A lição de Cristina Kirchner, por Ricardo Cappelli

Lula e Ciro devem um gesto do tamanho do de Cristina à nação. Deveriam se encontrar, encerrar as desavenças e dizer claramente que não são candidatos, que não é o momento de discutir nomes e sim de aglutinar os mais amplos setores na defesa do Brasil.

A lição de Cristina Kirchner

por Ricardo Cappelli

A ex-presidente da Argentina anunciou que será candidata a vice na chapa de Alberto Fernández. Cristina Kirchner lidera as pesquisas. Em algumas, ganha de Macri no primeiro e no segundo turno. Por que abriu mão da cabeça de chapa?
“A situação do povo e do país é dramática e estou convencida que esta é a melhor fórmula, que expressa o que a Argentina precisa neste momento para unir os mais amplos setores políticos e sociais”, declarou Cristina.
Aberto Fernández é um peronista considerado centrista e pragmático. Kirchner possui grande apoio popular, mas também uma elevada rejeição.
Além disto, Cristina enfrenta resistências dentro de setores mais amplos do peronismo. Ameaçada por processos judiciais – reprodução da “Nova Operação Condor” em curso na América Latina -, agiu com grandeza e sabedoria estratégica.
Que lição fica para o Brasil?
Vivemos nas eleições presidenciais brasileiras um amplo debate sobre a melhor forma de enfrentar a ofensiva conservadora. Incapaz de construir convergências, a esquerda brasileira optou pelo “salve-se quem puder”. Deu Bolsonaro.
O PT é o maior partido da Brasil. Lula, nosso principal líder. Qual foi o principal objetivo da reação? Caçar Lula e o PT. O que Lula decidiu fazer? Pagar pra ver e olhar nos olhos da besta-fera.
Numa guerra assimétrica, enfrentar o inimigo de peito aberto é suicídio planejado.
Os mais afoitos dirão que a situação na Argentina é diferente, que Fernandéz é do mesmo partido de Cristina. Ela está condenada? Presa? Lula preso se recusou a abrir a cabeça de chapa para qualquer membro do PT. Levou sua candidatura inviável às últimas conseqüências. Haddad assumiu aos 45 do segundo tempo.
E o que faz Lula agora? Em entrevista a jornalista Mônica Bergamo, anuncia que viverá 120 anos, que vai sair da cadeia, que será candidato novamente e que vai voltar a liderar o país. Não abre espaço para ninguém, nem mesmo do PT.
Escrever isto é atacar Lula? Claro que não! Carrego comigo a honra de ter servido ao país sob liderança de Luiz Inácio Lula da Silva.
Lula foi o primeiro brasileiro de fato a chegar ao poder. Pobre, nordestino, mestiço, sobrevivente. Getúlio, Jango, JK – e tantos outros gigantes que formam o panteão de heróis nacionais -, foram dissidências progressistas da elite brasileira.
É uma imbecilidade querer comparar o trabalhismo com o lulismo, duas correntes fundamentais e formadoras do nacionalismo progressista. É como querer definir o que foi mais importante, a invenção da eletricidade ou a revolução promovida pela internet.  Muito provavelmente, uma não existiria sem a outra.
Os pedetistas, ao verem o gesto grandioso de Cristina Kirchner, correram para apontar o dedo para Lula. E qual o exemplo de Ciro? Querem apenas trocar um “santo de devoção” por outro, reproduzindo o mesmo messianismo que nos conduziu ao fundo do poço.
Lula e Ciro devem um gesto do tamanho do de Cristina à nação. Deveriam se encontrar, encerrar as desavenças e dizer claramente que não são candidatos, que não é o momento de discutir nomes e sim de aglutinar os mais amplos setores na defesa do Brasil.
Esta seria a base da Frente Democrática. Formaria um pólo capaz de unir a esquerda e atrair partidos de centro, partes do PSDB e liberais democráticos contra a marcha fascista.
“Nós, líderes, devemos deixar a vaidade de lado, e eu estou disposta a ajudar a partir de um lugar onde possa ser mais útil”, afirmou a senadora peronista. Que o gesto de Cristina Kirchner sirva de lição.

13 comentários

  1. Parecem as discussões dos programas pós jogos de futebol. Não vão revisar nem reviver. uito menos refazer o passado. O Lula em épocas de sua saída do governo dava sinais de que dependesse dele, já havia cumprido seu papel. Agora na entrevista ao Kenedy Alencar, disse que nao era de sua vontade ser novamente candidato. O que parece relacionar-se mais com o caso de Kirchner é justamente baseado no que viu acontecer a Lula onde a perseguição não acabou e nem dá caras de que parem. Somem os casos do Peru, Equador e ela não quer passar por isto, pois está na mira do revanchismo e justicialismo.

  2. São situações completamente diferentes.O presidente Lula sequer gostaria de ter sido candidato,mesmo em situação de normalidade. O que ocorreu é que o presidente Lula foi obrigado a sair para salvar o PT cujo aniquilamento foi e é o objetivo desta chamada guerra híbrida e,sejamos claros,o resultado foi extremamente positivo. Embora tenha saído chamuscado,aqueles que mais participaram do golpe,leia-se PSDB e MDB,tiveram suas bancadas extremamente reduzidas e o musculoso candidato dos bicudos emplumados,que se achava franco favorito,amealhou espantosos 5% dos votos. Sorte melhor não teve a fadinha da floresta que,de cima de um alto galho de uma árvore,viu seu eleitorado minguar para 1%.
    Também não é verdade que o presidente Lula tenha dito que vai participar de novas eleições,pelo contrário,ele frisou que nas próximas eleições ele estará com 76 anos,o que dificultará em muito,embora tenha ressaltado que hoje as pessoas vivem mais.
    O que o presidente Lula fez,e faz,é manter o foco sobre si. Não que queira impedir ninguém do PT ou da esquerda de assumir o protagonismo mas,pelo contrário,esperando alguém que possa cobrir este vácuo e ele até citou o nome do Boulos,que ,diferentemente do boquirroto que governou o estado do Ceará,vem viajando o país e conversando sobretudo com os jovens.
    Se o presidente Lula ainda precisar conversar com alguém para indicar o caminho a seguir,com certeza será com alguém que minimamente tenha afinidade com a esquerda e não com boquirrotos camaleônicos.

  3. Lula nada deve ao Brasil.
    O Brasil deve (e vai ter que pagar!) ao Lula.
    O resto é bateção de panela!
    e.t. Çiro NÃO pertence à mesma divisão que o Lula. Quem nasceu para aspirante não chega na liga principal.

  4. Nenhum paralelo possível, só a desonestidade de quem escreve com a pena comprada. Esse texto é uma tatuagem lavável, desaparecerá com água e sabão. O autor poderia ser menos cínico.

    Lula Livre.

  5. Assim que o vídeo foi divulgado e sem que fosse citado o nome de Lula, os petistas e os não-petistas imediatamente reconheceram Lula como o antípoda de Cristina K.
    Por que isso ocorreu ? Penso que, mesmos os mais fanáticos e sectários, sabem que Bolsonaro foi eleito principalmente pelo anti-petismo e que a estratégia de Lula era errada (apesar das advertências). Lula e o PT decidiram inversamente à ordem de prioridade que Cristina K. aponta no vídeo: (1) primeiro a Nação; (2) depois o movimento; (3) por último os interesses pessoais.
    Mas não adianta chorar sobre o leite derramado. Precisamos da Frente Ampla pra enfrentar o fascismo e o mais retrógrado neoliberalismo. É este o objetivo do texto do Ricardo Capelli

  6. As realidades são diferente , no Brasil teve um golpe , na argentina nao, aqui as forças armadas nao aceitariam lula nem de vice ,já tinham tomado suas escolhas total alinhamento com os EUA e total entregado do pré sal e todos os recursos naturais , da embraer e amazónia , sem chance o Brasil nao será entregue para um civil tão cedo .

  7. Na minha percepção Lula não disputará mais eleição…mas politica é como nuvem….
    Vai que sai uma pesquisa em que Lula apareça disparado na frente, com o povo clamando que volte?

    Já o amigaço dos coronéis cearenses, tucano enrustido, viajante fujão e, por ora, boquirroto diletante, sofre de raquitismo eleitoral, despeitado, joga a culpa em Lula e no PT, ora, eleição (limpas, as daqui sempre foram um esgoto a céu aberto) é voto, quem os tem ganha, que não tem………

  8. Lição é, mas ela parece estar seguindo e não dando a lição. Olhando a experiência recente com outros ex-presidentes latinos onde uma foi ilicitamente impedida, um suicidou-se, outro está exilado e um terceiro preso, não pensemos que seja um jogo já encerrado. Assim como os BBBs da vida que já duram duas décadas com alta audiência e onde ganham os que sobram ou retornam dos paredões, em tempos de ódios, iras e ranger de dentes, a válvula de escape dos que oprimem é a vingança, o julgamento sem perdão, o sequestro do humanismo. O lawfere é isto, uma guerra que não acaba, pois o ódio e a vingança espalhados nas telas e nas redes, se retroalimentam. A sra. Kirchner, com bom senso próprio ou bem recomendada, sabe que é batalha que não compense lutar na linha de frente.

  9. Nassif: e quem consegue compor com coronel Ciro? O hôme é carne de pescoço. Tem um ódio pelo PT só igualado ao dos VerdeSauvas e daquele bando comando pelo Príncipe de Paris. Com o pavio curto de que dispões pouco ou nada se diferenciaria dos rompantes do daBala. E o diabo disso é que não consegue se superar, nem olhando pelo espelho. Teço por ele simpatia, mas dai a elevá-lo a Presidente é outra história. Nem o SapoBarbudo quero mais no cargo. Em nome da “Paz”, teríamos outra vez LulunhaPaz&Amor, que deu no que deu. Ve-lo livre, disso luto, especialmente quando sabemos que EliotNessTupiniquim fez dele trampolim para alcançar o Çúpremu e outras benesses. Com Ciro, por exemplo, os VerdeSauvas vão continuar deitando e rolando na política brasileira. Com Ciro o risco de continuidade dos conchavos, em nome da composição e harmonia, pode correr solta. Até porque, na atual conjuntura, com Ciro ou sem Ciro a canalha do Congresso e do Judiciário vai continuar mamando nas tetas dos cofres públicos.

  10. Cappelli, me parece, é “próximo e junto”, do Flávio Dino……talvez o texto tenha a função “secundária” de mandar recado……que o momento é de “cerrar fileiras” e abrir espaço aos mais jovens….no nordeste mesmo tem uns tantos governadores e senadores de partidos progressistas, de boa envergadura….a briga PT X Ciro, de todo jeito, não adianta o lado de ninguém……mas é só palpite….

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome