O resgate das crianças que ficaram 40 dias perdidas na Amazônia colombiana

Ana Gabriela Sales
Repórter do GGN há 8 anos. Graduada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro. Especializada em produção de conteúdo para as redes sociais.
[email protected]

Lesly Mucutuy, Soleiny Mucutuy, Tien Noriel Ronoque Mucutuy e Cristin Neriman Ronoque Mucutuy desapareceram após a queda de um pequeno avião monomotor em 1 de maio

Foto: Forças Militares da Colômbia

Quatro crianças indígenas foram resgatadas com vida, na noite desta sexta-feira (9), na selva de Guaviare, sudeste da Colômbia. Os pequenos estavam desaparecidos há 40 dias. 

Um vídeo publicado pelo Ministério da Defesa mostra que as crianças foram retiradas da Amazônia colombiana por um helicóptero da Força Aérea local. Os militares usaram cordas e outros equipamentos de proteção para o resgate. As crianças foram elevadas a quase 60 metros de altura, agarradas aos militares até serem colocadas dentro da aeronave. 

Neste momento comandos de Força Aérea da Colômbia retiram as 4 crianças da selva densa. O helicóptero está a mais de 60 metros de altura. As árvores são muito altas e a visibilidade é quase nula. Eles vão para o heliporto montado no meio da selva para esta operação“, informaram os militares.

“Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn”      

Após a ação, a aeronave seguiu para Calamar, onde foi reabastecida e depois partiu para San José del Guaviare. As crianças foram encaminhadas ao hospital municipal para serem atendidas pela equipe médica das Forças Armadas da Colômbia.

Lesly Mucutuy, Soleiny Mucutuy, Tien Noriel Ronoque Mucutuy e Cristin Neriman Ronoque Mucutuy desapareceram após a queda de um pequeno avião monomotor em que viajavam. 

Após buscas por ar, terra e rios, os pequenos foram encontrados a 3,5 quilômetros do ponto em que o avião caiu em 1 de maio.

Ana Gabriela Sales

Repórter do GGN há 8 anos. Graduada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro. Especializada em produção de conteúdo para as redes sociais.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador