A história do avô do rapaz que ofendeu Chico

Atualizado às 15:10

O primeiro instante de celebridade do neto foi fotografar-se aos beijos com o ex-jogador Ronaldo.

O rapaz que ofendeu Chico Buarque é pouco informado sobre as aventuras de seu avô, Mário Garnero com o PT.

Garnero foi uma liderança estudantil importante. Depois, casou-se com uma herdeira do grupo Monteiro Aranha e passou a representar o sogro no capital da Volkswagen. Lá, como diretor de Recursos Humanos, conheceu e aproximou-se de Lula e dos sindicalistas do ABC.

Mas toda sua carreira foi pavimentada no regime militar.

Foi responsável por um seminário internacional em Salzburg, visando vender o país aos investidores externos no momento em que os ecos do Brasil Grande projetava a imagem do país no mundo.

Do seminário nasceu o Brasilinvest, um dos primeiros bancos de investimento do país tendo como acionistas diversos grupos internacionais. Garnero arrebentou com o banco desviando recursos para holdings fantasmas, como forma de se capitalizar para conquistar o controle absoluto da instituição. Quando terminou a operação, viu-se dono de um banco quebrado.

Antes disso, era o menino de ouro dos militares. Tornou-se num anfitrião de primeiríssima acolhendo em sua casa, ou em um almoço anual nas reuniões do FMI, a fina nata do capitalismo mundial. Tornou-se, de fato, um dos brasileiros mais bem relacionados do planeta. Mas jamais conseguiu transformar o relacionamento em negócios legítimos. Não tinha a visão do verdadeiro empreendedor. Terminou cercado por parceiros de negócio algo nebulosos, principalmente depois que passou a perna dos demais acionistas do Brasilinvest, grandes corporações internacionais.

Acabou se convertendo na bomba relógio que João Batista Figueiredo deixou para Tancredo Neves. A desmoralização final dos militares foram os escândalos da Capemi, brilhantemente cobertos para a Folha pelo nosso José Carlos de Assis.

Figueiredo impediu Delfim Netto de ajudar Garnero, vaticinando: o Brasilinvest será a Capemi do Tancredo (correção: o lobby de Garnero vinha de outros setores do governo; Delfim, mesmo, detestava-o) . A razão maior era a presença, no Conselho de Administração, de Aécio Cunha, pai de Aécio e genro de Tancredo (correção: foi outro genro de Tancredo, Ronaldo do Valle Simões, personagem muito mais polêmico do que Aecio Cunha) . E também de personagens de peso na vida nacional da época, como o presidente da Volskwagen Wolfgang Sauer, Helio Smidt, da Varig  e o publicitário Mauro Salles.

Colhi depoimento de Sauer sobre o episódio e testemunhei o alemão de ferro chorar na minha frente pela traição do amigo Garnero.

Percebendo a armadilha, Tancredo incumbiu seu futuro Ministro da Fazenda, Francisco Dornelles, de não facilitar em nada a vida da Brasilinvest. Sem o amparo do futuro presidente, o Brasilinvest afundou.

Já no governo Sarney, da derrocada de Garnero valeu-se Roberto Marinho para tomar-lhe o controle da NEC Telecomunicações.

Depois disso, continuou a vida tornando-se uma espécie de João Dória Junior internacional. Aos encontros anuais da Brasilinvest comparecia a fina flor do capitalismo – e modelos belíssimas. Aliás, a capacidade de selecionar mulheres para terceiros era uma das especialidades de Garnero, que conseguiu um encontro de Gina Lolobrigida para seu sogro. Ele mesmo tinha visa pessoal discreta.

No início do governo Lula, Garnero valeu-se da familiaridade dos tempos de ABC para se aproximar de José Dirceu, ainda poderoso Ministro da Casa Civil. A aproximação lhe rendeu prestígio e bons negócios.

Graças a ela, conseguiu levar o Instituto do Coração para Brasília, em um episódio controvertido que estourou tempos depois, com boa dose de escândalo. Aliás, até hoje respondo a um processo maluco do Mário Gorla, o sócio de Garnero no empreendimento. Esteve também por trás dos problemas do Instituto do Coração em São  Paulo.

Quando os chineses começaram a desembarcar no Brasil, fui procurado por analistas da embaixada da China interessados em informações sobre o país. E me contaram que estavam conversando com um BNDES privado. Indaguei que história era essa. Era o Brasilinvest – na ocasião um mero banco desativado, localizado em uma das torres do conjunto Brasilinvest na Avenida Faria Lima. Não sabiam que Garnero já se desfizera totalmente do patrimônio representado pelas torres. E tinha um banco de fachada.

Garnero ajudou na aproximação de Dirceu com parte dos empresários norte-americanos. Na véspera do estouro do “mensalão” Dirceu já tinha uma viagem agendada para Nova York organizada por ele.

Sem conseguir se enganchar no governo Lula, Garnero acabou se dedicando ao setor imobiliário. Os filhos não seguiram sua carreira, internacionalmente brilhante, apesar dos tropeços. Ficaram mais conhecidos pelas conquistas e pela vida vazia.

Já o neto consegue seu segundo instante de celebridade. O primeiro foi em um vídeo polêmico, simulando um agarra com o ex-jogador Ronaldo.

 

138 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paulo C Batista

- 2018-12-27 15:09:02

Sobre o ódio que tomou conta
Tenho 60 anos e afirmo com certeza que nunca vi tanto ódio entre pessoas com opiniões diferentes, do que vi no período dos 13 anos do PTismo. Pregaram uma coisa e fizeram outra. O PTismo prega o "socialmente correto" mas por baixo dos panos pratica o "socialmente incorreto". Basta contabilizar quanto dinheiro desviado da Petrobrás, BNDES, BB, CEF e isenções de impostos a empresas, etc... dinheiro este que deveria estar na educação, saúde e segurança.... por quê culpo o PTISMO??? Caros, tal partido ficou 13 anos no poder. Ao invés de combaterem a corrupção, simplesmente se aliaram ao esquema e o aperfeiçoaram. Poderiam ter feito história mundial... se os governantes PTistas fossem honestos, mas ao invés disto, enganaram a todos se utilizando do carisma, digo, falácias do molusco LULA que se identificava como de origem pobre e que de repente fica milionário. aumentaram a inclusão social apenas mudando os critérios de classificação da renda per capita , tal como: Segundo a SAE (Secretaria de Assuntos Estratégicos, classe média são as famílias com renda per capita, atenção!, entre R$ 300 e R$ 1.000. Um casal cujo marido ganhe o salário mínimo (R$ 678) — na hipótese de a mulher não ter emprego — já é “classe média” . Fizeram a  "tal" inclusão social apenas alterando fórmula de cálculo. Estão achando que todo mundo é idiota.... e acho que é isto que parecemos ser diante dos corruptos de plantão que pagam advogados caríssimos utilizando-se do próprio dinheiro desviado, porque os coitadinhos tem direito a ampla defesa e a OAB proibe que seja investigada a origem do dinheiro que é utilizado para pagar honorários advocatícios da defesa de tais "coitadinhos". Sem falar que tais coitadinhos contaram com apoio de notáveis da imprensa: https://www.jornalopcao.com.br/colunas-e-blogs/imprensa/luis-nassif-recebeu-r-57-milhoes-e-paulo-henrique-amorim-faturou-r-26-milhoes-governos-petistas-23673/, https://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/12/1563487-sites-alinhados-ao-governo-tambem-foram-beneficiados.shtml.No período militar , anos 70 eu era feliz e não sabia.... affffffffff

Maerlio Barbosa

- 2016-01-07 15:27:11

Resposta a Paulo Cezar

Simplista demais e tendenciosa  essa sua análice, que termnina botando todos no mesmo saco0, e sabemos que nao é verdade. Sou mais os petistas.

Marcos Hoshino

- 2016-01-03 16:50:19

Imagem retirada da revista

Imagem retirada da revista Caramelo, edição extra, 1999, FAUUSP

Marcos Hoshino

- 2016-01-03 16:49:08

(Sem título)

Imagem retirada da revista Caramelo, edição extra, 1999, FAUUSP

Marcos Hoshino

- 2016-01-03 16:46:19

Mario Garnero e a Maharishi Tower SP

Precisamos lembrar da aventura nababesca que Mario Garnero e o Brasilinvest se envolveram em 1999, quando tentaram aprovar e construir uma megatorre em formato piramidal na região do Pari, com mais de 100 andares (superaria a altura das Torres Gêmeas), de um fundo de investimento internacional obscuro, que já tinha tentado construir o mesmo projeto na Flórida e na Holanda. Era uma excrescência arquitetônica e urbanistíca baseada numa filosofia indiana sem nenhuma conexão com nossa cultura.

 

Jerkins_

- 2015-12-28 21:39:08

O Pai dos Burros

...provavelmente o pai precisou recorrer ao Dicionario Aurelio (ou seria Cravo Albim!?) para explicar ao filho quem é Chico Buarque de Hollanda!

Felipe Lopes

- 2015-12-28 09:41:52

Paulo Cezar

Defender seus pontos de vista é uma coisa. Já acusar o interlocutor de "não gostar de pobre" por não concordar com você é algo muito diferente. O PT sempre se valeu dessa "má consciência" para ganhar no tapetão as discussões. Não concorda com o partido? Não gosta de pobre!  Pegaram a cúpula partidária em um esquema de corrupção tenebroso? O Judiciário que condenou não gosta de pobre, a imprensa que noticiou não gosta de pobre e o cidadão comum que não gostou de ver mais uma robalheira também não gosta de pobre. E por aí vai. Essa simplificação grosseira da realidade sempre foi uma arma retórica petista. Só que hoje a direita adotou essa simplificação retórica também. E com isso o que temos é um país de idiotas que apenas conseguem ter uma visão binária do mundo.... É a vitória da linha de argumentação petista..... Infelizmente.

Felipe Lopes

- 2015-12-28 09:36:42

Orlando

Luta de classes é sim uma criação retórica da esquerda. Hoje em dia, por exemplo, inúmeros teóricos questionam a legitimidade do próprio conceito de classe para explicar a estrutura social moderna. Por exemplo, a bandeira homossexual independe de classe. Existem homossexuais em todas as classes. O mesmo pode se dizer acerca de direitos das mulheres, negros, usuários de drogas, etc. Os grupos de identificação não aceitam a camisa de força do conceito de "classe" para sua descrição. O conceito de classe é apenas um grupo de identificação entre inúmeros outros. Ora, mas o que ocorre é que o conceito de luta de classes é o recurso retórico que o PT sempre teve desde que assumiu o poder toda vez que era pego em algum ato de corrupção ou criticado por políticas públicas irresponsáveis ou incompetentes. A direita aderiu ao recurso retórico da guerra de classes. Você não está satisfeito com isso? É uma vitória do discurso de esquerda ter conseguido dividir o país.

Felipe Lopes

- 2015-12-28 09:30:27

Cleide

É uma mulher que luta contra uma ditadura e que abre mão de boa parte de sua vida pessoal por conta disso. Mais respeito, portanto. Ditadura de esquerda é tão ditadura quanto uma de direita. É nojento ver direitistas defendendo os militares. Tão nojento quanto ver esquerdistas defendendo a ditadura cubana.

Felipe Lopes

- 2015-12-28 09:28:08

João Maria

Basta ver os fatos. A direita não tinha um discurso de ricos contra pobres ou de sudeste contra nordeste - pelo menos não em público - até a bem pouco tempo. O PT é quem tem insistido em levar o debate para eixo monocórdio de ricos contra pobres e de sudeste contra nordeste durante mais de uma década - e isso em público e descaradamente! O PT optou por dividir o país com esse discurso para seguir uma lógica eleitoreira bem rasa. Deu no que deu. Você não está satisfeito? A tão desejada guerra de classes que vocês amam está estourando por aí. E vai deixar o país em frangalhos se os imbecis de esquerda e de direita não forem parados.

Felipe Lopes

- 2015-12-28 09:23:06

Ana Lúcia

Mas é exatamente a auto-crítica e a abertura a críticas que estou cobrando do PT. Não é de hoje, qualquer crítica ao partido sempre foi descartada com agressões a quem criticou. Veja o post do Vagalume em resposta aí embaixo para você ter um bom exemplo. Ex-militantes históricos, setores de esquerda não-petistas ou pessoas de bom senso que nunca simpatizaram com a manipulação ideológica descarada que o partido sempre fez para que a militância engolisse goela abaixo qualquer absurdo que a direção do partido decidisse: fosse quem fosse, a truculência do discurso militante sempre foi violenta para cima deles. A primeira reação sempre foi desqualificar e ofender. Em alguns casos, mesmo ameaçar fisicamente, como mencionei no post principal. A direita falando em ricos contra pobres ou de sudeste contra nordeste é um discurso que começou - pelo menos em público - apenas agora. Já o PT está martelando esse discurso sempre que pode há 12 anos. Basta ver os fatos. Dividiram o país. Essa direita podre é consequência da esquerda podre que temos no poder.

Felipe Lopes

- 2015-12-28 09:14:17

Vagalume

Parabéns, seu comentário truculento apenas exemplifica ainda mais claramente o que eu estava dizendo. A esquerda petista sempre foi truculenta, inclusive para com os seus. Não preciso mencionar o quanto petistas históricos que deixaram de acreditar nas mentiras do partido já foram chutados pelos que ainda serviam de bucha de canhão dele, não é mesmo? Heloísa Helena, Babá, Marina, Cristovam Buarque, etc. Todos foram execrados publicamente sem dó pelos petistas. Mais uma vez, obrigado por você mesmo ter servido de exemplo da ignorância política petista.

 

Paulo Cezar Soares

- 2015-12-27 17:25:21

Sobre o ódio que tomou conta do país

Você invertou tudo, Felipe. O PT não  é responsável pela política de ódio que vemos hoje. O partido, ao longo da sua existência, apenas defendeu seus pontos de vistas com conotações sociais, sem fazer uma política de demonizar pessoas. E, a  propósito: minnha  saudosa avó costuma dizera que o bom julgador por si só julga os outros.

Orlando Soares Varêda

- 2015-12-27 16:58:40

Tenha dó senhor Felipe. Quê

Tenha dó senhor Felipe. Quê estoria é essa da traíra cubana, Yoani Sanchez, ter vindo nos visitar? Conta outra rapaz.

Quanta tllice cara? Então foi o PT que criou a luta de classe? Entendi.

 

Orlando

basicregisters

- 2015-12-27 00:25:43

agressão à Chico

No vídeo me parece que um dos amigos de Chico era Eric Nepomuceno.

 

Se for, aguardo uma crônica.

cleide reis

- 2015-12-26 01:50:23

kkkkkk. A blogueira que vivia

kkkkkk. A blogueira que vivia e viajava nao sei com que dinheiro?? E dizia que nao podia sair da ilha,nao tiha liberdade.

 

João Maria Fernandes de Sousa

- 2015-12-25 20:29:19

Incrível!!!

Historicamente são os emissários da direita, em todo o Planeta Terra, que se valem do ódio (de classe e de cor principalmente) para avançar e acolher partidários... mas você “descobriu” que aqui no Brasil foi o PT que inaugurou essa cultura; ou seja: é do PT e dos petista, ou dos “petralhas” como provavelmente você aceita serem citados, a culpa de toda essa onda fascista, e até nazista, que estamos presenciando; das duas uma: ou você é um lobotomizado total ou é um pouco cínico.

TEREZINHA ALVES RODRIGUES FERNANDES Alteração por União Matr

- 2015-12-25 13:03:22

PT irmão do ódio

A muito não lia um comentario tão bem elaborado. Com poucas palavras escancarou o que o PT fez com o Brasil nestes 13 anos. Em matéria de #ODIO o PT sabe tudo.

Ana Lúcia Elizabeth Rodrigues

- 2015-12-25 11:28:00

Felipe, acorda! Informação e

Felipe, acorda! Informação e senso crítico crítico fazem bem pra alma!

Vagalume do Brejo

- 2015-12-25 00:07:11

Vai estudar fedelho!!! A

Vai estudar fedelho!!!

A esquerda neste pais sempre foi calada a pauladas!!! Você com esse papinho de patrulha ideologica. As pessoas querem respeito. Vamos fazer patrulha ideológica sim por respeito, igualdade e justiça. Chega de playboy vagabundo passar a mão grande no país.

Cresça e apareça,

Seu comentário esta concorrendo ao premio sorvete na testa.

Seu Zé

- 2015-12-24 16:19:53

É engraçado como você não tá

É engraçado como você não tá entendendo NADA do que está acontecendo.

Elielde de Azevedo

- 2015-12-24 15:34:06

Acho que fala de carinha aí

Acho que fala de carinha aí que discutiu com o Chico é uma nulidade. Acredito que é mais negócio falarmos de Noel Rosa, pois esse compositor tem relevância na vida de Chico e na música brasileira.

Temos que noticiar as coisas boas, os bons exemplos a beleza da vida porque se somos contra a miséria, a desigualdade, a injustiça e outras mazelas é justamente porque elas ameaçam as coisas boas que a vida nos proporciona.

Viva a vida em sua plenitude!!!

 

Danilo pro

- 2015-12-24 15:22:56

Parabéns!!!!!

Parabéns!!!!!

Rubião

- 2015-12-24 15:05:25

quem sai aos seus

ou no caso, não regenera

Beto Slomka

- 2015-12-24 14:05:12

Como diria Guilherme Arantes

Adeus também foi feito pra se dizer. Bye bye, so long, farewell.

Felipe Lopes

- 2015-12-24 13:56:11

Sobre o ódio que tomou conta do país...

Sem entrar no mérito acerca de quem é Garnero, mais interessante é avaliar a origem do ódio que tomou conta do país. Lembram quando petistas agrediram de maneira similar a blogueira cubana Yoani Sanchez que nos veio visitar? A origem do ódio político atual no Brasil está no PT. Desde que o PT assumiu o governo se iniciou um patrulhamento ideológico contra qualquer um que não concordasse com o partido. Ricos contra pobres, Sudeste contra Nordeste, etc. O PT e petistas militantes estão a 13 anos semeando o ódio entre classes e regiões do Brasil com esse discurso. Conseguiram o que queriam. E agora se surpreendem???

Jorge Vieira

- 2015-12-24 13:02:52

Sair do armário

Eu vi o vídeo e não achei simulação não.

E, neste aspecto, gostaria de defender o direito de Garnerinho e Ronaldo de sairem do armário publicamente.

Ninguém tem que se meter com a vida alheia.

Mudando de assunto, algum advogado do blog poderia me dizer se o simples olhar de admiração sobre a beleza de uma mulher (na sua presença, evidentemente) pode ser criminalizado como assédio sexual.

 

Hell Back

- 2015-12-24 11:35:52

Agressão ao Chico

"(...) xingar o sr. Chico foi um erro"; ele negou ter participado diretamente da confusão (...)"

Observem que ao afirmar isso ele entrou em contradição!

Isso é que eu chamo sair pela tangente!

Andre Araujo

- 2015-12-24 11:33:35

Aecio Neves Cunha é filho de

Aecio Neves Cunha é filho de Aecio Cunha, já falecido e de dona Ines Neves Cunha, filha de Tancredo Neves.

Pipoca

- 2015-12-24 10:56:34

Nassif Acredito que Aécio é

Nassif

Acredito que Aécio é sobrinho Neto de Tancredo.

no iínício de sua aparição política era apresentado como tal...

Fernando C. M. Andrade

- 2015-12-24 10:25:56

Se procurarem, acharão os Garnero na Lava Jato
Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava Jato por corrupção na Petrobrás, foi empregado do banco (de "negócios") da família do moleque que agrediu o Chico Buarque DEPOIS de sair da Petrobrás! http://www.petronoticias.com.br/archives/12756

Fabio SP

- 2015-12-24 10:19:06

É gozado como os esquerdistas

É gozado como os esquerdistas esquecem rápido os acontecimentos:

 

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1438936-joaquim-barbosa-e-hostilizado-por-petistas-em-restaurante.shtml

jcordeiro

- 2015-12-24 07:01:50

Estirpe do Dragão

Nassif: quem sai aos seus não degenera. É o caso desse menino...

Andre Araujo

- 2015-12-24 02:43:47

Essa é a historia do lado do

Essa é a historia do lado do pai. Do lado materno o ramo é da familia Monteiro de Carvalho, cuja trajetoria é muito mais interessante e remonta oas tempos varguistas do primeiro impulso de industrialização do Brasil.

+almeida

- 2015-12-24 02:35:27

Um Brasil desconhecido

Quem ofendeu Chico Buarque não foi simplesmente um rapaz, acredito que quem o fez foi a oligarquia da inveja, do despeito, da inércia, da preguiça, do ganho fácil e sem trabalho. Imagino que quem o fez, não teve outra intenção que não fosse enviar um recado para toda comunidade artística, através de Chico Buarque. A coligação golpista do mal e do tudo de pior, desde que eu consiga chegar ao poder, é, para mim, o ofensor, o agressor, o intimidador e o mandante dessa impensada, amadora e incompetente forma de tentar atingir a um desafeto político. Só fazem merda e ainda querem ter a petulância de dirigir um país ultra pacífico e diversificado feito o Brasil. Tentam, tentam e tentam e sai o vácuo de suas cabeças, como também sai o ódio, a inveja e o desapontamentpo de não ter a competência e a inteligência necassária para ser um adversário a altura da importância necessária exigida para comandar um país que sequer conhecem.

Gilson AS

- 2015-12-24 01:44:42

Lei de Talião

ALVARINHO SE DIZ AMEAÇADO E PODE VOLTAR PARA LONDRES

:

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/210833/Alvarinho-diz-que-%E2%80%9Cxingar-o-sr-Chico-foi-um-erro%E2%80%9D.htm

Filho do empresário Alvaro Garnero, o estudante Alvaro Garnero Filho, que abordou Chico Buarque no Leblon, com um grupo de jovens "antipetistas", para criticar o cantor por sua defesa ao governo do PT, disse que "xingar o sr. Chico foi um erro"; ele negou ter participado diretamente da confusão; "Eu não falei nada. Percebi uma confusão e fui ver o que era", afirmou; Alvarinho admitiu "que não possui base para opinar sobre a politica brasileira"; após o episódio, ele diz ter recebido ameaças e que pode voltar para Londres, onde vive

 

Pau no lombo desses safados, sem dó.

Vânia

- 2015-12-24 01:40:50

Sobre o título

Onde se lê "rapaz". Leia-se "moleque".

Serjão

- 2015-12-24 01:10:40

Vá trabalhar, vagabundo

Esses meninos não têm a mínima noção do que fizeram. Xingaram Chico Buarque, cuspiram na bandeira que andam carregando ao som das suas panelas inox.

¨Vá trabalhar, vagabundo.¨

DUDE

- 2015-12-24 00:35:07

CHICO BUARQUE É NOSSO MAIOR POETA

Chico Buarque não é um simples autor de inesquecíveis letra das mais admiradas musicas brasileiras

Ele é um dos maiores poetas que o Brasil conheceu.

Seus versos são fantásticos!

E não faço menos: é o maior poeta do Brasil, atualmente.

A antítese perplexa disto tudo é a constatação que Merval é membro da Academia Brasileira de Letras.

Dá para entender?

 

 

Antonio A. B. Neto

- 2015-12-24 00:32:35

o sujeito disse não saber

o sujeito disse não saber quem é Chico Buarque, o pai teve que lhe explicar, não precisa maiores comentários sobre a indigência intelectual da figura e seus companheiros de ofensas noturnas, além de ser amigo do Ronaldo Nazário, aquele que fez campanha para o Aécio Neves.

 

Eles tem a grana herdada, mas os neurônios, principlamente os que compreendem a importância da política para a construção de uma sociedade mais justa, são escassos, é uma turma de privilegiados que jamais entederão porque CB jamais ficará do mesmo lado deles, apesar de sua classe e de sua origem social.

Meire

- 2015-12-24 00:26:03

É muito bom não deixar cair

É muito bom não deixar cair no esquecimento esses tempos tenebrosos da ditadura e seus detalhes escabrosos, que além de não terem ido embora definitivamente, sempre insistem em querer voltar com a virulência de dantes.

Esse pessoal que discutiu com Chico Buarque, só conseguiram demonstrar serem pessoas sem conteúdo algum, que saem por aí repetindo seus chavões de playboizinhos mimados.

MANREL

- 2015-12-24 00:24:13

CONSTRUÇÃO

Irajá, que bela CONSTRUÇÃO, quando se conjuga sensibilidade com sabedoria neste universo do Chico, dá nisso.

Airão

- 2015-12-23 23:59:25

O vídeo polêmico completo

No final da matéria acima lemos o seguinte parágrafo: "Já o neto consegue seu segundo instante de celebridade. O primeiro foi em um vídeo polêmico, simulando um agarra com o ex-jogador Ronaldo.

Eis o vídeo polêmico na íntegra:

[video: https://www.youtube.com/watch?v=kKcr9JikuB8]

John Jahnes

- 2015-12-23 23:56:27

GARNEIRAGEM

Uma coisa não muda nunca: a VERDADE é implacável, inexorável.

Todos que até hoje foram contra o PT, que  buscaram desqualificar o PT,

que nas ruas agridem  quem é simpatizante do PT, 

tem muito a esconder e quase sempre não tem nem mesmo noção daquilo

que estão dizendo ou fazendo contra o PT e os simpatizantes do PT.

São pessoas que cresceram com vida fácil, donatários de renda familiar

suspeita e na grande maioria provinda de falcatruas e de lavagem de

grana suja roubada do povo brasileiro.

São, verdadeiramengte, o lixo da humanidade.

Jean Reis Gerhardt

- 2015-12-23 23:07:17

Só posso dizer parabéns ao

Só posso dizer parabéns ao Marcio Valley por sintetizar tão bem o momento em que vivemos.

Sergio Saraiva

- 2015-12-23 23:06:34

Chico apoiando governo corrupto?

Você está enganado.

Chico jamais apoiou os governos FHC.

 

Allex

- 2015-12-23 22:40:03

Chico, principalmente pela

Chico, principalmente pela escolha política, tem todo o meu apoio.

P.S.: pobre do comentário que não encontra oposição.

Gil Teixeira

- 2015-12-23 22:31:27

Pois é!

Empresa dos Garnero contratou Costa, o ladrão da Petrobras

 

 

bandido1

O mais engraçado do mundo são as voltas que o mundo dá.

O playboy Álvaro Garnero Filho, filho do playboy Álvaro Garnero e neto do polêmico Mario Garnero –  condenado  a cinco anos de prisão por estelionato e fraude contra o sistema financeiro pela Justiça Federal, sentença depois anulada pelo STF – vive, ao que se saiba, da Brasilinvest.

E quem se tornou dirigente da Brasilinvest para a área de petróleo e gás, em 2012, logo depois de ter sido demitido por Dilma Rousseff da Petrobras, onde roubou aos montes?

Sim, ele mesmo, Paulo Roberto Costa.

Saiu no site Petronotícias, em 15 de agosto de 2012.

Alvarinho é o palerma que foi tomar satisfações com Chico Buarque dizendo que este apóia bandidos.

Bandidos, como se vê, conseguem lugar na empresa que garante a boa vida do rapaz.

A elite brasileira é uma comédia pastelão.

Não é à-toa que o educadíssimo Chico postou hoje, no Facebook – assim, meio “sem querer, querendo” – a sua música “Vai Trabalhar, Vagabundo”.

Eles não vão, não…

 

peregrino

- 2015-12-23 22:28:05

motivo, talvez, da desforra em cima do Chico...

essa gente pensa que dinheiro pode tudo

estragam qualquer coisa da qual participam

peregrino

- 2015-12-23 22:20:23

além disso ficaram mordidinhos por Ronaldo...

fora do carnaval

uma grande escola recusou milhões por  um enredo de homenagens a quem não merece

marcio valley

- 2015-12-23 22:01:39

Playboys antipetistas atacam o inatacável Chico Buarque

Chegamos a esse ponto: um bando de riquinhos idiotas antipetistas bêbados pensa possuir intelectualidade superior a de ninguém menos que Chico Buarque e acham que possuem o direito de ofendê-lo por isso. Antes, já haviam agido assim com Guido Mantega, com Haddad, com Gregório Duvivier e tantos outros, até um cadeirante petista foi agredido pela intolerância política.

É sempre assim: membros da Ku Klux Klan se sentiam superiores aos negros e portanto consideravam um ato de justiça divina espetar cruzes flamejantes nos quintais das casas de negros, violentá-los e matá-los. Nazistas arianos julgavam-se integrantes de uma etnia melhor do que a dos judeus, sentindo-se livres para persegui-los, colocá-los em guetos, aprisioná-los em campos de concentração e dizimá-los em câmaras de gás.

Parte considerável das classes média e rica incultas, insuflada por pessoas inescrupulosas que lucram com esse jogo político de satanização do PT, engrossam as fileiras do fascismo e do fundamentalismo político. Não demora se sentirão confortáveis para ferir e matar petistas.

Esse imbecis são movidos por um sentimento profundo de certeza absoluta de que o PT é o problema do Brasil. Se o PT não tivesse chegado ao poder em 2003 certamente seríamos hoje a nação mais poderosa do planeta, sem um único caso de corrupção, sem violência e com todos os problemas sociais resolvidos.Claro que isso não ocorreu de 1500 a 2002, quando fomos governados ininterruptamente por representantes da elite rica, mas para eles não há dúvida alguma de que teria ocorrido se FHC tivesse conseguido eleger o candidato do PSDB em 2002.

Que fiquem com seus delírios de asnos, mas não esqueçam jamais daquela verdade física: para toda ação corresponde uma reação contrária com idêntica força.

Os antipetistas estão esticando demais a corda. Isso pode não dar bom resultado.

Mas, esperar o quê de cabeças-de-bagre? Tivessem simpatia pela esquerda e seriam medidos por uma régua formada por pessoas como Chico Buarque ou Luis Fernando Veríssimo. Mas não são, então sua métrica é constituída por Bolsonaros, Malafaias, Reinaldos Azevedos, Aécios e Paulinhos da Força.

As personalidades políticas que representam os antipetistas são os mesmos que defendem projetos que inibem o combate à homofobia, que estimulam o preconceito contra pobres e nordestinos, o acirramento religioso, a proibição de pesquisas médicas, a manutenção dessa infrutífera guerra às drogas que matou tantos brasileiros inocentes. São os que defendem a redução das conquistas sociais, em geral advogando o fim do bolsa-família e a redução do salário mínimo, o que fará o pobre retornar à condição de refém do desemprego, obrigado a submeter-se a salários de fome.

Sem falar que o antipetismo se considera um movimento de defesa da democracia e dos valores da república, mas aceita impassivelmente a adesão de nazistas, homofóbicos e defensores da ditadura em suas fileiras. Deve se tratar de uma novíssima modalidade de democracia, aquela que extingue a participação popular nas decisões e desrespeita as minorias.

Esse é o modo antipetista de ser. Patrulhamento, ódio e fundamentalismo. São os arquitetos do atraso social.

Do lado de cá temos Chico Buarque, sua história e sua obra intelectual. Do lado de lá o neto desconhecido de um milionário fracassado, sem história, sem obra e sem intelectualidade, que vive de farra e ostentação.

Precisa falar mais alguma coisa? Acho que não.

mc

- 2015-12-23 21:43:32

Você dormiu e não percebeu que
já saem sozinhas as notas da canção dele

Crieis Kelvin

- 2015-12-23 21:39:07

Nassif, veios a calhar o retrospecto...

...principalmente porque o garoto compartilha e repercute a ideologia de classe da família. Ou seja, o artigo situa. Há chances, numa interpretação natualistaa, determinista, que  a coisa se passe dessa forma, reproduzindo os ídolos da tribo. Mas sabemos que ser filho de peixe não é a regra. Em todo caso, acertou em cheio: nossa pobr elite economica é prodigamente previsível.

mc

- 2015-12-23 21:30:54

Genial...
Nem tenho palavras, só aplauso

Cláudia Valente

- 2015-12-23 21:20:28

Triste Brasil

Pobre do país cujo governo não encontra oposição. Chico (apesar da escolha política) é um bom exemplo de brasileiro. Meu total apoio a ele.

Cláudia Valente

- 2015-12-23 21:19:40

Triste Brasil

Pobre do país cujo governo não encontra oposição. Chico (apesar da escolha política) é um bom exemplo de brasileiro. Meu total apoio a ele.

João d'CUia

- 2015-12-23 21:08:06

ness hora, deveria regredir

ness hora, deveria regredir ao tatatatatataavó que terá como  achar pelo menos um que seja bem safado

Novato Melo

- 2015-12-23 21:01:50

Matéria da ofensa só Chico
Os caras precisam mergulhar na literatura e verão o escritor premiado Chico Buarque em Budapeste, Leite Derramado, etc. Fora as belas canções atuais como Iracema

Carlenio Correia Cidreira

- 2015-12-23 20:26:24

Chico

Nassif  acho que a GENI devolveu a bosta

JB Costa

- 2015-12-23 20:18:59

Lembro bem que nas décadas de

Lembro bem que nas décadas de 70 e 80 esse cidadão "estava em todas". Pelo menos ainda era um homem de negócios. Agora o filho fez fama só por ser filho dele e aparecer nas colunas sociais. Um playboy, termo típico para quem nascia em berço de ouro e não dava um prego numa barra de sabão. 

Já a tercerira geração, através desse "Alvarinho", o beijoqueiro,  foi a "coroação" dessa sequência genética em processo de total degeneração. Nesse ritmo a quarta comerá capim. 

Mario Siqueira

- 2015-12-23 19:18:35

Pobre

Pobre Lacan...

Maria Silva

- 2015-12-23 19:07:44

Elite parasita e cinica

Sempre dependeram de favores do Estado. Falam de capitalismo, de liberalismo, mas não vivem e nem prosperam sem a proteção do Tesouro Nacional, que deve ser ferramenta totalmente voltada para os seus interesses. Esse palhaços ainda tem a audácia de interpelar Chco Buarque e xingar  o PT. Ignorantes, cinicos,  não resistem a um google, não resistem a nada. É a cara, o retrato, dessa nossa elite, cagada e cuspida ...

J

- 2015-12-23 18:57:50

Monumento Nacional

Chico Buarque é um patrimônio diria não só dos brasileiros, mas da humanidade. O que ocorreu seria como, no século XIX, um filhinho de papai escravagista falasse na cara de Machado de Assis que ele é um merda, um abolicionista(petista).

 

(" Para Sidney Chalhoub, professor do Departamento de História da Unicamp, como demonstra em Machado de Assis, Historiador, não é bem assim, como disse a ÉPOCA, diretamente de um congresso sobre o escritor brasileiro realizado em Oxford, Inglaterra. 'É claro que a atuação de Machado não foi similar à de José do Patrocínio e Joaquim Nabuco. Ele não foi tribuno, nem na imprensa, nem no parlamento. Mas sua atuação na administração pública, para alargar os sentidos da lei de 1871 (Lei do Ventre Livre) e conseguir que de fato beneficiasse os escravos, impressiona. Ele conhecia as possibilidades da legislação e lutou para que fosse aplicada. Não há dúvida sobre de que lado estava.').

djalma barros

- 2015-12-23 18:38:35

Garnero x Chico Buarque

Do texto  se depreende que entre o avó de Garnero e Chico Buarque existem mais fatos que o unem do que o separam, pelo apoio de dispensaram, ou dispensam, a governos corruptos e ruinosos ao País.  Pobre Brasil.

Eduardo Nunes

- 2015-12-23 18:19:29

Agressão a Chico?

Convenhamos, o Chico tirou de letra, é um verdadeiro gentleman. Já gostei mais ele antes de saber que era petista, mas nem por isso é justo que seja tratado assim... ainda que o contrário é sempre bem agressivo, mas há petistas e pelegos, há coxinhas e oposicionistas. O fato é que sempre que alguém se excede a coisa fica ruim para todos. Leda ilusão de quem só tem a visão unilateral... 

altamiro souza

- 2015-12-23 18:17:56

congratulações pela coragem,


congratulações pela coragem, erick...

chamei esses panacas de escravocratas pela índole deles,

mas agora, com o seu grande texto, está factual e historicamente

comprovado, que esses caras herdaram a misérie moral de seus parentes.

e comprova a tese do mestre roberto schwarz, aquela que, baseada na

obra magistral de machado de assis, diz mais ou menos assim,

a elite escravocrata posava de chique e acavançada, dava uma de iluminista, etc e tal,

vivia passeando nas estranjas, mas quando voltava ao seu pedaço

patrimonial, açoitava seus escravos covardemente....:

esses panacas não se cansam de se repetir historicamente...

 

 

luisnassif

- 2015-12-23 18:09:39

Tem razão, não ficou claro.

Tem razão, não ficou claro. Arrumei o texto. Obrigado.

altamiro souza

- 2015-12-23 18:00:49

legal, irajá. voce conseguiu,

legal, irajá. voce conseguiu, com criatividade,

responder a essa elite escravocrata...

e responder com propriedade da grande e fundamental obra do chico.....

ótima sacada....

Jota Maués

- 2015-12-23 17:36:36

Dúvida

Caro Luís Nassif, acho que há um engano quando você escreve "Percebendo a armadilha, Tancredo incumbiu seu Ministro da Fazenda, Francisco Dornelles, de não facilitar em nada a vida da Brasilinvest". Tancredo foi eleito presidente, mas não chegou a tomar posse. Então, não poderia ter ministro da Fazenda de seu governo, em atividade. Desculpe, se eu estiver errado..  

Marcos Carvalho

- 2015-12-23 17:00:20

A primeira descoberta sobre o Apocalipse:

[video:https://www.youtube.com/watch?v=NTvuxkofTUk]

Fernando J.

- 2015-12-23 16:31:44

Chico Buarque, o paralelepípedo e a gosma

Chico Buarque, o paralelepípedo e a gosma

 Matheus Pichonelli23 de dezembro de 2015

Madame Natasha, célebre vigilante da língua portuguesa criada por Elio Gaspari, poderia dar algumas aulas de bons modos aos meninos que enquadraram Chico Buarque, Cacá Diegues e Eric Nepomuceno na saída de um restaurante no Leblon, no Rio. A primeira delas: não se chama um septuagenário de “merda” em razão de sua preferência política. Principalmente se este septuagenário consegue colocar palavras como “paralelepípedo” ou “escafandristas” no meio de uma canção.

A turma do Alvarinho pode até ter razão em reclamar das roubalheiras e da situação indigna da população mais pobre que não pode viajar a Paris no fim do ano, mas Madame Natasha desconfiaria que os meninos não estão, exata e repentinamente, preocupados com os desfavorecidos nem com indignados com os grandes favorecidos. Estão revoltados que seu candidato não ganhou a eleição, e indignados que não podem gritar na rua, como gritam com os empregados, com os eleitores que os contrariaram.

Madame Natasha, com o perdão a Elio Gaspari, desconfiaria que o endereço das grandes empreiteiras investigadas em operações policiais estejam no Google, e que o escracho, se tem algum efeito, seria mais útil na frente de uma delas. Não se combate impunidade com poemas, menos ainda com berros contra quem os escreve. Deveria ser lição básica, mas o ambiente político não permite descartar obviedades.

Pelo linguajar usado na discussão, podemos concluir apenas que quem não gosta de política também não gosta de quem pensa diferente. No caso, não gosta de quem gosta de pensar – e levou um país inteiro a um outro patamar civilizatório somente, e não apenas, com palavras (eu tentei, sem conseguir, calcular o quanto seríamos mais brutos, mais crus e mais desonestos com tudo o que dá na gente e não devia se não fossem estas palavras que cantamos em nossos grandes desencontros, mas isto é papo para outra conversa).

Nas últimas 24 horas não faltaram nas redes sociais manifestações em defesa de Chico Buarque. Pensei em fazer o mesmo, mas desconfio que alguém capaz de compor “Construção” é capaz também de se defender sozinho e falar por si – no caso, com a postagem de uma pequena obra-prima em sua página no Facebook: “Vai Trabalhar, Vagabundo”.

Nós, que não somos Chico Buarque, seguimos em nossa inglória tentativa de pedir passagem nas páginas infelizes da micro-história quando abordados na saída e na entrada de qualquer conversa: “Mas você é comunista?” (Spoiler: é possível ser de esquerda e não ser comunista, ser comunista e não gostar do governo, ser governista e não gostar da esquerda, ser de direita e não gostar de coxinha, gostar de Chico Buarque e não gostar do PT, não gostar de Chico Buarque nem de Alvarinho, etc).

Dias atrás, num desses eventos de fim de ano que começam em confraternização e terminam com relações azedadas, conhecidos de conhecidos descobriram que “estou metido em política” e me enfiaram num corredor polonês de perguntas (tentei explicar que só escrevia sobre, mas nem sempre, e nem assim funcionou).

Só consegui furar o cerco de perguntas sobre meu suposto comunismo, já com o pescoço pendurado ao teto, quando pronunciei meia dúzia de impropérios sobre as figuras mais conhecidas da República – os pequenos roubos de nossa cidade, que alguém tentou apontar como graves e urgentes, pareciam não sensibilizar a opinião dos convivas.

Foi a senha para ser levado a um canto por um senhor que me descrevia as maravilhas do país entre 1964 e 1985, entre elas o esforço para separar (e enquadrar) os bons elementos dos maus. Qualquer reparo meu à narrativa era interrompida por um surto democrático:

 

“Você não estava lá na época, eu estava. Ninguém pode opinar sobre algo que só conheceu pelos livros”. Perguntei se o sujeito era cristão. Afirmou categoricamente que sim. Só não soube afirmar o que seriam dos cristãos (ou quaisquer outros devotos) sem os livros baseados em histórias que não vivenciamos.

Enquanto ouvia seu discurso, percebia uma baba escorregar no canto de sua boca e se transformar numa gosma branca que esticava e se retraía à medida que a fala se articulava.

-A eleição foi fraudada. Tem um vídeo no YouTube, quer ver?

No vídeo, um menino de seus 14 anos provava por A mais B, à frente de uma parede branca desgastada, que fomos enganados na última eleição.

-Viu só?

-Tá, e como você explica a derrota do governo no estado mais rico do país?

-Foi pra não dar muito na cara.

A conversa seguia e não houve refresco sequer quando o assunto enveredou pelo futebol. Por meio do contador de causos eu descobria que tal treinador levou tantos por cento na construção de tal arena. Que não sei quem assegurou que o campeonato deste e daquele ano estava comprado. Que tal jogador só virou o que virou porque a patrocinadora mandou. Mas não jogava nada.

A baba era lubrificada ora com uísque, ora com cerveja, ora com paranoia, e toda vez que me lembro dela me arrependo de tê-lo feito salivar e elevar a voz ao me responder que dirigir bêbado àquela hora da noite não o tornava menos cristão nem menos trabalhador nem menos pai de família nem menos cidadão honesto indignado com essa roubalheira toda que está aí.

Preferi não contrariar, pois a gosma pendurada no canto da boca a certa altura se transformara no boneco da Michelin. Poderia provocar um desastre ambiental caso desaguasse no córrego da nossa cidade em direção ao mar. Mas foi contida com uma barreira sanitária de bom uísque.

Moral da história: se está difícil caminhar pelo Leblon, vocês podem ter ideia de como está a vida ao redor do anonimato das nossas churrasqueiras.

Em tempo: Chico foi elegante em se dispôr a conversar com Alvarinho. Mas a conversa poderia ser encerrada da seguinte maneira: “O sr. já colocou a palavra paralelepípedo no meio de alguma obra? Não? Então dê um google”.

Em tempo 2: Ao fim deste texto, fui convidado, pelo Facebook, a participar de um “rolezinho para tomar cerveja com Chico Buarque”. Eis a diferença básica da discussão: um lado entende piada. O outro É a piada. Mas não tem a menor graça.

 

Nilo

- 2015-12-23 16:10:56

Sobre Chico
Oradicalismo existe dos dois lados. Infelizmente essa polarização não beneficia ninguém. Ninguém quer enxergar um palmo a frente do nariz. Quando isso acontece,só podemos esperar violência . Onde há narcicismo,há violência (Lacan)

Euclides Santa Cruz

- 2015-12-23 16:00:01

Do FHC, acho que nem o filho

Do FHC, acho que nem o filho que ele não teve sabe....

Erick Freire Silveira

- 2015-12-23 15:46:53

A história tem que ser dos avôs o rapper também tem um avô.

Extraído do Face do Jean Wyllys

Sobre o episódio da ofensa e patrulha ideológica perpetradas por playboys herdeiros das capitanias e antipetistas contra Chico Buarque no Leblon, ainda duas considerações:

1. A primeira é que, como sugerido, fui ao Google procurar saber quem é o tal "rapper" Túlio Dek (um dos ofensores de Chico Buarque) e o que encontrei, entre platitudes sobre sua vida amorosa passada em sites que se ocupam de subcelebridades, foi a informação de que ele é neto de Jairo Andrade. E, de acordo com esta matéria de 2007 do site A Nova democracia (http://www.anovademocracia.com.br/…/79-a-luta-camponesa-faz… ), o avô de Túlio Dek não era flor que se cheirasse!

"Jairo Andrade Bezerra, falecido há 4 anos, nasceu em Passos (MG) e foi extrema-direita de carteirinha. Entusiasta organizador da 'Marcha com Deus, pela Família, pela Liberdade' em 1964, atividade patrocinada pela CIA, que antecedeu ao golpe militar que derrubou o governo constitucional de João Goulart.

Foi para o sul do Pará no final dos anos 1960 e sempre teve apoio da ditadura militar para cometer todo tipo de desmandos na região. Roubou terras dos indígenas, posseiros e dos colonos assentados pelo Incra no assentamento Agropecus.

Jairo recebeu nove autuações por trabalho escravo. Teve seu nome incluído na Lista Suja do Trabalho Escravo, condenado por manter 97 trabalhadores escravizados na Fazenda Forkilha. Seu irmão, Gilberto Andrade recebeu igual condenação por trabalho escravo na fazenda Boa Fé, em Centro Novo (Maranhão). Apesar de denunciado por trabalho escravo (desde final dos anos 60), Jairo Andrade nunca deixou de receber recursos públicos da SUDAM para investir em sua propriedade.

Foi fundador da criminosa e arqui-reacionária UDR — União Democrática Ruralista, em 1985, sendo seu primeiro tesoureiro nacional. Subiu no palanque com Fernando Collor em Redenção nas eleições presidenciais de 1989. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, em 5/11/1994, Jairo Andrade — acusado de contratar pistoleiros para assassinar o ex-deputado e advogado de posseiros Paulo Fonteles e inúmeros trabalhadores rurais — não desconversou: descreveu mortes das quais participou, informou onde enterrou as vítimas e fez ameaças. Como sempre acontece com os crimes do latifúndio em nosso País, nada aconteceu a este bandido, réu confesso"

Bom, o tal Túlio Dek teve todas as oportunidades de ser alguém melhor que seu avô. Mas, a julgar pelo que fez a Chico Buarque; a julgar pelo tipo de valores que subjaz a seu discurso de analfabeto político e alienado (discurso que é também o dos outros playboys companheiros seus), Túlio Dek decidiu dar continuidade à capitania herdada.

E assim podemos traçar a genealogia dos canalhas que hoje aplaudem a tentativa de um novo golpe na democracia e de desmonte da Constituição Cidadã de 1988!

2. A segunda coisa é que quando comentei que publicaria esse texto, um amigo meu me disse que não o fizesse porque as pessoas de direita fascistas me atacariam na internet com insultos e calúnias; ao que eu lhe respondi:

"Meu caro, os fascistas, velhos e novos, já me insultam, caluniam e difamam na internet . Não só a mim, mas a todas as pessoas que se coloquem a favor da justiça social, das liberdades individuais, das minorias sexuais, étnicas e religiosas, da democracia, da honestidade intelectual e da vida com pensamento. Atacar essas pessoas com insultos impublicáveis e calúnias; deturpar suas falas; criar perfis falsos e robôs para encher caixas de comentários com discursos de ódio, enfim, destruir a civilidade e o respeito nas redes sociais é a nova forma de censura desses fascistas, sejam os novos, sejam os antigos. Muita gente, temendo essa violência simbólica (que ameaça ser física o tempo todo), cala-se ou se dedica a publicar platitudes para receber likes. Eu não! Jamais vou me acovardar diante de fascistas, pois corro o risco de ser cúmplice deles nessa covardia. Com Chico Buarque, aprendi a me perguntar: 'Como beber dessa bebida amarga; tragar a dor; engolir a labuta? Mesmo calada a boca, resta o peito. Silêncio na cidade não se escuta!'. Ninguém vai aproximar de mim novamente o cálice (o 'cale-se!') de vinho tinto de sangue, pois não vou deixar! Vou escrever, sim, esse texto e defender, sim, Chico Buarque"

 

Fernando J.

- 2015-12-23 15:42:45

A FÚRIA DOS QUE SAÍRAM DO ARMÁRIO

A FÚRIA DOS QUE SAÍRAM DO ARMÁRIO
Eric Nepomuceno

O que mais impressiona – e preocupa – na agressão verbal que um grupo de garotões cuja profissão principal é ser filho de pai rico lançou contra Chico Buarque na noite da segunda-feira, 21 de dezembro? Três coisas. Primeiro, a extrema fúria dessa direita desgarrada que acaba de sair do armário embutido. Segundo, a facilidade com que repetem o que dizem os grandes meios de comunicação. E terceiro, a incapacidade para qualquer gesto minimamente civilizado.
Chico saía de um jantar com amigos quando, ao buscar um táxi, passou a ser chamado de ‘petista’. Ouviu a repetição de clichês idiotas repetidos à exaustão pelos meios de incomunicação e pelos deformadores de opinião. A um dos garotões ele respondeu com humor. Dizia o valentão que defender o PT quando se mora em Paris é fácil. ‘Você mora em Paris?’, perguntou Chico. E o rapaz respondeu: “Não, quem mora em Paris é você!’. Chico, então, perguntou: ‘Você andou lendo a Veja?’. A ironia continua sendo uma válvula de escape. Mas para ter ironia é preciso inteligência, artigo definitivamente raro na praça.
Não foi a primeira nem a décima agressão verbal que ele e seus amigos ouvem, todas relacionadas ao PT, a Lula e a Dilma. O mais recomendável é, sempre, fazer ouvidos moucos. Mas também essa regra tem suas exceções. O episódio de segunda-feira foi inevitável: Chico estava no meio da rua, é pessoa pública, reconhecível a milhas marítimas de distância.
Mais grave é saber que não foi a primeira nem a decima ocasião, e também não terá sido a última. O país está polarizado como poucas vezes esteve nos últimos 50 ou 60 anos. O grau de agressividade, de furiosa intransigência dessa direita recém-saída de um imenso armário – certamente embutido – é o que mais chama a atenção. E preocupa. Muito. Dizer na cara de alguém ‘Você é um merda’ pode ter consequências sérias. Chico sabia e sabe que qualquer reação à altura não faria outra coisa que atiçar ainda mais a fúria dessa direita desembestada, fartamente alimentada pela grande imprensa. Até nisso a direita recém assumida em sua verdadeira essência é covarde. Até quando?
O país se acostumou às tristes cenas de violência entre torcidas organizadas no futebol. Elas pelo menos têm a decência de se uniformizar, ou seja, é fácil identificar o adversário à distância.
Essa direita troglodita, não. Ataca à traição. E sabe que figuras públicas como as que foram atacadas à sorrelfa não costumam reagir, para não alimentar a sede mesquinha dos escrevedores de intrigas.
Há poucos registros, que eu me lembre, de alguém que tenha saído do armário com tanta sede de ação. Cuidado com eles: tantas ganas reprimidas, quando subitamente liberadas, desconhecem limites.

 

Eduardo CPQs

- 2015-12-23 15:40:50

Sumidade...

Eta, A la guasca Seu Mundim, em que mundim ovê veve?

Nossa mãe, que poço!

regina lian

- 2015-12-23 15:35:11

Não foi a inspiração dele que

Não foi a inspiração dele que secou, é que quem só ve a Globo ficou parado no tempo e não acompanhou mas ele não parou não, foi você!!!

Pedro Mundim

- 2015-12-23 15:34:57

Boa sugestão

Boa sugestão essa de taxar heranças dos milionários: os nematóides vão ter que trabalhar.

Será que vai sobrar alguma coisa para o herdeiro do Chico?

Fernando J.

- 2015-12-23 15:22:40

ESTORVO NAS RAÍZES DO BRASIL, por Irajá Menezes

Irajá Menezes 

 

12 h ·   

ESTORVO NAS RAÍZES DO BRASIL

Ontem à noite, pros lados do Leblon, Chico Buarque avistou-se com o brasileiro cordial.

Chico manteve a calma, não perdeu a elegância. Na verdade, não houve surpresa. É que Chico conhece como ninguém o brasileiro cordial.

Não apenas porque foi seu pai quem explicou que bicho é esse. Isso, por certo, ajudou.

O fato é que o poeta de olhos cor de ardósia não é de contar vantagem, mas todo mundo sabe que percebe de longe a cordialidade. Afinal foi ele quem descreveu com mais detalhes o brasileiro cordial.

O brasileiro cordial é aquele que fotografa com a câmera cujo foco toda lírica solapa.

Aquele que amassou as rosas, queimou as fotos e beijou Lily Brown no altar.

O brasileiro cordial é a voz do dono. É o dono do bosque onde todo balão caía, toda maçã nascia (e o dono do bosque nem via). Aquele que deve a Deus seu éden tropical, mas pode vender. Quanto você dá?

Foi o brasileiro cordial que inventou de inventar toda a escuridão. Que inventou o pecado.

Foi ele que obrigou Angélica arrumar o quarto do filho que já morreu.

E esqueceu-se de inventar o perdão.

O brasileiro cordial é um dos pagantes, bêbados e febris, exigindo bis quando Beatriz despenca do céu. É um dos homens tristes, à frente de uma mulher feliz, enrustido, com cara de marido. O bruto da brasa na coxa de Ana de Amsterdam. O japonês trás de mim. É ele quem bate, cospe, joga bosta na Geni.

Ele é o noivo correto, o empregado discreto, o macho irrequieto, o funcionário completo, fala de cianureto, tem um caso secreto, um velho projeto, às vezes cede um afeto, quase que fez fortuna. Até que a morte os una, os brasileiros cordiais armaram tocaia lá na curva do rio. Puseram no tronco, talharam o corpo, furaram os olhos do escravo que no engenho enfeitiçou Sinhá.

Para ele vivem as mulheres de Atenas. É ele que faz mil perguntas que em vidas que andam juntas ninguém faz. Que conta as horas nas demoras por aí.

Tatuagem no braço e dourado no dente, assim como veio partiu não se sabe pra onde. É o aborígene do lodo, o homem que vem aí. O malandro regular, profissional, com aparato de malandro oficial, candidato a malandro federal, com retrato na coluna social, com contrato, com gravata e capital.

O brasileiro cordial.

O brasileiro cordial reclama se alguém agoniza no meio do passeio público, porque atrapalha o tráfego. Serve a bebida amarga do cálice de vinho tinto de sangue.

É a ele que agradecemos: "Deus lhe pague" por esse pão pra comer, por esse chão pra dormir, a certidão pra nascer e a concessão pra sorrir, por me deixar respirar, por me deixar existir. Deus lhe pague, brasileiro cordial.

Obriga o jumento a levar o pão, a farinha, feijão, carne seca, limão, mexerica, mamão, melancia, areia, cimento, tijolo, a pedreira até quando a carcaça ameaça rachar.

É o da pesada, responsável pela omissão um tanto forçada. Largou o guri no mato, rindo, lindo de papo pro ar. Estampou na manchete, retrato com venda nos olhos, legenda e as iniciais.

Fez alvoroço demais, o brasileiro cordial.

Fez o faz-de-conta terminar numa noite que não tem mais fim.

Subtraiu a pátria em tenebrosas transações.

Acendeu a fogueira que queimou o samba, a viola, a roseira. O brasileiro cordial é a roda-viva que carrega o destino pra lá.

O brasileiro cordial não gosta do Chico. Mas a filha gosta.

Mesmo que não se alimente o seu gênio ruim, encontra motivo pra injuriar.

É um eterno devedor. Deve favores ao compadrio. Deve honras ao padrinho. Por isso sai na rua, sedento para saldar as dívidas.

Chico escreveu um livro sobre ele. E mostrou que o brasileiro cordial está no asilo, nos últimos dias de vida. Sua memória já se embaralhou. Perdeu a conta. 

O brasileiro cordial chora o leite derramado. Tem medo que aquele trem de candango, formando um bando de orangotango, não seja apenas parte de um sonho medonho e queira mesmo lhe pegar.

Será que é por isso que ataca?

Se há alguém que sabe quem é o brasileiro cordial, esse alguém é Chico Buarque de Holanda.

Os playboys fascistas que o aborreceram, ao contrário, não fazem a menor ideia de quem seja Chico Buarque de Holanda. Se soubessem não pagariam mico em rede nacional.

O brasileiro cordial cansa. É tanta mutreta pra levar a situação, que a gente vai levando de teimoso e de pirraça.

Mas... vai passar.

Enquanto isso a gente vai tomando que, também, sem a cachaça, ninguém segura esse rojão, não é?

roberto alves de lima

- 2015-12-23 14:31:41

não esquecer que fernando

não esquecer que fernando collor tambem , como o sr. garnero, foi acolhido pelos monteiro aranha. fez parte da familia. eles se entendem.

 

roberto alves de lima

- 2015-12-23 14:27:47

ah, I... mundin ... apenas um

ah, I... mundin ... apenas um lembrete. parece-me que os monteiro aranha que acolheram garnero em sua familia, tambem acolheram fernando collor !  que maravilhosas ceias de natal deveriam ter... 

JapValla

- 2015-12-23 14:09:08

A diferença entre um

A diferença entre um  "clássico" e um "modismo" (contraste entre eterno/permanente e temporário/passageiro).

Rogério Costa Guiraud

- 2015-12-23 13:52:34

para sabermos...

...isso é tudo o que oneide entende por 'ideologia'.

Tá explicado!

Alan Souza

- 2015-12-23 13:26:28

Lógico que é, Oneide!

Quando a esquerda critica a direita, é lógico que é patrulhamento ideológico!

Mas quando você critica a esquerda, aí é uma crítica justa, correta e isenta mesmo...

Hänsel

- 2015-12-23 13:21:26

Certamente este episódio não

Certamente este episódio não abalará o Chico em nada. Ao contrário, ser ofendido por boçais deste tipo só mostra, mais uma vez, que Chico está no campo oposto da escória humana.

luisnassif

- 2015-12-23 13:17:26

Não. É um gancho para uma boa

Não. É um gancho para uma boa história.

aliancaliberal

- 2015-12-23 13:11:39

Nassif isso não é

Nassif isso não é patrulhamento ideológico?

 

alcarpinteiro

- 2015-12-23 13:06:43

Em princípio, alguém público

Em princípio, alguém público que expressa opiniões em público deve se preparar para ser interpelado por elas. No caso específico, Chico Buarque expressa suas opiniões políticas em público. Nada há de estranho que alguém o aborde para comentar suas opinões, seja para apoiar, seja para rebater, como se deu. E ele não se negou a debater, por entender o jogo.

Só que há regras de comportamento. Um encontro casual em uma calçada, entre desconhecidos, na saída de um bar e/ou restaurante, não é lugar nem momento propícios para um debate político de iniciativa unilateral. Tampouco, chamar o antagonista de merda, ou mandá-lo morar em Paris, não são argumentos minimamente civilizados. A grosseria demonstrada pelos jovens não é resultado de pouca idade e do nível alcóolico que poderiam apresentar no momento. Foi opção.  É uma opção compartilhada por uma cadeia de indivíduos que possui em uma das extremidades pessoas como as que abordaram Chico Buarque, Padilha, Mantega, Patrus Ananias, Fernando Haddad. Na outra extremidade, há pessoas como Reinaldo Azevedo, Marco Antônio Villa e seus chefes. Eles planejaram seu discurso de intolerância e sabem muto bem o efeito deste discurso sobre parte de seus leitores e ouvintes. Olavo de Carvalho incentiva que seus seguidores abordem e ofendam esquerdistas em público. 

O silêncio tolerante das vítimas e o pouco caso da justiça ao se eximir de suas responsabilidades em casos, até então, de pouca gravidade, apenas preparam o terreno para eventos mais graves. O tempo nos mostrará com riqueza de detalhes aquilo que nos negamos a ver hoje.

Ronaldo Braga

- 2015-12-23 13:03:11

Como diria a presidenta Dilma...

Como diria a presidenta Dilma, a família Garnero não resiste a uma pesquisa no Google...

Iremar Marinho

- 2015-12-23 12:57:04

RESPONDER A ESTE COMENTÁRIO

 É o levante dos mediocres contra a inteligência e a cultura nacional.

Carlos Elísio

- 2015-12-23 12:56:38

O Chico devia estar distraído..

Só estando distraído para o Chico dar papo a uns merdas como esses.

Gustavo Horta

- 2015-12-23 12:56:23

Quem não se lembrava?

"Fascismo messmmo!"

Filho de Álvaro Garnero e neto de Mario Garnero; eu ainda me lembro do que o Brasilinvest, imponente estrutura plantada ali na av. Faria Lima, causou de prejuízos a tantas pessoas e empresas. Hoje, o neto participa das quadrilhas que pregam correção e integridade, sempre a passear nas propriedades do avô. São todos hipócritas cretinos, GOLPISTAS de uma figa, coxinhas oportunistas.

CUIDADO O GOLPE NÃO É CONTRA O PT. O GOLPE É CONTRA VOCÊ.
O GOLPE É CONTRA NOSSO PATRIMÔNIO. PATRIMÔNIO FÍSICO, PATRIMÔNIO CULTURAL, PATRIMÔNIO INTELECTUAL, PATRIMÔNIO MORAL E ÉTICO.

>> https://gustavohorta.wordpress.com/2015/12/23/fascismo-messsmmo/
 #TodaNossaSolidariedadeAChicoBuarque

Roberto Vital Anau

- 2015-12-23 12:55:19

Luís Eulálio sobre Garnero

Nassif, vai aí uma dica de pesquisa para jornalistas interessados. Vem do recôndito da minha memória de sexagenário uma frase de Luís Eulálio B. Vidigal, ex-Cobrasma e ex-presidente da Fiesp, sobre Garnero. Se não me engano (mas posso estar enganado), foi na disputa pela Fiesp. Vidigal acusou Garnero de ser um pelego a serviço de multinacionais. Na época o sindicalismo operário vivia o conflito entre o peleguismo tradicional, inclusive no Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco, e o novo sindicalismo de São Bernardo liderado pelo Lula. Vidigal transportou a temática para o meio empresarial com bastante inteligência. Se pelegos eram sindicalistas vendidos ao patronato, então no meio empresarial um pelego devia ser alguém vendido ao capital estrangeiro. Pegou, viu? Não sei se foi só por isso, mas o Vidigal ganhou a Fiesp e o Garnero teve esse acréscimo nas máculas que já carregava em virtude dos fatos que você resgatou brilhantemente. Quem resgata a frase do Luís Eulálio? Procurei e não achei na internet.

Lucia André

- 2015-12-23 12:53:32

Nem tudo é o que parece...

Pode ser que o comentário sobre o feito do moço Álvaro seja apenas para mostrar que o grande feito do rapaz tenha sido apenas fazer uma pessoa muito conhecida de escada para aparecer, não, sem qualquer outra conotação homofóbica ou não!

sergio l s

- 2015-12-23 12:53:14

Já que vc. defende tanto esse

Já que vc. defende tanto esse Alvaro, o que é que ele é pra se tornar tão famoso assim, para qualquer brincadeirinha inocente ser assunto? Ah, ele é só RICO? E p q mesmo que ele é rico? Não por ser um empreendedor mas por ser herdeiro? E parte dessa herança a reportagem explica.

Crisitano

- 2015-12-23 12:46:08

Segue o link do vídeo que

Segue o link do vídeo que mostra a "discussão":

https://www.youtube.com/watch?v=yWmnHjPm1ys

Em nenhum momento aparece a pessoa citada no texto proferindo qualquer ofensa ou palavra para o Chico ou amigos, ele aparece por 1 segundo apenas observando a situação.

Acho que vc deveria rever o título e partes dessa matéria Nassif!!!

Vc está fazendo jornalismo que costuma criticar!

Malú

- 2015-12-23 12:37:52

Engraçado é você que não sabe

Engraçado é você que não sabe distinguir entre "sucesso" e sucesso. Não vê diferença entre "Ai, ai, assim você me mata" e "Apesar de você", "Cálice",  "Roda viva" e outras. Nunca vai saber o que "Vai passar" e o que vai ficar para sempre.

AlvaroTadeu

- 2015-12-23 12:33:59

Pedro Pedreiro e Pedro Mundim: dialética de um ignorante.

Chico não precisa de defesa minha, mas esse idiota que se intitula Pedro Mundim vem atacar Chico de graça. Nunca vi Chico se metendo em polêmicas. E ele não fez "sucesso" assim. Era apenas a camada mais culta e politizada do Brasil que ouvia e comprava discos de Chico Buarque. Ele jamais chegou aos pés dos "sertanejos" e funkeiros em matéria de venda de discos. Um tal que atropelou e matou um motociclista no interior das Gerais vendeu dez milhões de CD's nos anos 90. Chico jamais chegou perto disso. Além do mais, raramente bom gosto rima com best sellers. Mas daqui a cem anos, Chico será estudado e lembrado como Noel o é agora. Esses cafajestes de ocasião, que atacam Chico não sabem que no Regime Militar Chico foi boicotado pela Globo e teve de sair do país para sobreviver. Mas Chico não polemizou com a Globo, quando terminou o regime, foi convidado para cantar na emissora e foi, como bom profissional que é. E, sr. Mundim, todo compositor, todo artista, tem seu tempo. Aos 70, é impossível que Chico componha obras primas como foram Pedro Pedreiro, Olé, Olá, A Banda (até hoje as crianças de pais civilizados cantam e gostam), e principalmente, a canção que mostra a coragem de um homem, Apesar de Você, canção que esses coxinhas ignorantes e mentecaptos jamais terão condições de fruir. Para um dragão de Komodo, tanto faz, se é filet ou carne podre. Mata a fome, dá no mesmo.

altamiro souza

- 2015-12-23 12:25:05

essas tristes  figuras que

essas tristes  figuras que representam essa elite conservadora

e fascistóide são resqíicios, lixos da ditadura...

Américo dias

- 2015-12-23 12:21:31

Apesar da boa reportagem
Apesar da boa reportagem expondo o passado do avô, achei que se valer da atitude de Álvaro com Ronaldo para atacar sua moral algo vil, machista e homofóbico (que nada a ver com a opção sexual de Álvaro, que desconheço, mas sim com a tentativa de associação da mordida em Ronaldo a algo depravado e negativo).

altamiro souza

- 2015-12-23 12:15:59

essa notícia aí transcrita

essa notícia aí transcrita pela carta capital comprovaria a participação da

família toda na lava-jato, segundo a mesma métrica utilizada por esse

babaca garnero  para atacar chico buarque....

os caras sequer sabem o que estão gerando para si próprios com esse discurso fascista...

Ana Luce

- 2015-12-23 12:13:20

Chico Buarque fez músicas de

Chico Buarque fez músicas de protesto durante a ditadura e conseguiu dar voz a quem foi calado à força pela tortura, pelo sequestro e pelo assassinato. Finda a ditadura, Chico continuou uma carreira extraordinária, não só como músico, mas como escritor. Ganhou vários prêmios por seus livros, compôs canções lindíssimas e inesquecíveis. Acho que não foi a inspiração dele que secou, talvez tenha sido a sua sensibilidade.

serralheiro 70

- 2015-12-23 11:52:00

Imbecil

O que este garneiro fez a Chico Buarque nos mostra quanto os imbecis perderam a modéstia. Isto está virando uma praga grobal.

-Charlie-

- 2015-12-23 11:50:28

A esse respeito, reproduzo

A esse respeito, reproduzo comentário feito no blog dia desses:

De fato, os ricos pagam poucos impostos.

Ocorre que o PT segue a mesmíssima receita dos partidos de direita na questão tributária: alivia o andar de cima e tributa os de baixo, majorando impostos em cascata, que incidem sobre salário e consumo.

Toda vez que o PT vem com essa ladainha de que "os ricos pagam pouco imposto", o que querem na verdade é taxar a classe média, pois tem medo de mexer com os ricos de verdade.

Digo e provo: o Imposto sobre grandes fortunas está na Constituição desde 88, basta editar a lei instituidora. Nenhum presidente criou. Só que nos 27 anos de vigência da Constituição, o PT está no poder há 13, o partido que mais tempo ocupa o poder sob a CF/88.

Portanto, engenheiros, advogados, funcionários públicos, profissionais liberiais se preparem: quando o PT fala em taxar os "ricos", não é das famílias Safra ou Marinho que está falando.

-Charlie-

- 2015-12-23 11:45:35

De acordo. Só que o coxinha e

De acordo.

Só que o coxinha e o militonto petista são as duas faces de uma mesma moeda.

Enquanto um vocifera conta o "comunismo", o "Foro de São Paulo" etc, o outro dá um jeito de justificar todas as cagadas da Dilma dizendo que é coisa do "PIG", nos "tucanos" etc. 

Arnaldo Costa

- 2015-12-23 11:31:59

Fedelhos coxinhas sempre serão fedelhos coxinhas

Essa turma infelizmente não tem conserto. Pelo histórico familiar, pela forma que foram criados e por gastarem o tempo de vida com futilidades, se transformaram nessas deformações, monstruosidades. Um perigo para a sociedade moderna. Poderia haver um "bolsa Miami" para mandar esse pessoal para o tão sonhado paraíso deles. Que sejam um problema de quem os doutrinou. 

Maria Luisa

- 2015-12-23 11:30:48

Maestro soberano

Parece-me que você so esta ouvindo o que certas radios tocam. O Chico continua fazendo musica, e bonita! Cheia de poesia, encantos, desencantos, falando do Brasil e sua diversidade. E sempre lembrando as diferenças. 

Maria Luisa

- 2015-12-23 11:25:10

Taxação sobre as grandes fortunas e grandes heranças

Muito bem feito esse resumo sobre a trajetoria de Mario Garnero. Esses dias, falando sobre a Lava Jato, ainda ouvi que é este é "o maior simbolo da corrupção petista".

Eu tenho ficado, muitas vezes, calada, para não perder a amizade, mas esta insuportavel ouvir tanta besteira das pessoas, que so conhecem um lado da historia. Quando tento explicar algo, logo me cortam, com o "argumento genial" de que sou esquerdista-petista. Virou mantra.

Alias, falei para o mesmo interlocutor que a Lava Jato foi inspirada nas Mãos Limpas da Italia. E ouvi que a esquerda, os blogs, so fazem conspirar. Em suma, inventamos um mundo à parte.

Como diz o sociologo no artigo da Najla Passos da Carta Capital: eles não querem a verdade. So ouvem o que lhes interessa. E, sobretudo, querem o Brasil da Velha Republica.

Fica ai registrada da historia verdadeira da familia Garnero e o supra-sumo da ignorância de uma geração "criada" assistindo rede Globo e afins.

lenita

- 2015-12-23 11:21:47

engraçadíssimo

Fazer sucesso por apenas 50 anos. E com músicas de protesto , tais como Carolina, Beatriz, Olê, Olá, Lígia,Tatuagem, etc., etc.

Arnaldo Costa

- 2015-12-23 11:17:25

A hipocrisia, cafonice e cafagestagem reinam nas oligarquias

Dá para ver que a má índole é de família. Quem faz essas maracutaias, como a quebra do banco, não tem ética e seus valores se pautam no "ter", e não no "ser". É impressionante como a maioria dos ricos mais ferrenhos contra o PT tem a vida marcada pelo dinheiro sujo. Essa corja é a cara do nosso subdesenvolvimento. E acham bonito ficar fazendo graça com a grana fácil dos pais. Como seu ídolo Aético, que nunca trabalhou e sempre viveu de favores, é a meritocracia que apregoam. 

lenita

- 2015-12-23 11:06:14

Nosso Chico

É superior a todos eles, que vivem de chamar a atenção. Pobres seres ! Incapazes de dizer alguma frase mais original do que PT é bandido ", enquanto o Chico com 16 anos fez Pedro Pedreiro, eles são incapazes até de "zoar" com alguma imaginação. Infelizes, pobres, mequetrefes, e com, não mais que 2 neurônios.

rosenvald flavio barbosa

- 2015-12-23 11:06:01

mundim

é mundim..................seu mundin é pequeno.................limitado

Américo Portulano

- 2015-12-23 11:01:06

Petróleo Paraguaio - Mário Garnero & Paulo Roberto Costa

Revista Carta Capital, edição de 12-09-2012. Título da matéria: "Em busca do ouro negro". Subtítulo: "O banqueiro Mário Garnero mobiliza investidores e parte para a exploração petrolífera".
Seguem a transcrição de dois reveladores trechos da matéria: 
- "Aos 74 anos, Garnero decidiu agora apostar no setor de energia. Acaba de lançar a Brasilinvest Oil, Gas and Biofuels, em parceria com Paulo Roberto Costa, ex-executivo da Petrobras".
- A Brasilinvest Oil estreará em um projeto polêmico de exploração de gás e petróleo no norte do Paraguai, em associação local com o fundo nova-iorquino Dahava"

Roberto Monteiro

- 2015-12-23 10:59:15

Não chama...

deixa que ele se freud sozinho.

Francisco de Assis

- 2015-12-23 10:47:48

A história do avô do PARASITA que ofendeu Chico

A história do avô do PARASITA que ofendeu Chico

antonio francisco

- 2015-12-23 10:47:47

Messias Franca de Macedo, de

Messias Franca de Macedo, de fato ao que parece a História (ou as injustiças brasileiras?) tem por costume livrar a cara dos netinhos.

Aécio que o diga.

 São Paulo – Em entrevista à repórter Marilu Cabañas daRádio Brasil Atual, o deputado estadual de Minas Gerais Rogério Correia (PT) lamentou que a condenação do ex-governador e ex-senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), por peculato e lavagem de dinheiro, não incluiu Aécio Neves (PSDB-MG), que segundo ele, também tem seu nome envolvido nas denúncias do chamado mensalão tucano.

“Até que enfim o Azeredo foi preso [condenado]. Ainda acabe recurso, mas pelo menos fica claro que o crime foi cometido, já que há tanto tempo falamos. Ao que não estão dando destaque é o outro que se beneficiou, além de Azeredo, que é o Aécio Neves, que está na lista, que mostra que ele recebeu R$ 110 mil reais na época.”

O parlamentar explica porque Aécio não foi condenado também no processo. “Eles colocaram só o Azeredo, mas quem recebeu do Azeredo eles tiraram. Então colocaram só quem fez a corrupção ativa, e quem fez a passiva, que foram os deputados, foram retirados (do processo).”

Tem mais lá no link

http://www.viomundo.com.br/denuncias/rogerio-correia-deputados-que-receberam-de-azeredo-foram-excluidos-do-processo-inclusive-aecio.html

gaúcho

- 2015-12-23 10:31:52

Outra inovação brasileira:

Outra inovação brasileira: rapper de direita e mauricinho.

Luiza

- 2015-12-23 09:46:29

É um elogio pensar e agir diferente dessa gente

Caraca, Nassif !!!! Voce sabe e presenciou muita coisa nesse Brasil ao longo dessas décadas. Nao é atoa que os ""caras"" entram "numas" com voce; é que eles nao aguentam quem tem a memória viva dos fatos e voce é jornlaista, entao.....

Nao é segredo prá ninguém que a riqueza da elite brasileira está muio ligada às benesses do regime militar, e, quanto esse assunto chega às geraçoes dos que sucederam, fica claro que esses sao piores do que os seus antepassados porque vivem para manter a origem da vida fácil debaixo do tapete e, nao raro, apelam para o judiciário como meio útil para calar pelo bolso e intimidar portadores de informaçoes indesejadas ou elucidativas.

Se o povo soubesse do rabo sujo dessa elite brasileira metida à celebridade, nao dariam crédito à ela nem se deixariam ser usados por ela. Essa elite medíocre e pobre de espírito sobrevive da desinformaçao sistmática e manipulaçao das massas pela imprensa, da intervençao amiga de uns togados além da amizade e apoio de políticos moralmente compatíveis com eles. Esse é o preço pago por nós brasileiros pela educaçao nunca ter sido prioridade em nenhum governo.

O que dia em que o cidadao comum entender que ele é a mercadoria negociada na queda de braço entre os políticos conservadores[elite, empresários, banqueiros, etc] e os progressistas[sindicatos, movimentos sociais, associaçoes da sociedade civil etc] quem sabe aí ele entenda de forma clara de que lado ele deve estar e que o destino do país está nas suas maos? A consicentizaçao politica é o único caminho para um país que pretende como  projeto a conquista da cidadania e a liberdade aos cidadaos. Essa conscientizaçao é um sonho de consumo que eu espero ver antes de morrer, porque aí sim o país muda de cara.

Cunha

- 2015-12-23 09:31:06

Tem neto que não sabe nada

Tem neto que não sabe nada das peripécias do avô, que nem o neto do FHC

Pedro Mundim

- 2015-12-23 09:21:22

Engraçado que...

Engraçado que Chico só teve sucesso durante o regime militar, com suas canções de protesto. Depois parece que a inspiração dele secou.

Odonir

- 2015-12-23 09:05:07

CHICO, meu HOMEM EXPLÍCITO, cante e encante. SEMPRE!

[video:https://www.youtube.com/watch?v=1lI2X0RyNSg]

Bonobo de Oliveira, Severino

- 2015-12-23 07:58:18

A solução para educar os HERDEIROS é taxar a herança.

O Thomas Piketty já deixou bem claro como se deve agir para evitar a formação dessas legiões inúteis de herdeiros. Taxação pesada de renda, patrimônio e, especialmente, heranças. Daí, em vez de seguir a carreira de vagabundo parasita, o nematóide vai ter que estudar para conseguir arrumar um emprego e deixar de ser estorvo social, revoltado contra as políticas de recuperação dos direitos dos excluídos gerados e legados pelos seus ancestrais.

Otavio Nascimento de Barros

- 2015-12-23 05:50:07

A história do avó é

A história do avó é interessante, humaniza a história familiar, specialmente o avô em seus esquemas qu sim procediqaam pela malandragem de qq capitalista, mas não chegou a financiar tanto o aparato repressivo, e muito menos parece ter chegado a uma psicopatia de Boillisen e Fleury, por exemplo. FEz mutretas deixou herança e aposto deve ter passado pouco tempo com filho e neto. Queos dois sejam playboys (o avô parecia merecer o nome de bom vivant ainda) e forjam trabalhospara se sociabilizar e se usam drogas ou são gays parecem dados irrelevantes para o que constitui a gravidade do ato. Nem tampouco a qualidade estetica da musica de chico está em jogo aqui, a não ser pela publicidade a ele rogada. O fato grave foi:

 

UM  rupo de jovens busca contato com uma figura publica que não conhecem como pesssoa que sai junto com amigos, todos senhores de 60, 70 anos, para lhe perguntar porque defende o PT. Mal deixam responder, a conversa já mal existe e num momento chico se afirma petista e é xingado de merda, ofensa moral e intolerancia politica feita em tom de humilhação e incitação ao confronto, não à conversa e na covardia de ameaçar com o porte fisico senhoees de 70 anos. o FAto de serem fascistoides é patente e espero que chico processe os o assediaram, mas o triste foi ver um garoto negro apanhando na ultima marcha da direita de senhores de 60 anos. A paranoia coletiva está manifesta.

 

Mas o caminho difamatorio é baixo e de pouco resultado. EStas horas elmbro de engels que tomou um rumo diferente.a esucação particular aqui é que também forma estes atores de desempenho, e agora querem difamar a esquerda caviar. Ora me confesso alguem que quer riqueza para todos e maior automatização do trabalho socialmente necessario dai teriamos um trabalho livre que produz perolas riquezas inimaginaveis para nós , seja em paris seja no leblon seja no capão, e fume o que for beba sua cachaça e cheire seu pó, se a critica mirar o argumento, ótimo, se for nominal, fim de conversa.

 

a questão fica. a esquerda foi para além de 30% contando lulistas petistas aliançapsol-pstu e setores do psb. digamos que hj chegariamos a 40%. há a questáode como contrapor a exposição midiatica  q dao aos fascistóides. pelos ultimos acontecimentos tudo indica que é por meio da ocupação do lugarde trabalho e de lazer, contando com o impeto e a força atual dos dois grupos mais violentados do pais, negros e mulheres, cedendo vangurda sem abandonar o pensamento tanto critico como estratégico  que fará a direita perceber que estamos bem maIS FORTES QUE 64 SEM PRECISARMOS DESSA CRIATURA NEFASTA À ESQUERDA QUE O ALTO pt CRIOU, O CAMPO MAJORITÁRIO, E DEPOIS SE SENTE TRAIDO POR MANIFESTANTES, POR FAVOR, A ESTRATEGIA DO CONSUMO MINGUOU, É ORA DE ACIONAR CUT E mST E ABRIR LUGAR PARA AQUELES 10% QUE GARANTIRAM A DILMA E QUE AINDA A GARANTEM, MAS A CONVERSA NÃO EXISTE.PQ O hADDAD NÃO VISITA AS ESCOLAS,? PQ NÃO SE FORÇA AO MENOS UM DEBATE FRANCO UMA VEZ QUE A GOVERNABILIDADE ESTÁ EM CHEQUE ,? PQ NÃO SE ABUSA DE mpPARA TENTAR TACHAR O CAPITALCHANTAGISTAE ?JÁ QUE VAO BARRAR PAUTAS BORA FAZERRA AUDITORIA DA DIVIDA? NÃO. nÃO NOS ISOLEMOS NA CONVERSA....ISSO MENOS QUE A PLURALIDADE DE CORRENTS É O QUE MAIS DESUNE. GERALMENTE , BOTO FÉ , A HORA DEE AGIR NUNCA FOI DESAPERCEBIDA NEM NULA PELA DIVISAÕ, MAS POR FALTA DE FORÇA MESMO

Alessandra Cazemiro

- 2015-12-23 04:48:01

Eles queriam alguns minutos

Eles queriam alguns minutos de fama. Filmaram tudo. Que papelao!

Almeida

- 2015-12-23 04:42:14

Enfim, um neto de rico.

O avô ficou (muito) rico, após um braguetaço (golpe da braguilha, na gíria gaúcha). O neto é o que é, graças ao sucesso do golpe da braguilha, senão estaria comendo cachorro quente ou churrasco de gato, em vez de suchi em lugares da moda.

O curioso ficou por conta do "rapper" que chamou Chico Buarque de Holanda de "merda". A fama do cara vem de ter sido um "ex", de alguém, até agora, com uma alguma fama. Um "ex" dispensado, provavelmente, por ter evidenciado o caráter de mala, agora publicamente comprovado.

altamiro souza

- 2015-12-23 03:59:51

em memórias póstumas de bras


em memórias póstumas de bras cubas, o personaem diz, no final:

não tive filhos. não transmiti a nenhuma criatura o legado de nossa miséria.

parafraseando machado, diria que o avô dessa triste figura deixou o

legado não só de sua miséria moral como também o legado que

representa toda a elite escravocrata, a qual simbolicamente representa

o que há de pior da desigualdade social no país....

no caso da elite escravocrata, segundo estudo de roberto scwarz,

seria nais ou menos assim:

o cara dessa elite é metido a chique, iluminista, etc e tal, viajeiro internacional,

mas quando volta para o seu pedaço, açoita seus escravos....

guardadas as proporções, qualquer semelhança é mera coincidencia?

metidos a besta os caras são.

ou não são,

todavia,

porém

contudo!

nada são!!!!!!!

 

 

 

[email protected], de sp

- 2015-12-23 03:41:01

O rapaz que ofenderu Chico

O rapaz que ofenderu Chico Buarque podia ter passadom sem essa...

Quem manda falar o que não deve?

Gilson AS

- 2015-12-23 03:11:22

O grande problemas dos

O grande problemas dos coxinhas, é que são todos mal informados politicamente.

Não possuem ideias originais, não tem argumentos convincentes, apenas repetem clichês, lugares comuns., chavões.

Na realidade são uns papagaios.

 

Sérgio Vianna

- 2015-12-23 02:39:06

A história do avô do rapaz que "não entendeu" Chico...

Fácil perceber que por trás de toda história de qualquer coxinha se chega à lama, à ditadura militar, a algum golpe financeiro, à venda de patrimônio familiar, enfim, a alguma faceta da hipocrisia e da desfaçatez....

Eu até tento compreender o que move essa gente, mas nunca dá certo, são "im-puros" de origem.

Fernando J.

- 2015-12-23 02:26:17

Zé Renato atualizou sua foto do perfil

Pablo Santocristo

- 2015-12-23 02:23:26

Esse ainda não é o meu Chico Buarque

Hahahaha

walter araujo

- 2015-12-23 01:56:52

Caramba, mas que final,

Caramba, mas que final, heim??

ricardo.salf

- 2015-12-23 01:35:46

sabemos

Nem precisa de Freud. Minha avó já dizia: "filho: vontade travada vira briga de rua".

Paulo F.

- 2015-12-23 01:26:19

NEC Telecomunicações

Tai um prato cheio para as mentes inquietas!

Ivan de Union

- 2015-12-23 01:25:24

Que estranho, eu tava falando

Que estranho, eu tava falando disso mesmo outro dia e nao tive a chance de terminar o pensamento.

Tem o cara que vai sempre tocar violao no bar da esquina ou na igreja pela esperanca de arranjar uma namorada ou beber cerveja gratis.  O personagem totalmente desenvolvido do cara do bar, por exemplo, foi o brilhante Joao Nogueira:  nao, ele nao so "quer" saber onde estava Maria Rita nao, ele "pre ci sa sa ber onde anda essa pequena" etc., embora so consiga falar sobre ela em uma serie de chavoes sem conteudo e que te fazem rir ("corpo escultural"?).  E ele teve varios momentos assim, todos brilhantes, diga se.

E isso veio ao caso no caso do cantor (nem vou dizer o nome, que nao viu perdeu) que tem personalidade do cara que vai cantar na igreja aa espera de encontra umx namoradx.  A "agressividade" bem trabalhada da banalidade de Joao Nogueira?  Dessa ele nunca ouviu falar, ele so quer mandar os sinais, como se ninguem os conhecesse de 20 milhas de distancia.  So sobrou os sinais e sutilidade nenhuma, arte nenhuma.

So me resta saber se esse cara eh o cara que vai cantar no bar por cerveja gratis ou o cara que vai cantar na igreja na esperanca de conseguir umx namoradx.  O resto da persona esta todinho ai em seu lugar.  E como no caso de Edson Cor, digo, do cantor, o publico que o segue vai fazer fila pra nao ser mais publico dele, por nao tolerar sua agressividade.

TJ

- 2015-12-23 01:12:35

em minas....

se diz o seguinte:

avó rico,

filho nobre;

neto....tipo essezinho aí.

Messias Franca de Macedo

- 2015-12-23 01:11:45

  [Ainda sobre certos

 

[Ainda sobre certos netos...]

 

Rogério Correia: Deputados que receberam de Azeredo foram excluídos do processo. Inclusive Aécio

https://soundcloud.com/redebrasilatual/ate-que-enfim-azeredo-foi-condenado-mas-ninguem-fala-do-aecio-diz-rogerio-correia

publicado em 22 de dezembro de 2015 às 01:08

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2015/12/ate-que-enfim-azeredo-foi-preso-mas-ninguem-fala-do-aecio-afirma-deputado-443.html

e aqui: http://www.viomundo.com.br/denuncias/rogerio-correia-deputados-que-receberam-de-azeredo-foram-excluidos-do-processo-inclusive-aecio.html

Marco St.

- 2015-12-23 01:02:48

Sei lá.Me parece um certo

Sei lá.

Me parece um certo comportamento de origem sexual, algum fetiche por homens famosos e talentosos.

Já é recorrente.

Chamem o Freud.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador