newsletter

Luis Nassif Online

Abaixo da espuma tem a substância, um conjunto de políticas públicas quase inescapáveis; por Luis Nassif
19 comentários
OAB-DF negou pedido do ex-ministro alegando que sua conduta feriu ética profissional; Barbosa poderá recorrer à Justiça
43 comentários
Em entrevista ao GGN, Walter Feldman diz que com Marina presidente, a classe política vai entender o recado das ruas
40 comentários

Vox Populi indica vantagem de Dilma sobre Marina nos dois turnos

 
Jornal GGN - Uma prévia da pesquisa Vox Populi que será divulgada logo mais. Segundo esta nova pesquisa, a candidata do PT, Dilma Rousseff manteve 40% das intenções. Marina Silva apresentou uma leve recuperação, indo de 22% para 24% das intenções de voto. Aécio Neves, do PSDB, também apresentou leve recuperação, indo de 17% para 18%. Luciana Genro e Pastor Everaldo tiveram 1% das intenções de voto cada um. Brancos e nulos alcançaram 6% e os indecisos ainda gravitam na casa dos 11%.
 
Para o segundo turno, se Dilma Rousseff concorrer contra Marina Silva fica com 46% das intenções, enquanto a candidata do PSB garante 39% delas. Já contra Aécio Neves, Dilma teria 48% dos votos e, o tucano, 38%.
 
Média: 4.6 (9 votos)

Hoje: Brasilianas.org discute a independência do Banco Central

Nova edição do programa de debates, na TV Brasil, hoje, a partir das 19h30, convida especialistas a fim de avaliar a independência ou autonomia do BC. Participe encaminhando perguntas que poderão ser selecionadas ao vivo. Clique aqui
 
Atualmente, quem indica o presidente do BC no país é o Ministro da Fazenda, portanto um representante do governo, muitas vezes orientado diretamente pela presidência da república. Após a indicação, o contemplado passa pela aprovação do Senado. Para alguns especialistas, essa falta de autonomia para escolher a própria direção resulta, por exemplo, nas dotações extra-orçamentárias portanto na emissão excessiva de moedas, além da possibilidade de obtenção de recursos adicionais, via pressão política.
 
Por outro lado, existem muitas críticas quanto a independência do BC. O Prêmio Nobel de Economia, em 2001, Joseph Stiglitz, afirmou recentemente durante um encontro na sede do Banco Central da Índia, que "na crise, países com bancos centrais menos independentes, como Brasil, China e Índia, se saíram muito, mas muito melhor do que países com BCs mais independentes, como a Europa e nos Estados Unidos”. Para Stiglitz, não existe problema de instituições públicas serem responsáveis pelos Bancos Centrais, mas sim qual é política orientadora. 
 
Para debater esses argumentos, o apresentador Luis Nassif receberá o doutor em economia pela Washington University, professor do Ibmec e conselheiro sindicato do Banco Central Brasileiro no Distrito Federal, José Ricardo da Costa e Silva; e o ex-economista chefe da Federação Brasileira de Bancos, Roberto Troster e o pesquisador e diretor do Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica (Cecon) do Instituto de Economia da Unicamp, André Biancarelli.
 
Não perca, será na próxima edição, que irá ao ar, ao vivo, das 19h30 às 20h30, na TV Brasil. 
 
Onde sintonizar a TV Brasil:
Média: 4 (8 votos)

Marina, o Fundo de Combate à Pobreza e a verdade sobre a CPMF

Jornal GGN - É destaque no Painel da Folha desta segunda (29) que a campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) comemorou a resposta de Marina Silva (PSB) sobre a votação da CPMF, no debate da Rede Record. Na noite anterior, questionada pela petista, Marina disse que a votação do imposto foi dividida em etapas e que ela votou favoravelmente à criação do Fundo de Combate à Pobreza. Mas o certo é que não adianta votar a favor do Fundo e rejeitar a Contribuição em si.

Candidata à reeleição, Dilma se esforçou para deixar claro que Marina mentiu sobre a votação. No intervalo desse bloco do debate, a campanha do PT explicava justamente que Marina diz uma coisa quando, na verdade, fez outra.

Com base em dados do Congresso, Dilma sustentou que Marina votou quatro vezes contra a CPMF. “Atitudes como essas, candidata, produzem insegurança. Governar o Brasil requer firmeza, coragem, posições claras e atitude firme. Não dá para improvisar. Então, candidata, me estarrece que a senhora não lembre como votou quatro vezes contra a criação da CPMF”, disparou Dilma.

Leia mais »

Média: 4.7 (18 votos)

O piano de Yuja Wang ao cair da tarde

Enviado por Zarastro

Prokofiev: concerto nº 2 para piano e orquestra novo

Yuja Wang, piano

Verbier Festival Orchestra

Charles Dutoit

Leia mais »

Média: 5 (1 voto)

Prognósticos eleitorais na reta final, por Diogo Costa

Prognósticos eleitorais na reta final

por Diogo Costa

ATIPICIDADES DO ATUAL CENÁRIO ELEITORAL BRASILEIRO - Em seis dias chegará finalmente a hora da verdade no pleito de 2014. Não se pode compreender o cenário desta eleição sem voltar um pouco no tempo para entender as circunstâncias que nos levaram até aqui.

O ano de 2012 marcou o pontapé inicial na estratégia da oposição tradicional ('grande mídia', PSDB, DEM e PPS). Em maio deste ano o Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, inventou uma estória a respeito de um encontro que teve com Lula no escritório particular do ex Ministro Nelson Jobim.

Disse o ministro nomeado por FHC que Lula havia sugerido que o julgamento da AP 470 não deveria ser feito de forma simultânea com o processo eleitoral municipal de 2012 (o que em si não teria nada de mais). A "denúncia" premeditada com fins escusos e eminentemente político-partidários foi prontamente rechaçada por Lula e Nelson Jobim.

No entanto o aparato oligopólico de mídia conseguiu o seu intento a partir deste factoide. Ou seja, conseguiu que o então presidente do STF, Carlos Ayres Britto, finalmente marcasse a data do julgamento para o dia 02 de agosto, no meio do processo eleitoral, como queriam os inimigos de Lula e do PT.

A partir de 02 de agosto, e durante intermináveis 04 meses e meio (até o dia 17 de dezembro de 2012), teria lugar no Brasil um abominável e inédito processo de linchamento pirotécnico contra os réus da referida ação. O linchamento teve como alvo preferencial, como não poderia deixar de ser, as grandes e históricas figuras públicas do Partido dos Trabalhadores.

Leia mais »
Média: 4.6 (18 votos)

Dilma cresce na CNT/MDA e abre 15 pontos de vantagem sobre Marina

Jornal GGN - Pesquisa CNT/MDA divulgada na tarde desta segunda (29) aponta que Dilma Rousseff (PT) cresceu e abriu 15 pontos de vantagem sobre Marina Silva (PSB). O placar nas intenções de voto é 40,4% da petista, ante 25,2% de Marina e 19,8% de Aécio Neves (PSDB). Em relação à pesquisa anterior, Dilma cersceu 4,4 pontos, Marina caiu 2,2 e Aécio ganhou 2,2. No segundo turno, Dilma venceria tanto Marina quanto Aécio. Contra Marina, a presidente teria 9 pontos de diferença.

Intenções de voto em Dilma crescem e petista se distancia ainda mais de Marina

Da Agência CNT de notícia

A 123ª rodada da pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta segunda-feira (29) pela Confederação Nacional do Transporte, aponta novo crescimento de Dilma Rousseff (PT). Assim, no primeiro turno, ela fica mais distante de Marina Silva (PSB). Na pesquisa estimulada, a petista conta com 40,4% das intenções de voto, 4,4 pontos a mais que na rodada 122, divulgada na semana passada. Já a socialista aparece com 25,2%, com redução de 2,2 pontos em relação ao levantamento anterior. Aécio Neves (PSDB) aproximou-se de Marina, com 19,8% e aumento de 2,2 pontos.

Leia mais »

Média: 5 (8 votos)

Mantega anuncia medidas para impulsionar exportações

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou hoje (29), após reunião com empresários e representantes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na sede da entidade, medidas para dinamizar as exportações brasileiras. Ele classificou a agenda como complexa e urgente, e disse que as medidas beneficiam principalmente o setor de manufaturados, muito atingido pela crise econômica internacional de 2008.
 
“O mercado consumidor de manufaturados se contraiu e isso fez com que houvesse uma disputa entre mercados menores, que crescem pouco. Este ano a expansão do comércio está entre 3% a 3,5%, enquanto vinha crescendo a 10%, 12%. Então falta mercado para todos os países que querem exportar. Isto levou a uma concorrência violenta e predatória, e tem dificultado nossas exportações”, disse.
 
Entre as medidas destacadas para criar um ambiente de competitividade para o país estão uma política cambial que não permita valorização do câmbio, o que vem sendo feito, segundo o ministro, e políticas industriais que aumentem a produtividade do setor. “Mas o que tratamos aqui especificamente foi o Reintegra, que é um crédito fiscal dado às empresas e fixado em 3% do faturamento com as exportações. Ampliamos para que comece com essa porcentagem e não com 0,3%, como tínhamos fixado anteriormente”.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Folha contradiz Marina: Dilma fez quase 100% das creches que prometeu

Para candidata do PSB, Dilma só construiu 7% das 6 mil creches prometidas. Mas, segundo o jornal, 98% foram feitas pela petista

Jornal GGN - A Folha de S. Paulo publicou um caderno especial nesta segunda-feira (29), fazendo um balanço do que foi cumprido por Dilma Rousseff (PT) desde a eleição de 2010. Segundo o jornal, Dilma prometeu construir 6 mil cresces e escolas primárias, e conseguiu fazer 5.902 unidades até 2013. Mas, nas redes sociais, a candidata Marina Silva (PSB) espalha que a adversária petista concluiu apenas 7% do que prometeu.

A campanha de Marina sustenta que parte dessas obras foram autorizadas no governo Lula, retirando o volume da conta de Dilma. Ela ainda sustenta que as unidades não foram entregues, embora a reportagem da Folha tenha cravado que Dilma fez o que prometeu. Ainda de acordo com a reportagem da Folha, Dilma deixou de concluir, no quadro geral, apenas 14 das 69 promessas que fez na campanha de 2010. O resultado equivale a 20% de todo o programa apresentado naquele ano. 

Leia mais »

Média: 5 (11 votos)

Direito reconquistado completa 25 anos e você vai votar para Presidente

Jornal GGN - Quem viveu, contará. O resultado da maior mobilização deste país completa 25 anos. Milhões de pessoas foram às ruas pedindo a volta do direito de votar para presidente. A campanha das Diretas Já! produziu seu efeito em 1989, seis anos depois. A Rede Brasil Atual trouxe o tema em uma belíssima e histórica reportagem, que armará jovens e relembrará os mais velhos quanto ao direito que exercemos hoje, reconquistado com lutas, muitas! Leia o documento e espalhe, pois o direito foi reconquistado sim e hoje estamos às vésperas de mais uma eleição para Presidente!

 

Sugestão de Assis Ribeiro

da Rede Brasil Atual

RETOMADA DEMOCRÁTICA

Há 25 anos, o país voltava a escolher seu presidente e a política estava na rua

Eleição de 1989, conquistada quase seis anos depois das Diretas Já, e marcada por golpes baixos, encaminhou consolidação democrática em meio ao fim da Guerra Fria. Marqueteiros tinham menos presença
por Vitor Nuzzi, da RBA 
 
FERNANDO SANTOS/FOLHAPRESS (25/1/1984)
Diretas já

O grito das Diretas Já ganhou as ruas do país entre 1983 e 1984. O direto de eleger o presidente viria em 1989

São Paulo – Hilton Acioli vai lembrando e cantarola, "rompe a cortina do passado", "vai lá e vê que a alegria já demorou demais". O compositor havia recebido "duas palavrinhas" do publicitário Paulo de Tarso Santos e teve a responsabilidade de fazer um jingle. Vê o que dá para fazer, disseram a ele. "Na hora, eu não achei nada", lembra o compositor potiguar, que completará 65 anos em outubro, na véspera da eleição, e foi componente do Trio Marayá, nos anos 1950 e 1960. "A sorte é que ficou na minha memória." Para buscar a canção, ele conta que havia a preocupação de aproximar o "tema" do jingle ao que Hilton chama de elite popular, citando Noel Rosa, Ary Barroso, Pixinguinha: "Populares, mas ao mesmo tempo clássicos".

Leia mais »
Média: 4.8 (10 votos)

Folha faz citação deturpada de livro sobre Dilma, por Ricardo Amaral

Folha faz citação deturpada de livro sobre Dilma

Ref. ao post: Especulações sobre a natureza centralizadora de Dilma

Por Ricardo Amaral

É falso afirmar que uma divergência política com a jovem Dilma Rousseff tenha levado o capitão Carlos Lamarca "a um nervosismo extremo, incluindo choro 'e pelo menos um tiro de ameaça'", conforme publicado em matéria da Folha de S. Paulo neste fim de semana. (Autoconfiante e centralizadora, petista se isolou até de Lula). Trata-se de uma distorção do que escrevi na página 64 do livro A vida quer é coragem (Ed. Primeira Pessoa, 2011), sobre o "racha" da VAR-Palmares, da qual Dilma e Lamarca faziam parte, no congresso da organização em setembro de 1969. A divergência era entre Lamarca e os dirigentes Roberto Espinosa, Carlos Alberto Soares de Freitas e Carlos Araújo, com os quais Dilma se identificava. O clima de tensão e nervosismo no congresso envolvia todos os participantes, encerrados por 26 dias numa casa em Teresópolis, e não apenas Lamarca, embora ele tivesse razões pessoais para estar "uma pilha", conforme escrevi. O episódio do choro de Lamarca deu-se numa conversa com o militante Apolo Heringer Lisboa, numa noite de ronda, quando o capitão falava dos filhos que estavam em Cuba. Dilma sequer presenciou a cena. O tiro ocorreu na reunião em que Lamarca anunciou que seu grupo abandonava a organização – reunião da qual Dilma não participou, por não ser dirigente. Informações mais detalhadas sobre este episódio estão nos excelentes livros Iara – reportagem biográfica, de Judith Lieblich Patarra, e Combate nas Trevas, de Jacob Gorender, que utilizei como fontes. Atribuir à jovem Dilma a tensão de Lamarca é uma fantasia histórica. Atribuir a mim ou a meu livro as ilações da reportagem é uma falsidade jornalística.

Leia mais »

Média: 4.7 (15 votos)

As demandas e as críticas da PF aos programas de Dilma, Marina e Aécio

Jornal GGN - O repórter Fausto Macedo assina uma reportagem especial para O Estado de S. Paulo sobre as demandas da Polícia Federal para cada um dos três principais candidatos a presidente da República. Segundo a matéria, a PF se diz frustrada por não conseguir dar conta do volume exorbitante de trabalho, e pede que os postulantes implantem medidas que ajudem a corporação a priorizar os casos de corrupção com danos ao erário. Segundo a PF, hoje existem 108 mil inquéritos instaurados, sendo que 12 mil são ligados a crimes que movimentam R$ 15 bilhões.

Um dos pedidos da corporação é ganhar status de Secretaria Especial ligada ao Ministério da Justiça, para ter mais autonomia. A Associação de Delegados da Polícia Federal, autora das cartas, criticou projetos abandonados por Dilma que dariam mais fôlego ao segmento. A Aécio Neves, a PF disse que que gostaria de ter sido mais destacada no programa de governo do tucano. Já à Marina Silva, afirmaram que as propostas da ex-ministra deixam dúvida sobre o futuro da PF. Há, nesse caso, o receio de que a corporação perca autonomia.

Leia mais »

Média: 1.8 (15 votos)

Petros refuta matéria da Folha

Jornal GGN – Em matéria veiculada neste domingo, a Folha afirmou que parte das investigações da Operação Lava Jato ligavam o doleiro Alberto Youssef em negociações feitas com os fundos Petros, dos empregados da Petrobas, e Postali, dos Correios. O prejuízo teria alcançado a cifra de R$ 73 milhões.

A matéria foi republicada no Blog LN e a Petros entrou em contato pedindo espaço para seu posicionamento. Eis a nota:

Nota Petros

A Petros reitera que todos os investimentos da Fundação passam por avaliações de rating externas, respeitam as melhores práticas de governança corporativa, a legislação vigente e os preceitos estabelecidos pelas suas políticas de investimento. Portanto, suas avaliações de investimento são técnicas. Em julho de 2010, a Petros aprovou o investimento de R$ 23 milhões no FIDC Trendbank, limitado a 25% do total desse fundo. Os aportes no Fundo ocorreram em agosto/2010, março, abril e maio/2011. A Petros ressalta, ainda, que não houve nenhum aporte no Trendbank no ano de 2012 ou a partir desta data.

A matéria em questão: Operação Lava Jato: parte do dinheiro seria repassada a políticos

Leia mais »

Média: 5 (8 votos)

Na TV Folha, Haddad responde sobre ciclovia, faixas de ônibus e futuro com PT

Jornal GGN - O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, foi entrevistado pela TV Folha na última sexta-feira. O prato principal foi a questão das ciclovias e dos corredores de ônibus, já que o tema central da entrevista seria mobilidade urbana. O bate-papo foi conduzido pelos jornalistas Fernando Canzian e Mônica Bergamo. Haddad foi cobrado pelo 'viés autoritário' nas medidas relacionadas à mobilidade, e rebateu dizendo que ele se debruçou sobre um problema que ninguém mais se arvorou a tentar resolver. Haddad respondeu também questões sobre o atual momento de seu partido, o PT, bem como sobre o IPTU, maior problema enfrentado no começo de seu governo. Leia a matéria publicada no Brasil Post.

Sugestão de Assis Ribeiro

do Brasil Post

Fernando Haddad é posto contra a parede sobre faixas de ônibus, ciclovias e situação do PT em papo com a TV Folha (VÍDEO)

O prefeito de São Paulo Fernando Haddad concedeu entrevista à TV Folha na tarde desta sexta-feira (26). Em pauta, os temas mais polêmicos da gestão do petista, que está chegando a 50% do seu mandato que vai até 2016.

Um bom período do papo com os jornalistas Fernando Canzian e Mônica Bergamo foi dedicado a temas relacionados com a mobilidade urbana na capital, mais precisamente os tópicos envolvendo as faixas exclusivas de ônibus e as ciclofaixas.

Questionado sobre o viés “autoritário” em “não ter ouvido a população” sobre a questão das ciclofaixas, Haddad afirmou que o tema foi abordado por ele ainda no período eleitoral, em 2012.

Leia mais »

Média: 4.7 (13 votos)

Cat Stevens, por fim, está no Rock and Roll Hall of Fame

Por Dê

Talvez alguns nem ficaram sabendo que  neste ano de 2014, Cat Stevens foi introduzido ao Rock and Roll Hall of Fame.  Trago aqui a apresentação, o discurso de Art Garkunkel apresentando o cantor , o  discurso de agradecimento ao receber o prêmio e apresentação logo depois. Para alguns presentes foi difícil aplaudir com o devido merecimento...difícil para os americanos aceitarem  e aplaudirem  Cat Stevens depois que se transformou em Yusuf Islam.  Momento único !!!

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

Caixas pretas estatais, por Percival Maricato

Não é fácil valorizar o Estado, seus poderes e suas organizações, diante das últimas notícias. Acabamos tendo que preservá-las diante da voracidade dos grandes polvos multinacionais da iniciativa privada, que seriam bem piores. Mas se fosse possível democratizar o comando dessas organizações e socializar seus benefícios, seria muito bom.

Essas dificuldades aparecem, por exemplo, na crise das universidades, em parte causada por corporativismo e cumplicidade com reitores irresponsáveis. Não quebram por serem estatais. A Petrobrás é inevitavelmente contaminada pelas nomeações de interesse político (nenhum partido deixa de se aproveitar do privilégio das nomeações). Não quebra, pois além de ser estatal, é um monopólio.

Do Poder Legislativo, nem é bom falar. Só o custo da gráfica e dos serviços de saúde do Senado equivalem ao orçamento de uma cidade de uns cinquenta mil habitantes. Mas como viver sem tiriricas e sarneys em um regime democrático?

Quanto ao Judiciário, no momento merece o prêmio de organização mais corporativista. Os juízes já tinham estabilidade, jornada reduzida (reconheça-se que alguns trabalham muito mais que a média), dois meses de férias, esticavam feriados, muitos trabalham em casa de sexta feira, tem direito a clubes custeados em grande parte por taxas e etc. Pois agora o Ministro do STF, Luiz Fux, estendeu aos juízes do trabalho e da Justiça Estadual o que já era direito dos federais: ajuda moradia de R$ 4.100,00, aos que não têm moradia funcional. Como costuma acontecer, certamente os promotores e procuradores, estaduais e federais, reivindicarão o mesmo, pelo princípio da isonomia, o mesmo que fez com que todos se nivelassem pelos maiores valores pagos a cada categoria funcional como auxilio transporte e auxílio refeição.

Leia mais »

Média: 4.2 (5 votos)