A elite americana prevê o fim do neoliberalismo, por Andre Motta Araujo

O Brasil, sempre atrasado na absorção de tendências do pensamento econômico elaboradas nos países centrais quer, em 2019, implantar no País a ideologia já caduca dos anos 1980

A elite americana prevê o fim do neoliberalismo

por Andre Motta Araujo

As 200 maiores corporações americanas, reunidas no  BUSINESS ROUNDTABLE, principal entidade de cúpula do capitalismo americano, presidido por Jamie Dimon, CEO do mega banco J.P. MORGAN CHASE, pela voz de seus executivos principais reunidos, decidiram que o credo neoliberal praticado há 40 anos, segundo o qual p principal objetivo das corporações é gerar “valor para o acionista”,  está errado e deve ser revisto porque esse ideia causou um desastre que vai COLOCAR EM RISCO O PRÓPRIO CAPITALISMO. Esse desastre se chama “CONCENTRAÇÃO DE RENDA”.

Há 40 anos, segundo o Business Roundtable, 1% da população americana detinha 7% da riqueza. Hoje os mesmos 1% detém 22% da riqueza, a concentração de riqueza aumentou TRÊS VEZES. O mito neoliberal, de que se o acionista ganhar mais toda a economia prospera, ERA FALSO. A riqueza se concentra e não beneficia o conjunto da sociedade. Hoje o crescimento dos EUA está estagnado e não passa de 2% anual, inexplicável quando o desemprego é baixo. Na prática, os EUA têm pleno emprego, mas há truques embutidos nessa constatação, há muitos trabalhando abaixo de sua competência porque não conseguiram prosseguir suas carreiras pela falta de crescimento da economia, há uma estagnação e até regressão social nítida nos EUA.

A explicação do Business Roundtable é clara: NÃO CRESCE PORQUE OS SALÁRIOS SÃO BAIXOS E A POPULAÇÃO ESTÁ ENDIVIDADA, quer dizer, não basta o pleno emprego, é preciso DISTRIBUIR RENDA para que a economia cresça e as grandes corporações NÃO DEVEM TER O LUCRO PARA O ACIONISTA COMO ÚNICO OBJETIVO, PORQUE ISSO VAI DESTRUIR A ECONOMIA DE MERCADO por causa de uma crise social que pode levar à implosão do País.

O FIM DO CICLO NEOLIBERAL

O chamado “ciclo neoliberal’, que é uma exacerbação dos princípios da Escola Austríaca, uma espécie de crença cega no mercado muito além dos princípios da primeira fase do capitalismo moderno com Adam Smith e David Ricardo, propagado pela então Primeira Ministra Margaret Thatcher, hoje demonizada no Reino Unido, com sua biografia histórica revista muito para baixo, partia da lógica errada de que a economia de mercado, LIVRE DAS AMARRAS DO ESTADO, seria boa para todos, ricos, classe média e pobres. Segundo a conclusão do Business Roundtable, evidenciado o pensamento de 178 CEOs das maiores corporações da economia produtiva e do mercado financeiro dos EUA, essa crença É FALSA. A economia de mercado sem Estado NÃO É BOA PARA TODOS, só para os ricos e se isso não for corrigido o capitalismo não terá futuro porque ele só funciona dentro de uma sociedade organizada.

Leia também:  Giro Econômico GGN: confira um panorama da economia global

O PAPEL DO ESTADO

A conclusão do Business Roundtable vai mais além. Julga que é fundamental reconsiderar o papel do Estado como regulador e garantidor dos direitos da população em suas relações com o mercado, que, ao contrário do que imaginavam os neoliberais de raiz, NÃO SE AUTOREGULA porque não é de sua natureza e nem de sua capacidade. É necessário um Estado forte para que a população seja protegida da ganância excessiva do mercado.

O BRASIL NA CONTRA MÃO ADOTA O NEOLIBERALISMO DOS ANOS 80

O Brasil, sempre atrasado na absorção de tendências do pensamento econômico elaboradas nos países centrais quer, em 2019, implantar no País a ideologia já caduca dos anos 1980, as ideias de Mrs. Thatcher já foram desmontadas na própria Inglaterra e sua biografia revista e piorada, a deputada Glenda Jackson, ex-artista de Hollywood, é hoje o maior algoz do papel histórico de Mrs. Thatcher e a crise de 2008 nos EUA foi atribuída à desregulamentação do mercado financeiro efetuada pelo Presidente Reagan, também sob revisão histórica.

O neoliberalismo dos anos 1980 foi desmontado no Chile pelos efeitos catastróficos que causou nas classes média e pobre do Chile, enquanto enriquecia o topo dos ricos.

O neoliberalismo com desmanche do Estado está em franca implantação no Brasil ao mesmo tempo em que é rejeitado nos países centrais, produzindo terríveis efeitos em um Pais com enorme população de baixa renda, produziu péssimos resultados em países ricos ao empobrecer a classe média, em países emergentes produzirá catástrofes de miséria e involução social. Vemos hoje no Brasil um sólido pensador econômico neoliberal de primeira linha, Arminio Fraga, fortemente preocupado, mais do que qualquer outro fator, com o desequilíbrio social, ao mesmo tempo em que neoliberais ideológicos, como o Ministro da Economia, incapaz de evoluir, pregando e colocando em prática no Brasil o receituário neoliberal antigo dos anos 1980, que fracassou redondamente no seu principal laboratório, o Chile. Cego a esse fracasso o atual núcleo que comanda a economia no Brasil insiste na fórmula chilena.

Leia também:  O sequestro da vida na sociedade capitalista, por Márcia Moussallem

Agora, com a revisão dessas premissas nos EUA, alguma luz deve se despejar sobre a mídia e os empresários brasileiros que apoiam essa catástrofe de desmonte do Estado via privatizações absurdas e concessões fantasiosas, com a alegação infantil de “o Brasil está quebrado”, quebrado estará pela incompetência de quem deveria ter projetos e ideias de revigoramento da economia onde o Estado ainda tem e terá PAPEL CENTRAL.

O NEOLIBERALISMO COMO IDEOLOGIA

Há dois eixos diferentes no neoliberalismo de Thatcher e de Reagan. Mrs. Thatcher tinha o neoliberalismo como uma ideologia em oposição ao Partido Trabalhista Inglês, que era (e é) um partido social democrata clássico. Já Reagan adotou uma forma mais suave de neoliberalismo, baseado na desregulamentação e não na privatização, não havia o que privatizar nos EUA, ao contrário do Reino Unido. Reagan era a favor da desregulamentação do mercado financeiro, que foi a causa da crise de 2008, isso dito pelo então Secretário do Tesouro dos EUA e era contra os sindicatos de trabalhadores. Mas Reagan não seguia a linha de considerar o neoliberalismo uma ideologia, era apenas uma praxis útil à economia, não era uma fé religiosa, Reagan era um pragmático.

Já os neoliberais brasileiros do atual grupo no comando da economia têm o neoliberalismo como IDEOLOGIA ou SEITA, é uma forma muito mais primitiva tosca, grosseira e ignorante de operar aquilo que é apenas uma escola de pensamento econômico que serve para um ciclo e não pela eternidade.

O interessante é que os neoliberais da Era FHC, como Arminio Fraga, Gustavo Franco, Pedro Malan e outros não operaram a política econômica na base de ideologia, eram práticos e não fanáticos, como pessoas cultas e inteligentes alguns revisaram suas posições para ver os defeitos do neoliberalismo, caso de André Lara Rezende e Arminio Fraga, é uma característica de cérebros de primeira ordem, a capacidade de se reciclar, rever posições, refletir, e não manter a mesma ideia  até a morte, caso dos burros e limitados. Keynes se reinventou várias vezes, mudando de ideia de acordo com a época, como respondeu à observação de Lady Astor “O senhor muda de ideia a toda hora”, ao que Keynes respondeu, “My lady, eu não mudo, o que mudam são as circunstâncias”. Lara Rezende e Fraga estão hoje na mesma linha do Business Roundtable, ou o capitalismo se reforma para distribuir renda ou acaba.

Leia também:  O plano de Guedes para que empresas estrangeiras participem de obras públicas

E a ruptura pode vir de forma repentina, como no Chile e agora também na Colômbia, com manifestações destrutivas e intermináveis, produto da frustação acumulada de classes e pessoas que viram suas vidas serem destruídas pelo desemprego e regressão social.  A elite brasileira, historicamente atrasada, cega e surda, focada no mercado financeiro, dificilmente terá a capacidade revisionista de uma elite culta, mas fica do recado da elite americana.

AMA

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

38 comentários

  1. Gustavo Franco mudando de ideia? Ele é um fanático, um ridículo que achou que não deveria se mudar o câmbio fixo mesmo a economia derretendo a olhos vistos. Esse não mudou nada.

    16
    1
    • Só estão se fingindo de morto para dar um créu no coveiro…..essa será a tonica das próximas eleições, com o povo desempregado e sofrido vão tentar o passa-moleque….enquanto isso o PT está no discurso ideológico contra o fascismo, que o povo nem sabe o que é……o povo está mais preocupado com o preço da carne e se poderá recarregar o celular……..

      14
    • O que o AA matreiramente esconde, quando ataca o neoliberalismo é que nuncaantesnahistóriadessemundo houve tanta distribuição de renda.

      Veja que, grande parte da renda dos trabalhadores norte-americanos migraram para a China tirando mais de 300 milhões de pessoas da pobreza. Não se pode olhar apenas para um único pais e dizer que o sistema está concentrando a renda.

      Outra razão é a de que estamos presenciando uma nova economia que está criando superbilionários como Bill Gates, Jeff Bezos, cada um com 100 bilhões de patrimonio e outros tantos menores, mais ainda assim superbilionários.

      A analise do AA é superficial porque não leva em conta esses fatores. A procura de mão de maior eficiencia e mão de obra mais barata está provocando uma redistribuição de renda em escala global.

      Sobre a concentração de renda nas mãos de poucas pessoas, a legislação tributária norte-americana, com certeza vai transformar as mortes desses mega-bilionários num espetáculo de arrecadação de impostos quando for feita a sucessão.

      2
      8
      • O enfoque do AA, parece claro, tem o Ocidente como referência.
        De fato, o Oriente está na vanguarda.
        O convite ao desenvolvimento feito por kissinger-Nixon à China teve como efeito colateral a ascensão do gigante chinês….que ninguém segura mais…
        O objetivo central, na época de Kissinger, foi alcançado a médio prazo com a implosão do mundo soviético…….porém…..a China voltou ao topo….

      • Sei não… Essa “distribuição de renda em escala global” não foi feita a partir de uma política clara, mas um efeito colateral, nao previsto pelos pensadores neoliberais da década de 1980 e da ganância do mercado? E, foi mesmo “distribuição de renda”? Foi “global”? Considerar a China ou alguns países não seria cair no mesmo errro do seu argumento de focarmos em um país ( ou grupo, estendendo mais um pouco?) As políticas econômicas e sociais da China não tiveram a ver com isso?
        E, aqui, não defendo a China… A burocracia estatal de partido único chinesa, autoritária, também não contribuiu na perda de direitos de trabalhadores, escravidão de pessoas, ataques a populações tradicionais e suas culturas, danos ao meio ambiente, perda de liberdades democráticas? Parece-me que se 300 milhões de pessoas saíram da pobreza – mas sem direitos plenos como cidadãos – outros tantos caminharam para a miséria. E, repito, como efeito dos pensadores neoliberais e da ganância do mercado, da falta de regulamentaçao do (s) estado (s), por um lado, e de um estado (s) autoritário(s), por outro.

  2. “…neoliberal de primeira linha, Arminio Fraga, fortemente preocupado, mais do que qualquer outro fator, com o desequilíbrio social…”

    Nas eleições de 2014, foi ele o porta voz economico do andar de cima. Saiu-se com a pérola: “os salários subiram demais”…

    Pode até ser que ele seja “bastante agradável”, mas a atual guinada do discurso da social democracia À brasileira tem muito mais a ver com o susto eleitoral que tomaram ao ver que o eleitorado que eles cevaram eleição a eleição fechou em peso com o boçalnaro.

    17
    1
    • As ultimas declarações de Fraga indicam uma mudança de ideia. Há uma diferença entre conservadores e ultra direitistas ideologicos, Fraga é um conservador, pode evoluir.

      7
      1
      • Em tese, sim. Porém, quem tem hoje a bandeira da Politica Social é o Partido dos Trabalhadores. Será que o antipetismo tucano permitirá que eles possam “evoluir”? Sei nao…

        Fundadores do PSDB, como Bresser Pereira e alguns outros nao têm a menor duvida que o partido desembestou pra direita. Agora o eleitorado que sempre votou neles está fazendo arminha e recusando tudo e qualquer coisa que pareça “socialismo”.

        Ou seja, cavaram um buraco tao fundo que acabaram caindo nele.

        A conversa de “em cima do muro”, que os caracterizou desde a fundação ainda vai colar? Insistir que o PT, PT, PT é “radical” está hoje em dia parecendo uma mistura de ignorância com cinismo.

        Triste sina da social democracia À brasileira…”partido de quadros”, que engordou, sem inserção social alguma, nas entranhas do antipetismo, na época, da derrocada de Collor e Maluf.

        Os parceiros da mídia já não têm mais o carisma que tinham….

        Nem o financiamento de campanha é o mais o mesmo.

        FH, vaidoso, no final da vida vai ficar marcado pelo golpismo.

        10
        • O PT precisa urgente de um discurso claro, pode ser centro esquerda mas com propostas concretas especialmente para a economia, um
          mapa para sair da estagnação e do desemprego.

          10
          1
          • Meu caro,

            O discurso do PT, PT, PT, está mais que claro (entenda, sou do Rio, e votava no Brizola, ou seja, não tenho mais idade para “paixões politicas”): politica econômica de inspiração keynesiana e política social visando reduzir as desigualdades . Ponto.

            E isso foi feito, bem ou mal, mais ou menos: não foi por “não cumprir”, ou por “dar errado” que o PT, PT, PT foi derrubado…Muito pelo contrário.

            As medidas objetivas devem ser analisadas uma a uma, COISA QUE A TURMA ANTISSOCIAL NAO FAZ, por ideologia, por preconceito ou por ignorância, isso é do jogo democratico, ora, ora. Embora, meu caro, não seja nada, nada “agradavel”, moderno, falsificar os argumentos do adversário politico no debate publico.

            Pois foi isso que os “conservadores fizeram por décadas; é isso que os tucanos fizeram por décadas; é isso que a globo fez por décadas, taxando o PT, PT, PT, (partido ao qual eu nao sou filiado, infelizmente é necessário frisar) de ser “radical”…

            Ora, qualquer pessoa que queira saber – nao importa a escolaridade ou vivencia : repetindo, qualquer um que QUEIRA SABER tem noçao que que nao há qualquer força política relevante falando em “revolução”, “luta armada”, “expropriação de meios de produção”, “partido único”, “ditadura do proletariado”….NADA, nada disso.

            Falar em “radicalismo” do PT, PT, PT é coisa de BESTA, de oportunista, cínico, ou ignorante.

            17
            1
          • O PT, PT, PT FEZ, EXECUTOU, um “programa claro”, com reduçao da miséria, da desigualdade, aumento do salario, do emprego, de defesa do patrimonio, da indistria do produto nacional, das minorias, dos DHs…

            So quem ESCOLHEU se tapar que nao viu.

            Ou, pior, não gostou, achou de “mau tom”, e preferiu se tapar e partir pra ignorancia: é o caso dos tucanos e dos “democratas”, antiga “arena”.

            15
          • Pois é, quando eu falo isso acham.ruim, discurso ideológico contra o fascismo nós.tempos atuais é perda de.tempo…..se o povo fosse contra o fascismo estaria na rua derrubando o governo….. estão mais preocupados com o preço da carne e se vão poder recarregar o celular….mas o PT nunca foi bom de estratégia…..

    • Realmente, é que eles estão assustados com o bolsonarismo, assim como igualmente uma boa parte da elite lá nos EUA, leia-se Warren Buffet e cia, estão assustados com Trump e todo seu discurso contra minorias e imigrantes(sendo que eles se usam dessa mão de obra quase escrava para lucrar mais), a elite não dá ponto sem nó, nunca.

    • Realmente, é que eles estão assustados com o bolsonarismo, assim como igualmente uma boa parte da elite lá nos EUA, leia-se Warren Buffet e cia, estão assustados com Trump e todo seu discurso contra minorias e imigrantes(sendo que eles se usam dessa mão de obra escrava para lucrar mais), a elite não dá ponto sem nó, nunca.

  3. Acrescente o enlouquecido processo de financeirização de empresas, onde parte substancial do seu faturamento depende de hedges, options e coisas assim. Capital que seria investido em pesquisa, inovação. Capital que ia gerar novos e bons empregos. É uma doença que vem matando o capitalismo.

    10
  4. Nâo é ideologia.

    O objetivo é GANHAR com isso e depois virar sócio dos vencedores, quando sair do Governo.

    Simples assim.

    O objetivo é RAPAR O TACHO.

    13
  5. Excelente artigo, como de costume.
    Porém, parece que a adesão à religião do neoliberalismo, por parte dos que disputam o poder, não tem muita relação nem com fé, nem com apego aos antigos sacerdotes e catequistas.
    Eles sabem muito bem da farsa. Afinal, burros eles não são.
    Seria tudo uma questão de um pragmatismo canalha: enriquecer às custas da desgraça alheia e do afundamento do país.
    Isso para não falar na variável geopolítica, que tende a nos levar à condição neocolonial. Não dá para apostar que a citada elite do norte defenda o fim do neoliberalismo em suas colônias.

  6. ACORDO COMERCIAL EUA-CHINA? Mas os Americanos não são inimigos de Ditaduras Comunistas? BEABA para Anão Diplomático. Parceirão este Trump, não é mesmo Bolsonaro?

    • Qualquer acordo EUA-China vai custar caro ao Brasil, os EUA vai impor a compra de soja e milho que
      está sobrando nos EUA e a China vai compensar comprando menos do Brasil e ainda tendo maior
      poder de impor preço. A consideração de Trump com o Brasil será menos zero.

  7. Esse ajuntamento de cafajestes ditos neoliberais só possui uma profissão de fé, que são eles próprios. O que pregam e praticam é tão ideológico quanto é teológica a pregação e prática dos próceres da “Teologia da Pro$peridade”. Não à toa, em ambas as áreas pululam psicopatas.

    Em ambos os casos, é pura picaretagem travestida de convicção.

  8. Poder. Sempre ele. Dificil imaginar que aszelites brigarão para implantação de algo que a tire do poder. Seja lá com que nome. Ontem criaram o Neoliberanismo. Hoje revisam, para aparecerem bondosos, e alardeiam a catástrofe se neoliberanismo não acabar. Amanhã (re)criarão uma outra coisa contanto que não percam um nanomilimetro ou cents. E o que e quem sustenta(rá) essas revisões e recriações ? Os 97,345% que estão sempre lutando para sobreviver(em) e que dependem das (re)criações dos de sempre.

    P.S.- Arminio Fraga preocupado com a concentração de renda ? Faz sentido. Afinal, mais dinheiro para seus fundos virá de onde ?

  9. Bom, se eles que são eles já estão quase – disse quase – na planificação do tipo soviético para salvar o capitalismo (estranhamente desdenhada pela esquerda, mas defendida por keynesianos), o papel da esquerda não pode ser outro: pedir mais Guedes e Francos! A visão que se precisa é dos “dois passos a frente” e não evitar o “um passo para trás”. Humanismo não serve em tempos de mudança necessária, então, viva o neoliberalismo extremado, viva o preço da carne e da gasolina, o desemprego, a precarização, o caos, viva! O PT está certo se o que pretende é ver o circo pegar fogo, enquanto aponta o dedo aos liberais (sem reagir). O PT acertou ao “permitir” Bolsonaro (para desespero do Ciro): viver para eleições em um país de estúpidos é pobre demais. A maior vingança do PT (pelo escracho e pelo impeachment) foi Bolsonaro. É hora de deixar a população a mercê de suas escolhas, que venham mais “estado mínimo”, desemprego e precarização.

  10. Até onde sei essa gente não liga a mínima para ninguém…. Tá mais do que na cara que é cortina de fumaça enquanto eles acham outro jeito de f***r ainda mais com as pessoas. Não sabem como, ainda, mas logo, logo eles encontram uma fórmula nova….
    Fizeram isso a vida inteira. Porque mudariam agora?

  11. Péssima argumentação. Cheia de falácias.
    Por exemplo:
    – Já os neoliberais brasileiros do atual grupo no comando da economia têm o neoliberalismo como IDEOLOGIA ou SEITA (Reductio ad Hitlerum), é uma forma muito mais primitiva tosca, grosseira e ignorante (argumentum ad hominem) de operar aquilo que é apenas uma escola de pensamento econômico que serve para um ciclo e não pela eternidade.
    Em vez de dizer porque o ciclo do liberalismo acabou, porque não deu certo e porque o capitalismo liberal está essencialmente errado, ele lança uma chuva de adjetivos sobre quem foi eleito em contraposição à experiência de 24 anos de socialismo Fabiano.

    – Ministro da Economia, incapaz de evoluir (argumentum ad ridiculum), pregando e colocando em prática no Brasil o receituário neoliberal antigo dos anos 1980 (argumentum ad antiquitatem e/ou novitatem), que fracassou redondamente (??? o Chile tinha metade da renda per capita do Brasil e hoje tem o dobro) no seu principal laboratório, o Chile.

    Além disso, ele distorce o que diz o Business Roundtable.
    Veja o que dizem comentaristas liberais, sem recorrer a falácias.
    https://fee.org/articles/should-corporations-consider-any-stakeholders-other-than-shareholders/
    https://fee.org/articles/milton-friedman-was-right-on-corporate-guidance-and-woke-ceos-ignore-him-at-shareholders-peril/
    https://fee.org/articles/shareholder-interests-and-stakeholder-interests-are-not-mutually-exclusive/

    1
    3
    • A “renda per capita” do Chile era tão bem distribuida que por nada surgiram manifestações violentissimas de rua exatamente porque essa renda per capita NÃO E BEM DISTRIBUIDA.
      Essa a diferença entre indicadores do Boletim FOCUS e a realidade.

    • Valeu pelos links. Precisava de uma leitura profissional, mesmo. Não uma narrativa dessas, pra inflar o ego-participativo.

    • Valeu pelos links. Precisava de uma leitura profissional, mesmo. Não uma narrativa dessas, pra inflar o ego-participativo.

  12. Lula e Getúlio; os dois maiores líderes ultra-conservadores nascidos no Brasil. Entender isso, é fundamental…
    (ultra-conservador, é aquele que deseja reformas, mesmo que amplas, para que o poder não mude de mãos. Ou seja, o anti revolucionário !)

  13. Não sem razão Ricardo foi chamado de comunista. O que postulou Ricardo – cientificamente, não esquecer! – é muito simples. E mais, Ricardo falava exatamente do capitalismo e não de um indefinível NEOLIBERALISMO. Em 1817, portanto exatos 50 anos antes do diabólico Marx desenvolver a questão no Capital, ele afirmou, sem possível contestação teórica ou prática, que a mecanização beneficiava o capitalista e o proprietário fundiário, mas prejudicava o trabalhador.
    A concentração, que é inerente ao capitalismo, e nada tem a ver com ausência de regulamentação do mercado, torna, atualmente, a riqueza concentrada, sobretudo em sua forma monetária, avessa à produção. O RENTISMO anda à solta. É a autofagia do capital.
    (Recomendo a leitura do XXXI, Sobre a Maquinaria, dos Princípios de Ricardo)

  14. Eu fiquei com uma dúvida: se a fé cega no mercado é ruim, supostamente pq n é de sua natureza se auto-regular, então a fé no ESTADO FORTE é a solução? Vamos dar nomes aos bois. São PESSOAS, não Estado ou Mercado. Portanto, um ESTADO FORTE, significa muito poder nas mãos de POUCOS. E o ser humano é FALÍVEL , é de sua natureza! Vejam Cuba, Venezuela, Coréia do Norte, China….
    Portanto, sou muito mais um Estado PEQUENO do que Forte. No Livre Mercado , é o empresário quem precisa agradar o consumidor. No ESTADO FORTE, é o cidadão quem deve OBEDECER ao Estado.
    Desigualdade não é o problema. Pq o valor das coisas não é fixo. E as empresas precisam vender.
    Socialismo(Estado FORTE) é uma BOSTA. Depois de tantas atrocidades, quem defende isso, ou é mal intencionado ou BURRO.

  15. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome