Revista GGN

Assine

propina

Moro manda bloquear R$ 6 milhões de Vaccarezza e não acha nem R$ 10 mil

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN - O juiz Sergio Moro ordenou que o Banco Central bloqueasse contas do ex-deputado Cândido Vaccarezza no limite de R$ 6 milhões, mas encontrou pouco menos que R$ 10 mil em posse do ex-líder dos governos Dilma e Lula. Hoje, Vaccarezza é presidente estadual do Avante (antigo PTdoB) e virou alvo da nova fase da Lava Jato de Curitiba, batizada de "Abate".

De acordo com informações do Estadão, o Banco Central identificou R$ 9.887,23 em duas contas de Vaccarezza, uma com R$ 6.529,92 e outra com R$ 3.357,31. 

Leia mais »

Média: 4.3 (6 votos)

Em resposta a procuradores, Lula reafirma que Moro nem deveria ter julgado caso triplex

Foto: Ricardo Stuckert

Jornal GGN - A defesa de Lula respondeu o pedido dos procuradores de Curitiba para que a pena do ex-presidente seja aumentada no caso triplex endossando que o processo sequer deveria ter tramitado na Vara Federal comandada pelo juiz Sergio Moro.

Em nota enviada à imprensa, a banca formada por advogados do escritório Teixeira & Martins informou que protocolou na segunda (31) a resposta ao Ministério Público Federal, onde destacou o trecho em que Moro disse, logo após a sentença, que nunca havia afirmado que Lula recebeu propina fruto de contrato da OAS com a Petrobras.

Para a defesa, essa manifestação de Moro, desconectando a ação da Petrobras, justifica a anulação do julgamento. Logo, não há que se falar em aumento da pena já imposta, que foi de 9 anos e meio, mais pagamento de multa que supera a casa dos R$ 13 milhões. O juiz, inclusive, já congelou quase R$ 10 milhões dos bens lícitos de Lula, com a desculpa de que não encontrou os rastros de pagamento de propina. 

Leia mais »

Média: 4.4 (14 votos)

Juiz diz que Veja não tem provas contra Andrea Neves e manda publicar direito de resposta

Foto: Reprodução/Facebook

Jornal GGN - O juiz Paulo Henrique Ribeiro Garcia, da 1ª Vara Cível de São Paulo, decidiu condenar a revista Veja a publicar direito de resposta em favor de Andréa Neves, irmã do senador Aécio Neves (PSDB). A sentença, dada em 15 de agosto, gira em torno de reportagem sobre a expectativa de que a delação da Odebrecht revelasse detalhes de uma conta em Nova York abastecida com propina, que teria sido controlada por Andrea.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

Lula tem que parar com "especulações" e ter "fé" nos procuradores, aponta Moro

 
Jornal GGN - O juiz Sergio Moro negou um pedido da defesa de Lula para ter acesso às comunicações trocadas entre os procuradores de Curitiba e o Ministério Público Suíço. Os advogados do ex-presidente suspeitam que os procuradores dificultam o acesso ao sistema que teria registrado pagamentos de propina da Odebrecht porque isso desmontaria as acusações contra o petista por falta de provas.
 
A força-tarefa já havia dito a Lula e Moro que não teve acesso integral ao sistema. Um delator da Odebrecht também teria afirmado que perdeu a chave que dá acesso ao programa. Mas a defesa do ex-presidente observou que essa desculpa só surgiu depois de manifestado o interesse do petista em saber mais sobre o MyWebDay.
 
Em resposta ao pedido feito na última sexta (18), Moro negou o pedido alegando que não pode satisfazer as "especulações" da defesa de Lula, e ainda disse que a afirmação dos procuradores de que não tiveram acesso ao sistema "merece fé".
Média: 3 (8 votos)

Como a Lava Jato de Curitiba apura propina ao PSDB

República de Curitiba não demonstra interesse em descobrir quem poderia ter operado o repasse de R$ 10 milhões em propina ao PSDB, negociados com a Queiroz Galvão
 
 
Jornal GGN - A história de que o PSDB recebeu, a pedido de Sergio Guerra, R$ 10 milhões de propina para atrapalhar a CPI da Petrobras, em 2009, é questão secundária para a Lava Jato de Curitiba. É o que indicam os vídeos da audiência feita com uma das principais testemunhas do caso, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. Ele revelou em delação que o pagamento foi efetuado ao ex-presidente tucano, ao menos parcialmente, pela Queiroz Galvão. Com os vídeos é possível constatar que nem Sergio Moro e nem os procuradores liderados por Deltan Dallagnol arrancaram detalhes da trama.
Média: 4.3 (18 votos)

Odebrecht só disse que perdeu chave do sistema de propina após Lula pedir acesso

Foto: Ricardo Stuckert

Jornal GGN - A defesa de Lula informou nesta quinta (17) que entrou com um pedido junto ao juiz Sergio Moro para obrigar a equipe do procurador Deltan Dallagnol a revelar as mensagens trocadas com o Ministério Público suíço a respeito do sistema My Web Day, usado pela Odebrecht para registrar pagamentos de propina. Na nota, o advogado Cristiano Zanin levanta suspeitas sobre a história de que a turma de Dallagnol não teve acesso ao sistema porque a Odebrecht perdeu a chave.

De acordo com o informe, a Odebrecht e o MPF só deram a desculpa de que não têm mais acesso à íntegra do material que foi encontrado na Suíça 5 dias após a defesa de Lula pedir para conhecer as informações que constam no sistema. A estratégia de Zanin é mostrar que no My Web Day não tem nenhuma propina endereçada a Lula, ao contrário do que afirma a força-tarefa da Lava Jato.

Leia mais »

Média: 4.7 (13 votos)

Três delatados acusados de intermediar repasses a PSDB já morreram


Ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra - Foto: Divulgação PSDB
 
Jornal GGN - Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB; Rubens Jordão, intermediário dos repasses de caixa dois para a campanha de José Serra (PSDB) à Prefeitura de São Paulo, Telma dos Santos, ex-presidente do PMN e acusada de vender apoio do partido a campanha presidencial de Aécio Neves (PSDB). São alguns dos nomes apontados em delações de corrupção e crimes, mas que já estão mortos.
 
A conexão dos três casos está no fato de relacionar supostas práticas criminosas envolvendo o PSDB em campanhas municipais e federais e de já não estarem presentes, seja para se defender ou para responder aos crimes imputados.
 
O ex-presidente da sigla tucana foi o mais delatado até agora: esteve nos depoimentos do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, poucos meses após a sua morte em 2014. Costa afirmou aos investigadores que o político exigiu R$ 10 milhões para obstruir a CPI da Petrobras, em 2009, como forma de esconder dados que entregariam os ilícitos de integrantes do PSDB.
Média: 5 (2 votos)

Como a desculpa de que não achou propina de R$ 16 milhões a Lula ajudou Moro

 
Jornal GGN - Em um ofício ao desembargador João Gebran Neto, do TRF4, no último dia 8, o procurador regional da República Mauricio Gotardo Gerum explicou como Sergio Moro conseguiu bloquear as contas e bens de Lula que nada têm a ver com as investigações da Lava Jato.
 
O procurador, que se manifestou a favor da manutenção do sufocamente financeiro de Lula, apontou no documento (em anexo) inúmeros artigos do Código de Processo Penal que viabilizaram a ação de Moro.
Leia mais »

Arquivo

Média: 1.8 (10 votos)

Defesa de Lula quer saber o que o MP esconde sobre as propinas da Odebrecht

Foto: Divulgação

Jornal GGN - A defesa de Lula pretende solicitar à Justiça todas as comunicações trocadas entre o Ministério Público de Curitiba e os procuradores da Suíça sobre o software que a Odebrecht diz que utilizava para fazer o controle de pagamentos de propina.

Os advogados do ex-presidente acreditam que, através da análise do software será possível produzir mais uma prova de que Lula nunca recebeu pagamentos da empreiteira. 

Leia mais »

Média: 4.2 (10 votos)

IstoÉ será processada por "ofensas rasteiras" à Gleisi Hoffmann, diz PT

Jornal GGN - A direção do PT informou na noite de sexta (11) que a revista IstoÉ será processada por reportagem de capa em que acusa Gleisi Hofmann, presidente nacional da legenda, de "perder totalmente a noção de democracia" por defender a autonomia da Venezuela, além de usar inquéritos da Lava Jato para taxar a senadora de corrupta.

Em nota à imprensa, o PT avaliou que IstoÉ fez "ofensas rasteiras" e baseou-se em um inquérito da Polícia Federal, que aponta corrupção nas eleições de 2008, 2010 e 2014, "sem provas".

Leia mais »

Média: 4.1 (9 votos)

PF quer descobrir mensagens de celular de amigo de Temer

Ministro do STF autorizou peritos da PF a examinarem possíveis mensagens ocultas e apagadas de celular do coronel João Baptista Lima
 

Foto-montagem: VioMundo
 
Jornal GGN - O amigo de Michel Temer, ex-assessor de campanhas do peemedebista e dono de uma empresa supostamente beneficiada nas obras da usina de Angra 3, o coronel aposentado João Baptista Lima entrou de novo para a mira dos investigadores da Operação Lava Jato.
 
Desta vez, é a Polícia Federal que irá analisar o telefone celular do amigo de Temer. Os peritos já haviam solicitado a autorização para realizar procedimentos e extrair dados no aparelho celular do coronel aposentado.
 
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), relator da Lava Jato na Corte, Edson Fachin, autorizou as medidas. Desde a deflagração da Operação Patmos, a partir das acusações da JBS contra o atual presidente da República e seus aliados e assessores, o telefone celular do coronel foi apreendido, mas os investigadores acreditam que mensagens de e-mail e de WhatsApp foram excluídas.
Média: 3.7 (3 votos)

2 anos depois, PF revela que delações usadas contra Palocci não têm provas

Foto: Agência Brasil
 
 
 
Jornal GGN - O delegado Filipe Hille Pace enviou um ofício ao juiz Sergio Moro, em abril passado, reclamando do fato do Ministério Público Federal ter negociado benefícios a 3 delatores que foram usados contra Antonio Palocci e que não provaram nada do que disseram sobre o ex-ministro. O Estadão só revelou a existência do documento nesta segunda, 7 de agosto, tratando o episódio como mais uma "queda de braço" entre PF e procuradores por causa dos acordos.
 
“É temerário que inquérito policial tenha tramitado por quase dois anos em função de três versões de fatos diferentes apresentadas por três criminosos que celebraram acordo de colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República e que a partir disso obtiveram inegáveis benefícios. Em outras palavras, no presente caso, os colaboradores em nada auxiliaram os trabalhos investigativos, muito embora tenham sido beneficiados para tanto. Leia mais »
Média: 4.6 (13 votos)

Janot dá lição à Folha sobre perícia em áudio da JBS contra Temer

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN - O procurador-geral da República Rodrigo Janot travou um embate com a reportagem da Folha por causa do aúdio de Joesley Batista, da JBS, contra Michel Temer. Quando o material em que o presidente possivelmente aparece dando aval à compra do silêncio de Eduardo Cunha veio à tona, Folha ajudou o Planalto a construir uma defesa questionando a validade do áudio por meio de uma perícia independente. Janot, em entrevista publicada nesta segunda (7), ridicularizou o tratamento dado pelo jornal ao assunto.

Leia mais »

Média: 3.7 (10 votos)

3 ministros da Justiça de Temer barram investigação contra primo de Serra

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - Desde 2016, o Ministério da Justiça do governo Michel Temer trava a formação de uma equipe de cooperação internacional solicitada pela Espanha para investigar pagamento de propina e lavagem de dinheiro sobre contratos de Pasadena que podem atingir um empresário casado com a prima de José Serra (PSDB).
 
Segundo reportagem do Estadão, o procurador-geral da República Rodrigo Janot cobrou, há algumas semanas, o ministro Torquato Jardim sobre o desentrave das investigações. Outros dois ministros, Alexandre de Moraes e Osmar Serraglio, nada fizeram para avançar com o assunto e, de acordo com o chefe do Ministério Público Federal, o próprio Temer teria sido avisado.
Média: 2.7 (7 votos)

4 vezes em que Moro deu um tiro no pé após condenar Lula

 
Jornal GGN - Desde que condenou o ex-presidente Lula a 9 anos e meio de prisão e pagamento de multa superior a R$ 13 milhões, Sergio Moro assinou alguns despachos que devem ser usados pela defesa do petista para anular a sentença do caso triplex. Foram, pelo menos, quatro vezes em que o magistrado deu azo às crenças de que o processo não sobrevive ao rigor da segunda instância.
 
Confira abaixo:
 
1- Denúncia inventada e sem conexão com a Petrobras
 
Na primeira manifestação polêmica após a sentença, Moro respondeu aos embargos de declaração da defesa de Lula admitindo que não há provas da conexão entre o triplex e os 3 contratos que a OAS firmou com a Petrobras e que foram indicados pelos procuradores como o motivo para Lula receber vantagens indevidas.
Média: 5 (30 votos)