newsletter

Luis Nassif Online

São Paulo chegou ao nível mais baixo de enfraquecimento das instituições públicas e sociedade civil; por Luis Nassif
98 comentários
Faria melhor dar uma freada de arrumação e indicar pessoas capacitadas para a área econômica; por Luis Nassif
34 comentários
Há dois fantasmas assombrando o mercado: contas fiscais eimpulsividade da presidente. Medidas heroicas não resolvem
36 comentários

Projetos de estudantes brasileiras serão expostos em Harvard

Jornal GGN – Duas estudantes brasileiras do ensino médio foram selecionadas para um programa de empreendedorismo da universidade americana de Harvard. A baiana Georgia Gabriela da Silva Sampaio e a gaúcha Raíssa Müller foram escolhidas com mais três participantes de um total de 80 competidores. Georgia Gabriela desenvolveu um método de diagnóstico de endometriose por exame de sangue. Raíssa criou uma esponja que absorve óleo e repele água, que pode ser útil para ajudar no caso de acidentes ambientais. Ambas estão tentando arrecadar US$ 10 mil por crowdfunding e vão expor suas ideias para investidores estrangeiros.

Leia mais »

Média: 5 (6 votos)

Denúncia: Assédio nas Ruas de Nova Iorque Torna Campanha Viral

Assédio nas ruas de Nova Iorque torna campanha viral

O vídeo da rapariga que passou 10 horas a andar nas ruas de Nova Iorque, sendo assediada verbalmente mais de cem vezes, foi visto por mais de 6 milhões no Youtube no primeiro dia de publicação.

O vídeo foi produzido pelo movimento Hollaback!, que alerta a sociedade para acabar com o assédio de rua, e consistiu em colocar uma câmara oculta na pessoa que andava uns metros à frente da rapariga. Durante as dez horas em que percorreu as ruas de Nova Iorque, foi assediada verbalmente mais de 100 vezes, sendo mesmo "acompanhada" ao longo de vários minutos do seu trajeto por alguns dos autores das palavras de assédio. Leia mais »

Média: 4.2 (13 votos)

Empáticos e gentis: para quê?, por Eliana Rezende

 

Por Eliana Rezende

 

Há tempos quero falar sobre estas duas características, cada vez mais raras e quase sempre tão confundidas. A dificuldade se dá exatamente porque no mundo corporativo elas parecem ceder vez a outras palavras que ultimamente estão virando moda, como por exemplo: inovador, criativo, pró-ativo, entre outras.

 

De outro lado, empatia e gentileza são características que não estão no rol de termos monetizáveis. E ainda mais: não nascem como virtude e nem se adquirem ao se frequentar uma escola. Não estão à venda, nem são itens de consumo rápido, obtido por entregas via cartão de crédito.

 

Partindo de tanta dificuldade, resolvi iniciar minha busca pelos dicionários. As interpretações são muitas e várias, suas aplicações alcançam um número ainda maior. Mas das definições que vi escolhi estas:

Leia mais »

Média: 5 (6 votos)

Constituinte soberana, exclusiva e temática é perfeitamente aceitável

Por José Luiz Quadrados e Tatiana Ribeiro de Souza

No Consultor Jurídico

Algumas questões têm sido levantadas por opositores de movimentos sociais que defendem a mobilização das pessoas e grupos organizados para legitimar uma transformação de nosso sistema político por meio de uma Constituinte soberana (originária), exclusiva (eleita exclusivamente para esta função) e temática (para fazer a reforma política). Como já muitas vezes dito e escrito, isto é uma novidade, pois as Constituintes originárias (soberanas), exclusivas (eleitas para fazer a nova constituição e depois dissolvidas) nunca foram temáticas, pois não se restringiram a um tema constitucional mas elaboraram uma nova Constituição. Sobre a possibilidade da realização desta forma de Constituinte, também muito já foi dito, e claro que, embora ainda não realizada, é perfeitamente aceitável seguindo a lógica da Teoria da Constituição. Um poder que se legitima na democracia, entendida como vontade popular expressa, pode ser limitado pelo movimento democrático que o convoca e legitima ou autolimitar-se.

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Com ou sem decreto, Dilma deve assegurar participação social

Dilma deve assegurar participação social como política de governo

Por Helena Sthephanowitz, na RBA

Uma frase genial do antropólogo, escritor e político Darcy Ribeiro retrata o momento vivido com a derrubada pelo Câmara dos Deputados do decreto que cria a Política Nacional de Participação Nacional (PNPS). Ele costumava dizer que havia fracassado em muitas tentativas de superar a pobreza, as carências educacionais e o subdesenvolvimento nacional, mas detestaria estar no lugar dos que o venceram.

As palavras caem como luvas na votação do projeto de autoria de dois deputados do DEM, Mendonça Filho (DEM-PE) e Ronaldo Caiado (DEM-GO), para derrubar o Decreto 8.243/2014, da presidenta Dilma Rousseff.

O Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 1.491, de 2014, de Mendonça Filho e Caiado, quer suspender a criação do PNPS e impedir a ampliação do espaço da sociedade de intervir nas decisões governamentais.

Leia mais »

Média: 4.7 (12 votos)

Tesouro Direto: conjuntura atual favorece esta modalidade de investimento

Jornal GGN - Ontem o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) elevou a taxa Selic a 11,25%, um movimento que só era esperado para os próximos meses.  A elevação ocorre após a taxa permanecer desde abril a 11% e agora está no maior patamar desde outubro de 2011.

Com a taxa básica neste nível os investimentos em renda fixa voltam a ficar atrativos.  Eles possuem retorno estimado no momento da aplicação. Um deles é o investimento em títulos público.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Com poucas mudanças, PSOL apresenta PL que recria conselhos populares de Dilma

Jornal GGN - Deputados do PSOL vão apresentar um projeto que recria os conselhos populares que seriam regulamentados a partir do decreto 8243/14, assinado pela presidente Dilma Rousseff (PT) antes de sua reeleição. Na primeira sessão da Câmara após a vitória da petista nas urnas, congressistas contrários à medida - sob o argumento de que o decreto reduz o papel do Parlamento - sustaram o decreto com a aprovação de outra matéria.


Do Estadão

PSOL apresenta projeto que recria conselhos populares de Dilma


Um dos poucos partidos a apoiar a manutenção do decreto presidencial que instituiu a Polícia Nacional de Participação Social (PNPS) e o Sistema Nacional de Participação (SNPS), o PSOL anunciou nesta quarta-feira que vai protocolar um projeto com conteúdo similar à iniciativa do governo.

Nesta terça-feira (28), a presidente reeleita Dilma Rousseff teve a primeira derrota na Câmara após a vitória no segundo turno, ao ver o decreto derrubado pelos parlamentares. De iniciativa dos deputados Chico Alencar (PSOL-RJ) e Jean Wyllys (PSOL-RJ) e do líder da legenda na Casa, Ivan Valente (SP), o projeto prevê poucas mudanças no texto da administração federal.

A bancada pedirá regime de urgência na tramitação. De acordo com Chico Alencar, Wyllys e Valente, a nova proposta retira a indicação política dos conselhos, uma vez que a nomeação dos coordenadores deixa de ser prerrogativa do Poder Executivo e passa a ser dos membros dos conselhos.

Leia mais »

Média: 5 (13 votos)

Advogado de Youssef nega ter participado da divulgação de depoimento do doleiro

Jornal GGN - A CartaCapital destaca em seu portal, nesta quinta-feira (30), que a retificação no depoimento do doleiro Alberto Youssef, conforme informado ontem por O Globo, foi negada pelo advogado do delator da Operação Lava Jato - que investiga esquemas de lavagem de dinheiro e corrupção que atingem a Petrobras.

A edição do jornal Valor desta quinta traz depoimento do advogado Antonio Figueiredo Basto. Segundo o defensor, não houve participação dele na divulgação de informações que teriam sido prestadas pelo doleiro no âmbito da delação premiada, sobre o conhecimento de suposto esquema de corrupção na Petrobras pela presidente Dilma Rousseff (PT) e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Asseguro que eu e minha equipe não tivemos nenhuma participação nessa divulgação distorcida", afirmou ao Valor Pro. 

Retificação em depoimento de Youssef é "mentira", diz advogado

Da CartaCapital

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Que é isso, Senador?, por Caetano Scannavino

Impressiona o discurso inconsequente do senador Aloysio Nunes no Congresso, se negando a dialogar, afirmando aos berros ser contra bater enquanto batia forte. Discurso para o MAU (sim, com “u”). Concordo que tivemos uma campanha feia, que reflete nossa atual cultura política. Mas não foi só o PT que bateu. Dilma apanhou bastante no ano do #‎NaoVaiTerCopa. O que o senador tem a dizer de golpes baixos como a propagação da falsa noticia da morte do Youssef em pleno dia de eleição? Enfim, assim como o PT, o PSDB deveria aproveitar o momento para fazer uma autocrítica.

Perderam quatro eleições seguidas porque fizeram uma oposição ruim, só denuncista (até estourar algo do seu lado), sem propor nada além do “mudar por mudar”. Melhorá-la é bater ainda mais, como ouvi agora de Alvaro Dias? Postura vigilante é fundamental, mas não basta, se não for também propositiva. Se o PNPS é ruim, qual então a proposta tucana para aprimorar os mecanismos de participação social, isso depois do que vimos nas ruas ano passado? Se a Reforma Política está na pauta (importante também para reduzir a corrupção sistêmica) e se o PSDB tem propostas, porque não lançá-las para enriquecer o debate ao invés de travá-lo? Se Dilma afirmou que pedirá divulgação da íntegra da delação, sem “vazamentos seletivos”, porque ser contra isso?

Leia mais »

Média: 4.7 (31 votos)

O preconceito versus a liberdade do Bolsa Família

 
Jornal GGN - Já em maio de 2013, Walquiria Domingues e Alessandro Pinzani, professores de Filosofia da Unicamp e da UFSC, respectivamente, e autores do livro "Vozes do Bolsa Família: autonomia, dinheiro e cidadania", adiantaram-se: "seguem circulando na sociedade e na própria academia muitas visões negativas sobre ele [o programa] e até uma série de estereótipos e preconceitos que variavam da visão de que se trataria de nefasto assistencialismo, de esmola eleitoreira", em artigo ao GGN.
 
E completaram: "ou até mesmo de um desserviço cívico, pois estimularia a presumida atávica preguiça dos pobres que, tradicionalmente, são considerados como uma espécie de subumanidade, como crianças grandes, que não possuem aquela razão prudencial que é função humana decisiva na vida em sociedade. De maneira nenhuma o Estado deveria lhes garantir uma renda monetária, pois não saberiam usá-la racionalmente. Podem ser objetos de política públicas, mas são considerados incapazes de ser sujeitos políticos em sentido próprio".
 
E é com essa visão distorcida, bastante repercutida com a vitória de Dilma Rousseff sobretudo nos estados com populações mais cadastradas no programa, que se questionam a dependência das famílias a essa renda mensal. 

Leia mais »

Média: 5 (10 votos)

Hungria tem protestos contra taxação de downloads e uploads

Jornal GGN – Na última terça-feira, dezenas de milhares de pessoas encheram as ruas de Budapeste para protestar contra a decisão do governo húngaro de taxar downloads e uploads. A medida prevê uma cobrança de 150 florins (cerca de R$ 1,50) para cada gigabyte transferido. O governo estima arrecadar mais de 18,5 bilhões de florins (cerca de 60 milhões de euros, ou 180 milhões de reais) por ano. As informações são do site português Público.pt.

Enviado por Miriam L.

Milhares voltam às ruas de Budapeste contra taxa sobre a Internet

Do Público.pt

A medida, sem precedentes a nível europeu, prevê uma taxação no valor de 150 florins (cerca de 50 cêntimos) sobre cada gigabyte transferido.

Milhares de pessoas atravessam a ponte Elisabete em Budapeste ATTILA KISBENEDEK / AFP

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

IDEC arranca da Sabesp primeiras informações sobre falta de água

Mapa com áreas que podem sofrer com desabastecimento é liberado pela concessionária; informação ainda é incompleta porque não permite a identificação precisa dos endereços e dos horários, segundo o instituto. A primeira vitória do consumidor foi quando o Idec barrou a multa na conta no início do ano

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

Com a morte no bolso: notas biográficas de Fela Kuti

Com a morte no bolso

Tensão e tesão impregnam as notas musicais e biográficas de Fela Kuti

 

Tensão e tesão impregnam as notas musicais e biográficas de Fela Kuti. O transe alcançado na colisão de metais em brasas com guitarras minimalistas e a batida perfeita tirada do pulso sempre firme de seu parceiro Tony Allen tornou-se a trilha sonora de uma crítica sólida à podridão que freava (e ainda freia) o desenvolvimento na Nigéria. Poucos artistas levaram tão a sério a proposta de música de protesto. Cada disco, cada verso, cada acorde cutucava uma ferida específica em um sem-número de fraturas expostas sem disfarce por um sistema de governo autoritário. Pedra no sapato alheio, Fela foi pisoteado pelo regime ao longo de toda carreira. Tanto apanhou e resistiu que, em 1975, acrescentou ao seu nome a expressão Anikulapo ­– “aquele que guarda a morte no próprio bolso”.

Leia mais »

Média: 4 (3 votos)

Quer notícias do Brasil? Ouça Milton

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Teenage Fanclub, há 25 anos fazendo alguns dos melhores sons do mundo

Um dos discos mais legais de todos tempos.

Segue a última faixa, "Is This Music?", do clássico álbum do Teenage Fanclub, chamado "Bandwagonesque" (1991). A banda é de Bellshill, Escócia, dez milhas a sudeste de Glasgow. "Is This Music?" é uma composição do baixista da banda, gênio do rock, chamado Gerard Love. Existe uma disputa entre os fãs da banda para ver quem compõe as melhores canções, se é ele ou Norman Blake, o guitarrista e também vocalista. Eu gosto dos dois. Mas Gerard Love tem rompantes absolutamente geniais, como essa canção, que é única. A melodia é quase science fiction, algo totalmente fora da realidade. Os riffs de guitarra são de outro mundo. A música é só instrumental. Não precisa de mais nada. É perfeita, o que os britânicos chamam de "perfect pop".

Teenage Fanclub, há 25 anos fazendo alguns dos melhores sons do mundo:

Leia mais »

Média: 3.3 (10 votos)