O irresponsável endosso de especialistas ao uso generalizado da cloroquina

A maior irresponsabilidade dessa história, é a nítida a tática suicida de Bolsonaro, de colocar a cloroquina como alternativa ao confinamento social. E o oportunismo dos especialistas em endossar a cloroquina sem ressaltar a importância de se manter o isolamento.

De tudo o que saiu até hoje:

·      O cloriquina pode funcionar para vários tipos de pacientes. Mas é mortal para outros. Logo, pode ser aplicada sob supervisão médica, porque depende da condição de cada paciente, mas não pode ser massificada. E as pesquisas têm que prosseguir.

·      Fica nítido que a única maneira segura de aplicar a cloroquina é em pacientes que estão sendo monitorados nos hospitais.

·      As tentativas de generalização da aplicação, feitas pela imunologista Nise Yamaguchi, 58, sem testes conclusivos, são irresponsáveis, assim como foi irresponsável o depoimento do polêmico médico Roberto Kalil, em uma óbvia tentativa de ganhar espaço junto a Bolsonaro.

·      A maior irresponsabilidade dessa história, é a nítida a tática suicida de Bolsonaro, de colocar a cloroquina como alternativa ao confinamento social. E o oportunismo dos especialistas em endossar a cloroquina sem ressaltar a importância de se manter o isolamento.

Aqui, reportagem da Newsweek sobre problemas com alguns tipos de paciente.

SAÚDE

HOSPITAL FRANCÊS INTERROMPE TRATAMENTO COM HIDROXICLOROQUINA PARA PACIENTE COM COVID-19 POR RISCO CARDÍACO GRAVE

POR HANNAH OSBORNE       EM 8/20/20 ÀS 09:43

Um hospital na França teve que interromper um tratamento experimental usando hidroxicloroquina em pelo menos um paciente com coronavírus após se tornar um “grande risco” para a saúde cardíaca.

O Centro Hospitalar Universitário de Nice (CHU de Nice) é um dos muitos hospitais que testam a hidroxicloroquina em pacientes com COVID-19. Ele anunciou que havia sido selecionado para o julgamento em 22 de março. Um comunicado do hospital disse que estava testando quatro tratamentos experimentais, um dos quais incluía hidroxicloroquina. Ele esperava estabelecer sua eficácia e efeitos colaterais deste e de outros tratamentos sendo testados.

Leia também:  Mais Médicos melhora indicadores em municípios vulneráveis

Em entrevista ao jornal diário francês Nice-Matin , o professor Émile Ferrari, chefe do departamento de cardiologia do hospital Pasteur, em Nice, disse que os efeitos colaterais já foram identificados, com alguns pacientes tendo que interromper o tratamento por causa do risco. .

Disse que as gravações de eletrocardiograma dos pacientes envolvidos no estudo estão sendo monitoradas constantemente. Um eletrocardiograma mede a atividade elétrica no coração e representa isso em um gráfico como um intervalo QT. Ferrari disse que essas gravações são interpretadas e, se houver anomalias, o tratamento será interrompido.

Perguntado se isso já havia acontecido, ele disse: “Sim, desde o início do julgamento. Graças a esse acompanhamento do ECG, destacamos os principais riscos de um acidente muito grave em um paciente e o tratamento foi imediatamente interrompido”.

Os potenciais efeitos colaterais cardíacos da hidroxicloroquina foram destacados pela Clínica Mayo no final de março. Um artigo em seu site disse que o medicamento tem o potencial de levar à morte súbita cardíaca em alguns pacientes. Em um pequeno número de pacientes, isso pode levar a um QTc prolongado, o que pode resultar em um ritmo cardíaco anormal.

A Mayo Clinic disse que a hidroxicloroquina bloqueia um dos canais que controlam os sistemas de recarga elétrica do coração. “Essa interferência aumenta a possibilidade de o ritmo cardíaco degenerar em batimentos cardíacos erráticos perigosos, resultando em morte cardíaca súbita”.

Em um comunicado, Michael J. Ackerman, cardiologista genético da Mayo Clinic, disse: “Identificar corretamente quais pacientes são mais suscetíveis a esse efeito colateral trágico e indesejável e saber como usar com segurança esses medicamentos são importantes para neutralizar essa ameaça”.

Leia também:  Regina Duarte deixa Secretaria Especial de Cultura mas continua no governo

Como o CHU de Nice, os cardiologistas da Mayo Clinic dizem que deve haver orientações sobre o monitoramento do QTc de uma pessoa através dos ECGs, a fim de identificar pacientes com risco aumentado do potencial tratamento com COVID-19.

“No momento, é o Oeste Selvagem lá fora, variando de não fazer nenhuma vigilância QTc e aceitar esse potencial efeito trágico potencial como parte do ‘fogo amigo’ ‘, até que técnicos de ECG entrem na sala de um paciente com COVID-19 diariamente, expondo-os ao coronavírus e consumindo equipamentos de proteção individual “, afirmou Ackerman.

Ferrari disse que a hidroxicloroquina por si só apresenta apenas um pequeno risco cardíaco. No entanto, quando administrado juntamente com o antibiótico azitromicina, com o qual está sendo prescrito em combinação para o tratamento de coronavírus, o risco aumenta. Ele disse que, para alguns pacientes em tratamento com esses medicamentos, “o remédio é mais prejudicial do que a própria doença”.

Em entrevista à NBC, Ackerman disse estar preocupado com a pouca atenção que esse efeito colateral potencial da hidroxicloroquina estava sendo dado, mesmo entre os profissionais de saúde.

“O que mais me perturbou foi quando eu não vi funcionários políticos dizerem que esses medicamentos são seguros, mas ver nos noticiários cardiologistas e especialistas em doenças infecciosas dizer que [hidroxicloroquina] é completamente segura, mesmo sem mencionar esse raro efeito colateral. Isso é imperdoável”, disse Ackerman. .

O julgamento francês e o efeito colateral observado seguem experiências semelhantes na Suécia . Magnus Gisslén, do Hospital Universitário Sahlgrenska, disse ao Gothenburg Post que interromperam o tratamento para pacientes com COVID-19 após relatos de problemas em outros hospitais.

Leia também:  "Nós cavamos o buraco onde nos encontramos agora", diz virologista Átila Iamarino

“Houve relatos de suspeitos de efeitos colaterais mais sérios do que pensávamos”, disse ele. “Não podemos descartar efeitos colaterais sérios, especialmente no coração, e é uma droga de dosagem pesada. O fato de alguns pacientes gravemente doentes com COVID-19 terem problemas cardíacos agudos levantou preocupações de que a cloroquina possa ser prejudicial para alguns pacientes”.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

  1. COMPARTILHANDO…

    AULA ABERTA – SOBRE CLOROQUINA (OU HIDROXICLOROQUINA)

    Vamos lá. Algumas informações básicas:

    1) A dose diária recomendada é 25 mg/kg. Se chegar a 30mg/kg, pode matar. E aí, vai encarar aquela caixinha que você comprou no desespero?

    2) Você quer usar? Sim. Você faz parte de ensaios clínicos controlados? Não. Então é melhor não usar… Pela sua vida…

    3) Ela é metabolizada pelo fígado. Seu fígado tá bom? Tem absoluta certeza?

    4) Ela se liga facilmente à placenta e ao leite materno.

    5) Como ela se liga facilmente a muitos tecidos, tem que haver uma dose de ataque relativamente alta. Lembra da pequena margem entre dose terapêutica e dose letal? Então.

    6) Sabe quanto tempo ela demora pra sair do corpo, pra ser eliminada? Entre 1 e 2 meses… Lento… Pelos rins. Como estão seus rins, estão bem?

    7) Lembra que eu falei que a dose terapêutica e a dose fatal são bem próximas? Então. Isso significa que o envenenamento agudo é extremamente perigoso e pode levar à morte em poucas horas.

    8) Que tipo de efeito tóxico pode induzir? Sintomas cardiovasculares como hipotensão, vasodilatação, arritmias cardíacas e parada cardíaca irreversível. Sintomas centrais como convulsões e coma. É por isso que a equipe tem que saber administrar, porque deve haver diluição e tem que ser bem lento. Toda a equipe do front tem esse treinamento? Pergunta importante, né?

    9) Tem reações adversas? Pode ter sim. Quais? Bora lá: fotossensibilidade; edema da retina; degeneração macular; supressão do nodo sinoatrial (lá no coração); insuficiência cardíaca; distúrbios de parâmetros sanguíneos; perda de cabelo; psoríase; mialgia; miopatia; quadros depressivos; psicose.

    10) Todo mundo pode tomar? Não. Quem tem insuficiência renal não pode tomar, nem epilepsia, nem miastenia gravis, nem doenças sanguíneas ou neurológicas, nem psoríase, nem dermatites esfoliativas.

    11) NÃO PODE SER ADMINISTRADA A QUEM FIZER USO DOS SEGUINTES MEDICAMENTOS (estou pegando só os mais comuns, hein?):
    – anticonvulsivantes
    – antiácidos a base de magnésio
    – procainamida
    – hidroclorotiazida
    – eritromicina, claritromicina, azitromicina
    – fluconazol
    – estreptomicina
    – antidepressivos tricíclicos como amitriptilina, imipramina, doxepina, clomipramina, melitrazina
    – citalopram
    – antipsicóticos
    – inibidores da MAO
    – domperidona
    – odansetrona
    – heparina
    – apomorfina
    – tiroxina

    12) Há resultados promissores? Há. Em quem? In vitro. In vitro? Sim, lá no teste fora do ser humano. Mas e as pessoas que usaram e foram curadas? Há alguns poucos relatos. Não sabemos as reações adversas que tiveram para além de relatos pessoais. Não sabemos quais suas condições prévias de saúde. Não sabemos muito.

    13) HÁ EVIDÊNCIA SUFICIENTE DE EFICÁCIA EM SERES HUMANOS? Não.

    14) “Ah, mas ela é usada há tanto tempo como anti-malárico, mal não vai fazer…”. Volta lá e lê de novo a margem estreita entre dose eficaz e letal, pessoas cujas condições prévias de saúde tornam não recomendável o uso e interação com outros medicamentos.

    15) Temos tempo para informar todo o (pouco) staff que temos de tudo isso? Não. É melhor esperar outros estudos e resultados? SIM, COM CERTEZA.

    16) “Ah, mas Bolsonaro acha bom tomar”. Deixa ele tomar primeiro, uns 30 mg/kg ou um pouco mais pra ser dose de ataque e não ficar dúvida, em rede nacional, e depois a gente decide.

    É isso.
    Enquanto isso, tem gente precisando da cloroquina realmente pra sobreviver em decorrência de outras doenças.

    Vamos transformar quem amamos e a nós mesmos em testes duplo cego?
    Bom, eu não recomendo.
    Não até que tenhamos protocolos seguros. Ou vamos trocar uma morte evitável por outra?

    Lígia Moreiras.
    Eu sou Doutora em Farmacologia pela Universidade Federal de Santa Catarina.
    Também sou Doutora em Saúde Coletiva pela mesma universidade.
    Mas caso isso não seja suficiente por qualquer motivo, todas essas informações estão na nota técnica emitida pela FIOCRUZ no dia 03/04/2020.

    Obscurantismo e negacionismo também matam. E nesse caso, não vamos nem ficar sabendo que foi em decorrência dessa droga. Vai tudo pra conta da COVID-19.

    4
    1
  2. COMPARTILHANDO…

    SOBRE A CLOROQUINA: TEXTÃO PARA QUEM NÃO QUER SER FEITO DE TROUXA

    1 – Se a Cloroquina curasse tão milagrosamente os doentes de Covid, por que não estaria sendo prescrita em massa pelos médicos americanos? E por que não estaria impedindo a MORTANDADE EM MASSA POR COVID que está acontecendo HOJE nos EUA? (CONFIRA AQUI – https://www.worldometers.info/coronavirus/ )
    Cloroquina é uma droga barata e fácil de encontrar. E os EUA são o país mais rico do mundo!
    Cadê a cloroquina milagrosa salvando americanos? As taxas de letalidade do vírus nos EUA estão iguais ou maiores que em outros países!

    2 – A Cloroquina já vem sendo administrada como recurso extremo, há semanas, pelos médicos italianos, franceses e espanhóis a doentes do Corona. Isso não conseguiu reverter as altíssimas taxas de mortalidade observadas em Itália, França e Espanha. (Mais uma vez, comprove aqui: https://www.worldometers.info/coronavirus/ )

    3 – Se um paciente com COVID, medicado com cloroquina, novalgina, cachaça e chá de asa de barata sobrevive, isso não prova que algum desses “remédios”, ou alguma combinação entre eles, foi o fator determinante da cura. Pode ter sido mera coincidência. Os antigos aplicavam ventosas e sangrias a pacientes com todo o tipo de doença; como alguns sobreviviam, juravam que as ventosas e sangrias tinham sido a salvação dos mesmos. Para o caso da cloroquina, veja isso: https://jc.ne10.uol.com.br/brasil/2020/04/5605454–medico-de-kalil-nao-assegura-que-a-cloroquina-o-curou—diz-folha-de-s-paulo.html

    4 – Trump tem participação no capital de farmacêuticas fabricantes de Cloroquina. Confira aqui: https://noticias.uol.com.br/colunas/reinaldo-azevedo/2020/04/08/trump-bolsonaro-e-a-cloroquina-que-virou-a-cocaina-da-extrema-direita.htm

    5 – Bolsonaro está induzindo a POPULAÇÃO BRASILEIRA A SER COBAIA VOLUNTÁRIA para teste massivo de Cloroquina, sem controle nem cuidado nenhum. Se alguma combinação de cloroquina com cachaça, chá de asa de barata, qualquercoisina e qualquercoisil funcionar contra o COVID, será às custas da morte ou lesão permanente em milhares de COBAIAS VOLUNTÁRIAS OU INVOLUNTÁRIAS vítimas de dosagens erradas e/ou combinações nocivas de cloroquina e outras drogas…
    VOCÊ QUER SER COBAIA DO TRUMP E DO BOLSONARO? Quer que seus entes queridos morram, fiquem cegos ou bichados com dosagens erradas de Cloroquina e/ou outras drogas ministradas aleatoriamente por pesquisadores inescrupulosos aos brasileiros, como se fôssemos ratos de laboratório, num experimento em massa parecido com os que os nazistas realizavam com os prisioneiros de campos de concentração?

    6 – Bolsonaro e Trump estão fazendo todo esse alarde em torno da cloroquina para disfarçar a própria incompetência, negligência ou recusa na tomada das medidas que realmente funcionam para mitigar os efeitos mortais da pandemia. São CRIMINOSOS GENOCIDAS, sócios do vírus. São responsáveis por milhares de mortes evitáveis hoje. Serão responsáveis por MILHÕES DE MORTES EVITÁVEIS de americanos e brasileiros quando tudo isso tiver passado.

    7 – Há diversas formas de conter o Covid. Quem quiser estudá-las, veja o que tem sido feito na Argentina, Nova Zelândia, Coreia do Sul, Portugal, Noruega – para citar apenas alguns casos entre os países democráticos e capitalistas. Comparem os números de mortos por milhão de habitantes nesses países com os dos Estados Unidos hoje, e os do Brasil daqui a três meses. Obs. – NENHUM DESSES PAÍSES está utilizando cloroquina como arma principal no combate ao Corona.

    8 – Drogas com algum potencial para prevenção, cura ou mitigação da virose por Corona podem e devem ser buscadas (já estão sendo, aliás); devem ser testadas SOB PROTOCOLOS CIENTÍFICOS RIGOROSOS E ETICAMENTE ORIENTADOS.
    Precisamos desesperadamente de vacinas e medicações eficazes contra o vírus. Mas a raça humana é tão atrasada que não faltam OPORTUNISTAS, ESPERTALHÕES, CHARLATÕES E CRIMINOSOS dispostos a tudo para faturar PODER E GRANA com o desespero humano

    . NÃO SEJA TROUXA, NEM COBAIA VOLUNTÁRIA. NÃO SE DEIXE ENGANAR PELOS CANALHAS TRUMP E BOLSONARO.

    . NÃO TENHA PREGUIÇA DE LER OU PENSAR

    . INFORME-SE BEM COMBINANDO VÁRIAS FONTES – THE GUARDIAN, EL PAIS, NEW YORK TIMES, RTP, SÃO BOAS PEDIDAS. PODEM SER ACESSADAS ONLINE.

    . CUIDE-SE. FIQUE EM CASA O MÁXIMO QUE PUDER. PROTEJA-SE

    . PRESSIONE O GOVERNO DE SEU PAÍS A TOMAR OU MANTER AS MEDIDAS DE CONTENÇÃO ADEQUADAS.

    . APÓIE CIENTISTAS E PESQUISADORES SÉRIOS. Exemplo: Fiocruz lança site de doações para ações contra a Covid-19 | A Gazeta – https://www.agazeta.com.br/brasil/fiocruz-lanca-site-de-doacoes-para-acoes-contra-a-covid-19-0420

    2
    1
  3. O ministro da saúde vinha adotando uma postura científica irrepreensível em relação ao veneno que Jair Bolsonaro queria receitar aos pacientes da pandemia. Desde ontem, porém, a restrição à droga foi levantada. O que ocorreu? Mandetta conseguiu entrar na folha de pagamento de Donald Trump?

  4. Bolsonaro não tem decência, não tem respeito, não tem consideração e está no desespero.
    A não ser que nos 30 anos em que foi um improdutivo no congresso, tenha se formado em medicina, Bolsonaro também não tem remédio.
    #FarmaceuticoFarsante
    #Bolsonaronaotemcura

    2
    1
  5. Estão ideologizando um tratamento, e isso é completamente errado.

    Parece, e há realmente uma torcida para que o tratamento dê errado. Nunca vi isso na minha vida. Desejar a morte horrível de inocentes a fim de desgastar um presidente eleito por pior que ele seja.

    O principal dogma da medicina é que o quanto antes houver um diagnóstico e se iniciar o tratamento, maiores as chances de cura.

    Estão testando em pacientes criticos e em pacientes graves.

    O grupo Prevent Senior que tem mais de 250 mil associados, dezenas de hospitais próprios está aplicando o tratamento no momento certo de faze-lo, que é nos primeiros dias do aparecimento dos sintomas com excelentes resultados.

    Do jeito que falam, parece que esse remedio não foi exaustivamente usado no Brasil para combater a malária. Oras, se você vai viajar para a amazonia ou pantanal para pescar, você consulta seu médico e ele lhe receita justamente a cloroquina, 1 tablete por dia, por 1 ou 2 semanas antes de viajar:

    “Cloroquina estava se aproximando deste ideal, mas já apareceu muita resistência a ela (especialmente em P. falciparum, P. vivax, mas também) e isso só é útil nas poucas áreas livres de resistência do P. falciparum (algumas áreas Caribe, América Central e no Oriente Médio). Deve ser uma vez por semana 1-2 semanas antes de iniciar a viagem, durante e até 4 semanas mais tarde. ”

    Além do mais, no exterior, como a doenca só começa a ser tratada em estágio avançado, a dosagem está sendo de 2 tabletes 2 vezes ao dia. Uma superdosagem de desespero.

    Oras, será que os médicos brasileiros estiveram por mais de 70 anos matando seus pacientes preventivamente?

    Quem tiver paciencia, é só entrar no Youtube e assistir: https://www.youtube.com/watch?v=5WkbXe5B0nU

    Ou dar uma busca por paolo zanotto pedro batista.

    O vídeo é longo e vale a pena assistir.

    1
    1
    • O uso do medicamento contra a malária já teve seu sucesso verificado durante as muitas dezenas de anos que vem sendo ministrado para este fim. Houve tempo e responsabilidade de médicos que relataram tudo que acometia seus pacientes durante o tratamento com este remédio.
      O que está sendo debatido aqui é que Espanha, Itália, França e mesmo a China usaram a Hidroxicloriquina no tratamento de seus pacientes e estes mesmos países não estão alardeando mundo afora com as pesquisas sendo colocadas em Revistas de Ciencias respeitadas para que todos possam ver e analisar. O problema chama-se credibilidade! Os dois seres viventes que mais falam de uso de cloroquina são Donald Trump e Jair Bolsonaro. Com o passado de mentiras, de idas e voltas destes dois, você se arriscaria a fazer uso deste medicamento da foma que está sendo proposta?
      Eu, com certeza, não!

      1
      1
    • E vc, Li de Brusque, está torcendo por nossa morte? O procedimento correto é o isolamento porque se milhares de infectados baterem às portas dos hospitais não tem cloroquina certa que dê jeito. Seremos jogados nas ruas, como no Equador.

  6. Torcida maior é para que o menor número possível de pessoas se contaminem…
    partindo daí, nenhum remédio deve ser colocado um passo à frente da prevenção

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome