A Carne Fraca e o reino dos imbecis

A Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, traz uma comprovação básica: o nível de emburrecimento nacional é invencível. O senso comum definitivamente se impôs nas discussões públicas. E não se trata apenas da atoarda que vem do Twitter e das redes sociais. O assustador é que órgãos centrais da República – como o Ministério Público, a Polícia Federal, o Judiciário – tornaram-se reféns do primarismo analítico.

Como é possível que concursos disputadíssimos tenham resultado em corporações tão obtusamente desinformadas, a ponto de não ter a menor sensibilidade para o chamado interesse nacional. Não estou julgando individualmente delegados ou procuradores. Conheço alguns de alto nível. Me refiro ao comportamento dessas forças enquanto corporação.

Tome-se o caso da Operação Carne Fraca.

A denúncia chegou há dois anos na ABIN (Agência Brasileira de Inteligência). O delator informou que a Secretaria de Vigilância Sanitária no Paraná tinha sido loteada para o PMDB. Levantaram-se provas de ilícitos em alguns frigoríficos.

Por outro lado, há uma guerra fitossanitária em nível global, em torno das exportações de alimentos. Se os delegados da Carne Seca não fossem tão obtusos, avaliariam as consequências desse bate-bumbo e tratariam de atuar reservadamente, desmantelando a quadrilha, prendendo os culpados.

Mas, não. O bate-bumbo criou uma enorme vulnerabilidade para toda a carne exportada pelo país. Os anos de esforços gerais para livrar o país da aftosa, conquistar novos mercados, abrir espaço para as exportações ficaram comprometidos pelo exibicionismo irresponsável desse pessoal.

Ou seja, havia duas formas de se atingir os mesmos resultados:

Leia também:  A repaginação nacionalista do antitruste: só a bailarina que não tem…, por Alessandro Octaviani

1.     Uma investigação rápida, discreta e sigilosa.

2.     O bate-bumbo de criar a maior operação da história, afim de satisfazer os jogos de poder interno da PF.

As duas levariam ao mesmo resultado e a primeira impediria o país de ter prejuízos gigantescos, que pudessem afetar a vida de milhares de fornecedores, o emprego de milhares de trabalhadores, a receita fiscal dos impostos que deixarão de ser pagos pela redução das vendas – e que garantem o salário do Brasil improdutivo, de procuradores e delegados.

Qual das duas estratégias seria mais benéfica para o país? A primeira, evidentemente.

No entanto, o pensamento monofásico que acomete o país, não apenas entre palpiteiros de rede social, mas entre delegados de polícia, procuradores da República, jornalistas imbecilizados é resumido na frase-padrão de Twitter: se você está criticando a Carne Fraca, então você é a favor de vender carne podre.

Podre se tornou a inteligência nacional quando perdeu o controle de duas corporações de Estado – MPF e PF – permitindo que fossem subjugadas pelo senso comum mais comezinho. E criou uma geração pusilânime de donos de veículos de mídia, incapazes de trazer um mínimo de racionalidade a essa barafunda, permitindo o desmonte do país pela incapacidade de afrontar o senso comum de seus leitores.

Veja bem, não se está falando de capacidade analítica de entender os jogos internacionais de poder, a geopolítica, o interesse nacional, as sutilezas dos sistemas de apoio às empresas nacionais. A questão em jogo é muito mais simples: é saber discernir entre uma operação discreta e outra que afeta a imagem do Brasil no comércio mundial.

No entanto, essa imbecilidade, de que a destruição das empresas brasileiras contaminadas pela corrupção, permitirá que viceje uma economia mais saudável, é recorrente nesse reino dos imbecis. E se descobre que a estultice da massa é compartilhada até por altos funcionários públicos, regiamente remunerados, que se vangloriam de cursos e mais cursos aqui e no exterior. O sujeito diz asneiras desse naipe com ar de sábio, reflexivo. E é saudado por um zurrar unânime da mídia.

Leia também:  André do Rap, o Caso Robinho e o dinheiro na cueca: cenas de uma guerra híbrida invisível, por Wilson Ferreira

Discuti muito com uma antiga amiga, quando mostrava os impactos dessas ações nos chamados interesses nacionais e via mão externa, e ela rebatia com conhecimento de causa: não são conspiradores, são primários.

Imbecil é o país que se desarma completamente, Judiciário, mídia, organizações que se jactam de ter Escolas de Magistratura, de Ministério Público, de Polícia Federal e o escambau, permitindo mergulhar na mais completa ignorância institucional.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

178 comentários

  1. Há algo mais de pobre no Reino do Brasil

    Brasileiros!

    Que imbecilidade deste governo golpista…….Num cesto de maças pobres você retira a maça pobre para não contagiar as demais. Num pedaço de pão mofado você retira a parte bolorenta e a outra esta sã e comestível, numa peça de carne em que se apresenta uma parte roxeada você corta esta parte e aproveita quase a totalidade da peça. Mas, o que aconteceu com este desgoverno:  inicia-se a destruição de um setor economico exportador que vinha gerando divisas para o Brasil,e permitirá que os Estados Unidos, Australia e outros produtores de carne se abocanhem da parte das exportações brasileiras.

    É o desmonte gradual do Brasil……O que mais me assusta é que os senhores empresários brasileiros fazem de conta que não é com eles.Isto é um crime o que estão fazendo com nosso querido País. E seguramente aquele juízeco do Paraná,que

    aparece em festas nos Estados Unidos com gravatinha borboleta (Coincurso das Gatinhas da Play-Boy ou paletras pagas???) – Moro – é um dos arquitetos que está por trás disso. Ousar lutar……Povo brasileiro antes que voltemos a Idade Média.

  2. O endeusamento de alguns
    O endeusamento de alguns juízes e alguns membros do MP e da PF pela mídia-PIG e consequentemente pelos midiotas desde o golpe no Paraguai(O teste para o golpe no Brasil) está a trazer esta consequência de quebradeira e retrocesso ao Brasil: 1 – Sucateamento da tecnologia nuclear ( usinas e submarino ); 2 – Sucateamento e venda dos ativos da Petrobrás ( se não houver engano, só ela é a State Oil Da Noruega possuem tecnologia para prospecção em águas profundas ); 3 – Tecnologia com a construção civil que concorria com os USA e a China e agora a Indústria de alimento que fazia frente aos americanos.Será que os midiotas não entenderam ainda que a retirada do poder de um governo Nacionalista e a colocação de um entreguista foi para exatamente entregar tudo e irmos todos, midiotas e normais, para a merda?

  3. Nem de perto brilhante e
    Nem de perto brilhante e didática assim, mas esse foi o teor da conversa do almoço em família. Fico espantada com a falta de sensibilidade “sistêmica”; um mínimo de inteligência teria mantido as ações em discreto andamento. Tenho, no entanto, enorme dificuldade – diante da conjuntura instalada nos três últimos anos – de acreditar no “erro não intencional”. Desde sempre enxergo butim, rapinagem, pirataria, entreguismo e agendas escusas. Desde a prisão de PRCosta estamos sob desmonte, desmantelamento e destruição intencional a bem de interesses externos e sob beneplácito interno. Criminoso. Mas o planejamento vem de longa data.

  4. Imbecis deslumbrados e desbundados…

    É por aí, caro Nassif…

    Ainda ontem procuradores, delegados e juízes federais eram apenas servidores públicos. Bem, digo “apenas” como se isso de per si fosse pouca responsabilidade, pouco privilégio no Brasil. Mas agora querem é aparecer na TV, ganhar fama como amigos dos EUA, garantir casa em Miami, sonhos dessa classe média…

    Falta nacionalismo. Esses caras não representam o Brasil.

  5. “Se os delegados da Carne

    “Se os delegados da Carne Seca não fossem tão obtusos…”

    Perfeita a análise. Mas acho que falta um ingrediente na análise dessa operação Carne Seca (gostei do nome dado pelo Nassif):

    Não é o MP que está fazendo todo esse estrago. O problema é que as forças-tarefas não são naturais. O que nos garante uma justiça isenta é principalmente o chamado juizo natural. Porisso o sorteio de processos nas distribuições processuais é tão importante. Seria muito difícil um juiz condenar um desafeto por puro capricho, pois o processo teria antes que dar a sorte de cair em sua mão no sorteio, e na instância superior ter um juiz da mesma forma. Essa é nossa maior garantia contra o poder de um juiz inimigo. A mesma coisa para um procurador.

    O problema é que, salvo engano, essas forças-tarefas não são naturais. Se seus integrantes fossem escolhidos por sorteio, duvido que haveria uma Lava Jato tão partidária como a que estamos vendo, e também tão estúpida a ponto de arrebentar com o país em nome do combate à corrupção como estamos vendo. Bastaria um sorteio pra evitar isso. Mas, reiterando salvo engano, são os próprios integrantes que indicam seus colegas. Obviamente não vão indicar ninguém que não tenha as mesmas “convicções”.

    Eu penso, então, que o trabalho dos jornalistas poderia ser agora o de tentar descobrir como os integrantes dessas forças-tarefas são escolhidos.

  6. Nassif, para com essa ideia

    Nassif, para com essa ideia de que os donos de mídia são tocados pelos leitores idiotas. É o contrário. Os donos da mídia tocam a boiada, guiando-a aonde querem. Como todo bom tocador, sabem que de vez em quando devem deixar a boiada se espalhar um pouco, pois o destino é mais importante do que o caminho. 

    • 100

      Concordo 100 %. Se der na globo que comer m. faz bem para a saúde vai faltar m.

      A esposa (curso superior) quase setenta anos, de um amigo ao ver a reporcagem da globo jogou incontinente toda a carne e subprodutos que tinha em casa no lixo. Patriota, responsável e emérita batedora de panelas que é, recomendou em todos os grupos que fizessem o mesmo. Se eu ao encontrá-la disser que não o fiz, serei imediatamente excomungado e equiparado aos urubús e comedores de carne podre. Só mais alguns títulos para colecionar juntamente com os de petralha, comunista, bolivariano, e simpático à corrupção ganhos anteriormente.

      Só o deboche torna suportável o Brasil coxa. 

  7. O que nos restará?

    Como o post onde eu havia postado estes videos já saiu do prelo, vou repetir aqui o comentário

    O que nos restará? Nem no Iraque após a dominação total, foi palco de tanto entreguismo, pois as provincias ficaram com parte do petróleo e gás, por aqui nem isso nos restará, ou será que houve uma guerra por aqui e não to sabendo…se bem que tudo o que ocorre no momento foi planejado por Moro tão logo Lula subiu a rampa do Planalto (http://jornalggn.com.br/noticia/como-a-lava-jato-foi-pensada-como-uma-operacao-de-guerra)

    Almirante Othon, herói nacional, perseguido pela Lava Jato, no momento cumpre prisão perpétua [tendo em vista sua idade diante dos 40 anos de prisão a que foi condenado logo após visita de Janot  a autoridades americanas]

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=DPqKuyFhjKE%5D

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=Mr9SNS4qB_8%5D

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=gWtBgystVU4%5D

    Vale a pena ler de novo: Xadrez do conteúdo local e o desmonte nacional

    http://jornalggn.com.br/noticia/xadrez-do-conteudo-local-e-o-desmonte-de-um-projeto-de-nacao

    Tenho visto ai pelas redes sociais comentários jocosos, pessoas preparando churrasco de papelão: mal sabem elas que este pais, face ao desmonte que está ocorrendo,  o pais corre o risco de entrar na mesma situação de paises africanos: ricos mas nadica de nada para a população, pois tudo tem que ser destinado às burguesias locais e grupos estrangeiros. Triste.

  8. Belo texto!

    Só não gostei da ofensa feita aos muares que ilustram o artigo!

    São seres uteis e ao contrario do que pensamos inteligentes!

    Um foi montaria de Cristo para entrar em jerusalem!

  9. É Nassif, não é querendo
    É Nassif, não é querendo desanimar não, mas graduei ano passado num curso de TI cujo departamento de computação é tido como o melhor do Brasil e pelo nível dos colegas chega a ser desanimador: falta de comprometimento, superficialidade e trabalhos feitos no formato Frankstein (cada um faz uma parte e depois junta, sem coerência) e até oferta em dinheiro pra colocar o nome no grupo. Eis o nível do nosso futuro. Quiçá as exceções, nesse caso, vençam a batalha.

  10. Em paises que prezam pelo

    Em paises que prezam pelo interesse nacional esse processo seria resolvido em uma semana e as empresas continuariam funcionando e sem serem afetadas. A China fuzilaria quem teria que fuzilar e não se falaria mais no assunto. Por aqui a Lava Jato está entrando no 4. ano porque tem que servir a uma narrativa de destruição de Lula e seu partido.  Essa Carne Fraca promete também uns 5 anos de novela.

  11. Hoje, o curso superior é um

    Hoje, o curso superior é um mero passaporte para o mercado de trabalho, como um curso técnico. As discussões extracurriculares ficaram relegadas à internet. Esse pessoal é moldado intelectualmente por indigentes intelectuais como blogueiros e youtubers da extirpe de Olavo de Carvalho.

    • Caro Hugo
      Eu dou aula na

      Caro Hugo

      Eu dou aula na graduação, e é de assustar:> tem cara que chega no 4º ano de engenharia sem saber resolver uma equação de segundo grau (e o pilantra safado do minixtro de educassão quer acabar com a divulgação dos resultados do ENADE)

      Fora isso, não têm idéia do que acontece ao redor

      Tenho uma tese, que às vezes exponho aqui: essa merda de neoliberalismo (com seu egoísmo feroz, seu individualismo vazio e meritocracia mandrake) destruiu o tecido social, as pessoas não pensam coletivamente, nem refletem sobre seus atos e as atitudes dos outros; e o modo de como podem construir um país melhor

      Infelizmente, esta geração que cresceu e amadureceu durante os anos 1990 e 2000 esta perdida

  12. Um imbecil é um imbecil!

    Até que enfim Nassif está dando nome correto para as coisas, pois tempos atrás ele utilizaria outros termos para delicadamente se referir a UM IMBECIL, porém cedeu ao bom português, assim como deveriam ceder aqueles que gostam de usar o termo de Pós-verdade para mentira deslavada ou cafajestice.

    Parabéns, andaste o primeiro passo.

    • Pós verdade!

      Pois tbm acho um horror quando a imprensa “alternativa” ao PIG diz “pós-verdade”, uma invencionice da mídia golpista internacional mentirosa! O certo é dizer mentira deslavada mesmo! Pois do contrário ñ será claro como deve ser a verdade. 

  13. A pergunta que fica salta:

    A pergunta que fica salta: quem vai parar essa gente? A primeira resposta que viria à mente seria: uma imprensa livre, descompromissada e ética. 

    Só que a nossa “gloriosa” mídia jornalística corporativa é tudo que se possa pensar, menos isso. As manchetes, o noticiário, as análises são superficiais, apelam para o sensacionalismo e passam ao largo do que realmente está em questão. Ignora as causas e as consequências dos fenômenos se contentando com as arengas políticas-ideológicas. 

    Institucionalmente, caberia ao Congresso, a caixa de ressonância da população tal mister. Infelizmente, o grau de desprestígio face à degradação ética de seus integrantes torna essa desautoriza essa alternativa. 

    O lamentável, é que de há muito essas operações do aparato repressivo, em especial da Polícia Federal, deveriam estar sob o crivo da crítica. Tanto por razões de fundo – injunções políticas,  como pelos aspectos prosaicos, muitas vezes beirando o ridículo. Aí adentramos não numa nova, mas num velha pendenga, qual seja, o limite de discricionariedade(que palavrão) dessa instituição policial sem que seja afetada a sua capacidade operacional. Até  que ponto deve ir essa autonomia tão decantada? Como pode uma instância de quarta escalão agir sem um mínimo de sintonia com o Poder Político que a alberga? 

    Agora a moda é delegados de polícia fazendo uso de pretenso discurso político-sociológico para as mídias(na realidade ideológico), numa clara extrapolação das suas funções, como o que ocorreu nesse último carnaval, digo, nessa última operação quando um deles tascou que os “os empresários visavam só lucros e não a saúde pública”.

    O que se observa é que os avanços conseguidos pela Constituição de 1988, dentre eles uma RELATIVA autonomia de certas instituições, a exemplo do Ministério Público e da Polícia Federal, foram miseravelmente distorcidos e manipulados para servirem a interesses que não os do país. 

    (http://www.opovo.com.br/noticias/economia/2017/03/os-empresarios-visavam-o-lucro-e-nao-a-saude-publica-afirma-policia-f.htm

     

    • Esperar o que de mafiosos que
      Esperar o que de mafiosos que conspiram e atacam os interesses do povo e do Brasil?
      Os Marinhos se mudaram para os EUAs e de lá dão as ordens, já que trabalham com o departamento de justiça americano, o alto comando do desmonte nacional.

  14.  Caro Nassif, observo dois

     Caro Nassif, observo dois grupos no poder:: um destroi e o outro rapina enquanto pode. Resultado de fragmentação, exclarecida pelo Sr. Araujo. Judiciário morto, transformado em agencia de palestra para palermas e bajuladores. Futuro sombrio e trabalhoso.

  15. Os bostinhas
    Edivaldo Dias de Oliveira

     

    Não a toa no meu coimentário abaixo, no xadrez da carne fraca chamei os componentes desses estamentos de “Os bostinhas”, pela completa falta de percepção do que realente está em jogo, são de uma cegueira, provocada pela vaidade e egos pessoais, que são capazes de destruir o edificio em que habitam com eles dentro. Se a bancada ruralista se organizar direitinho numa ação tática com a esquerda podem fazer com que essa ação da PF MP e  Judiciário tenha sido o seu ultimo suspiro, um tiro de canhão no próprio peito. A hora é agora.

     

     

    A hora e a vez da Bancada do boi reagir

    Esta é a hora e a vez da bancada ruralista, tambem conhecida como bancada do boi, reagir ao assalto feito pela PF.

    Sabemos que os grandes figotíficos não possuem rebanhos próprios, mas trabalham em parceria com pecuaristas, atuando basicamente como processadores. Ora, ao dar a pecuária o mesmo destino que deu ao pré sal e as empreiteiras, que é a sua destruição, os bostinhas da PF, MP e judiciário podem estar comprando uma briga de cachorro grande com uma bancada reacionária, porem respeitável pelo tamanho e interesses que defendem.

    Milhares de peduaristas podem ir  a bancarrota com a pataquada perpetrada per esse trio de babacas que quer acabar com o país.

    Diferentemente das empreiteiras e petroleiros, que não possuem uma bancada nominada e organizada para a defesa de seus interesses, os ruralistas tem uma bem azeitada, porém, se não agir rápido para estancar essa sangria, correm o risco de ver seus representados morrerem abraçados com os trabalhadores, empreiteiros e industriais ligados ao fornecimento de materiais para extração de petróleo e construção de navios. Tudo para beneficiar a banca, a mídia e fundos de investimentos, os chamados rentistas, que são os os únicos a ganharem com todo o sucateamento do país.

    É agora que lideranças de todos os campos atingidos, aí incluídos os trabalhadores, formarem uma frente, uma aliança tática para barrar as reformas da previdencia e trabalhistas, obstruindo a votação e encaminhamento de qualquer pauta até que se chegue a uma solução final que agrade a todos o setores vilipendiandos pela banca e mídia que manipulam “Os bostinhas” em seu interesse.

    Que lideranças como Kátia Abreu, Caiado pelo lado de lá  e a esquerda pelo lado de cá entrem em entedimento para por um fim ao desmonte do Brasil. 

     

     

  16. República de Curitiba

    Enquanto a Repuública Imbecil de Curitiba composta por uma quadrilha de Delegados Federais, Promotores Públicos Federais e alguns juízes Federais prevalecer sobre os interesses Nacionais com certeza o Brasil terminará a década com sua economia esfacelada. É o que dá um Supremo incompetente e covarde, e o pior é que o Ministro Barrozo ainda tem a cara de pau de botar a culpa só na classe média, como se ELE não tivesse nada com os últimos acontecimentos acontecimentos, principalmente com a omissão contra os abusos da Lava Jata. O resultado é esse que vemos, um delegadinho ignorante destruindo 15 bi em exportação.

  17. República de Curitiba

    Enquanto a Repuública Imbecil de Curitiba composta por uma quadrilha de Delegados Federais, Promotores Públicos Federais e alguns juízes Federais prevalecer sobre os interesses Nacionais com certeza o Brasil terminará a década com sua economia esfacelada. É o que dá um Supremo incompetente e covarde, e o pior é que o Ministro Barrozo ainda tem a cara de pau de botar a culpa só na classe média, como se ELE não tivesse nada com os últimos acontecimentos acontecimentos, principalmente com a omissão contra os abusos da Lava Jata. O resultado é esse que vemos, um delegadinho ignorante destruindo 15 bi em exportação.

  18. CARNE ESTRAGADA MATA

    Carne estragada contém toxina botulínica, o veneno mais poderoso do mundo. Apenas 700 gramas pode matar toda a população do planeta.

    Salmonella causa infcções intestinais gravíssimas, que podem levar à septicemia e à morte.

    Todos estamos morrendo?

    Não? 

    E sendo enganados?

    • Limpas são as estrangeiras…..como o Carrefour…

      Com esse poder avassalador, se os grandes frigoríficos estivessem espalhando botulismo e salmonella a torto  e a direito, estaríamos todos morrendo. As vezes que tive algum problema neste sentido isso ocorreu por falta de cuidado do restaurante ao cuidar da carne, ou do sistema de conservação do supermercado. Quando exportadas, essas carnes passam por uma infinidade de testes. Vejo muito mais perigo nas verduras e frutas envenanadas pelo agrotóxicos da Monsanto. Não estou dizendo que alguns frigoríficos não tenha cometido crimes, mas usar isso para destruir todo um setor da nossa economia como a Lava Jato já fez com 13% do PIB,  isso é inaceitável. Será que as estrangeiras são limpinhas: Carrefour frauda embalagem e vende carne podre

      http://eduardomate.blogspot.com.br/2013/03/carrefour-frauda-embalagem-e-vende.html

  19. imbecilidade

    Nas primeiras manchetes sobre corrupção na Petrobras lamentei o despropósito da campanha difamatória instalada na mídia . Ficou patente para mim que se buscava fragilizar no caso a vítima, a empresa, muito mais que cobrar a responsabilidade de corruptos e corruptores.Tendo trabalhado por mais de 30 anos na Petrobras sou testemunha do valor desta empresa, construída com sacrifício do povo e dedicação de empregados , alguns e não poucos dedicando até sua própria vida em eventos operacionais. Vi que a destruição da Petrobras agradava significativa porção de brasileiros sensibilizados pelas falaciosas campanhas midiáticas negativas ao petróleo brasileiro .Não imaginei naqueles dias que não tardaria ver este mesmo processo destruindo vastos outros setores da nossa economia, destruindo empregos, bens e conhecimento adquiridos em tantas gerações e comprometendo nosso futuro. Nassif , você responsabiliza com justa razão agentes do MPF e PF nestas ações,  imbecilizados pela nossa maior fonte de corrupção, a mídia hegemônica brasileira

  20. imbecilidade

    Nas primeiras manchetes sobre corrupção na Petrobras lamentei o despropósito da campanha difamatória instalada na mídia . Ficou patente para mim que se buscava fragilizar no caso a vítima, a empresa, muito mais que cobrar a responsabilidade de corruptos e corruptores.Tendo trabalhado por mais de 30 anos na Petrobras sou testemunha do valor desta empresa, construída com sacrifício do povo e dedicação de empregados , alguns e não poucos dedicando até sua própria vida em eventos operacionais. Vi que a destruição da Petrobras agradava significativa porção de brasileiros sensibilizados pelas falaciosas campanhas midiáticas negativas ao petróleo brasileiro .Não imaginei naqueles dias que não tardaria ver este mesmo processo destruindo vastos outros setores da nossa economia, destruindo empregos, bens e conhecimento adquiridos em tantas gerações e comprometendo nosso futuro. Nassif , você responsabiliza com justa razão agentes do MPF e PF nestas ações,  imbecilizados pela nossa maior fonte de corrupção, a mídia hegemônica brasileira

  21. imbecilidade

    Nas primeiras manchetes sobre corrupção na Petrobras lamentei o despropósito da campanha difamatória instalada na mídia . Ficou patente para mim que se buscava fragilizar no caso a vítima, a empresa, muito mais que cobrar a responsabilidade de corruptos e corruptores.Tendo trabalhado por mais de 30 anos na Petrobras sou testemunha do valor desta empresa, construída com sacrifício do povo e dedicação de empregados , alguns e não poucos dedicando até sua própria vida em eventos operacionais. Vi que a destruição da Petrobras agradava significativa porção de brasileiros sensibilizados pelas falaciosas campanhas midiáticas negativas ao petróleo brasileiro .Não imaginei naqueles dias que não tardaria ver este mesmo processo destruindo vastos outros setores da nossa economia, destruindo empregos, bens e conhecimento adquiridos em tantas gerações e comprometendo nosso futuro. Nassif , você responsabiliza com justa razão agentes do MPF e PF nestas ações,  imbecilizados pela nossa maior fonte de corrupção, a mídia hegemônica brasileira

  22. Eu já sabia!

    Desde que bateram panela para uma presidente honesta. Um parente que é juiz disse, quando o impeachment aconteceu, que tinha demorado. Um juiz!!! Qual a prova que o juizeco tinha? Nenhuma. Só sabe falar de tabela do brasileirão o do timinho dele. Um asno!!

  23. Idiocracia

    Realmente é desproporcional o alarde criado pela PF a esses eventos que são tão isolados em escala nacional que não se justifica a histeria global criada tanto pela mídia, cujo jornalismo se tornou sinônimo de sensacionalismo, quanto pelo povo nas redes sociais. O Secretário-Executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Novacki, deu a seguinte informação em entrevista coletiva sobre a ocorrência:

    Segundo ele, são 21 estabelecimentos de quatro grupos econômicos sob suspeita de fraudes no escopo de mais de 4800 estabelecimentos em todo o Brasil. http://www.jb.com.br/pais/noticias/2017/03/17/sao-fatos-isolados-minimiza-governo-sobre-carnes-estragadas-e-contaminadas/

    Se o que ele disse estiver correto, fazendo uma continha básica podemos chegar a conclusão que, então, o número de estabelecimentos suspeitos corresponde a 0,4% do total de estabelecimentos. 0,4%! Isso porque são apenas suspeitas, já que as investigações nem terminaram. Em que universo paralelo 0,4% seria representativo dos outros 99,6%?

    A tendenciosidade da maior parte dos brasileiros e, na verdade, da maioria das pessoas é tomar os eventos transmitidos pela mídia como amostra suficiente do que acontece em escopo maior na realidade. A mídia sabe disso e frequentemente a utiliza como arma política, cabendo a população discernir o que é verdadeiro diante de tanta desinformação. Mas como se as pessoas vibram cada vez mais quanto mais escandalizado forem as notícias? Não estão nem aí para a repercussão ecônomica? Depois a crise bate nas suas portas e a culpa será sempre do outro, do governo, das circunstâncias globais desfavoráveis, menos de si. E o que é desanimador? É que a própria PF é composta dessas pessoas.

  24. [email protected]

    Estamos colhendo os frutos da Lei de Diretrizes e Bases sobre a formação educacional do Brasil, o país dos facebookers e concurseiros.

    No entanto, este caso apresenta uma variável pouco considerada até aqui, que é o perfil da classe produtiva prejudicada com esta nova presepada da PF/MPF.

    Até agora assistimos o desmantelamento do setor de petróleo atingir em sua base a Petrobrás e a grande massa de trabalhadores e fornecedores da cadeia de petróleo e gás. Grandes somas, mas ainda um nicho setorial.

    Da mesma forma se verifica com a caça às grandes empreiteiras, que apesar do grande número de trabalhadores que empregam, pertecem a poucas famílias e grupos.

    Ambos, petróleo e construção pesada, representam bases estruturais da indústria e emprego, mas fora o grande número de trabalhadores desempregados, o impacto direto se deu no bolso de uma casta de oligarcas.

    Com a indústria da carne é diferente. Os frigoríficos e beneficiadoras são apenas a ponta de lança de uma cadeia produtiva que envolve milhares de produtores diretos, trabalhadores, e se espalha de norte a sul. Quem conhece a história da formação do Brasil não pode esquecer que o Rio São Francisco era conhecido como o “rio dos currais”.

    O gado é uma moeda paralela neste país, principalmente nos grotões.

    E, ao contrário do que se verifica nos casos da cadeia de petróleo e da grande empreiteira, a capilaridade da cadeia da carne tem um impacto direto na vida dos proprietários e ciclo produtivo primário. E, tal fato anda por demais esquecido, mas não se pode deixar de recordar que nenhuma classe é mais violenta que o campônio na defesa de seus interesses. Desta vez PF, MPF podem esperar reação tremenda dos lobbies do agronegócio. Assistiremos ao surgimento de contínuos projetos de lei com objetivo de ceifar autonomia funcional e financeira destas corporações pelas bancadas do boi e da bala. Como diz o velho brocardo: “Amontoaram brasas vivas sobre as próprias cabeças”. 

     

    • Muito bom seu comentário

      e para quem conhece o meio sabe muito bem que é assim.

      Talvez por linhas tortas se torne ao caminho da civilidade. 

  25. E eu na minha inocência ia

    E eu na minha inocência ia comentar a foto do Karnal com o Padre mais amado do Brasil, o Fábio de Melo….como estratégia sutil midiática…o Karnal é ateu, né? Mas perdeu a graça por conta desse jumentinho… do boi…do frango…do porco! 

    • Na última palestra dia 17…

      Karnal repetiu o básico da mesma e acrescentou que já há sinais EVIDENTES de RECUPERAÇÃO da Economia brasileira…

       

      Rapaz virou o fio mesmo.

       

      Triste fim!

  26. Queriam tão-somente desviar o

    Queriam tão-somente desviar o foco das trapalhadas golpistas e parece que conseguiram!

  27. Escândalo sob encomenda para desviar o foco da Lava-Jato

    Os mesmos grupos de direita do impeachment estão atacando

    É incrível o sincronismo… os mesmos grupos de direita agora atacam em coro a Friboi, associam a Lula e ao PT… sabe-se lá o motivo… piadinhas, montagens, memes, Tony Ramos, filho do Lula, Dilma… voltou tudo para o menu com esse escândalo.

    Isso mostra o quanto esses grupos estão integrados e coordenados… e aponta outra possibilidade:

    SERÁ QUE ESSE ESCÂNDALO NÃO VEIO PARA TENTAR DESPISTAR A LAVA-JATO, REFORMA DA PREVIDÊNCIA, ETC.?

    A esquerda agora só tem esse assunto… defender a indústria nacional representada pela Friboi… a direita forçou uma polarização e mais uma vez pegou o papel de moralismo fake para si… esse papel ela adora!

    A mídia vai abraçar esse caso para aliviar para o govermo Temer.

  28. Operação Carne Fraca

    Perfeito, Luis Nassif.

    Dos tempos da vovó:  “Roupa suja se lava em casa”. 

  29. É como no filme 2012 (o do fim do mundo)

    Esta frase do Nassif me lembrou o que pensei ao ver o filme: “No entanto, essa imbecilidade, de que a destruição das empresas brasileiras contaminadas pela corrupção, permitirá que viceje uma economia mais saudável, é recorrente nesse reino dos imbecis”.
    como poderia um grupo de pessoas imbuidas pelo egoísmo, mesquinharia (no filme mostrado pelas cenas finais do salve-se que poder), estarem aptas a construir um mundo melhor?

    Como pode estes imbecis de pensamentos e atitudes medíocres conseguirem construir um país melhor? Vai ser cada dia pior e em breve, inclusive para eles.

  30. só não podemos cair ….

    Só não podemos cair no “muito grande” para ser punida , aí as empresas podem fazer o que quiser pois punoções prejudicariam a economia , mas concordo que a operação foi midiatica e irresponsável , o maior exemplo é o “papelão”.

  31. carne misturada

    Não teve um caso de mistura de carne  de boi com cavalo na alemanha , europa há alguns anos atras; como se resolveu esse episodio  

  32. carne misturada

    Não teve um caso de mistura de carne  de boi com cavalo na alemanha , europa há alguns anos atras; como se resolveu esse episodio  

  33. Aqui matutando sobre que

    Aqui matutando sobre que estrangeiras – conforme o receituário do Sergio Moro(http://jornalggn.com.br/noticia/como-a-lava-jato-foi-pensada-como-uma-operacao-de-guerra) – deverão abocanhar os frigoríficos brasileiros, me lembrei que no Sul do Maranhão, mais especificamente em Balsas, há por exemplo duas empresas, uma de nome Bunge e outra denominada Cargil: não é que as danadinhas estão entrando no mercado de carnes….humm…será que a ordem para eliminar as concorrentes brasileiras veio do Norte….tem gato nessa tuba…

    http://jornalggn.com.br/blog/jose-carlos-lima/agronegociantes-estao-entrando-no-mercado-de-carnes

     

  34.  
    Essas escolas de

     

    Essas escolas de magistratura, do MP e da PF discutem apenas teses jurídicas, sem uma visão de conjunto, do país institucional, de nação.

    O concurso na área jurídica pode apenas conhecimento de leis e teses jurídicas, fazendo juízes, promotores e delegados sem nenhuma visão institucional de nação. 

    O pior é que estamos sendo “governados” por esses concursados analfabetos institucionais.

    • Caro Pedro, não nos

      Caro Pedro, não nos esqueçamos que esses concursos possuem “crivo” através de provas orais (não gravadas, diga-se). Então, o cara entra na sala disputando a última da última vaga e, ó, sai da oralidade entre os dez primeiros colocados…

  35. Soldadinhos de chumbo

    O povo brasileiro virou um exército de soldadinhos de chumbo manipulados pela Globo. É impressionante como atendem ao seu chamdo no primeiro apito, e o pior,  é que não há esperança à vista que mude esse situação. O país se encontra na UTI em estado terminal. Não há simplesmente um órgão público em quem confiar tudo está um verdadeiro caos.

  36. Sigilo? É sério isso?

    Por mais que eu também ache que a PF tem abusado da espetacularização das suas ações, não consigo imaginar que é do interesse público – leia-se, da imensa maioria da população que consome os produtos, e não de uma minoria específica que trabalha na cadeia alimentícia – que uma investigação dessas corra de forma sigilosa. Além disso, o problema não é exclusividade do Brasil: para ficar em dois exemplos, um teste na Alemanha (aqui) e um caso bem recente na Suíça (aqui).

    Agora imagine só, se existisse uma revista no Brasil similar à Öko-Test da Alemanha, e ela detectasse que a carne de determinadas marcas ou supermercados tivesse problemas similares aos que foram detectados pela PF, ela não poderia publicar a matéria porque ela fere o “interesse nacional”? E já que a gente falou na Alemanha, não me parece que o governo alemão está “passando a mão na cabeça” da Volkswagen, um patrimônio nacional lá – muito mais do que qualquer frigorífico aqui – após o escândalo de emissões da empresa.

    E, para completar, após as notícias de ontem, e apenas no meu círculo de amizades, já apareceram diversos relatos de amigos ou familiares que compraram carne da Friboi e perceberam que ela estava literalmente podre ao abrir a embalagem! Assim, continuo tendo dificuldades em entender como o tratamento de um problema desses deveria ser tocado em sigilo…

    • Você não entendeu. Ficou
      Você não entendeu. Ficou preso apenas a uma parte da questão. O autor fala em operação rápida, discreta e sigilosa.

      Vc se apegou somente ao sigilo. Eles vão ficar meses nesta pirotecnia. Nada de rapidez e discrição, uma vez que o sigilo já foi pro brejo. Nada de levar em conta um setor tão estratégico. Não tem como não achar isso imbecilizante.

      Sugiro você dar um passeio e um mergulho nas praias do mediterrâneo, onde nem plâncton existe mais. Pode ficar tranquilo que terá um monte de turista te fazendo cia. Mas não vai encontrar nenhum poste com bandeira indicando a qualidade da praia.

  37. E quando tudo estiver

    E quando tudo estiver acabado, queimado, demolido ergam uma estátua gigantesca do doutor moro em plena praça dos três poderes. Sim, porque ele se fez o poder. E com a ajuda da globo não sustituiu apenas, ele devastou os outros três e fez_se a única fonte obedecida no país. Uma fonte de ódio, de discórdia, preconceito, de sabotagem conpleta de qualquer projeto de libertação e soberania nacional. 

  38. E quando tudo estiver

    E quando tudo estiver acabado, queimado, demolido ergam uma estátua gigantesca do doutor moro em plena praça dos três poderes. Sim, porque ele se fez o poder. E com a ajuda da globo não sustituiu apenas, ele devastou os outros três e fez_se a única fonte obedecida no país. Uma fonte de ódio, de discórdia, preconceito, de sabotagem conpleta de qualquer projeto de libertação e soberania nacional. 

  39. Carne fraca
    Não me conformo com esta república do Paraná, olho para aqueles imbecis, com cara e pompa de super heróis, sem nenhum escrúpulo e com certeza adestrados por quem, eu não sei, e fico pensando, é ego? Ou será mau caráter? Não é possível, que não se pesquise, quem é essa gente midiática, que adora destruir tudo, sem se importar com seu próprio país, com as leis e que não respeita nada.passa o trator. Quando isso vai parar?

  40. Efeito colateral?

    A “zelite nacional” que comprou, com casca e tudo, a idéia do bolivarianismo tomando conta de toda a América Latina, parece que está assustada com o monstro produzido. 

    Tudo indica que salgaram a terra por onde o PT e aliados passaram….

    O clã Sarney foi ferido mortalmente;

    A cadeia de petróleo e gás foi dizimada;

    As empreiteiras colocadas a pão e água;

    Eduardo Campos seria abatido de um jeito ou de outro;

    O Banco Rural desapareceu?

    A indústria automobilística produziu os seus próprios escândalos, mas estão tentando encontrar novos “fatos” pprara comprovar convicções pré determinadas;

    Os submarinos estão submergindo?

    A Embraer, por enquanto, foi penalizada de leve. Também, tratou logo de transferir linhas de produção para os esteites;

    Não vai estourar algum escândalo com o blindado Guarani? O KC 390 está associado com a Boeing, desta forma está protegido……

    O monstro criado ganhou vida própria e começa a atingir hostes e setores, majoritáriamente, apoiadores do golpe. Faz 

    parte da inércia. 

    Efeito colateral à vista.

    Pena que, pouco deste efeito atingirá a Globo, judiciário e imprensa golpista….

  41. chegamos às raias do absurdo com esses jovens…

    nunca atraímos contra nós , contra o Brasil, tanta investigação, perseguição e destruição

    sinal de que as leis que eles seguem ou obedecem não são as nossas, da terra, do Brasil ou do lugar em que nasceram e foram educados

    nem conspiradores, nem primários, são jogadores que não querem mudar o jogo, apenas implantar novas regras altamente prejudiciais aos nossos interesses

    os traidores da pior espécie são os jovens imbecis e aventureiros. É a imbecilidade legalizada

    • é da imbecilidade legalizada, após criada pela mídia…

      que surgem estes jogadores querendo mais poder do que tem quem eles devem respeitar

      e não respeitam ninguém. Infelizmente a liberdade total criou grupos

  42. Caro Luis Nassif, gostaria de

    Caro Luis Nassif, gostaria de propor (na verdade, solicitar) sua atenção para algo que me atormenta: alguém com projeção e capacidade – e eu gostaria de que esse alguém fosse você – pensasse a respeito do fato de que os problemas que são causados pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal são casos seríssimos e precisam de ser cuidados.

    Como nos mostram as atuações do MPF e da PF (combinadas com atuações de parte da Justiça de São Paulo e do Paraná) são casos que têm de ser supervisionados, inclusive quanto ao aspecto de traição à Pátria.

    Está demonstrado de sobra que tem de haver uma supervisão capaz. Um Órgão de Controle com força para conter os descaminhos por que esses “resultados” de trabalhos da Justiça e da PF geram no País.

    Precisamos de alguém (insisto que esse alguém fosse você) que tenha ferramenta e envergadura para propor bem alto e claro aos Deputados e Senadores da República que eles deveriam estabelecer POR LEI – o mais rapidamente possível!, que o Ministério da Defesa – não obstante regido por um civil, um General, um Almirante ou um Brigadeiro – deveria controlar a Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

    Seria fundamental que o Ministério da Defesa os controlassem, defendendo febrilmente o cumprimento da Constituçao e a observância do respeito ao interesse do Brasil como País.

    Estou certo de que as Forças Armadas, através do Ministério da Defesa demonstrariam com pertinência e capacidade a diferença entre o joio e o trigo. E a farra do boi acabaria, porque eles apenas teriam de trabalhar honestamente.

    E os fanfarrões e os exibidos certamente teriam de trabalhar como se fossem gente para garantir seus salários e não escarrar no País.   

  43. eu trabalho a quarenta e nove

    eu trabalho a quarenta e nove quilometros de minha casa e todos os dias, ida e volta, eu trefego pela a BR153. todos os dias eu vejo caminhoes indo e voltando carregados de animais que vão encontrar a morte nos frigorifocos do pais. sinceramente tenho mais dó deles do que dessse capitalismo que faz uma matança todos os dias pra satisfazer sabe-se  lá quem for…não consumo carne de bicho nenhum.. não como bicho. agora que o assunto tá na baila tome imagem de bicho morrendo por lá! ninguem merece isso.

    se eu tivesse terra ia formar um pomar e deixar todos livres.

    pra ver… gente estuda pra criar armas que matam… pra criar maquinas que matam… facas que matam.. maquinas que trituram..

    outros estudam e matam um pais..

    em nome do combate a corrupção vamos fechar toda a cadeia alimenticia e entregá-la  a estrangeiros…

    como já disse Gobineau, no século XIX: o branco no brasil se desumaniza a ponto de se confundir com escravos. negocios só nas mãos de estrangeiros.. ou comercio ou industria..

    estrangeiros?? 

    e quem não se lembra quando na Europa estourou o escandalo que estavam produzindo alimento de bebe com carne de cavalo?

    Imbecil?

    de maneira nenhuma..

    e de novo se  produz o efeito manada que vai fazer o povão ir pra rua pedir cabeças de quem a mdia mandar…

     

  44. Se a polícia sabia disto 2 anos atrás…

    Se a polícia já sabia disto  dois anos atrás, me parece um tempo muito longo. Se estivessem de fato interessados em nossa saúde teriam agido dois anos atrás. Afinal isto significa que sabendo dos problemas nos deixaram durante este tempo comendo carne estragada. 

    Curiosamente tudo isto ocorre no meio de uma briga pelo poder dentro da polícia, A denuncia anunciada em grande pompa, pela  mídia, afirma que é a maior operação, e logo a seguir aparecem delegados para apresentar a denuncia mídiaticamente. Isto ocorre coincidentemente  quando o Brasil consegue a abertura do mercado americano.   No meio da denuncia escapa o nome do Ministro da Justiça, ( Chefe maior da PF), mas com a frase, de que nada de ilícito havia no telefonema. Obviamente  não posso deixar de pensar que é uma mensagem  meio ameaçadora ao proprio chefe.

    E a mesma emissora que fala de agro é tec, agro é tudo, reverbera tudo isto, mostrando a imbecilidade e ou a cumplicidade de seus analistas e jornalistas.Obviamente  no dia seguinte, mudam o tom , “ma no troppo”  pois são pressionados pelos seus  patrocinadores no Brasil e pelos interesses externos. A mesma analista muda  e agora  fala em  problemas localizados.  Mas continuam na mesma tonica de tentar transformar o brasileiro de maneira geral em imbecil.  E nossa televisão reflete esta casta enclausurada no poder e que quer continuar no poder. Cometem todas as imbecilidades do mundo, destroem o país, mas todos tem diploma.  E são estes imbecis que chamam todos o brasileiros de imbecis.  Mas parodiando alguém :  não se pode imbecilizar o povo   o tempo todo.

    E hoje  na telinha um desfile de autoridades e experts falando de tudo para minimizar o que foi a destruição de mais  uma parte de nossa economia. Enquanto isto a operação continua e não se vê sequer uma crítica nominal aos Delegados que apareceram midiaticamente, nem contra um que falou textualmente que os brasileiros não podem confiar na carne que comem. E  tudo isto apenas para satisfazer os interesses de corporações que defendem ter mais e mais poderes, para violar mais e mais direitos. Aos que deram suporte ao golpe jamais compreenderam que a violação dos direitos de um cidadão é a porta de abertura para a violação de direitos de qualquer cidadão. Se hoje são vítimas, ontem foram cumplices. E ao final com tantos manobras na informação, através da mídia jamais  saberemos muito sobre os fatos, mas com certeza sentiremos o efeito de ações irresponsáveis.

  45. Ah é, peço licença para

    Ah é, peço licença para colocar aqui um comentário de Waleska Falci:”Não é só a carne que é podre na JBS. É por causa de empresas como a JBS que o governo quer cortar na carne dos trabalhadores e fazer a reforma da Previdência. Considerada uma das maiores empresas de alimentos do mundo, ela também é uma das 10 maiores devedoras da Previdência no Brasil. A divida da JBS é de quase 2 bilhões de reais. Se empresas devedoras como a JBS pagassem o que devem, talvez não estaríamos discutindo a reforma da Previdência. Mas ja que a JBS não paga a Previdencia, querem na carne é dos trabalhadores!!”

  46. “…reino dos imbecis…”

    A grande maioria

    ora vive alienada

    não sabia

    ora vive indignada

    também queria

    mais valia!

  47. Mil perdões, mas…

    Não quero ofender-lhe com esse post, seu Nassif, mas…

     

    “No entanto, essa imbecilidade, de que a destruição das empresas brasileiras contaminadas pela corrupção, permitirá que viceje uma economia mais saudável, é recorrente nesse reino dos imbecis.” 

    … suspeito que o reino de imbecis é o que cá está: um país subdesenvolvido é um país que exclui a maior parte da sua população da competição pelos “concursos disputadíssimos” e outras posições de status na sociedade – esta é a essência de um país subdesenvolvido porque esta é a contrapartida reservada àqueles que exercem o poder.

    A classe média tradicional, de onde saem esses procuradores, é a fração da população que de fato exerce o poder e sem a qual a elite de super-ricos não pode manter em funcionamento o sistema que lhe é lucrativo. O que faz a classe média tradicional exercer o poder em favor dos super-ricos é a possibilidade obter suas posições de status na sociedade sem ter que fazer esforços comparáveis aos esforços dos “vitoriosos” nos países desenvolvidos. 

    Para a classe média (que não anda de jatinho, não faz parte das “cortes modernas” de plutocratas reminiscentes das antigas aristocracias e não possui aplicações financeiras rendendo o suficiente para viver em uma bolha), o dinheiro não é suficiente; é necessário, além do dinheiro, o status proveniente das posições de comando na sociedade. Os integrantes da classe média são seres humanos que querem socializar, se divertir, saciar seus fetiches de consumo e a necessidade de criar uma imagem de vencedor na vida para admirar – eles precisam das posições de status na sociedde para isto… 

    E eles não são imbecis – não nesse aspecto, pelo menos – porque eles sabem que se o Brasil se desenvolver, a competição pelos seus cargos vai apertar e, apesar de todos problemas relacionados a escassez de capital cultural, os pontos fora da curva vindo das classes pobres vão tomar-lhes os empregos que lhes dão status. Obviamente, eles jamais vão admitir isto e se farão de idiotas para que ninguem perceba; mas se eles não são imbencis, eles também não são gênios e o que eles fazem não tão imperceptível assim. Talvez, imbecis mesmo são aqueles não percebem.     

     

    PS: “O empregado tem carro e anda de avião. E eu estudei pra quê”? Quem veio de classe média tradicional ouviu isto nos almoços de domingo muito antes de ler nos jornais. 

  48. Trabalho notável

    Tenho acompanhado desde ontem mais um espetáculo dantesco sobre o nosso pobre e sofrido país.

    Nassif está coberto de razões acerca desse novo episódio que tem o firme propósito de quebrar mais um setor de grande importância econômica do país.

    Nem de longe acredito nas boas intenções desse delegado Moscardi e sua trupe do MPF e PF.

    Esse boçal numa entrevista se imiscui num assunto técnico que foge ao seu conhecimento, e se atreve a falar sobre o assunto disparando imbecilidades a toda prova.

    Fala sobre as substâncias por de mais conhecida no setor de produção de alimentos, em especial, os cárneos.

    Ácido ascorbico jamais foi nocivo à saúde, pelo contrário, é benéfico.

    Quem não se lembra da escola, (acho que esse imbecil fugiu dessa aula) das estórias contadas pelos professores de ciência sobre o escorbuto, doença ocasionada por deficiência de vitamina C (ácido ascórbio).

    Mas ele ousou falar de um assunto técnico que foge ao seu conhecimento.

    Sobre o ácido ascórbico, foi além, dizendo ser cancerígeno.

    É um potente anti mofo e anti bacteriano, e não é nocivo à saúde humana.

    Deve ser utilizado substituindo os nitritos e nitratos, estes sim com potencial cancerígeno, e exerce a mesma ação de conservantes de alimentos sem aqueles efeitos nocivos.

    Mas o pateta se atreveu de falar sobre o que não conhece.

    Nós vivemos uma era de obscurantismo em que indivíduos vestidos de função pública dolosamente ataca com truculência  e travestidos de dever de ofício, setores da economia fundamentais para o país.

    É estarrecedor que nessa esteira vão de roldão a grande mídia embalando as ações suicidas desse energúmenos.

    E com eles o povão inculto, burro e desinformado alimentados por esse criminosos.

    Redes sociais virou painel de quem consegue ser mais idiota.

    O setor do agronegócio é sério e tem os mesmos problemas do que qualquer outro.

    Não é deliberadamente criminoso com um todo.

    Bandidos existem por todos os lados, mas não devem ser generalizados como regra.

    Fui protagonista de uma auditoria da UE que estiveram em São Paulo para viabilizar negócios com os países membros.

    Neste caso, vieram para auditar o processo de produção de citros aqui no estado de São Paulo, e a região escolhida para auditagem foi a minha.

    Eles são sérios e nós também, e eles sairam satisfeitos com os resultados.

    Isso não pode ser jogado na lata do lixo por um bando de malucos que resolveram se vestir de “heróis”, mas estão fazendo o papel oposto – de heróis bandidos.

    O esforço das pessoas de bem para enfrentar esse tsunami é inglório, e vejo lamentavelmente até blogs ditos progressistas embarcarem nessa canoa furada, dando dimensões que não se justificam, com o intuíto somente político.

    A verdade deve ser dita e preservar as pessoas e as empresas sérias.

    Até parece que esses imbecis concurseiro vieram de Marte, e não fazem parte da sociedade terráquea Brasil.

    Não existe corrupção no MPF, PF e judiciário?

    Quem será o herói que enfrentará esses “deuses” mistificadores?

    • Francisco, também estranhei

      Francisco, também estranhei esse lance do ácido áscorbico. Não tenho conhecimento das normas legais sobre sua utilização como conservante de carnes e, portanto, se o procedimento adotado pelos frigoríficos foi correto. Agora, como profissional farmacêutico, desconheço essa potencialidade cancerígera do ácido ascórbico. Mesmo em altas doses.

      Ácido Áscorbico é vitamina C. Tem propriedade anti oxidante, combate  radicais livres e, portanto, é um anticancerígeno. O químico Linus Pauling, na década de 70, publicou estudos do uso de altas doses de vitamina  C para o combate ao câncer. O estudo foi e ainda é questionado e aprovado por muitos, mas não conheço a fama de cancerígena da vitamina C. Posso estar desatualizado.

      Pode até ser que o uso dessa substância na carne, mascare algum outro problema sério na mesma e aí sim, a prática seria condenável e por isso deva ser proibida; agora a história do “cancerígeno” realmente pareceu exagero.

       

      • Acertou

            Ele mascara a validade das carnes e preserva a cor e aspecto, raramente é utilizado em carnes in natura, mas nas processadas ( picadas, processadas, embutidos etc. ), e considerado um aditivo, na legislação americana é assim:

             www.fsis.usda.gov/wps/portal/fsis/topics/food-safety-education/get-answers/food-safety-facts-sheets/food-labels

             Tanto pela legislação americana ( é que o Mundo segue ), como da UE, qualquer aditivo colocado durante o processo ( do pasto ao abate e processamento ) deve ser especificado literalmente e fiscalizado, como vacinas, a ração que o bicho comeu, o processo de engorda ( campo ou estabulo ) – até a forragem ( pasto, tipo da grama e o tratamento ao qual ela foi submetida ), se teve necessidade no ciclo de vida do animal ( pré abate e processamento ), da utilização de insumos quimicos ( como o acido ascórbico ), e possiveis complementos.

              Tipo assim : um Boi/Frango/Perú sem “nada em cima” ( pasto monitorado, engorda sem aditivo nenhum, de area livre de doenças e monitorado do “ovo” ao abate e cadeia de processamento “limpa” ), tem um mercado e preço, ambos mais elevados, muito mais elevados ( + 30% ), que um rebanho criado a VitC, antibióticos e rações não certificadas externamente*

               

        • Shelf life

          Aurelio

          A forma correta de dizer não é “mascara a validade”.

          Fica a impressão de usar expediente fraudulento, o que não é verdade.

          O uso correto é dizer “aumenta a vida de prateleira” (shelf life).

          Apenas acrescentando algo mais sobre conservação de carnes, o processo tecnológico, pesquisas, descobriram novas substâncias que ajudam na conservação dos alimentos.

          Todos conhecem como os nossos antepassados conservavam carne suína.

          Era conhecimento empírico do caboclo matuto, que sabia que colocar a carne suína cozida na própria banha do animal, era um excelente meio conservante, desde que hermeticamente fechada num recipiente, para evitar contato com o ar e a sua consequente oxidação.

      • Respondendo

        E respondendo ao José de Queiroz, o ácido ascorbico não interfere em nada de negativo na carne, pelo contrário, só tem benefícios.

        Mas fique bem claro, as duas substâncias somente é permitida em produtos cárneos elaborados como embutido em geral.

        Carne in natura, o processo de conservação é pelo frio, resfriada ou refrigerada.

    • Retificando

      Neste parágrafo…

      Sobre o ácido ascórbico, foi além, dizendo ser cancerígeno.

      Eu quis dizer, ácido sórbico, usado como conservante, também.

      Assim como o ácido ascórbico (vit C) também não prejudicial à saúde e muito menos cancerígeno.

       

  49. É dum contorcionismo

    É dum contorcionismo admirável a tentativa de descrever a operação que deveria chamar-se “a carne é fraca”. Mas a coisa é muito mais simples do que parece e com o buraco bem mais abaixo. Trata-se do seguinte: é a carne dos caras da polícia federal / ministério público / judiciário que é fraca. A fome é desenfreada. A fome de levantar altas granas em cima dos esquemas é do tipo “ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão”. A maioria dos elementos que prestam concurso para a polícia federal / ministério público / judiciário já vai com a intenção maior e práticamente única de levantar grana dos esquemas principalmente dos roubos do colarinho branco. Cansamos de ver esses caras tomando wisquinho com bandidos enturmados.

     

  50. Nassif veja q as pautas do
    Nassif veja q as pautas do MP,PF e judiciário são antinacionais,está claríssimo,e o direcionamento é dado pela Globo, incrível,uma CONCESSÃO PÚBLICA investindo contra as nossas melhores empresas,QUEM SERÁ A PRÓXIMA VÍTIMA ?
    Uma nação toda refém de uma concessão !

  51. Até que enfim alguém (sua

    Até que enfim alguém (sua amiga) definiu o que esse concurseiros são: primários! Chamá-los de medíocres é uma gentileza imerecida.

  52. Mas, por outro lado…

    Mas por outro lado, não é interesse geral do brasileiro conhecer a possível improcedência da carne que pode estar ingerindo?

  53. Porque será que uma operação

    Porque será que uma operação que já estendia por mais de dois anos, de repente, é divulgada de uma forma espetacularizada, para dizer o mínimo, exatamente 3 dias depois de ter sido divulgada a tão famosa LIsta do Janot, que incrimina tucanos e pmdbistas graúdos?

    Porque será que as manchetes sobre a tal Lista simplesmente sumiram do noticiário?

    Será apenas mais um episódio das famosas Teorias da Conspiração?

    Ou será apenas mais uma incrível coincidência que, além de tirar a Lista do Janot do noticiário (que, agora, mofará nos escaninhos da Justiça), vai ajudar a quebrar mais um setor da economia nacional (depois da engenharia nacional, da indústria naval e da indústria da defesa nacional), por acaso também um setor que incomodava demais aos interesses do Tio Sam?

    Parece que existe algo mais no ar do que os aviões de carreira ….

  54. Será que o problema é de instrução?
    Conheço pessoas analfabetas com pensamento lúcido do Brasil atual, que assistem Globo e não acreditam no William Boner. Por outro lado conheço doutores, professores de Universidades públicas e privadas que fora do seu ramo são senso comum embecis como todos os outros. E então? Por que essa gente faz o que faz? Seria falta de conhecimento? Baseado no que eles imaginam que setores inteiros da economia renasceram do nada?Desde o Mensalão eu vejo que o que domina esses meios é a esperteza, no sentido pejorativo. O problema aqui é má fé mesmo, arrogância, estrelismo, e por aí vai. Até um analfabeto percebe o que estão fazendo com o Brasil. O que motiva a PF e o MPF a fazerem o que fazem talvez seja por saberem que não seram punidos, mas não por falta de conhecimento.

  55. Acrescento um ingrediente:

    Vaidade. Ser o cara que fez a operação que detonou com empresas imensas e importantes e poder dizer para si próprio “olha só o poder que eu tenho”.

     

    A burrice vem na incapacidade de enxergar o dia seguinte, com PIB despencando, etc.

  56. Vamos ver se entendi

    De alguma forma estes frigorificos estavam colocando a saúde da população em risco? Se SIM, estes merdas da PF e MP deixaram essa barbaridade ocorrer por dois anos?

    Quem é mais criminoso?

    Quem Faz?

    Quem Fiscaliza?

    Quem sabe, tem poder e dever de parar com o crime e não faz nada por dois anos?

  57. Com licença a Katarina

    Com licença a Katarina Peixoto, seu texto: “Essa defesa da “indústria da carne brasileira” é fascinante. Um padrão produtivo destruidor, ultra concentrador, macabro, cruel com os trabalhadores. Se empreiteiras são destruidoras também, não se pode dizer que não desempenham papel no desenvolvimento, na urbanização, nos serviços públicos e na modernização.

    Agora, carnes? Isso lá é commodity pra se reivindicar? Menos, galera. Olhem para o que esses pilantras estão fazendo no Mato Grosso, em Goiás, na Amazônia. Se isso é interesse nacional, é melhor não tê-lo! Nacionalismo se é isso, é melhor não tê-lo.

    Carne, soja, trigo, milho. Nós podemos mais e melhor que isso.

    Quem acha que commodity mequetrefe é a salvação que busque na elite nacional (armaria) alianças estratégicas, a essas alturas do caráter óbvio do rentismo, no processo golpista. Vão se agarrar com quem, a essas alturas do golpe? PAREM.

    A Amazônia ela mesma é um ativo. A nossa água. O nosso patrimônio. É preciso não pensar direito para confundir indústria, sic, da carne, com as empreiteiras. Assim como ninguém precisa da quantidade de carne que se come, no padrão insalubre de consumo derivado da obscura e cientificamente nula pirâmide alimentar, ninguém precisa viver num país transformado em arado de monoculturas para exportação, sem valor agregado, sem tecnologia embutida, sem aporte nutricional, para alimentar a indústria lixo de outros lugares.

    Este é um bom momento para rever coisas. A fé parangolé em commodity mequetrefe deveria ser jogada fora. Não repetir erros é o começo dos acertos. Não adianta, mas eu digo mesmo assim. Não canso de me surpreender com tanta coisa estranha. Tem até festa pela polarização. Como se polarização fosse algo político-eleitoral, e não dissesse respeito ao avanço do fascismo na sociedade.

    Que aborrecimento com coisas que deveriam estar claras, diabos.”

     

    • Sim, podemos mais do que isso. Mas…

      Sim, podemos mais do que isso. Mas seria ingenuidade pensarmos que o mercado da carne será simplesmente abandonado. Precariza o trabalho? Muito. Destrói o ambiente? Completamente. Mas dá lucro, e os grandes produtores, muitos deles com braços poderosos no Congresso, não vão simplesmente abandonar o negócio porque apareceu carne podre na tevê. O mundo não é um mar de rosas, é um mar de verdinhas.

      O que vai acontecer é pior do que isso. Continuaremos a produzir carne, e muita, com a mesma precarização e a mesma devastação de sempre. Mas o valor da nossa carne, em vista do escândalo mundial que essa operação desencadeou, cairá muito. Nossa carne, se industrializada por nós mesmos, poderá não ser bem aceita lá fora – “Essa carne não é daquele país que faz salsicha de papelão?”. O que nos restará? vendermos a carne não processada, portanto com valor agregado menor, para países “mais importantes”, que vão embalar e vender para os mesmos lugares que vendemos hoje, embolsando o lucro que embolsamos. Para compensar a diminuição do faturamento, pode acontecer até mesmo uma intensificação da produção. Ou seja, teremos o pior dos dois mundos: os muitos males da produção de gado de corte sem os poucos benefícios que ela traz.

      Dito isso, gostaria muito que sua perspectiva, de que essa crise é uma excelente oportunidade para repensarmos nosso modelo produtivo (e, por que não, civilizatório), se concretizasse. Mas os brasileiros somos excelentes em perder oportunidades…

  58. Qual imagem deve ser vendida???

    ‘Exibicionismo irresponsável” e “jogo de poder interno da policia federal”…Ok a mídia colabora e o muro das lamentações brasileiro ( me refiro ao facebook mesmo) também. Mas vejamos a complexidade e enxurrada de tragedias que nos fazer indignar: corrupção aos montes; morte do Rio Doce; Leite com soda caustica…tantas coisas acontecendo que um grito desses é uma tentativa de aliviar a dor. Quem dera se todo brasileiro, ciente de sua cidadania, fosse um palpiteiro de “redes socias”, compartilhando as porcarias que muitas vezes são escondidas. Viva os bate-bumbos, principalmente aquele que denunciou. Está tão insuportável que não devemos nos preocupar coma vai ficar a imagem do Brasil no comércio exterior. Ora, quanta hipocrisia! É melhor vender carne podre mascarada e ter imagem linda e lucros?
    Prefiro que após isso, haja mais empresas sérias, mais fiscais sérios e finalmente uma imagem séria de um Brasil sério!

  59. Qual é a imagem que deve ser vendida?

    ‘Exibicionismo irresponsável” e “jogo de poder interno da policia federal”…Ok a mídia colabora e o muro das lamentações brasileiro ( me refiro ao facebook mesmo) também. Mas vejamos a complexidade e enxurrada de tragedias que nos fazer indignar: corrupção aos montes; morte do Rio Doce; Leite com soda caustica…tantas coisas acontecendo que um grito desses é uma tentativa de aliviar a dor. Quem dera se todo brasileiro, ciente de sua cidadania, fosse um palpiteiro de “redes socias”, compartilhando as porcarias que muitas vezes são escondidas. Viva os bate-bumbos, principalmente aquele que denunciou. Está tão insuportável que não devemos nos preocupar coma vai ficar a imagem do Brasil no comércio exterior. Ora, quanta hipocrisia! É melhor vender carne podre mascarada e ter imagem linda e lucros?
    Prefiro que após isso, haja mais empresas sérias, mais fiscais sérios e finalmente uma imagem séria de um Brasil sério!

  60. Todos esses setores ditos

    Todos esses setores ditos “modernos” do empresariado dito “nacional” traíram a democracia brasileira, ao apoiarem o golpe. Aliás, como já faziam quando não eram mudernos… E vou citar de novo o que já se sabe: no caso das carnes, além da exploração da mão de obra barata e da enganação do “consumidor”, o que se faz com os animais não humanos é desumano. F…se.

  61. Zurrar em rede, e “Cota Hilton”

        Que o DIPOA/SIF – PR tinha problemas, a ABIN foi comunicada há anos, não há dois, foi mais, e foi procurado – tentado – “cintar” este orgão, mas injunções politicas e empresariais ( não das “majors” ), embaçaram a cintagem, inclusive aumentaram o escopo de suspeitas para outros Estados ( GO, TO, MT, SP ).

         Sou de mercado, um vendedor de qualquer coisa, tangivel ou intangivel, inclusive “carnes” ( não importa o bicho ), e sei como funciona o processo de exportação, o qual não é nem de perto a simplicidade que o infimo delegadinho e seus sabujos midiaticos explanaram mal e porcamente ( não referente a suinos de corte, que são muito limpinhos ), pois pelos contratos, tanto com a USDA como a UE, Japão….qualquer País, tanto o frango como o boi, em partes ( resfriados ou processados, inteiros ou em “partes especificas” de acordo com o cliente ), são rastreados desde o pasto, passando pelo abate, pelo corte/processamento, embalagem, despacho, conteiner, navio e recepção no destino.

          Funciona assim: Se vc. for a churrascaria ( brazilian barbecue ) Fogo de Chão, em Washington ( Pennsylvania Av. ),ir a dispensa e pegar uma peça de alcatra/contra filé , no corte deles ( sirloin ), será JBS, que pelo numero do lote na embalagem, mais o selo de conformidade do USDA/FDA, vai dar para saber até o numero do boi que foi abatido, até o que ele comeu, se foi de pasto ou de estabulo, onde ele engordou e por quanto tempo, o nome do navio que foi embarcado, o fiscal americano que aprovou a entrada do conteiner no Porto de NY ou Charleston, com cortes de frango ou na Europa/Russia/Oriente Médio = A mesma coisa, o procedimento é igual.

          Porra, desde os anos ’80 em algumas unidades da BRF de frangos, existem Imãs (muçulmanos fornecidos por contato com a Mesquita do Brasil em São Paulo ), que verificam se os animais são abatidos de acordo com as leis deles, e como não somos preconceituosos, já vi – ninguem me contou – em um abatedouro/frigorifico em Promissão (SP), todos os meses rabinos de “corte” ( os “mãos de faca do judaismo ” ), veem conferir o abate de carnes kosher, visando exportações para paises com comunidades judaicas importantes.

           Exportar alimentos semi-processados e/ou processados é um dos maiores desafios no comércio internacional, não é como exportar farelo de soja para alimentar rebanhos ou esmagar grão para oleo, foi um trabalho desenvolvido por décadas, alcançamos a “cota hilton” ( sou velho ainda uso este termo ) só agora, o de cortes in natura, com teor de gordura especifico ( marmorização ), perda de aguá, sem aditivos/defensivos quimico-biológicos, e agora por culpa de uns frigorificozinhos, um palhaço espanhol vem me dizer, quinta feira passada, que até recebe o conteiner, mas quer um abatimento de 20% e renegociar os futuros.

            Então meus queridos, perceberam qual é o barato, os importadores que dependem de nossas carnes para suprir seus mercados, irão vir com medidas fito-sanitárias, só para começar vão embargar o que esta em transito e depois renegociar os contratos já firmados, poderão alegar o óbvio – se o Brasil desconfia de suas exportações, porque eu não vou desconfiar – e jogar o preço lá para baixo.

             Ai meus filhos, por culpa de um delegadinho e a briga de Poder na PF e MinJustiça ( nunca podemos esquecer que o atual MInJustiça é do Paraná ), muita gente irá de f….der.

             P.S.: Esta mania da esquerdinha culpar os “americanos” cansou, nosso problema são gerados por brasileiros que se acham americanos, nem precisam ser “adquiridos” pelo Tio Sam, eles se vendem de 0800.

     

    • Tem um vídeo no youtube com a

      Tem um vídeo no youtube com a entrrevista de um brasileiro que afirma ter trabalhado no FBI, se não me engano, onde relata que há muitos delegados da PF não são 0800 não.

      Recebem o pagamento por serviços solicitados diretamente na conta pessoal em dinheiro.

    • Concordo com quase tudo

      A unica excecao é que varias fabricas das mencionadas tem problemas endemicos de salmonella, campylobacter e outros e sempre se deu hm jeitinho pra continuar abatendo/processando. Com o comprovado SUBORNO, produtos de qualidade duvidaveis continuavam sendo exportados (com selos SIF e certificados de qualidade, bla, bla, bla) e neguinho rezando pra nao serem pegos mas de cinco vezes repetidas nos rapid alerts da vida e suspenderem a fabrica… é engracado que quando o problema de corrupcao foi na Petrobras todo mundo criticou, agora quando é na sua industria tem que pensar no impacto na industria, empregos, imagem do país… como sempre dois pesos duas medidas…

    • Cuidado com o pulo da Gia

      Algumas correções:

      1 – Nem todo nacionalista é “esquerdinha”. Há nacionalistas que acreditam no capitalismo.

      2 – Nem todo socialista é “esquerdinha”. Há quem acredite em socialismo como produto de reflexão e estudo aprofundado, com embasamento, seriedade, responsabilidade e compromisso.

      3 – Nem todo traidor consegue examinar sua própria consciência e ação com sinceridade e profundidade necessárias para saber-se traidor. Tem uns que acham que não são traidores, que “as coisas são assim mesmo”, os vira-latas.

      Trair os interesses brasileiros não faz da pessoa um imbecil, faz dela apenas traidora. O que a faz imbecil é o fato de não perceber que trai quando, por exemplo, usa “Tio Sam”, a denominação escolhida pelos estadunidenses para si mesmos como forma de dourar a pílula, ou quando se sente importante por conhecer detalhes de lugares ou do vocabulário dos EUA. Sabe aquele tipo que se mela todo quando ouve de um “americano legítimo” um elogio, “Vc nem parece brasileiro, não tem nem sotaque”? Nesse caso o lucro da venda de si mesmo aos EUA é o sentir-se importante. Nem sempre as coisas são o que parecem… Pense nisso, filho, com cuidado e atenção.

    • “eles se vendem de 0800”: captura cultural

      >> P.S.: Esta mania da esquerdinha culpar os “americanos” cansou, nosso problema são gerados por brasileiros que se acham americanos, nem precisam ser “adquiridos” pelo Tio Sam, eles se vendem de 0800.

      Perfeito!

      Escrevi tempos atrás tratando da captura cultural, para além da captura material ($$$):

      (http://www.romulusbr.com/2016/11/ja-riu-agora-senta-e-chora-morte-da.html)

      (…)

      – Captura do regulador?

      – Conflito de interesse?

      – Risco moral do regulado (moral hazard)?

      – Abuso de poder de mercado dos regulados?

      – Ineficiência do mercado viciado?

      – Busca de renda por quem é “amigo do rei” (rent seeking)?

      Será tudo isso preocupação de marxista radical?

      Ou até de quem leu os manuais de Economia (bastante) ortodoxos e que crê – de coração – no capitalismo?

      Digo, o capitalismo verdadeiro: com seus “mercados competitivos”, livre entrada de novos competidores e livre saída de empresas ineficientes.

      Está aí a telefônica “Oi” para não nos deixar esquecer de como o “capitalismo” (entre aspas mesmo) e seus “riscos” (novas aspas…) “funcionam” (mais ainda…) no Brasil.

      E isso não é tudo:

      Trata-se apenas de uma das modalidades de captura das autoridades, na classificação proposta por Engstrom. No caso, a captura material. Além (a) da porta giratória e (b) da propina, essa modalidade engloba também (c) os “célebres” financiamentos de campanha e (d) a ameaça de boicote econômico-financeiro ao Estado em caso de “desacordo” com o lobby.

      Soa familiar?

      Pois é…

      Segundo o autor, todas essas sub-modalidades equivalem em alguma medida a corrupção política. Ou melhor: corrupção da política.

      Já a captura não material é mais sofisticada: pode ser também denominada “captura cognitiva” ou “cultural”, na qual o regulador – e/ou o juiz e/ou o procurador! – começam a pensar da mesma maneira que o lobby!

      – “Lobby”?

      – Seria esse apenas o privado?

      – Por que não se incluiriam aí também governos estrangeiros?

      – Ou terceiros “generosos” querendo iluminar o pobre Brasil de sabedoria?

      A assimilação da catequese advém (i) da proximidade (indevida?) entre lobby e autoridades; bem como (ii) da embalagem bonita do “presente” que “generosamente” é dado.

      – Aliás, “presente”… será presente de grego a troianos ávidos e ambiciosos?

      – Troianos antes circunscritos por uma fronteira, digo, muralha, que impedia o ato de generosidade de se realizar?

      – Hmmm…

      Saga homérica ou não, chega-se finalmente ao ponto em que as autoridades são pautadas – agora já involuntariamente, na fronteira entre o seu consciente e inconsciente – pelo lobby catequizador.

      (…)

       

       

    • Carne Fraca
      Sr.Aurélio li toda a sua esplanação, mas antes de criticar a esquerda, ja lhe passou pela cabeça que todo esse estardalhaço midiatico, toda essa lavagem de roupa suja fora de casa possa ter sido encomendada e não tão 0800 assim? A quem favorece o boicote a nossa carne? Estão matando o cavalo para dar fim aos carrapatos!Ações nada inteligentes do ponto de vista econômico.

    • Sem duvidas que o produto

      Sem duvidas que o produto exportado pelo Brasil é de qualidade. Como foi dito, os países exportadores são bem rigorosos no controle do que entra nos países deles.

      o problema é o que fica no Brasil para ser consumido por nós. Ficamos com os restos. o que não vai ser aprovado para exportação. Isso é igual para as frutas, verduras… tudo!!!  Tudo o que é produzido com alto nível de qualidade vai para fora. O resto de qualidade duvidosa fica para nós Brasileiros. 

      entao acho legal que percam dinheiro! Legal que se sintam lesados como nós somos todos os dias!! 

      Legal q a carne deles passe a não valer nada assim como a pessoa do empresário que trata assim o consumidor brasileiro. Sem valor algum. Sem respeito! Que sejam estão desrespeitando, roubado pelos exportadores. Ladrao que rouba ladrao tem cem anos de perdão? 

       

  62. Voltemos ao mundo natureba.

    Voltemos ao mundo natureba. Petroleo é sujo, então vamos abrir mão de uns 15% do PIB. Vamos abrir mão de aeroportos, de indústria da carne, as estraneiras agradecem.

  63. Inspeção da UE

        O mundo agora virou facebook, e os delegados da PF e seus asseclas ( a midia e os doutos concursados Procuradores ), tornaram-se os senhores da verdade imbecilizada, relinchando e zurrando, com suas carinhas de bons mocinhos, todos brancos e limpinhos de Zegna e Armani, verdades incontestaveis, as quais a massa e mais ignorante ainda, aceita sem a minima contestação, que aliás nem poderiam, pois como eles ,são tão ignorantes a respeito do que eles falam.

         Nunca viram uma inspeção de delegados fito-sanitários da UE ou de sauditas ou russos, todos seguem a “cartilha” USDA, eles não começam pelo “boi/frango”, mas pelo o que o bicho comeu, analisam a ração, começam pelo pasto, se o capim ( forragem ) foi tratado com defensivos ou não ( muda o preço e classificação da carne ), se a ração de engorda – gado estabulado – o calcio foi obtido pela moagem de ossos – na época da “vaca louca” esta analise foi primordial e ganhamos mercado, pois não moiamos ossos, e nossa forragem foi certificada sem calcio animal adicionado, até algumas fazendas grandes, abatedouros “hilton”, classificaram-se como “bois verdes” ( 20% acima da cota ).

         Foram anos, décadas, para alcançar esta excelencia na venda de proteinas animais, para agora virar capa de varios jornais pelo mundo como “vendedores de carne estragada”, e o pior : quem mais propagandeia esta tese é a nossa midia.

         Cara, tô faz tempo nesta vida de “vender” Brasil, a marca e nossos produtos e papéis ( sou de mercado ), mas nunca vi, nem passei por um momento como este, nem nos ’80 quando da moratória ,nossa imagem externa esteve tão dificil, ficou tipo “fim de feira”, e agora para coroar o desbunde, uma porrada em um dos tripés de nosso agronegócio, tanto que 04:00 de um domingo continuo acordado, tentando salvar alguma coisa.

          Uma coisa boa no momento : Posso “virar” uruguaio por menos que US$ 50.000,00.

  64. Carne Fraca
    Luis, gostei da sua visão. Ontem mesmo conversei com o meu marido, que tem uma opinião parecida com a sua sobre isso.
    Além das empresas envolvidas, teremos impacto na visão que nossos parceiros comerciais têm do Brasil. E mais ainda, sofrerão os pecuaristas, pequenos produtores que nada têm a ver com tudo isso; que teriam uma safra desvalorizava, em função da seca que chegou mais cedo esse ano e agora, provavelmente, terão maior oferta que demanda para seu produto.
    Mas, questionei o triste fato de que, tem tanta gente comprando e sendo comprada, muitas vezes ameaçadas, que, se a investigação fosse sigilosa poderia virar pizza, como acontece com muita maracutaia por aí.
    Como equilibrar a balança nesse caso?

  65. Carne Fraca
    Luis, gostei da sua visão. Ontem mesmo conversei com o meu marido, que tem uma opinião parecida com a sua sobre isso.
    Além das empresas envolvidas, teremos impacto na visão que nossos parceiros comerciais têm do Brasil. E mais ainda, sofrerão os pecuaristas, pequenos produtores que nada têm a ver com tudo isso; que teriam uma safra desvalorizava, em função da seca que chegou mais cedo esse ano e agora, provavelmente, terão maior oferta que demanda para seu produto.
    Mas, questionei o triste fato de que, tem tanta gente comprando e sendo comprada, muitas vezes ameaçadas, que, se a investigação fosse sigilosa poderia virar pizza, como acontece com muita maracutaia por aí.
    Como equilibrar a balança nesse caso?

  66. O artigo é mais do que

    O artigo é mais do que pertinente.

    Desde que a Lava Jato começou tenho refletido muito sobre a operação toda e minha conclusão foi uma só: o problema do Brasil nunca foi a corrupção, mas a mediocridade generalizada.

    Olha, precisaria desenvolver uma tese e aqui não é lugar pra isso. Portanto só queria trazer alguns elementos para pensarmos juntos:

    1. A imbecilidade generalizada não é acidental. Foi calculadamente construída desde 1964 e especialmente desde 1972, quando o Brasil entregou o sistema de ensino para o Banco Mundial. A partir daí formou-se mão-de-obra qualificada, é fato, mas sem noção mais ampla do que é ser cidadão e civilizado. Destruiu-se a educação emancipatória e civilizatória. Só isso precida uma tese para explicar;

    2. A classe média coxinha imbecil foi (pela Globo e quejandos), doutrinada na meritocracia: se estuda para se obter diploma e com esse um bom emprego e salário. Ponto. Como disse a Marilena Chauí, o conhecimento é dispensável, indesejável e supérfluo. Quem são os concurseiros? Nada mais que idiotas da classe média coxinha imbecil bem treinados para algo específico, com nenhum horizonte mais amplo. Sei do que falo. Convivo com essa gente. São inacreditavelmente estúpidos;

    3. O tema “corrupção” tem servido desde sempre para explicar nossos problemas. Intoxicou nossa população de tal forma que outro argumento não tem nenhum apelo;

    4. Alguém duvida que quem forma a opinião da imensa maioria é o JN?

    Com base nisso (e muitos outros indícios), nunca tive dúvidas que tudo que tem acontecido faz parte de uma Guerra de Quinta Geração que uniu esses elementos básicos (e muitos outros), e que foi planejada pelo Departamento de Estado dos EUA. Tem fortíssimos componentes psicológicos e coincidências demais para ser tudo “coincidência”. Claro que poucos ou quase ninguém se tocou, afinal, quantos livros essa gente lê num ano? quantos sites alternativos pesquisam? quantos sabem que essas bruxas existem e não tem nada de “Teoria da Conspiração”?

    Mas foi fácil montar a coisa: juntou falta de conhecimento, controle da opinião com a explicação fácil.  Como disse, tudo isso precisaria de um estudo de fôlego. Pelas minhas contas a coisa é pior, muito pior do que se imagina. O desmonte vai longe.

     

     

  67. “Emburrecimento”….também nosso!

    Brasil é um exemplo interessante na sua relação tamanho/população/grandes empresas exportadoras de diversas commodities. As empresas nascem com pouco desafio de qualidade perante a massa consumidora dócil e bovina, e crescem quase que apenas por conta do seu volume e escala de produção, nunca – ou raramente – pela qualidade do seu produto, a não ser quando o produto seja comprado no exterior, onde normas rígidas vigoram e consumidores mais espertos avaliam. Mas, isso só para o exterior, pois aqui só fica a pior parte da safra e os rejeitos; aqui se engana o consumidor; se enche de agrotóxicos; se poluem os rios.

    A mensagem do Nassiff, embora com alguma base real, foca apenas na resultante econômica internacional do assunto, mas esquece de considerar a forma infame com que o consumidor brasileiro é tratado como um burro, diariamente e em toda atividade.

    Brasil é um mercado fácil para mega grupos (como de fato se pode observar em diversos segmentos da economia), pois o consumidor brasileiro médio é um pouco fraco. O consumidor brasileiro vai “na confiança” do Tony Ramos para comer carne duvidosa, na cerveja gelada de “milho” da “Verão” ou da Ivete Sangalo. Grandes empresas crescem monopolizando o mercado brasileiro, vendendo produtos de fraca qualidade, enquanto saem para o mercado global, ancorados pela sua enorme escala de produção.

    O consumidor brasileiro apenas quer preço e raramente qualidade. Assim, grandes empresas, de todo tipo, crescem pela quantidade de consumidores desinformados e pelo baixo preço, até atingir escala de voo para pular ao mundo global e dirigir tudo desde Miami ou na Suíça mesmo (como o Lehman, das cervejas).

    Nessa caminhada, aparecem em evidência algumas situações de corrupção (Petrobras); de falta de qualidade (carne e outros), de desrespeito ao meio ambiente (Samarco) e outras situações, mas que logo são esquecidas, por conta da nossa própria baixa qualidade como consumidores, cidadãos, eleitores e etc. Merecemos os políticos que temos; a gasolina que colocamos no nosso carro; a cerveja que bebemos; os rejeitos de minério que estragam os nossos rios; e a carne que comemos. Não há inspetor sanitário nem organismo de controle que possa fiscalizar tamanho despreparo cívico da nossa massa consumidora e eleitora.

    No comércio, compramos com qualidade chinesa e preço europeu: políticos horrorosos como se fossem estadistas, leite adulterado com soda cáustica, gasolina bichada, cerveja de milho, café com borra, frango com papelão, carne podre, maçãs cheias de agrotóxicos (alguém aqui têm visto essas maçãs brilhosas que apareceram recentemente nos sacolões e supermercados, com um cheiro tremendo de agrotóxico?), jeans da “santista” com uma marca qualquer – pagando 10 ou mais vezes mais o que custa, água mineral de torneira, espetáculos de futebol com resultados previamente arranjados, fruta estragada, pão comum que dura 15 minutos até murchar, produtos com data de validade vencida, chamadas de celular interrompidas ou sem sinal, uísque adulterado, molho de tomate com larvas, musicas horrorosas repetidas até o cansaço pela mídia, tudo com a cumplicidade do aparelho público que devia nos proteger.

    As grandes empresas produtoras de carne fizeram e farão de tudo para atender as exigências do consumidor esterno, mas pouco ou nada para defender o interesse do consumidor tupiniquim. Assim como a Samarco, que depois da desgraça, com ajuda da mídia está passando uma borracha em toda a tragédia causada com os rejeitos. O povo bovino esqueceu a poluição e as mortes, e hoje – paradoxalmente – clama pela volta da Samarco a operar (que virada de jogo!). Esta irá voltar como se nada houvesse acontecido, operando as usinas exatamente da forma que vinha operando, apenas que enfiando os mesmos rejeitos de sempre em cavas antigas de minas exploradas, mesmo havendo soluções e tecnologias melhores para os tempos de hoje.

    Tudo chega onde mesmo, ao povo brasileiro. Somos algo trouxas para comprar, alienados para pensar, ingênuos para votar, mas somos como leões para reclamar sem saber exatamente o que.

    Brasil apenas será desenvolvido quando habitem aqui pessoas desenvolvidas.

    • A maioria dos consumidores
      A maioria dos consumidores Brasileiros não vêem e não se reconhecem como mandante do poder de consumo, é necessário ventilar a todo consumidor BRASILEIRO, todo o sentido e contexto no seu texto.

  68. A POLÍTICA DA PF É DE TERRA

    A POLÍTICA DA PF É DE TERRA ARRAZADA. INCRÍVEL O MP, E PARTE DO JUDICIÁRIO, CONCORDAR COM ISSO.

    Totalmente fora de controle, não alcançam os membros da PF a importância para o país do significado estratégico dos “interesses nacionais”. Preferem o caminho dos holofotes e estrelismo.

    O caso da LavaJato (emprego, empresas de base e empreiteiras nacionais destruídas e paralizadas), e, agora, o da carne são exemplares disso.

    Ao invés do estardalhaço pirotécnico mediático, a tomada imediata de medidas administrativas duras, completas e rápidas (contra às empresas) poderiam ter sido coordenadas, casadas com o interesse maior nacional, como apreensão dos produtos acompanhadas de pesadas multas. Em relação aos funcionários faltosos, a instauração imediata de procedimentos administrativos de demissão. E tudo no mais absoluto sigilo (interesse nacional estratégico).

    Solucionado o problema, levantamento do sigilo, a mais ampla divulgação dos fatos, das medidas tomadas e da normalização da situação.

    Medidas criminais devem ser presididas pelo princípio da “ultima ratio”.

    Em meio a grave crise econômica interna e internacional, só falta o bloqueio internacional as nossas carnes. 

    A pergunta que fica: quantas décadas serão necessárias para nos soerguermos?…ou dane-se a nação?…

  69. Controle da PF e do MPF. Quem

    Controle da PF e do MPF. Quem deve fazer.

    1 – Quem exerce o controle do MP ?

    – O Juiz

    2 – Como ?

    – Por exemplo, na ação penal, quando do recebimento ou não da denúncia: denúncia temerosa, fraca, deve ser rejeitada de plano (CPP arts. 395 a 397); na delação premiada (colaboração premiada) quando da homologação verificando e aferindo a sua regularidade, legalidade e (efetiva e livre) voluntariedade (art. 4, parágrafos 7 e 13 da Lei12.850/2017), assegurando – como controle dos atos de negociação – à defesa o acesso amplo e irrestrito às informação da autoridade policial ou ministerial, inclusive, às anotações pessoais feitas nas reuniões com os colaboradores (vide SOUZA, Alexandre José Garcia. Ibccrim, Boletim 290, jan/2017, p. 12-13) e Estatuto da OAB (art.7); nas medidas liminares penais o exame profundo da real excepcionalidade, necessidade, utilidade e ultima ratio dos pedidos de tutela processual penal formulados; nas ações civis pelo exame rigoroso das iniciais principalmente das condições e pressupostos da ação (CPC arts. 17,330, 485 e 487); etc…

    3 – O particular também pode exercer o controle do MP havendo inércia do orgão?

    Sim, o MP é titular da ação penal, não o seu dono. Se houver, por exemplo, inércia do MP em propor a ação penal. A antiga regra do art. 28 do CPP (mitigada em parte já pela do art.29) elaborada à época do Estado Novo (1941), portanto, ditatorial (e que atendia certos interesse de governo) não vige no sistema democrático adotado pela CF democrática e cidadã de 1988. Por isso, ela é clara ao dispor no art. 5o. inciso LIX (inciso 59) que “será admitida ação privada nos crimes da ação pública, se está não for intentada no prazo legal”.

    4 – Seria pertinente uma penalidade aos excessos do MP ?

    – “Lege ferenda”. Sim. Bastaria a simples condenação pessoal nas custas processuais (e honorários em havendo), sem exclusão de eventuais ressarcimentos à parte prejudicada já possíveis.

    5 – A prisão pode ser meio para se obter uma delação ?

    – De forma alguma. A prisão e, ainda, as correntemente efetuadas na chamada operação Lavajato de longa duração (v. Conjur 22 fev 2017: ministro CGU critica prisões longas e vazamentos na lavajato), atentam não apenas contra o sistema constitucional, o sistema processual penal e penal vigentes, mas também vão de encontro ao conceito básico, simples e léxico do que seja voluntariedade. Por essa razão, ainda, deve o  Juiz “homologador” examinar com cuidado não apenas os aspectos formais, mas também os meios e métodos da obtenção das delações. É o leitura correta do disposto no parágrafos 7 e 13 do art. 4 da Lei 12.850/2017. Há um princípio norteador de que o Processo Penal e o Direito Penal limitam a violência do Estado. Portanto, compete ao Juiz assegurar a mais completa regularidade dos atos desencadeadores de uma possível violação dessa ordem. 

  70. O problema é que se não fizer
    O problema é que se não fizer o bate bumbo o juiz ou a PF ficam vulneráveis aos políticos, olha a lava jato o tempo todo levando pancada mesmo com todo o respaldo da sociedade e Bb com muito bate bumbo, imagine se fizessem discretamente, seriam abafados sem dó.

  71. E tem gente que ainda tem

    E tem gente que ainda tem dúvida sobre os objetivos da lava rato.

    A lava rato é uma operação cujo objetivo é destruir as áreas onde o Brasil era competitivo e poderia utilizar para se alçar a vôos mais altos na geopolítica e economia internacional. Tudo foi destruído pela lava rato.

    Agora, a carne fraca da PF ataca outra área estratégica. A área de alimentos.

    E não por coincidência, uma operação comandada por um ex-integrante da lava rato.

    Será que não perceberam quem é que dá as ordens ainda não?

    Até quando vamos permitir que esta gente continue a destruir o país?

  72. OPERAÇÃO CARNE FRACA. O QUE É “SIGILOSO” HOJE EM DIA?

    O Luís Nassif advoga “uma operação rápida e sigilosa” teria sido melhor para atender os interesses nacionais, mas esquece que:

    1) Já em 2012, o Deputado Rubens Bueno denunciou este esquema ao então Ministro Mender Ribeiro Filho e… nada aconteceu, pelo que agir decisivamente para por cobro a um esquema duplamente criminoso – saúde e dinheiro – era essencial.

    2) Segundo a PF, esta investigação consumiu dois anos, pelo que, se se quer um mínimo de segurança nas apurações, não se pode cobrar rapidez e precisão – sob pena, depois, de os culpados saírem ilesos por causa de falhas processuais.

    3) O “sigilo” que ele advoga – além de ir contra todos os princípios de transparência existentes – poderia servir ou para encobrir culpados ou para inventar culpas onde não existem, já que a imprensa e a sociedade ficariam às escuras no processo.

    4) A Polícia não está ai para atender a este ou aquele interesse, mas sim para cumprir uma função, e se vai ser achincalhada por cumpri-la, não pode ser censurada ou condenada quando não a cumpre.

    5) E, por fim, para quem se diz jornalista, ele esquece, também e aparentemente por completo, de que vivemos numa era em que tentativas de abafar fatos ou de esconder verdades, por mais incômodas e/ou dolorosas que possam ser, são simplesmente destruídas através do poder da Internet.

    A sociedade tem o direito de saber o que se faz por ela, com ela ou contra ela, e não há suposto “interesse nacional” que a isto se sobrepuje o que, de resto, é a argumentação usada por ditaduras de direita e de esquerda em qualquer lugar do mundo. E o Brasil não quer ditaduras de nenhuma espécie.    

    • Caro Eduardo, então a Polícia

      Caro Eduardo, então a Polícia federal não está aí para atender a este ou aquele interesse ? É assim que você classifica o interesse nacional ?  Então você considera que uma operação discreta levaria a PF a atender a interesse de  A ou B, por que não teria o apoio da mídia ? Isso é só ingenuidde ou é a manifestação  da imbecilidade citada no texto ?  Ou ambas ?  

    • Helicoptero dos Perrella

      De fato , todas as implicações envolvidas na situação não são fáceis de administrar . 

      Pena que a mesma lógica não foi aplicada ao episódio do Helicoptero dos Perrella , onde a sociedade até hoje espera uma resposta , demonstrando que a Polícia Federal – e as demais instituições jurídico-investigativas-processuais envolvidas – não refletem a conduta reta , cumpridora do estrito dever ,  que o comentário acima tenta retratar .

      É instituição sujeita à modelação política dos grupos que estão no poder . 

    • Concordo.

      O caso diz respeito à saúde da população, ou será que dólares recompõem a sáude ou vidas perdidas? Esses empresários têm que entender que vivemos em outros tempos, hoje as redes sociais são implacáveis. Serão punidos não pelo nosso sistema judiciário apodrecido, que todos conhecemos, basta recordar o desastre de Mariana, serão punidos pelos consumidores. 

  73. funcionario publico e vc…

    Isso aqui é um absurdo:

     

    “Como é possível que concursos disputadíssimos tenham resultado em corporações tão obtusamente desinformadas, a ponto de não ter a menor sensibilidade para o chamado interesse nacional. Não estou julgando individualmente delegados ou procuradores. Conheço alguns de alto nível. Me refiro ao comportamento dessas forças enquanto corporação.”

    Funcionario pubico no Brasil a maioria e desqualificado.

  74. Operação Carne Fraca

    Estava me perguntando ontem mesmo se o intuito não é acabar com as grandes empresas brasileiras…não que seus gestores não devam ser punidos, mas penso nos trabalhadores e na independência do nosso país. As grandes  empreiteiras em escândalos, agora as nossas exportadoras e grandes marcas de alimentos…em breve serão que empresas? As de cerveja? As de tecido? E quando não tivermos mais grandes empresas nacionais? Não disputaremos mais o mercado exterior e ficaremos à mercê de importar as coisas? Estou muito preocupada com o futuro do país, se é que ainda tem futuro…o brasileiro já não acredita em mais nenhuma instituição (só na PF).

    • Brasileiro acredita na PR ?
      Brasileiro não acredita em mais nada. Como acreditar na Polícia Federal, que pagou aquele mico, colocando um agente condenado, usando tornozeleira eletrônica, conduzindo outro criminoso. O japonês da Federal , que virou herói, foi condenado pela Justiça por descaminho e contrabando. Era a esposa tomando conta do galinheiro e ainda dizem que o brasileiro acredita na PF? O brasileiro acredita que a PF está levando algum PC ( por fora)

  75. Concurso público MP × Defensoria
    Sobre seu comentário a respeito do concurso público para o MP: eles são cobrados mais em questões de direito positivo, ficando uma lacuna sobre filosofia, sociologia e economia. Diferentemente da prova para Defensor Público, que entre os autores cobrados constam Boaventura Souza Santos, Baumann, além de autores da literatura. Não podemos esquecer também que, atualmente, os fármacos exercem papel importante para memorização do direito positivo.

  76. Carne Fraca

         O artigo do Nassif dá a impressão que ele está com saudade dos militares, naquele tempo, aquele governo era discreto, ninguém tinha direito a informação, a censura era implacável, a investigação era rápida e sigilosa, e quem não fosse a favor deles, pelo menos deveriam temê-los.

        Em suma eles fariam qualquer coisa para o salvar o governo, a economia deles e defender as empresas que os apoiavam, o povo que se danasse, porque não passariam de um bando de imbecis.

  77. Na miúda…

    Concordo com Nassif. Tudo deveria ser feito “na miúda”, nos recônditos das salas da PF e da Poder Judiciário. Pra que tanto alarde, prejudicando os “interesses nacionais”? O caráter público dessas operações é dipensável para o consumidor de carnes aqui e no exterior. Basta comparar com a industrialização brasileira. Alguém imagina a industrialização do Brasil com o Jornal OESP criticando Vargas? Nunca!!! Esse hábito de transformar problemas do páis em tema pública está se tornando uma praga!

  78. Carne fraca
    Tirando toda a parte comercial,consequencias sócio econômicas do episódio, quem vai agradecer é o meio ambiente. Se do fato, alguns milhares de bois deixarem de peidar em nossos vastos pastos, nossa camada de ozônio agradece. ..

    • pense bem….

      Que horror!!!!! Passar garfo e faca num inocente pé de alface e alegrar-se? O mundo acabou!

      De um defensor da grama e gramináceos para os bois e churrasco.

  79. A JUSTIÇA, MP e PF perderam o
    A JUSTIÇA, MP e PF perderam o juízo faz tempo  ..não têm mais rédeas, bom senso  ..elegeram-se paladinos com direitos a benefícios exclusivos ..reeditaram o “Sabe com quem ta falando”, o “TEJE preso”.TUDO é show, sensacionalismo ..nada mais é feito pelo lado da LEI, da cidadania, do respeito, do interesse NACIONAL ..tudo é má fé, ESCÁRNIO geral ..todos são culpados e devem ser apedrejados mesmo que consigam provar o contrário.Faltam análises, ponderações, sensibilidade, VISÃO, sabedoria, conhecimento …dignidade e ética ..TUDO isso tb é devido da baixa qualidade de ensino e educação básica de convívio ..como nos exemplos tirados recentemente dos embates midiático-FASCISTAS havidos entre Maluf x Datena e Hollyday x Panunzio  ..coisa horrível, a mídia fazendo papel de polícia, de justiça e de carrasco inclusive.Também ?! ..décadas seguidas sendo obrigados a conviver com frases feitas ..sem dispor de controle remoto ou de melhor opção de informação e de entretenimento…..dum lado era o”OH LOCO MEU !! ” do Faustão  ..ou o “ISSO é uma vergonha” do B.Casoy, que sequer ele mesmo soube se passar a limpo no episódio dos “vassourinhas”…..ou as crises sem fim de Miriam Leitão e seus miquinhos adestrados  partidos “do mundo financista do mercado”…..ou ainda do convívio contínuo com o estrelismo e ofensas IMPUNES de Mainardi, Cantanhede, Jabor, Noblat, Sardemberg, Joyce e Azevedos, dos falsos humoristas e proto jornalistas…..até com as “denuncias sobre corte de cabelo” do imortal Merval Pereira  ..fora ainda os tantos outros editoriais de jornal que nos sufocam pela palavra dirigida sem direito a contestação…claro que tudo tinha que dar nisso  ..na pregação do CAOS  ..no plantio da BAIXA estima que, pelas coincidências, acabam por nos levar a crer que tem MUITO interesse estrangeiro metido nisso  ..não é possível ?!…e só pra lembrar a vocês que FANTASMAS existem:. – A derrocada de Eike Batista – O vale tudo da Vale do Rio Doce e da Samarco- A liquidação e humilhação da Petrobrás e pré sal- A retomada da privataria de setores CARTELIZADOS como com gasodutos, a AGIP Liquigas e quiça, a BR distribuidora tb- A Industria Naval e de equipamentos pesados- As 10 principais empreiteiras sucateadas pelo MUNDO- JBS, BR foods, Seara, Aurora, Sadia e Perdigão agora…o restabelecimento da quarta frota  ..o weekleaks denunciando os grampos da CIA no BRASIL inteiro…o abandono de projetos como Angra 3, o submarino NUCLEAR,  a Plataforma de lançamento e Alcântara  ..até a desconfiança libertina sobre a compra de caças que não dos americanos.Aqui é como nos lembra F.Fernandez hoje: “Esse é o cara !!”, dizia OBAMA ao apontar pra LULA  ..no qual deveríamos ter lido  ..”o cara que deve ser DESTRUÍDO, ele e seu projeto, a bem dos EUA”.Por fim, um desafio a quem AINDA  acredita em coincidências  ..tipo os TUCANOS que ainda brincam com o circo, cheio de crianças, que arde em chamas….Fidel, Lula, Dilma, Chaves, Evo e Cristina  ..todos com câncer  ..em tão pouco tempo  ..ta dentro das estatísticas ? ..mas o que essa turma andou comendo ?  ..criancinhas ?.nota – a todo este festival de extermínio e de desconstrução IMUNDA do adversário ..incluso a CRIMINALIZAÇÂO da POLÍTICA  ..eu NÃO isento a esquerda progressista de ter colaborado, de forma ingênua e mansa, com BOA PARTE destes massacres e matanças

  80. É um ponto de vista.
    É um ponto de vista. Respeito, mas discordo. Não acho que caiba à Polícia avaliar a conveniência da investigação para o país e nem os seus impactos econômicos. À Polícia cabe investigar. Obter os indícios de autoria e materialidade de um ilícito. Uma pena que mais uma vez agentes públicos, políticos e grandes empresários estejam envolvidos em esquemas criminosos que fazem tanto mal ao país. Não se pode fazer essa inversão de valores como se o mal tivesse sido causado por quem investigou e não por quem de fato cometeu o crime. A idéia de que uma investigação deve ser interrompida sob a alegação de que seu desfecho será prejudicial à economia, me parece absurda.

    • Seu ponto de vista

      E de muitos imbecis será ver a corrupção e criminalidade vir de fora. Seremos o país mais honesto do mundo na sua opinião (PSDB vai ser santificado) mas dominados pelos piores corruptos e criminosos dos EUA, China, Coréia e UE. Se somos pisoteados pelos nossos, imagine o que os de fora faram.

  81. Concordo, a imbecilidade da

    Concordo, a imbecilidade da PF, enquanto corporação, é uma definição perfeita. A imbecilidade observada nas redes sociais é um fato concreto, e pode ser constatada por alguns comentários a este texto do Nassif.  A maioria das pessoas é incapaz de interpretar um texto, o máximo que consegue é ouvir o JN, com textos já simplificados e manipulados. Endosso a opinião de um dos comentaristas, de que os agentes da PF, quase todos, tem como objetivo levantar um dinheiro PF, pois tem a arma e a proteção da corporação. Por último, é evidente que a corrupção não é nosso maior problema, só os imbecis não veem. As grandes corporações e os sistemas políticos, em todo o mundo, a praticam. Falta entender a participação das oligarquias nesse desmonte geral, ou seja, é exatamente o que desejavam ou há algo que fugiu de seu controle ?

  82. Os imbecis descritos na

    Os imbecis descritos na matéria fazem questão de expressar sua ignorância e burrice em alguns comentários. Além de imbecis, não se importam com milhares de empregos que serão perdidos com o desmantelamento do setor. A lava jato opera há três anos, levando ao poder uma quadrilha de ladrões, e os imbecis aplaudem. E os imbecis acreditam que a PF acabará com a corrupção nas empresas nacionais. E a PF não se incomoda com  as empresas estrangeiras, basta ver o que acontece no metrô de SP. O mercado, interno e externo, será fatalmente reduzido. E os imbecis não entendem que haverá menos emprego, menos renda, mais conflitos sociais, mais violência. É difícil saber qual a tragédia maior, se o REINO DOS IMBECIS  ou a DESTRUIÇÃO DO PAÍS, mas as duas estão interligadas. 

  83. Mas se a investigação ocorre

    Mas se a investigação ocorre em segredo, vaza informações somente para os envolvidos, a operação “Abafa” dos políticos e donos de frigoríficos seria tão forte que iriam transferir ou subornar os envolvidos e paralisar a investigação. 
    Se a investigação é exposta de forma a não permitir que seja detida, acaba prejudicando o país.
    Este na verdade é o grande dilema hoje. 
    São tão poucas pessoas confiáveis que tudo tem de ser escancarado para não ser sabotado…
    Em ambos os casos temos consequências. Infelizmente a maioria ruins.
    Se conseguem abafar… Haverão milhares morrendo com câncer, infecções alimentares, etc…
    Se fica exposto gera prejuízo e desemprego em toda a cadeia econômica associada… 
    A quantidade absurda de desempregados que a ganância de alguns poucos levará.
    Vejam como toda e qualquer forma de corrupção é prejudicial ao país. 
    Mas a raiz do problema é mais embaixo.

    Como o “jeitinho” será fatal para alguns e desesperador para outros.
    A corrupção é nosso maior mal.

    O engenheiro que aceitou propina para aprovar uma obra que não seguia as especificações… “O que há de errado afinal?” 
    Alguns anos depois a morte dos moradores soterrados (havia a mãe de um funcionário do Detran entre os moradores)…

    O funcionário que faz vistoria no Detran para liberar um carro com os pneus carecas por apenas “cemzinho”… “O que há de errado afinal?” 
    Apenas o carro não conseguiu frear e matou algumas pessoas que estavam no ponto de ônibus…(O filho de um fiscal sanitário estava entre as vítimas)…

    O fiscal sanitário deixa passar leite contaminado para “ganhar” uma viagem no fim do ano com a esposa… “O que há de errado afinal?” 
    Apenas uma criança que desenvolveu câncer por causa do formol presente no leite…(A criança é neta de um engenheiro…)

    Os brasileiros passam a tratar corrupção com tolerância zero ou sofrerão na corrupção uns dos outros eternamente…

  84. Os coitados são eles??

    Não nos esqueçamos que os pecuaristas estão entre a parcela mais retrógrada e canalha da elite brasileira, são eles que financiam os políticos de direita, apoiaram o golpe, escravizam trabalhadores, pressionam para manter o dólar exageradamente alto para enorme prejuízo do mercado interno e indústria nacional e, finalmente, como se nos revela agora, nos envenenam – nada valemos – querem nos ver mortos de câncer. Preservar a imagem da indústria da carne, e supostos empregos, impostos, etc. é o cacete! Quero que se ferrem, que vão à falência!

    • Estrelas

      Eu não sei porque o seu comentário estava pontuado com apenas uma estrela.

      Eu cliquei para cinco.

      Concordo contigo, primeiro porque sou da área, e comprovo na prática que existem sim produtores rurais, pecuaristas, principalmente produtores de leite que fazem dos seus funcionário verdadeiros escravos. Eu constatei in loco.

      E esse filho da puta apoiou o golpe, vive procurando uma boquinha aqui, acolá para levantar recursos subsidiados do governo para se dar bem nos seus negócios. É um verdadeiro pulha. Mantenho amizade com ele, mas está atravessado na minha garganta e o momento propício virá, e eu terei o prazer de dizer na cara dele o que ele faz e o que eu penso dele.

      Conversei com seu funcionário na propriedade desse pulha e o convidei para um festa que nós organizamos em comemoração ao dia do agricultor, 28 de julho.

      O coitado disse que não tinha condições de ir porque trabalhava a semana toda. Tinha só um folga de fim de semana por mes.

      Disse ele que levantava as 04:00 h da madrugada e só se recolhia para a sua casa geralmemte por por volta da 20:00h.

      E esse tempinho que lhe sobrava ele usava para o culto na sua igreja. Não preciso dizer que ele é evangélico.

      Se isso não for trabalho escravo, então vou ter que voltar a idade média e verificar como era o sistema feudal.

      Há alguma diferença hoje no Brasil com o que ocorreu na idade média?

      As outras malandragens citados por você é só verificar a bancada ruralista no Congresso.

      • Acabei de contratar um

        Acabei de contratar um funcionário da área rural que tinha essa mesma jornada. Deixou o o emprego anterior em razão da penosa jornada de trabalho. Nem registrado estava. É o Brasil escravo.

    • Infelizmente convimemos

      Com canalhas em toda a nossa vida. Também está cheios de canalhas no agronegócio, ambiente culturalmente retrógrado. Mas querer destruir o agronegócio brasileiro para termos de engolir os empresários retrógrados e canalhas estrangeiros? Ou acha que os pecuaristas americanos e australianos são diferentes dos brasileiros. Por isto precisamos lavar com criolina é nosso judiciário, que também é canalha e retrógrado e trazermos uma nova água sanitária para punir os empresários corruptos, canalhas e retrógrados. E salvar a economia e os milhões de empregos dos brasileiros.

  85. Aurélio Junior 50

    Deve saber melhor. Lembra da peste suína na década de 70 promovida pela rede globo? Obrigou os produtores rurais do sul do país a sacrificarem seus rebanhos e derrubou o mercado da carne suína brasileira. Segundo as más línguas foi por causa dos EUA. Na metade da década de 80, eu estava na universidade, quando surgiu a crise do bicudo nas lavouras de algodão Brasileira. Também a teoria da conspiração dizia que foi causada pelos EUA por causa da competição dos tecidos de algodão brasileiro para exportação. O bicudo apareceu ao lado do aeroporto de Viracopos. Direto de aviões americanos.

  86. OPERAÇÃO LAVA JATO – TRÊS ANOS DESTRUINDO O BRASIL – HITLER GANH
    OPERAÇÃO LAVA JATO – TRÊS ANOS DESTRUINDO O BRASIL – HITLER GANHOU A GUERRA

    Em 2003, o economista e escritor argentino Walter Graziano escreveu “Hitler Ganó La Guerra” (Editorial Sudanericana, 2004). Enumera neste trabalho os casos que investigou sobre as falsidades levadas às pessoas e repetidas pela comunicação de massa e até mesmo ensinadas nas escolas e universidades. Entre elas está, por exemplo, a Teoria Econômica de Adam Smith, desmentida pela demonstração matemática da Teoria dos Jogos, por John Nash, e pela pesquisa de Richard Lipsey e Kelvin Lancaster formuladores do “Teorema do Segundo Melhor”. Também trata das mentiras sobre o petróleo, a energia, as ações que não chegam ao público dos órgãos de espionagem e preparação de golpes dos Estados Unidos da América (EUA), do grupo Bilderberg e do 11 de setembro estadunidense, que aprisionou os próprios norte-americanos no “U.S. Patriot Act” e desencadeou as guerras, ainda em curso, no Iraque e em selecionados países do Oriente Médio e norte da África. Sobre esta farsa o escritor e jornalista francês Thierry Meyssan estará lançando, nos próximos dias, o livro “Sous nos Yeux. Du 11-Septembre à Donald Trump” resultado de suas investigações sobre o que chama “o golpe de estado do 11 de setembro”.
    Não temos do que nos queixar, aqui no Brasil. A mídia nativa é dominada, oligopolisticamente, por poucas famílias, e age sempre articulada com interesses estrangeiros. Nossa didática é colonial, incutindo-nos, desde a tenra infância, preconceitos e teorias absurdas sobre nosso próprio povo e nossa capacidade.
    Chegamos então ao ápice do combate à nação brasileira com a Operação Lava Jato, apresentada como um instrumento de combate à corrupção.
    Vejamos o seu sucesso nestes três anos de existência. Talvez o mais grave, pois a economia sempre pode ser reconstruída, seja a mentira e a hipocrisia como instrumento de poder. E nem aí estaremos sendo originais.
    Nem tratarei da extinção da engenharia brasileira, pois qualquer um que tenha dois neurônios em funcionamento já percebeu Também não escreverei sobre a ação de desmoralização da mais competente empresa de petróleo para as áreas oceânicas profundas, onde o petróleo já é produzido desde agora e no futuro o será unicamente, tirando o País da competitividade que ameaçava as empresas das potências coloniais.
    Vou me ater a ação destrutiva dos agentes estrangeiros, infiltrados no judiciário, na procuradoria e na polícia, aliciados em cursos promovidos pelo Departamento de Estado dos EUA, por viagens de estudo ou de prêmio (sic) ao exterior, ou simplesmente pela vaidade e pela vontade e espírito, não o talento, de encenação diante das câmeras, na tentativa de extinguir outra área onde o Brasil se tornou capaz de enfrentar a concorrência externa e surgir como potência econômica e administrativa: a produção de alimentos, principalmente os processados.
    Tenho convicção que não foi por mero acaso que este “escândalo”, seguindo o padrão Lava Jato, se deu numa sexta-feira, para ser capa das revistas semanais, lançadas no sábado, matéria dos jornais televisivos, sem possibilidade de acionar defesa efetiva, pois estará no paralisante fim de semana.
    Vamos discorrer um pouco sobre esta indústria exportadora de alimentos. Acompanhei há muitos anos, ainda que indiretamente, as tratativas nacionais para exportação de carne para os países árabes e para Israel. Havia diversos protocolos a serem cumpridos e a permanente presença de fiscais dos importadores nas unidades produtoras brasileiras. Todos os procedimentos constavam dos contratos de exportação, suas comprovações e atestados, além das penalidades e foros de arbitragem e julgamento. Não era uma ação improvisada, sujeita a humores e venalidades, ao sabor de seus executantes. No entanto, aqui e em quase todos os países em que trabalhei ou onde observei estes processos de autorização administrativa, a corrupção existe e não será um simples sistema de controle que a impedirá. É o fiscal que deixa de conferir o volume ou as autorizações, é um chefete que dorme com o papel na gaveta e todos que tem ou tiveram que lidar com processos administrativos, públicos, privados ou tercerizados, sabem muito bem o que e como ocorre. Repito que isto não é privilégio nacional, nem de país colonizado. Nas potências, nos colonizadores ele está presente em volumes e frequências que só a mídia venal e hostil ao Brasil oculta.
    Por que então o “escândalo da carne”? Porque envolve outra área onde as empresas brasileiras ganharam competitividade e crescem a cada dia. A mesma filosofia Lava Jato que só encontra “corrupção” nas empresas brasileiras que atuam em todo o mundo, com competência técnica e gerencial, que ganham concorrências nos EUA e na Europa, disputando com as grandes corporações locais, e possam ser prejudicadas, punidas, judicialmente ou pelo mercado. Acaso alguma empresa estrangeira esteve envolvida nos “escândalos” da Lava Jato? Algum grande executivo ou acionista destas empresas que, até recentemente, abatiam os subornos no Brasil e em países estrangeiros de seus impostos nacionais foi sequer mencionado na imprensa ou coercitivamente, sob holofotes, intimado a depor?
    Desde que a banca ou o Poder financeiro ou, nas palavras do grande brasileiro Adriano Benayon, a “oligarquia financeira” tomou conta de nosso País, o que vemos no Brasil é o crescimento da corrupção, da alienação de nossas riquezas e o controle externo de nossa economia. E tudo isso foi exponencializado com o Golpe de 2016.
    Este escândalo do dia em relação a empresas brasileiras exportadoras de produtos alimentícios industrializados ou processados se insere no projeto Lava Jato de desmonte nacional, como aconteceu com a engenharia nuclear, a engenharia de montagem, as prestadoras brasileiras de serviços na área de petróleo e energia e todo conhecimento e empregos de pesquisa e desenvolvimento nestas áreas. Em resumo com o retorno ao Brasil Colônia, com um dirigente fantoche.
    Esta guerra do capital especulativo, do capitalismo estéril, contra o capital produtivo, o capitalismo industrial, está sendo ganha pelo primeiro, mesmo derrotado nas urnas. Hitler vem ganhando a guerra que propõe a dramática redução da população mundial. E o faz, como só poderia fazer, com embustes, farsas, falcatruas e muito cinismo.
    Pedro Augusto Pinho, avô, administrador aposentado

      • A argumentação foi muito boa.

        A argumentação foi muito boa. Já é apenas o atestado mais primário de falta de argumentos: partir para atacar a outra parte, já que não tem capacidade para contra-argumentar.

        • Sem argumento

          Apresente argumentos. Tente ler novamente o excelente texto. Precisamos acabar com essa epidemia de sermos vira-latas, 

          onde só aqui no Brasil há corrupção.

  87. Burros vira latas
    As pessoas não lêem as notícias, preferem os boatos espalhados em papos de buteco. A informação real da operação, diz no aspecto menos importante, que haviam alguns problemas técnicos de manipulação e armazenagem, alguns políticos e fiscais corruptos e a parte na qual se fala na venda de carne estragada, onde TODOS FICARAM ASSUSTADOS e como brasileiros que são, DEIXARAM A INFORMAÇÃO REAL DE LADO E PARTIRAM PARA A BOATARIA. A quantidade de carne estragada encontrada foi muito pequena e só seria usada em embutidos. Foram 33 fornecedores autuados num universo de mais de 2000… Ah! Mas se fosse eu a comer carne estragada, ficaria contente? É claro que não e eu não tenho a menor pena dos envolvidos, cana neles! O problema é ver os papos de boteco já botando toda a nossa carne, certificada e de boa qualidade, vendida em vários países, como suspeita e ruim. Brasileiro é muito burro e vira lata!

  88. Salve-se, torne-se oposição!

    Na primeira hora da divulgação da notícia tinha o vinculo com caixa dois do PMDB,  que sumiu dos noticiários brasileiros!

    Fora do brasil a vinculação com corrupção ampliou-se…

    Isso não vai ferrar só o mercado de carne!

    Vai ferrar com todas as exportações sensíveis a corrupção, bem como serviços prestados por pessoas!

    Isso mesmo!

    A falta de indignação do povo, vai levar o povo junto!

    E vai trazer para cá mais e mais empresários sem escrúpulos!

    Essas privatizações são um bom início…

    A rede globo ainda vai ser barrada em eventos lá fora, esse dia está chegando…

    Juntos e misturados com os corruptos!

    Corrupção no legislativo, judiciário e executivo – Corruptos de todos os gostos e cores!

    O Brasil é o primeiro pais do mundo governado explicitamente pela corrupção!

  89. O Jornal do Brasil noticiou
    O Jornal do Brasil noticiou agora no Twitter que Trump ligou para Temer parabelizando-o pelos excelentes resultados obtidos.
    Alguma dúvida sobre quem se beneficia com a destruição programática da economia brasileira é e com a desnacionalização do petróleo e da Petrobras?

  90. Partidarização e lambança no Tribunal de Contas da União

                    A partidarização das instituições brasileiras como judiciário, ministério público, polícia federal, receita federal, tribunais de contas entre outras, tem produzido verdadeiras aberrações no funcionamento da sociedade. A maioria dos membros de importantes instituições brasileiras prefere o aplauso fácil de uma decisão politiqueira a uma reputação construída por decisões consistentes e ponderadas, que garantam a respeitabilidade entre os “grandes” nomes de cada área. É a ideologia do sucesso fácil que predomina em detrimento ao trabalho árduo e respeitável.

                    Neste artigo, o foco será a atuação do Tribunal de Contas da União (TCU) e as consequências de suas decisões sobre a gestão pública e sobre a política fiscal. O papel do TCU no golpe é bem conhecido e a imagem de seu procurador entre manifestantes com camisas da CBF é eloquente demais para serem ignorados pela história. Mas o que será tratado aqui é a nefasta jurisprudência que está sendo construída da herança da participação “técnica” e política do TCU no golpe.

                    Historicamente, os tribunais de contas são comandados por políticos cansados ou em dificuldades com as urnas. Não são raras as histórias de conselheiros que recebiam propina para fazer vistas grossas a casos de corrupção. Mas um competente e muitíssimo bem pago corpo técnico e jurídico garantiam alguma coerência aos tribunais de contas. Garantiam…

                    Para se derrubar Dilma, foi necessário a subordinação automática de toda política fiscal aos relatórios fiscais bimestrais e `a meta de superávit primário da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Foi uma etapa necessária para se considerar os decretos de crédito suplementar ilegais.

                    De fato, toda a construção da argumentação do impeachment é problemática, pois esses decretos alteram as dotações orçamentárias, que é meramente uma autorização legal para a realização de um gasto. A meta de superávit primário é caixa, o que entra e sai da Conta Única do Tesouro Nacional. Como qualquer cidadão sabe, entre o momento que um político coloca uma obra no orçamento até o momento que ela vira realidade pode demorar anos e, consequentemente, o pagamento mais alguns meses. Por isso, o instrumento legal para a obtenção do superávit primário é o decreto de programação financeira, que controla as autorizações de pagamentos e empenhos quase dentro das repartições e dos canteiros de obras públicas.

                    De qualquer forma, a construção desse edifício legal defeituoso precisou de alguma fundação, mesmo que realizadas sobre a areia. Mesmo que essa obra malfeita deixe vítimas sob os escombros.

     

    A lambança do TCU na gestão pública

     

                    A volatilidade da receita pública torna problemática a tomada de decisão com base em relatórios fiscais de apenas um bimestre. O capitalismo oligopolizado brasileiro torna a arrecadação dependente de estratégias tributárias de grandes grupos como Petrobrás e Vale. Ademais, o gestor público tem em suas mãos instrumentos para superar a frustração de receitas como a realização de refinanciamento de débitos tributários e antecipação de concessões públicas. Ora, se a receita é volátil e a gestão pública tem condições de fazer frente a frustrações de receita, qual o sentido de subordinar automaticamente toda a despesa pública a esses relatórios?

                    A subordinação na política fiscal a resultados bimestrais implica na execução da despesa pública aos soluços. O avanço e desmobilização de obras implica em custos. Mobilizar e desmobilizar um canteiro de obras resulta em despesas trabalhistas, obras civis entre outras. Assim, o TCU está tornando as obras públicas brasileiras ainda mais caras e demoradas.

                    Além disso, a falta de um horizonte adequado para execução de políticas públicas acaba dificultando sua realização e criando dificuldades em sua gestão.

     

    A lambança do TCU na política fiscal

     

                    A utilização dos gastos públicos para gerir o nível de emprego na economia é conhecida desde os anos 30, quando Keynes publicou sua famosa Teoria Geral.

                    No entanto, os trabalhos de Sargent e Wallace no início dos anos 80 e de Alesina e Perotti nos anos 90 colocaram a política fiscal e a despesa pública num papel secundário na macroeconomia. Ao invés de atuar ativamente para garantir níveis adequados de emprego, renda e inflação, agora a política fiscal deveria propiciar níveis baixos de endividamento para que a política monetária pudesse gerenciar os níveis de preços da economia.

                    Mas desde a crise financeira internacional há toda uma revisão desse arcabouço por economistas do porte de Larry Summers, Olivier Blanchard, Alan Auerbach, Michael Woodford e Paul Romer. O papel da política fiscal na criação de empregos, especialmente nas crises, é amplamente aceito nos novos trabalhos dos grandes economistas do mundo.

                    Se o gasto público está intimamente ligado a uma esfera essencial da vida do cidadão como a empregabilidade, nada mais natural que o Poder Executivo discuta antes com o Legislativo a necessidade de cortes de despesas que podem implicar na destruição de milhões de empregos.  Essa é, aliás, a incompreensão de grande parte do tucano que acusam Dilma de não ter implementado as desastradas políticas de 2015 durante o ano eleitoral, como se a destruição de empregos pela política fiscal fosse algo inexorável.

                    É esperado que os auditores do TCU desconheçam os corajosos e revolucionários trabalhos sobre política fiscal de Randall Wray, Scott Fullwiler, Mathew Forstater e Stephanie Keaton. Mas é inaceitável que economistas profissionais desconheçam aquilo que é publicado na American Economic Review e no National Bureau of Economic Reserach (NBER), organismo composto por 26 prêmios nobels e 13 ex-presidentes do Conselho Econômico dos EUA.

                    A ignorância sobre as mudanças no debate sobre política fiscal é mais grave ainda quando lembramos que no TCU o vencimento básico de um auditor chega a R$ 28,5 mil. Acumulando chefias e verbas indenizatórias, é comum auditores receberem nababesco salários próximos a R$ 40 mil. Os auditores também não podem reclamar de falta de tempo, pois uma jornada semanal de 35 horas, além do recesso que se soma às férias, permitem tempo de sobra para uma atualização em questões essenciais da profissão.

                    O preço da partidarização do TCU é enorme. Estamos numa crise econômica gravíssima em que mesmo antes da PEC 55, a jurisprudência já alijava o Estado de instrumentos essenciais para a superação da crise.

                    A crise econômica é gravíssima. Mas a crise institucional brasileira é ainda mais grave, pois sem instituições sólidas e republicanas temos poucos instrumentos para lidar com o colapso econômico. 

  91. “A corrupção no Brasil é um monstro. Desvia R$ 200 bilhões. O triplo do que se gasta em saúde e educação. Não tenho dúvida nenhuma de que quem rouba milhões, mata milhões”. (fonte: de um ‘imbecil’)

  92. O conceito de nação e o interesse nacional

    A idéia de interesse nacional presupõe o existencia de um conceito mínimo de nação que por sua vez requer o reconhecimento da soberania não apenas territorial mas da constituição como espinha dorsal do pacto social em torno do qual se constroi o pais.

    A frase de Moro ” Não vou colocar em risco um acordo de colaboração com os Estados Unidos por capricho da defesa” vai de encontro a soberania nacional colocando a jurisdição brasileira sob dominio da estrangeira e se for verdade que acordos foram celebrados pela força tarefa a revelia do ministerio da justiça e do senado é uma confissão explicita de que não se reconhece o conceito de nação muito menos os interesses nacionais.

    A melhor definição de fundamentalismo é atribuir ao todo razão parcial, ou seja tormar absoluto meias verdades. Nesse ponto nada supera Dalagnol quando compara Lula a um “general em crime de guerra” que “pratica crimes de seu gabinete” e que segundo a defesa não compareceu a nenhuma das 24 audiencias nem ouviu as 73 testemulhas que desmontaram a acusação. Essa afirmação deve ser entendida como grotesco fundamentallismo onde se acredita em coisa do tipo: provas ilicitas devem ser aceitas se colhidas de boa fé ou ainda se alguem for contra as 10 medidas é a favor da corrupção.

    Como esperar que uma operação conduzida sem respeito nem a soberania nacional nem a constituição, que protege supostos corruptos abertamente impedindo que perguntas chaves sejam feitas e que ainda vazam informações sigilosas de acordo com sua propria agenda tanto para midia local quanto para autoridades estrangeiras colaborando para que empresas nacionais sejam processadas no exterior possa compreender o conceito de interesse nacional?

    O artigo da Ombudsman do jornal Folha de São Paulo dizendo que a lista de Janot foi vazada pela PGR, comentado aqui no GGN, reforça a ideia que a imprensa esta sendo usada para disseminar as ideias fundamentalistas e proteger quem comvem, mas acima de tudo esta sendo usada como poderosa arma de guerra como sugere Dalagnol na fala contra Lula.

    Neste caso parece obvio destruir uma cadeia produtiva atraz da outra atravez desse artificio como foram os casos da Petrobras, do programa nuclear, e agora o da carne leia-se Agronegocio.

     

    • Muito bem sintetizado
      Pois que vivemos o estado de exceção desde o descobrimento destas terras e até hoje somos colônia de tudo o que é pior nessa terra.

  93. Tá osso!
    Sobre a última operação-escândalo da PF sobre carnes, tenho visto uma quantidade impressionante de argumentos que se acham contraditórios mas revelam apenas a preferência de cada um no múltiplo quebra-cabeças e nas diversas vertentes que o tema revela e implica: corporativismo de estamentos do funcionalismo público e suas disputas internas de poder (um “Deep State” tupinicóide e trapalhão), que exploram e manipulam, sem luvas, a fragilidade política de um desgoverno (esse sim, deveria ser barrado pela vigilância fitossanitária interna e externa) disenterino e contaminado, a disputa – entre países, setores econômicos e corporações empresariais e financeiras – comercial e geopolítica, ativa e invasiva ou que apenas se aproveita das crises internas de cada um daqueles blocos para conduzir resultados pretendidos e vantajosos, a questão política, sócio-econômica e ambiental da propriedade da terra (e dos recursos naturais em geral porque água é um insumo básico de praticamente tudo que se produz, natural ou artificialmente, a gente se esquece disso, e o petróleo que motiva guerras e golpes mundo afora, lembremos, vem do fundo do mar) e de seu uso, até questões éticas individuais como a escolha certa entre carnivorismo e veganismo. Ufa!

    Acho, pessoalmente, que todos esses fatores são interdependentes e não excludentes, e essa seria uma ótima oportunidade para discutir os assuntos com mais possibilidade de esclarecimento dos leigos, eu incluída, e de uma forma séria e consistente do fio condutor, longo, tortuoso, que os interliga: como organizar, de maneira coletiva e eticamente sustentável, a sobrevivência material neste planetinha especial de expiação?

    1 – começa com a preferência da maioria, que gera a possibilidade de exploração econômica, e das condições – do país, setor ou empresa – de fazê-lo; nesse caso, a maioria da população mundial é carnívora (ou omnívora), o Brasil tem um imenso território (que segundo nosso primeiro escriba, em se plantando – e criando ou subornando – tudo dá) e o agronegócio (de cuja cadeia o ramo de comércio de carne é dos mais lucrativos), por seu impacto no PIB e pela defesa dos interesses desse setor econômico, ganha espaço político e institucional, inclusive com uma bancada pra chamar de sua no BBB legislativo, a “bancada do Boi”, vizinha “da Bala e da Bíblia”. A questão política de fundo econômico, como se sabe mas o país ou finge não saber ou não sabe mesmo porque não interessa expor e explicar esses dilemas à população, tem afetado frontalmente a questão da reforma agrária, o direito de quilombolas e de indígenas à terra e à sua exploração autônoma (“Demarcação já”), e as principais discussões que envolvem a exploração sustentável da terra, da água e da produção de energia (ver exemplo em http://www.redebrasilatual.com.br/ambiente/2016/05/hidreletrica-no-tapajos-gera-escalada-de-conflitos-por-terra-e-do-desmatamento-ilegal-3878.html).

    2 – O Brasil é uma das maiores economias do mundo e havia perspectivas de aceleração da sua inserção mundial via BRICS, e por isso vinha se tornando, antes do Golpe “tudo-junto-e-misturado” de 2016, um forte adversário de países desenvolvidos em áreas tão diversas quanto, na economia, o agronegócio (grãos, carne, citro), as indústrias do petróleo dinamizadas pelo Pré-sal, a construção civil, e na área política, uma diplomacia “ativa e altiva” (desenvolvida pelo ministro Celso Amorim), o alinhamento político e econômico com países em desenvolvimento (nos BRICS e no G-20) que indubitavelmente – e isso não é coisa de “esquerdinha”, é leitura estratégica e ampliada da política mundial, independente de partidarismos, exposta até nos mais banais filmes norte-americanos e suas caricaturas da Casa Branca – colocou o Brasil como alvo das políticas protecionistas e globalitárias dos países mais ricos do mundo – não serão por acaso os países que mais têm lucrado com o desmonte de todos esses setores pelo desgoverno golpista.

    3 – Os EUA na era pós 11 de Setembro, sob pretexto de combate ao terrorismo e segurança nacional e em conjunto com países aliados, notadamente a Grã-Bretanha, ampliou as vigilâncias interna e internacional, para fins comerciais e de controle social e político. Isso foi dito pelo eminente jornalista Glenn Greenwald – que nesses tempos de baixa autoestima nacional, muito nos honra em ter escolhido o Brasil como lugar para viver, desculpe pela casa bagunçada em meio aos escombros! – no excelente e oscarizado documentário CitizenFour, dirigido pela jornalista Laura Poitras. Nesse instrutivo e histórico documento audiovisual, que registra os bastidores da atitude heróica (pois ele ainda hoje tem seu futuro incerto, asilado na Rússia, e corre riscos de deportação e de sanções graves sob o lunático Trump; oxalá Putin não seja bobo e o Brasil redemocratizado possa lhe dar abrigo, se necessário) de Edward Snowden ao revelar o programa massivo e ilegal de espionagem do governo norte-americano, uma platéia de senadores brasileiros incrédulos assiste ao brilhante e corajoso Glenn explicar, em bom português, quais as implicações dessa vigilância para a política nacional em plena efervescência social depois do famigerado junho de 2013, da espionagem comercial de empresas até a potencial influência sobre movimentos sociais e manifestações. Quanta coincidência, meses depois (o depoimento no senado foi em outubro de 2013 e a operação LJ foi iniciada em março de 2014) é deflagrada a operação lavajato, que se tornou uma das trincheiras do desmonte do estado brasileiro, ao fomentar crise política e social criada por e favorável a setores todos ligados, de algum modo, ao governo norte-americano, a saber, o PMDB que vinha trocando desde 2006 (segundo o Wikileaks) informações com a Embaixada Americana sobre os interesses de cada um – do partido, mais poder, da Casa Branca, interesse de suas petroleiras no pré-sal –, os justiceiros de Curitiba e seus suspeitos treinamentos por forças dos EUA em seu território, uma direita retrógrada e manifestante financiada tanto por grupos dos EUA (Koch Brothers) quanto pelo próprio PMDB, mídia oligopolista e defensora dos interesses do capital financeiro, que segue os padrões da mídia comercial mundial; quanto à decisiva omissão do STF e das instituições republicanas, se deve ao seu natural pendor pelo conservadorismo das estruturas sociais e econômicas, e talvez à espionagem, ainda desconhecida mas muito provável, de seus membros. Convém assistir também à entrevista de Julian Assange, do Wikileaks, ao site Nocaute, de Fernando Morais, para aqueles que acham que suspeitar de interferência norte-americana em assuntos relevantes é teoria da conspiração esquerdista. O intervencionismo USeiro não é uma teoria-panacéia que sirva a qualquer crítica mas é um fator que não deve ser descartado, apenas calibrado com discernimento conforme fatos e indícios tornem factível. No caso, só quando desvendarmos a natureza das relações entre a imitação de Deep State (MPF, PF e Justiça Federal) bananeira com o Deep State original.

    4 – A disputa entre empresas é movida, apesar do marketing “social e politicamente engajado” de muitas, por dinheiro, lucro e pelo poder de mantê-lo e multiplicá-lo. A disputa entre países, além da economia, envolve questões culturais e de visão de mundo. Todas elas, em estreita relação de dependência com o ambiente natural em que se vive, pois a base da economia ainda é a exploração dos recursos naturais e a base da cultura, a relação que criamos com nosso entorno ambiental e que forja o social.
    Apesar dos negacionistas, o planeta vem passando por mudanças ambientais sérias com risco para a própria sobrevivência da espécie. Urge que as sociedades conjuguem sua necessidade de produzir para sustento econômico – onde entram as discussões sobre distribuição de renda e combate à concentração do lucro, com a necessidade de respeitar as fontes primárias (terra, água e ar) que garantem não apenas o sustento econômico mas os ciclos vitais do mundo natural onde somos péssimos hóspedes.

    5 – Nessa história dos frigoríficos, para os veganos ufanistas, não haveria diferença no escândalo se se tratasse de alimento vegetal pois a superestrutura de interesses econômicos e políticos contaminaria – como demonstra o greenwashing – a honestidade do debate, pra início de conversa. Pessoalmente, como apenas e eventualmente peixe, e preferiria que não houvesse exploração animal para qualquer fim, mas para chegar no paraíso sonhado coletivamente talvez começar com a “política de redução de danos” fosse melhor caminho que a radicalização voluntarista, e aí, como diminuir o consumo de carne para os adeptos se a agricultura também tem seus esqueletos, como uso de agrotóxicos e transgênicos e a necessidade de produção em larga escala que os incentiva, o alto preço dos orgânicos? Alimentação saudável tem que ser acessível e promovida por educação e hábito, não pode ficar refém de modismos e guetos e dos mesmos mecanismos econômicos, e sociais, de controle de acesso a tudo que é de boa qualidade. O mundo produz alimento suficiente para sua superpopulação mas quase um bilhão de pessoas passa fome. Por que? Como melhorar a qualidade da alimentação em escala global e com importância comercial e que respeite os diversos interesses legítimos? Gostaria de ouvir os muitos especialistas que estudam e vivem o assunto num debate organizado mas o que temos é um lançar aleatório de justificativas parciais e superficiais que não oferecem soluções viáveis para os problemas.

    6 – Tão importante quanto a decisão do regime alimentar é a decisão de que tipo de sociedade se quer apoiar e lutar para que prevaleça. O país é grande mas não é de todos, ainda. Temos que reconhecer (e conhecer) quais os diversos interesses estão em disputa e construir um modelo de desenvolvimento que respeite, da melhor maneira possível, a diversidade cultural, econômica, social e política desse país continental. E isso só é possível com democracia, honestidade também de propósitos, transparência, justiça e igualdade, conjuntamente. Fatores ausentes nesse debate.

    7 – Se os fiscais já tinham essa denúncia há dois anos ou mais, muitos já perguntaram mas oficialmente alguém respondeu por que só agora o estardalhaço da operação? Se há a disputa interna na PF descrita pelo Nassif, por que esse especialmente e não outro escândalo? Por que, diferente de outros escândalos midiáticos, esse detectou propinoduto para partidos políticos – PMDB e PP – mas o foco não foi a corrupção de agentes públicos (incluídos os fiscais sanitários) e sim a qualidade do produto da empresa alvo e de modo a colocar sob suspeita um setor inteiro – apelo popular já que a corrupção está normalizada para alguns? Terá juntado a fome da disputa interna de servidores oportunistas com a vontade de comer a fatia dessas empresas do comércio internacional? Apenas mais uma coincidência?
    Somente uma imprensa honesta e uma população informada e conhecedora de como funcionam essas engrenagens poderiam produzir respostas que interessam ao pressionar por esclarecimentos os envolvidos – PF, empresas, políticos – mas esperam que o ator Tony Ramos dê as explicações! E dá-lhe meme, paródia, constrangimento de artista, e toda sorte de desvio do assunto principal, e continua dormindo “a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações” (trecho de música de Chico Buarque, “Vai passar”).
    Por fim, concordo com alguns comentaristas que não deveria haver sigilo em algo de interesse público como a qualidade do alimento, mas entendo que o Nassif quis se referir a fazer a denúncia sem espetacularização e com responsabilidade de orientar a opinião pública sem causar o impacto negativo sobre o país, a reputação do setor e das empresas envolvidas. Em outras palavras, esperava responsabilidade ao lidar com assunto complexo na era da escandalização e do ataque predatório às empresas nacionais e à imagem do país, que se salvasse o bebê ao descartar a água suja do banho, afinal é prematuro dizer, na fase em que está, que se trata do problema sistêmico e avassalador que o escândalo sugere e que só o tempo e investigação séria e profissional (ainda será possível com essa PF) poderiam esclarecer.
    Também acho que as empresas devem ser responsabilizadas pela sua conduta, se fraudulenta ou ilegal, independente de tamanho, fatia do PIB, bilhões de faturamento ou quantidade de empregos gerados mas não é com esse amadorismo persecutório e farisaico que se vai resolver o problema de as grandes empresas garantirem seus interesses com propina, manipulação política e exploração dos trabalhadores. Destruir a empresa não elimina a lógica capitalista predatória e desonesta que alimenta o circuito de que faz parte, apenas abre espaço para que esta lógica se fortaleça com outras pessoas e empresas. Quem ganha e quem perde com isso?

    Segue reprodução de documento da Rio+20, da ONU. O texto é de 2012 mas é bastante informativo e didático para ampliar a visão sobre o problema da alimentação. Quanto ao resto, quando a seriedade e a responsabilidade voltarem a este planeta, as respostas talvez venham junto.

    “Rio+20 O futuro que queremos

    FATOS SOBRE ALIMENTAÇÃO
    A situação
    Não há comida suficiente no mundo para alimentar todos, 925 milhões de pessoas ainda passam fome. No centro do problema estão a pobreza e a falta de poder, que impedem o acesso a alimentos nutritivos. Esta situação é agravada pela degradação constante dos solos, da água doce, dos oceanos e da biodiversidade. Uma grande reforma do sistema de alimentação e de agricultura é necessária para garantir segurança alimentar para cerca de um bilhão de pessoas que atualmente sofrem com a fome e suportar o crescimento estimado de dois bilhões da população mundial até 2050.

    Os agricultores que trabalham menos de dez hectares de terras representam cerca de um terço da população do mundo e uma grande maioria de pessoas em pobreza extrema. A agricultura é o maior empregador único, proporcionando meios de subsistência para 40% da população global atual. É a maior fonte de renda e emprego para famílias rurais pobres.
    Os países em desenvolvimento são particularmente vulneráveis aos impactos negativos das mudanças climáticas, tais como ‘estresse’ hídrico ou a seca, que comprometem seriamente a segurança alimentar e os esforços para erradicar a pobreza.
    O ano passado viu uma crise de segurança alimentar no Chifre da África e uma emergência em desenvolvimento na região do Sahel, Oeste da África. O Sul da Ásia tem o maior número de pessoas que sofrem de fome – 36% de todos os subnutridos do mundo em desenvolvimento. Até 2050, 20% das pessoas poderão estar em risco de fome por causa das perdas de produtividade relacionadas ao clima, a maioria na África Subsaariana. Aumentos dos preços dos alimentos e volatilidade em todo o mundo significam muito mais pessoas oscilando à beira da fome.
    O declínio da produtividade agrícola faz com que pessoas invadam florestas, pastagens e áreas úmidas, criando um espiral de degradação ambiental e pobreza. Aumentar a produtividade agrícola é essencial para o desenvolvimento sustentável, porque reduz a pobreza e o estresse no ambiente.
    Questões fundamentais a respeito de como os alimentos são cultivados e consumidos precisam ser abordadas. Com o crescimento da classe média global, aumenta também o consumo de carne, cuja produção exige quantidades maiores de grãos e água, colocando pressões crescentes sobre os sistemas agrícolas. Esforços estão em andamento para reduzir o desperdício na produção e distribuição de alimentos e para promover métodos agrícolas que reduzam as emissões de gases-estufa, além de outros impactos ambientais negativos da agricultura, como a perda de solos férteis e poluição da água. Melhores hábitos alimentares devem ser estimulados nos países ricos, que têm uma ingestão calórica insustentável e desproporcionalmente alta. Em muitos países pobres, a ajuda deve ser direcionada para as populações onde a agricultura está sob maior risco.

    Fatos-chave
    A produção de alimentos está subindo de forma constante e proporcionalmente superior ao crescimento populacional. No entanto, cerca de 925 milhões de pessoas passam fome no mundo. A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) estima que as perdas globais dos alimentos e o desperdício cheguem a 1,3 bilhão de toneladas por ano – cerca de um terço da produção mundial de alimentos.
    Os pequenos agricultores fornecem até 80% dos alimentos nos países em desenvolvimento, então investir neles é uma forma importante de aumentar a produção de alimentos.
    Se as mulheres nas áreas rurais tiverem o mesmo acesso a terra, tecnologia, serviços financeiros, educação e mercados como os homens, o número de pessoas passando fome poderia ser reduzido em 100 a 150 milhões.
    Desde os anos 1900, cerca de 75% da diversidade de culturas foi perdida nos campos agrícolas.
    A degradação do solo afeta diretamente 1,5 bilhão de pessoas no mundo; estima-se que cerca de 24 bilhões de toneladas de solo fértil sejam perdidas a cada ano.
    A produção global total de peixes, crustáceos e moluscos aumentou para 144,6 milhões de toneladas em 2009. Embora a produção de captura tenha se mantido em torno de 90 milhões de toneladas desde 2001, a produção aquícola tem crescido a uma taxa média anual de 6,1%, passando de 34,6 milhões de toneladas em 2001 para 55,7 milhões de toneladas em 2009. O valor da produção aquícola foi estimado em 105,3 bilhões dólares em 2009.

    O que funciona

    A abordagem holística do Brasil com o programa Fome Zero envia dinheiro para famílias pobres com a condição de que seus filhos frequentem a escola e mantenham vacinas e exames de saúde em dia. O programa alimenta 47 milhões de crianças diariamente e adquire até 30% dos alimentos com agricultores locais. O Brasil tirou da pobreza cerca de 49 milhões de pessoas e pretende fazer o mesmo com as demais 16 milhões até 2014. O país está fazendo uma parceria com o Programa Mundial de Alimentos (PMA) para compartilhar experiências com africanos, asiáticos e outros países latino-americanos. Cerca de 100 mil agricultores da África Ocidental reduziram o uso de pesticidas e obtiveram aumentos de produção e de renda com a diversificação dos sistemas agrícolas, como resultado de um projeto da FAO para promover práticas agrícolas sustentáveis. Um produto alimentar inovador desenvolvido no Paquistão está ajudando a proteger jovens vítimas de enchentes da desnutrição. Feita a partir de grão de bico cultivado localmente, Wawa Mum mostra que o fornecimento de conhecimento técnico pode ser a chave para encontrar soluções locais para a desnutrição.

    Propostas para a Rio+20

    O Painel de Alto Nível sobre Sustentabilidade Global recomenda que governos e organizações internacionais criem uma nova revolução verde para, no mínimo, dobrar a produtividade ao mesmo tempo em que reduz drasticamente o consumo de recursos, de modo a evitar maiores perdas de biodiversidade e de terras férteis, além de contaminação e escassez de água. As propostas para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODM) apresentadas no rascunho do documento final da Conferência Rio+20 inclui diversas metas específicas até 2030:
    • Zero degradação da terra;
    • Aumento de 20% na eficiência da cadeia de produção de alimentos, reduzindo as perdas e o desperdício do campo à mesa;
    • 20% de aumento na eficiência de uso da água na agricultura;
    • 70% das terras irrigadas utilizando a tecnologia que aumenta a colheita por gota.
    Outras propostas requerem maiores investimentos na produção local de alimentos, melhor acesso aos mercados agroalimentares locais e globais e redução do desperdício em toda a cadeia de abastecimento, com especial atenção às mulheres, pequenos agricultores, jovens e agricultores indígenas. Há também demandas por sistemas de negociação mais transparentes e abertos que contribuam para a estabilidade dos preços dos alimentos e dos mercados domésticos; acesso à terra, água e outros recursos; e apoio a programas de proteção social.

    Produzido pelo Departamento de Informação Pública das Nações Unidas, junho de 2012. “
    (fonte: http://www.onu.org.br/rio20/alimentacao.pdf)

    SP, 19/03/2017 – 18:47

    • “ainda será possível com essa PF???”

      CORREÇÃO: No trecho do comentário original “afinal é prematuro dizer, na fase em que está, que se trata do problema sistêmico e avassalador que o escândalo sugere e que só o tempo e investigação séria e profissional (ainda será possível com essa PF) poderiam esclarecer.”, leia-se uma pergunta entre os parênteses: “ainda será possível com essa PF???”. No Brasil, as interrogações são às vezes mais reveladoras que os pontos finais. 

       

      Aproveito para dar voz a Renato Russo, o artista que conhecia tão bem o que há de podre no reino de Brasília e do Brasil. (discordo apenas da censura ao voto dos analfabetos, que podem conhecer e elaborar melhor a realidade que muitos letrados estupidamente ignorantes do livro da vida e do mundo).

       

      “PERFEIÇÃO” (Álbum “O descobrimento do Brasil” de 1993)

      Vamos celebrar a estupidez humana

      A estupidez de todas as nações

      O meu país e sua corja de assassinos covardes

      Estupradores e ladrões

       

      Vamos celebrar a estupidez do povo

      Nossa polícia e televisão

      Vamos celebrar nosso governo

      E nosso estado que não é nação

       

      Celebrar a juventude sem escola, as crianças mortas

      Celebrar nossa desunião

      Vamos celebrar Eros e Thanatos

      Persephone e Hades

      Vamos celebrar nossa tristeza

      Vamos celebrar nossa vaidade

       

      Vamos comemorar como idiotas

      A cada fevereiro e feriado

      Todos os mortos nas estradas

      Os mortos por falta de hospitais

       

      Vamos celebrar nossa justiça

      A ganância e a difamação

      Vamos celebrar os preconceitos

      O voto dos analfabetos

      Comemorar a água podre e todos os impostos

      Queimadas, mentiras e sequestros

      Nosso castelo de cartas marcadas

      O trabalho escravo, nosso pequeno universo

      Toda a hipocrisia e toda a afetação

      Todo roubo e toda indiferença

      Vamos celebrar epidemias

      É a festa da torcida campeã

       

      Vamos celebrar a fome

      Não ter a quem ouvir, não se ter a quem amar

      Vamos alimentar o que é maldade

      Vamos machucar o coração

       

      Vamos celebrar nossa bandeira

      Nosso passado de absurdos gloriosos

      Tudo que é gratuito e feio

      Tudo o que é normal

      Vamos cantar juntos o hino nacional

      A lágrima é verdadeira

      Vamos celebrar nossa saudade

      E comemorar a nossa solidão

       

      Vamos festejar a inveja

      A intolerância, a incompreensão

      Vamos festejar a violência

      E esquecer a nossa gente

      Que trabalhou honestamente a vida inteira

      E agora não tem mais direito a nada

       

      Vamos celebrar a aberração

      De toda a nossa falta de bom senso

      Nosso descaso por educação

      Vamos celebrar o horror de tudo isto

      Com festa, velório e caixão

      Está tudo morto e enterrado agora

      Já que também podemos celebrar

      A estupidez de quem cantou essa canção

       

      Venha!

      Meu coração está com pressa

      Quando a esperança está dispersa

      Só a verdade me liberta

      Chega de maldade e ilusão

       

      Venha!

      O amor tem sempre a porta aberta

      E vem chegando a primavera

      Nosso futuro recomeça

      Venha que o que vem é perfeição

       

      Composição: Dado Villa-Lobos / Renato Russo ” (fonte: https://www.letras.mus.br/legiao-urbana/46967/).

       

      E fecho com Caetano Veloso, um dos príncipes entre nossos poetas-filósofos da canção popular. (pra quem tem Cartola, Noel Rosa, Chico Buarque e Gilberto Gil o reinado também pode ser democrático). 

       

      “PODRES PODERES” (Caetano Veloso no disco “Velô”, de 1984)

      Enquanto os homens exercem
      Seus podres poderes
      Motos e fuscas avançam
      Os sinais vermelhos
      E perdem os verdes
      Somos uns boçais

      Queria querer gritar
      Setecentas mil vezes
      Como são lindos
      Como são lindos os burgueses
      E os japoneses
      Mas tudo é muito mais

      Será que nunca faremos senão confirmar
      A incompetência da América católica
      Que sempre precisará de ridículos tiranos
      Será, será, que será?
      Que será, que será?
      Será que esta minha estúpida retórica
      Terá que soar, terá que se ouvir
      Por mais zil anos
      Enquanto os homens exercem
      Seus podres poderes
      Índios e padres e bichas
      Negros e mulheres
      E adolescentes
      Fazem o carnaval

      Queria querer cantar afinado com eles
      Silenciar em respeito ao seu transe num êxtase
      Ser indecente
      Mas tudo é muito mau

      Ou então cada paisano e cada capataz
      Com sua burrice fará jorrar sangue demais
      Nos pantanais, nas cidades
      Caatingas e nos gerais

      Será que apenas os hermetismos pascoais
      E os tons, os mil tons
      Seus sons e seus dons geniais
      Nos salvam, nos salvarão
      Dessas trevas e nada mais

      Enquanto os homens exercem
      Seus podres poderes
      Morrer e matar de fome
      De raiva e de sede
      São tantas vezes
      Gestos naturais
      Eu quero aproximar o meu cantar vagabundo
      Daqueles que velam pela alegria do mundo
      Indo e mais fundo
      Tins e bens e tais
      Será que nunca faremos senão confirmar
      Na incompetência da América católica
      Que sempre precisará de ridículos tiranos
      Será, será, que será?
      Que será, que será?
      Será que essa minha estúpida retórica
      Terá que soar, terá que se ouvir
      Por mais zil anos
      Ou então cada paisano e cada capataz
      Com sua burrice fará jorrar sangue demais
      Nos pantanais, nas cidades
      Caatingas e nos gerais

      Será que apenas
      Os hermetismos pascoais
      E os tons, os mil tons
      Seus sons e seus dons geniais
      Nos salvam, nos salvarão
      Dessas trevas e nada mais

      Enquanto os homens
      Exercem seus podres poderes
      Morrer e matar de fome
      De raiva e de sede
      São tantas vezes
      Gestos naturais
      Eu quero aproximar
      O meu cantar vagabundo
      Daqueles que velam
      Pela alegria do mundo
      Indo mais fundo
      Tins e bens e tais!
      Indo mais fundo
      Tins e bens e tais!
      Indo mais fundo
      Tins e bens e tais!” (fonte: https://www.letras.mus.br/caetano-veloso/44764/)

      SP, 19/03/2017 – 23:07 (reenviado porque ausente a mensagem de espera na fila de moderação).

  94. BRASIL REAL

    BRASIL REAL.

    A realidade de nosso país é completamente absurda.
    Vemos todos os dias a violencia explodir nas ruas, saude publica um caos, problemas de carater dos politicos, sendo que estes, sao eleitos, obras publicas um relaxo só, mudança nas leis da previdencia, trabalhista. politica e fiscal que não vai dejeito nenhum, nem que a vaca tussa, nao será aquela coisa… a minha duvida como o pais estará daqui 10 anos? um México, uma Venuzuela ou um Paraguai? sonhar que aqui um dia possa ser uma Portugal, como um padre dizia… isto n]ao existe…. pensamento negativo? não realiade! queria sonhar todos os dias, vendo este pais melhor…mas, é só pesadelo… que Deus nos proteja.

  95. Golpistas &

    Golpistas & Podridão

    …”Podre se tornou a inteligência nacional quando perdeu o controle de duas corporações de Estado – MPF e PF – permitindo que fossem subjugadas pelo senso comum mais comezinho. E criou uma geração pusilânime de donos de veículos de mídia, incapazes de trazer um mínimo de racionalidade a essa barafunda, permitindo o desmonte do país pela incapacidade de afrontar o senso comum de seus leitores.”…

    …“No entanto, essa imbecilidade, de que a destruição das empresas brasileiras contaminadas pela corrupção, permitirá que viceje uma economia mais saudável, é recorrente nesse reino dos imbecis. E se descobre que a estultice da massa é compartilhada até por altos funcionários públicos, regiamente remunerados, que se vangloriam de cursos e mais cursos aqui e no exterior. O sujeito diz asneiras desse naipe com ar de sábio, reflexivo. E é saudado por um zurrar unânime da mídia.”…

    Nada demais. Tudo, dentre do esperado. E, não acabou. Só começando. Afinal, o sujo golpe de deposição do Governo de Dilma/PT, de pujança econômica, pleno emprego, esperanças e muita confiabilidade, interna e externa, contou com indivíduos padrão Cunha mais outros tantos de equivalente padrão moral. Empurram a economia do Brasil para o atual caos, de muitas  inseguranças, incertezas e de milhares de desempregados e de falidos. Esses golpe não podia dar certo. Sem chance alguma!

     

     

  96. A “carne de burro” dos frigoríficos

    A incansável defesa dos “interesses nacionais”, algo místico aqui nestas plagas, resume bem o ideário daqueles que se arrogam como seus guardiães. Não há o que debater para uma intelligentsia vanguardista que já o tem como claro. Nem se preocupa em defini-lo para o populacho e aos equivocados. Ou talvez, nos intervalos do Jornal Nacional, o tal interesse tenha sido exposto de forma simplória em termos do desempenho das exportações do “campo” brasileiro. O “campo” é outro conceito que persistiu historicamente, mas que hoje é posto de forma vaga, ocultando os interesses da classe dos ruralistas. Defender o campo, o pasto e o boi nacional, que seria o “cidadão” violado pela PF, foi o que nos restou desse desprendido interesse nacional. Símbolo daquilo que a nossa propaganda (nacional) já chamou de “efeito denorex”. A descoberta dos interesses corporativos no Brasil e no mundo não devia ser um desafio muito grande para a percepção de ninguém. Afinal a bancada ruralista, com algumas exceções, namora (através de um PL 4059/12) a venda de terras para estrangeiros (1% delas já foram negociadas, segundo sabemos). A pergunta mais simples a responder é: o que de fato é esse tão alegado interesse nacional? Por que ele estaria correndo perigo? E olhe que o “Sr, Crise” tinha melhores sacadas.

  97. è porque existe corrupção que

    è porque existe corrupção que pode acontecer que delegados incompetentes sejam responsaveis de ações tam ruim para o país!

  98. O pinocchio trapalhão da carne fraca
    O pinocchio trapalhão

    Temer oferece uma boquinha livre pros embaixadores, depois da reunião da “Carne Fraca”, na churrascaria Steak  Bull. Certinho: foi fazer propaganda da carne importada do Uruguai ou Austrália, já que lá, sabe-se, não servem carne brasileira, “só as boas, de confiança”, como costumam propagandear. Em meio à polêmica, levantada pelo Estadão, os “célebros” da publicidade governamental emitem nota oficial dizendo que foram servidas ao presidente apenas carnes brasileiras, “como puderam testemunhar órgãos sérios da imprensa” – rá! Nova matéria do Estadão (Naira Trindade e Andreza Mattais) reproduz a nota, e a gravação da informação dada pelo funcionário, desmentindo, tintin por tintin, a nota oficial. Imperdível!!!!

    #fake #vergonhaalheia #piadapronta #revenge