Bolsonaro, a mídia amiga e a pressão sobre a Globo, por Luis Felipe Miguel

Bolsonaro chutou Michelle para fora do palanque para ficar ladeado por essas duas grandes figuras da vida nacional: Edir Macedo e Silvio Santos.

Bolsonaro, a mídia amiga e a pressão sobre a Globo

por Luis Felipe Miguel

Desde que surgiu a internet, há quem proclame que a mídia de massa não é mais importante. As “novas tecnologias da informação” tiraram seu lugar. Esse é o pressuposto, às vezes explícito, às vezes tácito, de milhares de estudos no Brasil e também fora.

As próprias empresas às vezes adotam esse discurso, marotamente, para desinflar as pressões pela democratização da mídia. Afinal, todo mundo pode falar na web, para que brigar por pluralismo dos meios? Como faz uns anos escreveu o “intelectual residente” da Folha de S. Paulo, Hélio Schwartsman, com a sua característica combinação de desinformação, má fé e arrogância, os defensores da democratização da comunicação estariam “uma guerra atrasados”, empunhando bandeiras que foram importantes no passado, mas não são mais.

A eleição de Jair Bolsonaro seria a comprovação final da tese. Afinal, acredita-se que sua vitória foi alcançada graças a vídeos toscos no Youtube e correntes no zap. Empossado, comanda a destruição do país por meio de lives e tuítes. Diz-se que ocupa boa parte de seu dia de “trabalho” trancado sozinho no closet de seu quarto presidencial, transformado em uma espécie de escritório, navegando nas redes sociais.

Atacando a mídia em muitos de seus discursos, ofendendo profissionais da imprensa, o próprio Bolsonaro alimenta a ideia de que governa de costas para as corporações empresariais de comunicação, sustentando-se pela relação “direta” com seus seguidores nas redes.

Leia também:  Dissonâncias no campo progressista, por Aldo Fornazieri

A cerimônia de hoje, para comemorar a independência do Brasil, basta para mostrar como essa leitura é equivocada.

Bolsonaro chutou Michelle para fora do palanque para ficar ladeado por essas duas grandes figuras da vida nacional: Edir Macedo e Silvio Santos.

A imagem revela, por si só, a tragédia que é o Brasil. Mas revela também o peso da mídia corporativa.

Bolsonaro sabe que precisa da cobertura amiga da mídia. Sempre precisou. As empresas gostam de apresentar a si mesmas como o antídoto às fake news, mas o fato é que a destruição do debate público no Brasil foi fruto de uma dobradinha.

A mídia gerou deliberadamente o ambiente de informação necessário para que as fake news prosperassem. Por exemplo: sem a reiterada afirmação de que Lula era o chefe e o PT, uma quadrilha criminosa, as histórias sobre seus filhos serem proprietários de grandes empresas ou ele possuir contas bilionárias no exterior teriam mais dificuldade para se propagar. Sem o discurso reiterado de que Bolsonaro e o PT representavam formas opostas, mas simétricas, de “extremismo”, o apoio envergonhado que muitos conservadores deram ao ex-capitão, em 2018, teria sido mais custoso.

A parceria com Record e SBT é essencial à estratégia de Bolsonaro. Por um lado, garante de duas grandes redes uma cobertura despudoradamente manipulada, mentirosa, em seu benefício. Por outro, mantem a Globo em alerta, tendo que cortejar seus favores, obrigada a baixar a bola. Sabe que a empresa dos Marinho tem interesses demais em sintonia com seu governo para de fato assumir uma postura combativa.

Leia também:  Brasil: a Amazônia, o Atlântico e a recolonização ambiental, por Túlio Muniz

O GGN prepara uma série de vídeos sobre a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer se aliar a nós nesse projeto? Acesse www.catarse.me/LavaJatoLadoB

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. Bem mais do que isso. Se não fosse a pregação antissocial diuturna de um sedizente “liberalismo” contra ideias “socialistas” (leia-se Cuba, Venezuela, etc), o besteirol ideológico não ocuparia uma centralidade maior que o bem estar no debate público. Se não fosse a doutrinação meritocrática em TODOS os programas de rádio e tv, principalmente, as questões civilizatórias não seriam tratadas como “vitimização”, ofensa aos valores da família, etc.

    16
  2. Globo, Record, SBT, rede tv, Bandeirantes, RTC…tudo é “a mesma porcaria”, tudo é farinha do mesmo saco.
    O Bozo faz o que pode para se proteger.
    No “escritório improvisado” ele maquina como vai ( com seu clã) dar uma “beliscada” nessa roubalheira que se faz.
    O “governo” é com o Guedes.
    O “projeto” é um só: saquear, pilhar, roubar…rapelar o país!
    Em suma, a grande mídia fez seu papel de alienação do Brasil. Alienou a cabeça do brasileiro e agora “aliena”, ou melhor entrega ou rouba aquilo que se chamava nação.
    E continua, incansavelmente, seu trabalho. Martela suas mentiras diuturnamente com seus “especialistas”.
    Sinceramente eu acredito que o país caminha para sua destruição e vai ser quase impossível evitar. Aliás, o mundo caminha para seu fim, apressadamente. Apressadamente, mas sorrindo como se não acreditasse.
    Nunca pensei que fosse acreditar em algo assim ( sou ateu). Mas, o mundo vai se destruir pela poluição, ou por uma guerra nuclear, ou ainda vai ser dominado pela inteligência artificial. É muito fácil destruir. Construir pressupõe entendimento, união… então, está se tornando impossível.
    E assim, o pai ( a mãe) de todos os processos de lavagem cerebral- o cinema americano- finalmente vai ver suas eternas profecias sobre o fim do mundo se realizarem…

    17
  3. Nunca pensei que SS iria apoiar um governo, desse tipo, por dinheiro. Deixei de ver SBT e comprar qualquer produto relacionado.

  4. Na verdade essas três figuras se merecem: são très grandes picaretas, verdadeiros estelionatários da fé e da boa-fé de um povo incapaz de pensar e de sentir por si só. Dois dos três salafrários já se tornaram multibiolionários enganando o povo. O terceiro, podem ter certeza, também perseguirá isso, juntamente com sua gangue familiar débil mental fascista!

    18
  5. A Globo é nazista, a Record é fascista e o SBT é franquista. Ou a Globo é fascista, a Record franquista e o SBT nazista… Ou a Globo é franquista, a Record nazista e o SBT fascista…
    Bom, sei lá…
    Só sei que tudo é m***a da mesma cloaca….

  6. O aspecto ideológico e também teológico da situação é muito bem representado de modo plástico pela triade. O Bolsorei, no centro, consagrado monarca pelo falso profeta e cortesão, o profeta e o primeiro conselheiro.

  7. Não esquecer da Band e Rede TV, também explicitamente apoiadoras (fora as numerosas religiosas)
    Dentre outras coi$a$, vêem ótima chance de derrubar a liderança da platinada.
    Que por suas vez é politicamente tão (mais) lixo para o Brasil quanto as demais.
    A exceção é que só a Globo está contra a PESSOA do Bozo, mas não contra o programa de liquidação econômico-social do país, talvez sendo aleijado definitivamente.
    Todas (Globo inclusa) apoiam o programa econômico, que é mera extensão de Temer (e lá longe, de FHC).
    Desunidos perderemos…

  8. Maravilha esse Brasil! Já são 2 dias sem imbecilidades ditas por Bolsonaro, apesar do troglocientista Olavo de Carvalho se esforçar em falar em seu nome. Queremos o seu bem,curado e feliz, descansando alguns dias a mais no CTI seria bem recebido para o sofrido povo brasileiro! Obs: Se precisar de atestado posso tentar providenciar, tanto faz falso ou verdadeiro, justificativas não faltam!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome