa divulgar com independência estas opções, ressaltando que a competência, comportamento moral e ético do homem público não tem qualquer relação com sua opção sexual, religiosa e política.

    Evidente que aqueles que privam da intimidade do homem público têm conhecimento de suas opções e ações, porém, como dito anteriormente, por meio de seus mandatos irão decidir sobre temas que refletem no futuro de todos.

    Ao fecharmos esta matéria, como se a confirmar a atuação deste grupo, nossa reportagem teve acesso ao Acórdão da 16ª Turma do TJ/MG em ação movida por Danilo de Castro que pede que a justiça impeça que seu nome seja divulgado por Novojornal após publicação da transcrição de conversas gravadas pelo advogado J. Engler sobre sua opção sexual, de seu filho Rodrigo de Castro e do senador Aécio Neves.

    A justificativa da 16ª Turma Cível foi:

    “Sendo grosseiras, de mau gosto e de natureza duvidosa, as notícias veiculadas aos agravantes, pelos agravados, no site http://www.novojornal.com, estas desafiam reprimenda ainda que em caráter provisório, razão pela qual a tutela antecipada pretendida deve ser deferida.”

    É inacreditável que o Poder Judiciário transformou-se em crítico literário e queira impor sua análise e interpretação crítica a sociedade por meio de decisões. Até pouco tempo a justiça analisava apenas a legalidade de uma prática. Informamos que a decisão não é definitiva e que Novojornal irá recorrer

  20. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome