Martin Schulz, Lula e os riscos à democracia brasileira, por Luis Nassif

Uma demonstração do prestígio de Lula no mundo foi dada pela visita a ele, na cela da Polícia Federal de Curitiba, de Martin Schulz, da social-democracia alemã, ex-presidente do Parlamento Europeu.

Um primeiro fato chamou a atenção de Schulz. Um prisioneiro, em Curitiba, julgado pela Justiça brasileira e permanentemente exposto no tribunal da mídia, recebe mais visitas internacionais do que um presidente da República, alvo de várias suspeitas de corrupção, encarapitado no Palácio do Planalto.

Nas conversas no Brasil, Schulz enfatizou a grandiosidade de Lula e a surpresa com a decadência inédita não apenas da democracia brasileira, mas de outros emergentes relevantes, como a Índia, África do Sul, Turquia, Indonésia.

Dez anos atrás, dizia ele, o Brasil assumiu uma dimensão diplomática inédita, no G20, nos BRICs. E o feito do país, de reverter a desigualdade social, era festejado na Europa, assim como o reconhecimento geral ao trabalho de Lula. Agora, as principais lideranças europeias se perguntam o que acontecerá com a democracia, no Brasil e na América Latina, com a eleição de Bolsonaro.

Schulz considera o caso Lula simbólico, emblemático, mas sugere que o PT reaja em termos globais, buscando parcerias políticas nos Estados Unidos, Europa. Em todo o mundo trava-se uma luta entre a democracia e a barbarie e o Brasil é um país chave dessa disputa. Caindo a democracia brasileira, a América Latina irá atrás.

Schulz é um defensor da globalização, que considera inevitável, assim como dos tratados de cooperação e de uma justiça internacional que se sobreponha às dos países nacionais. Considera um risco global a expansão das organizações criminosas. E acha justo que os Estados Unidos assumam o julgamento de crimes internacionais porque a prioridade é sempre do país que tem a legislação penal mais restritiva.

Ele estranhou o pouco destaque dado internamente à decisão da Comissão de Direitos Humanos da ONU. Na Europa, a notícia repercutiu. Por aqui, foi ignorada. Ele não tem dúvidas de que a decisão é determinativa para todos os países que assinaram o acordo de direitos humanos.

É nessa condição que considera uma tragédia, para o mundo global, o que está acontecendo com a democracia brasileira e com Lula. E não apenas por aqui. Crítico de Berlusconi, admitiu a interlocutores brasileiros que ele respeitava as instituições. Ao contrário de Donald Trump, que quer se colocar acima dos poderes.

 

13 comentários

  1. A reação em termos globais tem que ser da população

    Quem tem que reagir são os brasileiros. Se esperarmos a lama chegar à altura da bunda para tirarmos-a da cadeira…

    • Evidente que a mídia não divulgou.

      Assim como não divulga quaisquer notícias que favoreçam Lula!  Mas estamos aqui firmes e fortes para divulgar!  Ontem, através do whatsapp, meus contatos souberam da importante visjta a Lula. Trabalho de formiguinhas é necessário!

  2. Não apenas Bolsonaro. Alkimin

    Não apenas Bolsonaro. Alkimin e até Marina são igualmente um risco. Repito, não voto “útil” para derrotar o capitão. Voto que aceita uma eleição sem um pingo de legitimidade não é útil para nada, a não ser ajudar a validar um estado de exceção.

    Se o candidato do maior partido de oposição, vá lá que seja o Haddad, não puder participar em igualdade de condições, o governo que vier a ser eleito não terá legitimidade. Em igualdade de condições significa deixar o maior líder petista participar da campanha, como manda a ONu, mesmo que não sendo candidato.

    Eliminar Lula, a la Stalin, como se não existisse, não só é impossível, como coloca as instituições à margem da lei, sendo o judiciário um tribunal de exceção e a PF sua milicia armada.

    Eles estão apostando no impasse e continuando assim haverá dois paises com realidades totalmente opostas. Uma coisa é uma ditadura militar jogar pequenas organizações de idealistas sem apoio popular na clandestinidade. Outra é banir do jogo político um partido com 30% de preferência popular. Com seu líder disparado como favorito, sendo reconhecido e prestigiado por todo o mundo civilizado.

    Só pode dar merda né Nassif? Todos sabemos.   

  3. BRASIL, A VERGONHA

    BRASIL, A VERGONHA MUNDIAL!

     

    TRISTE A SITUAÇÃO DO BRASIL  UMA NAÇÃO COM DIMENSÕES CONTINENTAIS. PERDEMOS EM 2 ANOS DE GOLPE NOSSA SOBERANIA E AOS BRASILEIROS RESTARÃO O RETORNO A MENDIGANCIA SOCIAL. SOU ASSISTENTE SOCIAL, VIVENCIO DE PERTO AS MAZELAS SOCIAIS, COM APROFUNDAMENTO DA RETIRADA DE DIREITOS. OS CANDIDATOS QUE AI ESTÃO LEVARÃO O PAIS AO ABISMO SOCIAL COM A IMPLANTAÇÃO MAIS ALGOZ DO LIBERALISMO ECONÔMICO.

     

     

    TA DIFICIL!

  4. Nassif, sobre o tema deste

    Nassif, sobre o tema deste seu post recomendo a leitura do artigo de Monica de Bolle na Época de hoje (parece q no Globo também). Ela joga a toalha e reconhece que o impeachment agravou a crise institucional (ainda não teve coragem de dizer com todas as letras q foi um erro).

  5.  
    Agora o trágico do país é

     

    Agora o trágico do país é que a esquerda, leia-se PT, tem a ilusão de que voltará ao poder pelo voto. NÃO VOLTARÁ. E mesmo que Haddad-Manuela ganhem a eleição, o congresso no segundo dia ( o primeiro é feriado rs ) vai entrar pra rachar e impedir qualquer ação pra fazer com que o país mude de rota. E que o PT não fique esperto que eu não dúvido que, com o apoio inestimável do STF, achem um pelo em ovo e proibiam o PT de lançar sua chapa. Desde a prisão de Lula ( que eu achei, ingênuo, que não aconteceria, pelo risco de poder incendiar o país ) não dúvido de mais absolutamente nada. 

    Só haveria chance do jogo mudar de lado se Lula fosse um líder que fosse pro confronto e não pela conciliação. Porque se Lula chamasse uns 10 por cento dos que querem votar nele irem pras ruas, em movimentos de parar cidades, aí talvez o outro lado, os golpista, permitiriam que ele disputasse as eleições. Mas infelizmente Lula me lembra o personagem Joseph K que não desiste de procurar justiça pra mudar uma sentença que desde o primeiro dia já foi dada. 

  6. Grande repercussão na imprensa alemã

    A visita de Martin Schulz a Lula foi noticia nos mais renomados jornais alemães, como o „Süddeutsche Zeitung“,(SZ), o „Frankfurter Allgemein Zeitung“, (FAZ) ,  „die Zeit“, „Die Welt“. É uma vergonha a mídia brasileira se calar, omitir  e boicotar tudo de positivo que se refere a Lula. Será que não seria possível fazer um pool de jornalistas progressistas em um  canal  no you tube para divulgar  tudo sobre Lula e todas as arbitrarierdades ?

    SZ:
    https://www.sueddeutsche.de/politik/ehemaliger-spd-chef-in-brasilien-schulz-besucht-ex-praesident-lula-im-gefaengnis-1.4111681

    FAZ
    http://www.faz.net/aktuell/politik/ausland/brasilien-martin-schulz-besucht-lula-im-gefaengnis-15764292.html Die Zeit
    https://www.zeit.de/politik/ausland/2018-08/brasilien-martin-schulz-besucht-luiz-inacio-lula-da-silva-im-gefaengnis

     

  7. Nassif os mesmos q fizeram e
    Nassif os mesmos q fizeram e fazem as guerras no mundo(banqueiros) são os q estão fomentando o caos aqui e limitando o crédito/dinheiro,lembrando qno Bolsonaro foi lá nos EUA pedir a benção dos donos do mundo, depois disso ele abandonou a taxação do setor financeiro e guinou para a privatização braba,tá no bolso do setor financeiro e “guerreira”se não me engano ele foi fazer uma palestra em Boston e depois falou com um “bambambam”dos senhores do mundo(banqueiros internacionais) e acertou os últimos detalhes!
    Obs: Ninguém melhor q os Alemães para saber do perigo do Fascismo,essa nossa imprensa fomenta isso,é tão baixa,desqualificada,fraca e nos faz passar tanta vergonha,isso nunca foi jornalismo e sim “Fakelianismo”só para maquiar/modificar a realidade do brasileiro!
    Obs2:BRASILEIROS!DESPROGRAMEN-SE DESTA FALSA REALIDADE IMPOSTA PELO PIG A VCS,DESPERTEM,ACORDEM!

  8. https://osamigosdopresidentel

    https://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2018/08/new-york-times-publica-novo-artigo-em.html

    Artigo publicado no New York Times de 21 de agosto por Jorge Castañeda, ex-Ministro das Relações Exteriores do Mexico,

    conservador, diz ser um atentado à democracia o impedimento da candidatura Lula nas eleições presidenciais brasileiras e

    considera uma operação politica o processo contra Lula por uma causa discutivel e insignificante.

    A midia brasileira NÃO está registrando que a cruzada moralista brasileira está sendo desmoralizada como golpe politico na imprensa liberal dos paises centrais, a cada dia aparecem novos artigos e opiniões desvendando o jogo politico brasileiro.

  9. O Brasil acabou!

    Os alemães se preocupam com o Brasil ao contrário da elite brasileira e de seus lacaios no judiciário e no exército que querem que o país e principalmente o povo se fodam!!!

  10. Alegar regressão no que se

    Alegar regressão no que se refere a imagem do país no exterior não é cabível. Nunca em tempo algum ela foi tão ruim. Só faltava o descumprimento de acordos, mas agora, com o desconhecimento da resolução do Comite de Direitos Humanos da ONU, preenchemos todos os pré-requesitos para nos tornarmos pária no cenário internacional. 

    Não temos nem Políticas nem Diretrizes e conseguimos o feito de conjugar um Chefe de Estado medíocre, desgastado e desmoraliizado com um chanceler jejuno na área e ainda por cima trapalhão. 

    Um dos maiores desafios do próximo governo será restaurar, não o protagonismo como foi na era Lula, mas pelo menos um mínimo de respeito para o país no campo das relações internacionais. 

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome