De olho no óleo, por Janio de Freitas

da Folha

De olho no óleo, por Janio de Freitas

Há 60 anos, ‘O Petróleo é Nosso’ foi mais do que uma campanha, foi uma batalha. Olha aí o século 20 de volta

A pressão para que seja retirada da Petrobras a exclusividade como operadora dos poços no pré-sal começa a aumentar e, em breve, deverá ser muito forte. Interesses estrangeiros e brasileiros convergem nesse sentido, excitados pela simultânea comprovação de êxito na exploração do pré-sal e enfraquecimento da empresa, com perda de força política e de apoio público. Mas o objetivo final da ofensiva é que a Petrobras deixe de ter participação societária (mínima de 30%) nas concessionárias dos poços por ela operados.

Como o repórter Pedro Soares já relatou na Folha, a Petrobras está extraindo muito mais do que os 15 mil barris diários por poço, previstos nos estudos de 2010. A média da produção diária é de 25 mil barris em cada um dos 17 poços nos campos Lula e Sapinhoá, na Bacia de Santos (de São Paulo ao Espírito Santos). Perto de 70% mais.

Não é à toa que, se a Petrobras perde a confiança de brasileiros, ganha a da China, que a meio da semana concedeu-lhe US$ 3,5 bilhões em empréstimo com as estimulantes condições do seu Banco de Desenvolvimento.

O senador José Serra já apresentou um projeto para retirada da exclusividade operativa da Petrobras nos poços. Justifica-o como meio de apressar a recuperação da empresa e de aumentar a produção de petróleo do pré-sal, que, a seu ver, a estatal não tem condições de fazer: “Se a exploração ficar dependente da Petrobras, não avançará”.

A justificativa não se entende bem com a realidade comprovada. Mas Serra invoca ainda a queda do preço internacional do petróleo como fator dificultante para os custos e investimentos necessários às operações e ao aumento da produção pela Petrobras. Mesmo como defensor do fim da exclusividade, Jorge Camargo, ex-diretor da estatal e presidente do privado Instituto Brasileiro do Petróleo, disse a Pedro Soares que “a queda do [preço do] petróleo também ajuda a reduzir o custo dos investimentos no setor, pois os preços de serviços e equipamentos seguem a cotação do óleo”. E aquele aumento da produtividade em quase 70% resulta na redução do custo, para a empresa, de cada barril extraído.

O tema pré-sal suscita mais do que aparenta. As condições que reservaram para a Petrobras posições privilegiadas não vieram só das fórmulas de técnicos. Militares identificaram no pré-sal fatores estratégicos a serem guarnecidos por limitações na concessão das jazidas e no domínio de sua exploração. A concepção de plena autoridade sobre o pré-sal levou, inclusive, ao caríssimo projeto da base que a Marinha constrói em Itaguaí e à compra/construção do submarino nuclear e outros.

Há 60 anos e alguns mais, “O Petróleo é Nosso” foi mais do que uma campanha, foi uma batalha. Olha aí o século 20 de volta.

AGORA, SIM

Noticiado por Mônica Bergamo, o desejo do novo ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, de uma série de palestras de Dilma para “explicar melhor” o ajuste é, sem dúvida, a ideia mais original dos últimos anos.

16 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Moacir

- 2015-04-07 13:57:40

Incomodo

Se é verdade que a prática fala mais sobre nós do que as palavras, tá mais fácil a Dilma ingressar no Milenio do que eu.

Galvão

- 2015-04-07 02:02:18

Serra

Recomendo o filme "Em teu nome" que relata a saga do gaúcho - João Carlos Bona Garcia, o "Boni". Ele foi um dos presos políticos trocado pelo embaixador suíço, Giovanni Enrico Bucher. A luta dele para sair do Chile, é a prova que o José Serra não poderia sair do Estádio Nacional do Chile, ir para o aeroporto, embarcar para os EUA, sem o aval da CIA, e dos militares brasileiros.

http://www.emteunome.com.br/

 Quem for assinante, pode assistir ao filme no Netflix através do link: http://goo.gl/WJj2lG

lenita

- 2015-04-06 21:59:03

Neurose ?

A neurose da esquerda já começou a ser comprovada. Ou o sonolento não sabe que o Ilmo Senador da República por SP, o digníssimo cerra, çerra ou serra já começou a mexer seus pauzinhos ?

lenita

- 2015-04-06 21:53:55

E onde vc viu algum tucano ou

E onde vc viu algum tucano ou sua imprensa dizer ou mostrar que tucano rouba? Não é justificativa moral , não senhor ! É pela imoralidade da justiça ao proteger alguns e atirar em outros.

 

lenita

- 2015-04-06 21:46:50

Exatamente !

eu sempre imaginei isso o que vc disse, mas não sabia dos detalhes. Obrigado por informar Galvão.

Galvão

- 2015-04-06 21:12:21

Folga

O leonidas tirou folga, e o Instituto Millenium escalou o Moacir no lugar.

Galvão

- 2015-04-06 20:01:39

CIA

“Nos testemunhos realizados no Senado, os depoentes acusaram militares e policiais brasileiros de participar de sessões de tortura no Estádio Nacional do Chile, transformado em campo de concentração entre setembro e novembro de 1973, em Santiago, mas também de terem ensinado técnicas de sevícias e de terem levado máquinas de choque que os chilenos ainda não dispunham àquela altura.” Fonte: CNV

Pois bem: O José Serra foi preso, e enviado para o Estádio Nacional do Chile, de lá foi retirado, levado para o aeroporto, de onde embarcou para os EUA, onde recebeu asilo. Muito estranho, não? Outros brasileiros foram torturados, e mortos pelos militares brasileiros, e CIA – Menos o José Serra! Mas antes, teve o retorno clandestino dele para o Brasil, para uma reunião de membros da AP, que viviam na clandestinidade. No Brasil, o José Serra não foi ao encontro marcado (ele alegou ter um pressentimento de que não deveria ir), e curiosamente todos foram presos. Menos ele, que voltou para o Chile ileso. Está explicada a dívida do Serra para com a CIA, digo, EUA?

Trunfim

- 2015-04-06 16:34:16

JUSTIÇA BRASILEIRA

Há muitos anos li texto que informava que José Bonifácio de Andrade e Silva já estava preocupado com a destruição que o machado fazia no meio ambiente.

A destruição do mundo é uma realidade e é independente da tal mudança climática, que só vem piorar.

No entanto, os que são contra essa idéia de que realmente esteja ocorrendo mudança climática se apegam somente neste ítem e não mudam de assunto, cilam cientistas, dão muitos exemplos, mas nada falam sobre a destruição do planeta.

O mesmo ocorre com as investigações da Polícia Federal que nos governos de coligação Lula e Dilma são inúmeras e inúmeros os indiciados.

A comparação com os Governos anteriores (não só os de FHC) é que simplesmente as denúncias "num viravam nada" (como diz o povão). Agora está circulando pela internet entrevista da Revista Isto é com o empreiteiro  MURILO MENDES, no ano de 1.996, no qual ele fala da imensa corrupção/ladroeira.  E daí? . daí nada.

E PORQUE SOMENTE PT?. Há uma coligação no poder.

E o site 'CLUBE DOS MILITARES" também publicou artigo de Mauro Santayana sobre o petróleo, seu valor, a grande luta.

Ozzy

- 2015-04-05 23:36:14

Zzzzz

A velha neurose da esquerda de achar que os gringos querem entrar aqui pra roubar o nosso petróleo.

Gringo não rouba petróleo, gringo compra. Sai mais barato. 

Relaxem.

Moacir

- 2015-04-05 19:00:25

Respondendo atrasado em post antigo

Amigos raivosos:

Sugiro a leitura dos seguintes links sobre Libra:

http://www.horadopovo.com.br/2013/09Set/3190-27-09-2013/P2/pag2a.htm

http://www.horadopovo.com.br/2013/10Out/3193-09-10-2013/P3/pag3b.htm

Quanto aos demais partidos roubarem antes ou depois, se isso serve de justificativa moral para o PT, que assim seja. A mim, não serve de modo algum.

Edson Victor

- 2015-04-05 18:45:17

Pô colega, vá ser mal informado assim lá nas profundezas de Libr

Ou será que deu "deu tilt" na sua CPU?

Libra é um exemplo (extremo) de aplicação da lei de partilha!

Ninguém mudou ou destruiu nada!

Se vc quiser entender alguma coisa, fique à vontade para perguntar.

Mas... pelamordedio! ...

lenita

- 2015-04-05 16:14:01

Moacir

Será que vc está se esquecendo de nada não ? Onde ficam o PMDB e o PP (o partido do Tancredo Neves) na história ? Ou eles foram obrigados pelo PT a roubar ? Ou não é o governo do PT que está deixando a sujeira toda aparecer ? Sujeira esta de séculos e séculos. Talvez vc quisesse que tudo continuasse como sempre foi ?

PS: Eu não sabia que o Serra havia ganho a presidência alguma vez. Mas que ele sempre quis vender a empresa aos americanos, até minhas cachorrinhas sabem. Mesmo antes do pré-sal. O dinheirinho que a filha gênio está ganhando não está sendo suficiente. Sua dívida c/ os Estados Unidos precisa ser paga, e pelo jeito é mt grande.

Edivaldo Dias Oliveira

- 2015-04-05 15:33:06

É pré sal, estúpido!

É o Pré Sal, estúpido.

Se Dilma alterar o sistema de partilha do Pré Sal e a exclusividade da Petrobras na gerencia do processo, ela ganha o “bônus governabilidade” pelos próximos dois anos; em menos de 30 dias todo o discurso anti corrupção e de ódio ao seu governo e seu partido terá fim, como num passe de mágica. No entanto o Brasil mais profundo e seu povo mais carente perde o bonde da história, entrega ao bandido seu único bilhete premiado. Vale a pena? Claro, que não.

 

No Brasil, qualquer análise de conjuntura que não leve em conta as implicações do Pré Sal e seu sistema de partilha, carece de fundamento.

O sistema de partilha, colocando a Petrobras a frente de todas áreas, como detentora de todo petróleo descoberto pelas licitantes e remunerando essas pelo petróleo descoberto e não como era antes, em que a licitantes ficavam com o petróleo, dando a eles o destino que quisessem, criou um paradigma que vai mudar de forma radical e para sempre, a história do Brasil e do seu povo, incorporando novos atores em seu seio, atores que até então não passavam de meros figurantes, quando muito opacos coadjuvantes nesse grande teatro, nesse grande concerto chamado Brasil.

Isso se dá pela forma como será destinado os recursos do petróleo, priorizando a educação do povo, bem como a aquisição de equipamentos destinados a exploração, dando-se preferência a produtos aqui fabricados ou que para cá transfiram tecnologia. É aporte de capital suficiente para incomodar essa elite formada por um por cento da população, e que, no entanto, é quem de fato detém o poder nesse país e não querem dividi-lo com mais um ou dois por cento.

Daí esse processo de açular as classes imediatamente mais baixas contra o governo, com o falso discurso contra a corrupção.

O que querem na verdade é deter o avanço da redução da desigualdade de qualquer forma. Essa elite vê no Pré Sal e em sua forma de partilha uma poderosa ferramenta de alavancagem social, que pode comprometer seriamente a sua permanência no topo da pirâmide, seja qual for o governo de plantão. Portanto, é preciso mudar de forma radical o gerenciamento do sistema para que a elite de sempre continue a ser sevada.

A ausência das grandes petroleiras americanas, Exxon, Mobil e Chevron e  britânicas, BP e BG http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/09/19/leilao-do-pre-sal-atrai-11-empresas-4-gigantes-ficam-de-fora-veja-lista.htm   não terem participado do leilão, é bastante sintomático, é como se oferecer as melhores galinhas do galinheiro a raposa e ela declinar. É uma medida que aponta para a existência de outra estratégia para a tomada de todo o galinheiro, como o que se quer agora com essas manifestações seletivas, contra a corrupção , apenas no Governo Federal.

Tais movimentos precisam ampliar sua luta contra a corrupção, alvejando os casos dos governos tucanos, se quiserem realmente ganhar legitimidade. Por enquanto o que se viu foi a Rede Globo puxando o povo prá rua através de uma cobertura nunca antes vista na história deste país e o governo sem tomar qualquer atitude contra isso. Daqui a pouco democracia e república serão tomadas como sinônimo de frouxidão, tal é a atitude da presidenta Dilma diante de ações claramente de sedição. Tá passando da hora de agir com mais energia

 

“É a economia, estúpido”: foi o que disse o marketeiro do então candidato a reeleição dos Estados Unidos Bill Clinton, quando seus estrategistas procuravam um mote para a segunda vitória do candidato, que acabou por vencer. A frase correu mundo e foi aplicada com algumas variantes em diversas situações.

 

 

 

 

maria rodrigues

- 2015-04-05 13:34:20

O mais emblemático nessa luta

O mais emblemático nessa luta de oposição e situação com a Petrobrás no meio, é vermos que instala-se uma CPI para investigar o assunto com convocados e convidados com formação técnica, ou sonhecimento profundo das ações da Empresa para discutirem com um bando de parlamentares que, no mínimo, levam perguntas feitas por outros. No embate, por exemplo, Gabrielli descreve o funcionamento desse ou daquele ponto questionado, ressaltando as condições técnicas. Aos políticos, como o gaúcho Lorenzoni, não resta nunca outra coisa senão ofender o interrogado, quando, enfim, mostra total incompetência para tal discussão. Por essas e outra sempre fico radiante quando esse convidados e convocados para uma CPI decidem não abrir a boca. Se, na verdade, sabem que estão ali pra serem ofendidos e até humilhados, pois então que deixem os políticos berrarem e mostrarem que não teem linha, ética para o cargo que ocupam.

marco aurélio barroso

- 2015-04-05 13:01:28

Jânio,

Para contribuir com pequeníssima ilustração, indico imediatmente:

O DRAMA DA DESCOBERTA DO PETRÓLEO BRASILEIRO de Edson de Carvalho.

Com essa leitura, o leitor, não só se capacita para saber, verdadeiramente,  quem foi o famigerado Odilon Braga - o político que entrou pra História como único ministro que se recusou  a assinar a Constituiçlão de 37 - mas também começa a saber, nessa batalha toda, o que houve  e não o que se ouve...  

Moacir

- 2015-04-05 12:19:23

A Serra o que é de Serra. E a Dilma o que é de Dilma

Que o Serra é inimigo da Petrobrás todos nós já sabemos.

Mas o fato é que não foi no Governo Serra que a Petrobrás perdeu o controle total que a lei lhe garantia sobre o poço de Libra, mas foi no de Dilma, que contrariou a Lei da Partilha e obrigou a Petrobrás a entrar na disputa para comprar uma parte daquilo que já deveria ser seu legalmente, tudo para arrecadar dinheiro para os juros. 

Então, quem pretende defender a Petrobrás não pode fechar os olhos para a realidade: o que se construiu de barreiras de proteção no Governo Lula foi destruído por Dilma, que na prática retomou o modelo de concessão dos tucanos, um crime. E quem permitiu que Serra saísse do túmulo para assombrar a Petrobrás foi o PT, ao perpetrar o assalto com as duas mãos no patrimônio da empresa, enfraquecendo-a. 

Logo, não vamos nos iludir: Serra, nem de longe, é hoje o maior perigo que a Petrovbrás corre. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador