Mercedes anuncia demissões e trabalhadores se mobilizam

Jornal GGN – Na última sexta-feira (12), a Mercedes-Benz anunciou a demissão de dois mil metalúrgicos. Hoje (17), o Sindicato realiza assembleia com os trabalhadores para definir uma estratégia contra a medida.

“A direção da fábrica tomou essa medida extrema de forma unilateral, em meio a uma negociação que havia sido retomada”, disse o diretor administrativo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Moisés Selerges.

“Temos certeza de que existem alternativas para atravessar esse momento preservando os empregos e não vamos aceitar essa postura. Queremos sensibilizar a empresa para retomar as negociações. Vamos discutir com os companheiros de que forma faremos nossa mobilização”, explicou.

Desde segunda-feira (15), todos os trabalhadores entraram em licença-remunerada por tempo indeterminado. A montadora iniciou, então, o processo de demissão do excedente de mão de obra. Alguns dos funcionários já receberam telegramas informando sobre a rescisão do contrato de trabalho a partir de setembro.

Os metalúrgicos na Mercedes-Benz têm estabilidade até 31 de agosto, assegurada pela adesão da empresa ao Programa de Proteção ao Emprego (PPE). A fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo possui atualmente 9 mil trabalhadores. Cerca de 1,4 mil estão em licença-remunerada desde fevereiro. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. crise

    Hoje 17/8 nos telejornais da Globo e Record noticaram clima de Recuperaçao dos Negocios

    ate com entrevistas de “empresarios “OTIMISTAS com essa perspectiva    

    O MIDIA SAFADA

  2. mercedez…

    Não precisa nem mudar o corpo da matéria. Só mudem o nome da multinacional, é sempre a mesma coisa. Na primeira brisa, a pressão com promessa de demissões, o pedido de aumento por subsídios, pelo dinheiro barato do BNDES que financiará a maior lucratividade mundial no setor automobilistico. Nem este financamento para as indústrias é repassado aos consumidores. É uma festa. É dar milho pra bode. Um mercado fabuloso e gigantesco dado de graça para empresas estrangeiras sem contrapartida alguma. Empregos braçais, desenvolvimento de novos produtos, licenças e royalties todos oriundos da matriz. Imporação de produtos e peças acabadas ao invés de produzidas por mão de obra nacional. Como é fácil lidar com inocentes e limitados?! Acorda Brasil!!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome