Matadouros, call centers, escritórios modernos e outros, o problema não é o distanciamento físico!, por Rogério Maestri

Importante lembrar a todos que em locais refrigerados através de sistemas fechados, como shoppings, escritórios, bancos e centros de “call center”, também ocorre o mesmo problema

Matadouros, call centers, escritórios modernos e outros, o problema não é o distanciamento físico!

por Rogério Maestri

Os matadouros em todo o mundo nos USA e inclusive na Alemanha são focos de COVID-19 que geram milhares de mortes, porém tanto a fiscalização e as empresas estão se fazendo de bestas dizendo que tem o distanciamento social mínimo, porém não é nada disso que faz estas unidades fabris terem sérios problemas. Também em call centers e outros locais com refrigeração em circuito fechado

Qualquer pessoa que tenha um carro com ar condicionado pode entender o problema, nos automóveis geralmente há um comutador que faz a grande parte do ar vir de fora ou faz recircular o ar já refrigerado.

Alguém que utiliza inteligentemente esse equipamento sabe que na posição de recirculação o rendimento do ar condicionado é muito melhor, porém assim como os famosos ar condicionados tipo Split que se colocam nas casas não há uma troca de ar com a recirculação, logo há uma saturação de ar viciado no ambiente.

No caso dos matadouros é o mesmo, as zonas de desossa e mais outras são resfriadas, porém para economizar energia esse resfriamento é feito em circuito fechado, tendo que ter um mínimo de introdução de ar novo no sistema, porém esse mínimo corresponde a concentração de dióxido de carbono, logo como o organismo aguenta quedas na concentração de CO2 razoáveis, as normas de ingresso de ar novo não são tão rigorosas.

Leia também:  As múltiplas incertezas da volta às aulas

Para que um matadouro ou qualquer ambiente refrigerado em circuito fechado funcionar sem problemas de infestação de seus trabalhadores seria necessária uma das duas coisas, ou inflar muito mais ar externo e por consequência redimensionar todo o sistema de refrigeração ou simplesmente filtrar o ar com filtros que retirem os patógenos. Tanto uma como a outra solução é extremamente cara, que se a unidade fosse redimensionada para em tempo de qualquer epidemia respiratória se utilizasse uma das duas soluções o custo de implantação não seria muito exagerado, pois somente em situações de epidemia, por exemplo no inverno onde há epidemias de gripe, se utilizasse essa reserva de potência ou uma filtração mais apurada.

Importante lembrar a todos que em locais refrigerados através de sistemas fechados, como shoppings, escritórios, bancos e centros de “call center”, também ocorre o mesmo problema, logo quem está feliz no seu escritório refrigerado, reze para que não tenha nenhum infectado, pois a recirculação permite que se atinja altas concentrações de vírus.

Os infectologistas e médicos nem se dão conta disso, porque não raciocinam em termos de saturação de ambientes, mas sim de separação física das pessoas, uma grande besteira para esses casos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. ‘O pecado mora nos detalhes’. O abismo fica evidente. Taí uma reportagem honesta. Ideologicamente, não tendenciosa. São nos detalhes que o Brasil patina e preserva 90 anos de Estado Ditatorial. Mas então perguntamos: Por que o ataque direto às Empresas Nacionais, Líderes Mundiais na Produção de Carnes? Por que somente o ataque direto ao Setor onde o Brasil é líder e vanguarda, onde a concorrência não chega perto? Alimentos é só a Base da Pirâmide Comercial? E quem fica sem Comida e sem a Água que tanto é necessária para produzí-los? AntiCapitalismo de Estado ou somente coincidência? Afinal estamos na Pátria das Coincidências?!!! Chegou lá, Maestri. Parabéns !! Pobre país rico. Por que o tornamos assim. Mas de muito fácil explicação.

    4
    3
    • Já respondi em outro lugar. O problema doa matadouros não é somente em empresas brasileiras. O maior matadouro na Alemanha foi responsável por em torno de 1500 infectados e não é JBS ou qualquer empresa brasileira.
      Pare com essas besteiras que ignoram a realidade.

      • A sua verdadeira resposta foi nesta matéria. A Alemanha citar um Matadouro num Segmento onde ela é insignificante é “boi de piranha’, para ficar no assunto. Nestes milhares de exemplos da sua Matéria poderiam ter acusado tal problema dentro de suas Fábricas Automobilísticas ou Laboratórios ou qualquer outro Setor Industrial fora do AgroNegócio. Até porque nos Países do Hemisfério Norte, o controle térmico através de ambientes refrigerados é uma realidade durante todo o ano. Para que citar um Matadouro neste Universo gigantesco? O pecado mora nos detalhes. E a Era da Inocência já terminou. Esta matéria qui, sim, é uma resposta convincente e realista. abs.

  2. Meu caro,
    E o que dizer do circuito fechado do ar condicionado e pressurizado de um avião de passageiros?
    Segundo pesquisa com epidemiologistas e outros profissionais da saúde no NYT, viajar de avião só a partir de 2021…
    Procede?

    • No caso dos aviões estão modificando a refrigeração, colocando uma taxa de entrada de ar externo altíssima, exatamente para evitar isso.

  3. Os infectologistas sabem disso sim, tanto que na cidade onde moro, de clima quente e seco, as cadeiras foram colocadas no pátio do ambulatório, para que os pacientes, geralmente idosos, aguardassem ao ar livre

    • Não são somente ambulatórios onde teoricamente a presença do virus deve ser mais intensa, falo mais de outros ambientes, como por exemplo, escritórios modernos que são totalmente isolados através de janelas contínuas e hermeticamente fechadas e refrigeradas por circuito fechado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome