Revista GGN

Assine

EUA

Moro é alvo de protestos em palestra na Columbia University, nos EUA

Jornal GGN - A Columbia University recebeu o juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, nesta segunda-feira (06), ao som de protestos e uma recepção não esperada pelo magistrado da primeira instância.
 
Convidado pelo empresário Jorge Paulo Lemann, proprietário da Ambev e um dos homens mais ricos do mundo, Moro foi palestrar na New School for Social Research, da Universidade de Columbia, e falou sobre a sua trajetória na Operação Lava Jato. Mas do lado de fora do salão, protestos atrasaram cerca de 12 minutos o começo das palavras de Moro aos estudantes norte-americanos.
 
No seminário, defendeu que as investigações contra a corrupção, ao contrário das críticas, vem "fortalecendo as instituições" e irão reforçar a sociedade contra a corrupção e ao comportamento de figuras públicas que descumprem a lei.
Média: 3.8 (13 votos)

Thank you, jet wash buddys!, por Mauro Santayana

Thank you, jet wash buddys!, por Mauro Santayana

Os EUA agradecem, penhoradamente, o fim da influência brasileira na América Latina.

Estão muito enganados aqueles que acreditam que o neo-isolacionismo dos EUA quer dizer que, sob Trump, os Estados Unidos ficarão indiferentes ao que ocorre na América Latina.

O discurso de construção do muro separando fisicamente o Texas, o Novo México, o Arizona e a Califórnia,  do país dos quais foram arrancados, à ponta de fuzis e baionetas, no século XIX, e a pressão para que as fábricas - norte-americanas ou não - que estão no México, abandonem o sul do Rio Grande e levem seus empregos e instalações para os Estados Unidos, caso queiram continuar vendendo para o maior mercado do mundo, mostram que, se pudesse, o Grande Irmão do Norte gostaria de voltar a transformar, pejorativamente,  os latino-americanos e caribenhos em um bando de índios semi-escravos e analfabetos, produtores e exportadores de insumos e matérias-primas que não pudessem ser obtidos nos EUA, como café e  bananas, por exemplo.

Leia mais »

Média: 5 (12 votos)

Trump irá recorrer a suspensão de medidas anti-imigração

Governo acata decisão de juiz federal, mas afirma que irá defender decreto contra imigrantes de nações árabe e africanas
 
Jornal GGN - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump teve sua política anti-imigração barrada pela justiça. Através do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (DHS, sigla em inglês), o novo líder daquele país anunciou recentemente um conjunto de medidas chamado ‘Protegendo a Nação contra a Entrada Terrorista Estrangeira nos Estados Unidos’, revogando o visto de entrada de cerca de 100 mil pessoas vindas da Síria, Líbia, Sudão, Irão, Somália, Iêmen e Iraque. A política previa também novas regras de ação de passageiros que identificassem esse perfil de viajante.
 
Na última sexta-feira (03), a ordem foi derrubada pelo juiz federal James Robart, de Washington. Neste domingo (04), o DHS informou em nota que irá acatar a decisão do juiz, o que não significa que Trump não irá usar outra rota para implantar a medida. 
 
O órgão destacou que irá defender o decreto na justiça o quanto antes, e que a ordem do Executivo é "legal e apropriada", pensada para "proteger a pátria e o povo americano, e o presidente não tem dever e responsabilidade maior do que fazê-lo". Trump afirmou, também neste domingo, que pretende recorrer a decisão judicial. 
Leia mais »
Média: 1.8 (5 votos)

Trump recorre contra juiz que suspendeu veto de entrada de refugiados

A comunidade islâmica da Califórnia protesta contra o veto do presidente Donald Trump

Da Agência Brasil

A  Casa Branca emitiu nota no fim da noite de ontem (3, madrugada no Brasil) informando que vai recorrer contra a decisão do juiz federal do estado de Washington, James Robart, que suspendeu temporariamente o veto do presidente Donald Trump para entrada nos Estados Unidos de refugiados e titulares de visto de sete países predominantemente muçulmanos. A Casa Branca primeiramente se referiu à decisão do juiz como "ultrajante", mas depois retirou essa palavra da nota.

Embora temporária, a decisão do juiz de Seattle (cidade do estado de Washington) atinge o cerne da ordem executiva adotada há mais de uma semana por Trump, que previa o veto - por 90 dias - da entrada de pessoas nos Estados Unidos provenientes do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen.

Tribunais de outros estados americanos também suspenderam partes da proibição temporária de Trump de viagens de passageiros vindos desses sete países, mas a decisão do juiz de Seattle foi a mais abrangente até agora.

Leia mais »
Média: 4 (3 votos)

Serra retoma a entrega de Alcântara aos Estados Unidos, por J. Carlos de Assis

Por J. Carlos de Assis

Foto-montagem: CartaCapital

Acordei nesta manhã com a notícia de que o Governo brasileiro está negociando secretamente um acordo com os Estados Unidos para utilização da Base de Alcântara. Para quem não sabe, Alcântara é a localização mais estratégica do mundo, do ponto de vista miliar e político, para lançamento de foguetes. Um acordo secreto, conforme noticiado, daria aos americanos enormes vantagens. Em primeiro lugar, atenderia a seu desejo explícito de não deixar o Brasil desenvolver uma tecnologia própria de foguetes. Em segundo lugar, impediria um eventual acordo brasileiro com outra potência na área, por exemplo, a Rússia.

O Governo brasileiro tentou desenvolver tecnologia de foguetes num acordo com a Ucrânia que, tendo sido uma das repúblicas soviéticas, estava em condições de oferecer uma parceria vantajosa ao Brasil. Como se sabe, só a Rússia, como herdeira dos soviéticos, tem tecnologia aeroespacial comparável à dos EUA, o que de alguma forma compartilhava com a Ucrânia. Entretanto, a Ucrânia sofreu um golpe de Estado comandado pelos americanos, que exigiram o fim do acordo com o Brasil, conforme informações do WikiLeaks. Além disso, em 2003, Alcântara sofreu um acidente devastador destruindo instalações e dezenas de vidas.

Leia mais »

Média: 4 (15 votos)

Lava Jato entrega Petrobras aos Estados Unidos, por Emanuel Cancella

Por Emanuel Cancella

*Coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e autor do livro “A outra face de Sérgio Moro”

Lava Jato, segundo a mídia, virou uma unanimidade nacional! Isso é caçoar da inteligência dos brasileiros, talvez fazendo alusão ao escritor e dramaturgo Nelson Rodrigues que dizia que “Toda unanimidade é burra”, entretanto a sociedade já começa a enxergar a verdade e vai perceber que juiz Sérgio Moro pode até ser herói nacional, mas dos EUA.

Aliás, o governo americano o premiou e as suas principais revistas também, Time e Fortune, o exaltaram. Fizeram isso pelos excelentes serviços prestados ao povo americano, entre tantos:

1 - Moro chamou os procuradores americanos para investigar a Petrobrás, legitimando a espionagem, contra o Brasil.

Leia mais »

Média: 4.1 (13 votos)

As manifestações pelo mundo contra Donald Trump

Manifestantes seguram placas durante a Marcha das Mulheres, em Londres, como parte de um protesto mundial contrário ao novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Da Agência Brasil

Dezenas de milhares de pessoas foram às ruas em todo o mundo em protesto contra o novo presidente americano, Donald Trump, e suas declarações sobre as mulheres, mostrando apoio aos manifestantes dos Estados Unidos. As informações são da AFP.

Em Londres, a maioria dos manifestantes eram mulheres, que saíram em passeata da embaixada dos Estados Unidos até a praça Trafalgar. 

Hannah Bryant, 34 anos, funcionária de um museu, participou da marcha com a filha de 4 anos, e ambas usavam gorros rosas com orelhas, os "pussy hats", também usados por manifestantes dos Estados Unidos.

"Estive ensinando a ela sobre igualdade e preconceitos, quero que veja quanta gente acredita nisso", contou.

O ator Oliver Powell, 31 anos, considera Trump uma "pessoa detestável". "Quero que a maioria dos americanos que não votaram nele saibam que têm apoio em todo o mundo".

Leia mais »

Média: 3 (8 votos)

Com Temer, Brasil retoma vocação de súdito dos EUA

As pedras e os perigos da aproximação com Washington desejada pelo atual governo

Temer

Este mostrou sua preferência (Foto: Andressa Anholete/AFP)


Donald Trump assume a Casa Branca nesta sexta-feira 20, e logo a partir de fevereiro burocratas norte-americanos e brasileiros começam a reunir-se para preparar uma agenda capaz de ajudar mutuamente o crescimento econômico dos dois países, artigo escasso lá e aqui.

Ao menos foi esse o combinado entre o magnata e Michel Temer em um telefonema em dezembro, ligação de iniciativa do Palácio do Planalto. Na conversa, o peemedebista disse contar com investimentos dos Estados Unidos, que os empresários dos dois países se conhecem bem e gostariam de ampliar os negócios.

Leia mais »
Média: 4.5 (8 votos)

Lava Jato entregou dados do Brasil aos EUA sem receber nada em troca

Jornal GGN - Os procuradores da Lava Jato enviaram para os EUA dados das apurações feitas no Brasil sem receber quase nada em troca, segundo a colunista de Os Divergentes, Helena Chagas. Em texto divulgado nesta quarta (18), ela aponta que a cooperação internacional com o Departamento de Justiça dos EUA se deu com enorme volume de informações saindo do País, enquanto as autoridades estrangeiras quase nada forneceram.

A jornalista diz ainda que o fim do sigilo das delações da Odebrecht vai deixar claro que a maior parte do relatório do DOJ foi feita com base no trabalho dos procuradores da Lava Jato.

Leia mais »

Média: 4.7 (13 votos)

"Já fomos enganados antes", diz jornalista dos EUA sobre ação da Rússia na eleição

Jornal GGN - Um jornalista da Rolling Stone produziu reportagem republicada pelo blog Outras Palavras questionando o uso da impresa estadunidense pelo governo Obama no episódio em que a Rússia foi acusada de hackear os computadores da campanha de Hillary Clinton. Matt Taibbi questiona a passividade dos veículos de comunicação diante do que pode ser um escândalo sem precedente envolvendo o sistema político ou uma fraude.

Leia mais »

Média: 3 (6 votos)

Obama no Brasil, por Daniel Afonso da Silva

Obama no Brasil

por Daniel Afonso da Silva

Sábado, 19 de março de 2011. Brasil.

O tempo e a temperatura são bons. Os serviços de meteorologia indicam, no entanto, chuva. Nevoeiro também vai previsto. Nada exótico à estação. Fins de verão. Frente fria sopra do sul. Nubla em muito lugar. Astrônomos, de olhos no dia, fitam o céu. Véspera de equinócio. A Lua pareceria maior. Viria pertíssimo da Terra. Cerca como nunca antes nos últimos dezoito anos. 7h43 da manhã – horário de Brasília. Base aérea da capital brasileira. A pista de pouso seguia semi-úmida. Caíra orvalho e algum aguaceiro nas primeiras horas matinais. O vento bafeja fresco, confuso, marginal. Agradável aos sentidos. Convidativo, portanto, aos visitantes. Por certo, muito ilustres. Vindos no Air Force 1, Obama, família e entourage chegavam ao Brasil. Primeira vez do homem; primeira vez do presidente.

Leia mais »

Média: 3.5 (8 votos)

Lula defende que Moro e força-tarefa da Lava Jato sejam investigados por relações com EUA

Lula voltou a dizer que espera receber um pedido de desculpas quando os procuradores da República reconhecerem que não há como provar as acusações contra ele

Jornal GGN - O ex-presidente Lula disse que o golpe na presidente Dilma Rousseff teve como finalidade quebrar empresas brasileiras e entregar as riquezas sob tutela da Petrobras a multinacionais, com ajuda do desgaste imposto ao antigo governo e ao PT pela Lava Jato.

Ele afirmou, nesta quarta (11), que as denúncias de que os Estados Unidos estão interferindo na política nacional e têm relações não transparentes com a força-tarefa do Ministério Público Federal que investiga a estatal de petróleo deveriam ser investigadas pela bancada do PT no Congresso. Lula citou o juiz Sergio Moro, que vem impedindo que os elos entre a Lava Jato e agentes estadunidenses sejam abordados no julgamento do caso triplex.

Leia mais »

Média: 4.4 (28 votos)

Em despedida, Obama defende diálogo para manter democracia

 
Jornal GGN - No último discurso na cadeira da Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama defendeu a democracia norte-americana, o diálogo, os valores do país, e disse que o racismo ainda está presente e que há "muito a ser feito" para eliminar preconceitos contra minorias e imigrantes no país.
 
As palavras proclamadas para cerca de 18 mil pessoas em Chicago, cidade onde também festejou a sua vitória na Presidência, em 2008, fez uma retrospectiva dos oito anos no cargo. De forma emocionada, também agradeceu à sua família.
 
Mas o destaque da noite foram extensas palavras sobre a democracia e o progresso, sobretudo com as diferenças - um recado ao seu sucessor, Donald Trump. "Assim como nós, como cidadãos, devemos permanecer vigilantes contra agressões externas, também nos devemos proteger do enfraquecimento dos valores que fazem aquilo que nós somos", disse.
Média: 2.4 (8 votos)

Parceria da Lava Jato com EUA fez Odebrecht ser investigada em mais 5 países da América Latina

Jornal GGN - Após os Estados Unidos terem divulgado dados sobre pagamento de propina pela Odebrecht em cima de obras espalhadas pelo mundo, mais cinco países da América Latina se viram pressionados a abrir investigações contra a empreiteira, além de exigir pagamento de multas em decorrência da corrupção envolvendo contratos com o poder público.

Segundo reportagem do Estadão, desta terça (10), a Odebrecht será alvo de inquéritos no Peru, Argentina, Equador, Panamá e República Dominicana. México, Colômbia, Guatemala e Angola, na África, ainda não se pronunciaram sobre a possibilidade de também levar a empresa aos tribunais.

Leia mais »

Média: 3 (8 votos)

Assange diz que Temer passou informações estratégicas do Brasil para EUA

 
Jornal GGN - O fundador do Wikileaks, Julian Assange, afirmou que o atual presidente Michel Temer teve "reuniões privadas" com o governo norte-americano para passar aos Estados Unidos informações estratégicas de inteligência sobre o Brasil.
 
"Michel Temer teve reuniões privadas na embaixada americana para passar a eles questões de inteligência política que não muitos tiveram acesso, discussões das dinâmicas políticas no Brasil", contou.
 
A declaração foi feita em entrevista de Assange ao escritor e editor do site Nocaute, Fernando Morais, que foi a Londres entrevistar o responsável pelo WikiLeaks. Em entrevista exclusiva, Assange disse ainda que Temer não é um espião pago pelo governo norte-americano, mas que há um intercâmbio de informações do presidente com o país, visando apoios futuros.
Média: 4.4 (16 votos)