Coronavírus: Número de mortos na Espanha cai pelo terceiro dia consecutivo

As estatísticas sugerem que as medidas de bloqueio continuam a dar frutos e que o país está na chamada ‘fase de estabilização’.

Jornal GGN – A Espanha registrou o menor número de mortos em um dia pelo terceiro dia consecutivo e o menor desde o dia 23 de março. Os números mais recentes mostram 510 mortos entre sexta e sábado, hoje, dia 11.

Até o momento foram registrados 161.852 casos de coronavírus e 16.353 mortes. A taxa de crescimento em novos casos é de cerca de 3%, abaixo da média diária de 12% no final de março e 20% em meados de abril.

As estatísticas sugerem que as medidas de bloqueio continuam a dar frutos e que o país está na chamada ‘fase de estabilização’.

O bloqueio da Espanha, que está em vigor desde que um estado de emergência foi declarado em 14 de março, foi prorrogado de novo esta semana e permanecerá em vigor até pelo menos 26 de abril.

O primeiro-ministro Pedro Sánchez diz que outra extensão parece ser inevitável.

Apesar do bloqueio geral contínuo, a partir de segunda ou terça da semana que vem alguns trabalhadores essenciais poderão voltar a trabalhar em fábricas e canteiros de obras e máscaras faciais serão entregues nas estações de metrô e de trem.

Este afrouxamento é somente para trabalho e compras essenciais, ou seja, as pessoas podem sair para trabalhar e também para obter os itens básicos, mas é só, não podem sair por nenhuma outra razão.

Com informações do The Guardian

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Com hospitais em colapso, Líbano teme aumento de casos da Covid-19 em Beirute

3 comentários

  1. Itália indica que vai continuar em lockdown (isolamento social) até maio, ao menos.
    https://www.aljazeera.com/news/2020/04/italy-remain-lockdown-3-200410232013521.html

    COVID-19 no Mundo em 10/04
    1.698.416 de casos positivados com 102.753 mortes

    Parece que o grande fluxo de viajantes tem a ver com a rapidez na disseminação do vírus em alguns países, mais que em outros (por ex. no estado do AM/BR estão percebendo vínculo entre regiões colapsadas, com o fluxo rio/transportes/viagens). Mas o fator que parece estar mais conectado com o maior número de mortes, tem também a ver com a demora em responder o início da epidemia em cada região, aliada às dificuldades de cada sistema de saúde. Talvez fosse importante levantar estes itens:
    – surgimento de casos no local e relação com o espaço de tempo e tipo de “combate” e isolamento decidido
    – condição material e tempo de resposta na execução de exames
    – tipo e capilaridade do sistema de saúde

    EUA
    29,5% dos casos positivados com 18,3% das mortes
    3% do seu PIB vem do turismo – são cerca de 80 milhões de visitantes por ano

    Espanha
    9,32% dos casos positivados e 15,65% das mortes
    11% do seu PIB vem do turismo – são cerca de 85 milhões de visitantes por ano

    Itália
    8,69% dos casos positivados e 18,34% das mortes
    6% do seu PIB vem do turismo – são cerca de 94 milhões de visitantes por ano

    França
    7,41% dos casos positivados e 12,86% das mortes
    7% do seu PIB vem do turismo – são cerca de 90 milhões de visitantes por ano

    Alemanha
    7,19% dos casos positivados e 2,66% das mortes
    4% do seu PIB vem do turismo – são cerca de 60 milhões de visitantes por ano

    Gráfico do número de morte nos primeiros 100 dias (epidemias sec XXI)
    https://twitter.com/i/status/1248794895868932103

    Gráfico do núm. de pedidos de seguro desemprego nos EUA
    https://twitter.com/i/status/1248408090367496195

    Sobre outras direções de subnotificações, em NY, o FDNY relatou aumento de quase 400% nas mortes em domicílio por “parada cardíaca” no final de março e início de abril, um aumento que, segundo as autoridades, é quase certamente causado pela COVID-19, independentemente de terem sido formalmente diagnosticados ou não.
    https://www.nbcnewyork.com/news/local/massive-spike-in-nyc-cardiac-arrest-deaths-seen-as-sign-of-covid-19-undercounting/2368678/

  2. A elevação das temperaturas da Primavera acabando com as doenças de Inverno. Rigoroso Inverno do Hemisfério Norte. Rigoroso Inverno da Europa. O Mundo continua o que sempre foi. Histeria que passa…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome