Boric, novo presidente do Chile, anuncia equipe: serão 14 mulheres e 10 homens

"Todas as pessoas esperam que possamos fazer do Chile um lugar mais amigável e humano para se viver, onde a dignidade se torne um hábito", disse Boric em seu discurso. 

Gabriel Boric, presidente eleito no Chile
Divulgação

Jornal GGN – O presidente eleito do Chile, Gabriel Boric, anunciou seu gabinete de governo. Serão 14 mulheres e 10 homens, com idade média de 49 anos. A lista foi anunciada nesta sexta, dia 21, dos nomes que comporão gabinete ministerial, que assumem o trabalho a partir de 11 de março, data da posse de Boric. O anúncio foi feito em cerimônia que contou com a presença de todos os partidos do bloco que o levou ao governo.

“Todas as pessoas esperam que possamos fazer do Chile um lugar mais amigável e humano para se viver, onde a dignidade se torne um hábito”, disse Boric em seu discurso. 

Boric confirmou que o atual presidente do Banco Central, Mario Marcel, ficará no Tesouro. Izkia Siches, ex-presidente da Faculdade de Medicina, ficará no Ministério do Interior e será a primeira na linha de sucessão, já que no Chile não há vice-presidente.

O Partido Socialista estará representado nos Ministérios da Defesa (Maya Fernández Allende), Habitação (Carlos Montes) e no Ministério das Relações Exteriores (Antonia Urrejola). No governo estão também dirigentes de outros partidos da antiga Concertación e independentes. 

Boric destacou ainda que Marco Antonio Ávila será o primeiro professor a ocupar o cargo de Ministro da Educação. 

A lista completa dos 24 ministros de Gabriel Boric

Ministério do Interior e Segurança Pública: Izkia Siches.

Ministério das Relações Exteriores: Antonia Urrejola.

Ministério da Defesa Nacional: Maya Fernández.

Ministério da Fazenda: Mário Marcel.

Ministério Secretário Geral da Presidência: Giorgio Jackson.

Secretária Geral de Governo do Ministério: Camila Vallejo.

Ministério da Economia, Desenvolvimento e Turismo: Nicolás Grau.

Ministério do Desenvolvimento Social e Família: Jeanette Vega.

Ministério da Educação: Marco Antonio Ávila.

Ministério da Justiça e Direitos Humanos: Marcela Ríos.

Ministério do Trabalho e Previdência Social: Jeanette Jara.

Ministério de Obras Públicas: Juan Carlos García.

Ministério da Saúde: María Begoña Yarza.

Ministério da Habitação e Desenvolvimento Urbano: Carlos Montes.

Ministério da Agricultura: Esteban Valenzuela.

Ministério de Minas: Marcela Hernando.

Ministério dos Transportes e Telecomunicações: Juan Carlos Muñoz.

Ministério do Patrimônio Nacional: Javiera Toro.

Ministério da Energia: Claudio Huepe.

Ministério do Meio Ambiente: Maisa Rojas.

Ministério do Esporte: Alexandra Benado.

Ministério da Mulher e da Equidade de Gênero: Antonia Orellana

Ministério das Culturas, Artes e Patrimônio: Julieta Brodsky.

Ministério da Ciência, Tecnologia, Conhecimento e Inovação: Flavio Salazar.

Com informações do Página 12.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador