Secretários do Tesouro e Orçamento de Guedes pedem demissão

Além de Funchal e Bittencourt, os secretários adjuntos também pediram demissão, num total de quatro baixas de cargos ligados à área do orçamento após o governo anunciar plano de criar o Auxílio Brasil no valor de R$ 400 em substituição do Bolsa Família.

Agência Brasil

Jornal GGN – Bruno Funchal e Jeferson Bittencourt, respectivamente secretário especial do Tesouro e Orçamento e Secretário do Tesouro Nacional, pediram exoneração de seus cargos a Paulo Guedes, ministro da Economia. O próprio Ministério informou das demissões, mas não disse quem ficará nos cargos.

Além de Funchal e Bittencourt, os secretários adjuntos também pediram demissão, num total de quatro baixas de cargos ligados à área do orçamento após o governo anunciar plano de criar o Auxílio Brasil no valor de R$ 400 em substituição do Bolsa Família.

A medida anunciada significaria algo em torno de R$ 30 bilhões fora do teto de gastos, fez com que os principais auxiliares de Guedes saíssem da equipe por discordarem da decisão.

 Mas não foi só isso. O secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível do Ministério das Minas e Energia, José Mauro Coelho, pediu exoneração do cargo depois que o presidente Bolsonaro anunciou que os caminhoneiros receberão uma ajuda do governo para compensar a alta do diesel. E isso sem contar a fonte desses recursos.

Segundo o Ministério da Economia, a demissão dos secretários se deu por motivos pessoais.

A secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram exoneração de seus cargos. A explicação é de que é por motivos pessoais.

Os exonerados saem dos cargos permitindo um processo de transição para que não haja rompimento de compromissos, disse o ministério, mas sem substitutos indicados.

Segundo o Ministério, os secretários irão aguardar as indicações de substitutos para fazer uma transição dos cargos. Continuam despachando com o ministro até a substituição. Os dois secretários, Funchal e Bittencourt, eram responsáveis pela área fiscal do governo e saíram por discordarem da decisão do governo de furar o teto de gastos.

O Ministério da Economia divulgou nota para tratar da demissão dos dois secretários. Leia a seguir.

Nota à imprensa

O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram exoneração de seus cargos ao ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta quinta-feira (21/10).

A decisão de ambos é de ordem pessoal. Funchal e Bittencourt agradecem ao ministro pela oportunidade de terem contribuído para avanços institucionais importantes e para o processo de consolidação fiscal do país.

A secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo, também pediram exoneração de seus cargos, por razões pessoais.

Os pedidos foram feitos de modo a permitir que haja um processo de transição e de continuidade de todos os compromissos, tanto da Seto quanto da STN.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador