O célere caminhar da Lava Jato para um fim inglório, por Luis Felipe Miguel

A Lava Jato apostou, então, que a perseguição - que culminou na absurda prisão, que se prolonga há quase ano e meio - produziria um Lula abatido. Um Lula alquebrado.

O célere caminhar da Lava Jato para um fim inglório

por Luis Felipe Miguel

A Lava Jato se encaminha para um fim inglório. Cai por seus muitos erros, em particular porque seus protagonistas agiram com uma soberba absolutamente imprópria para quem participava de uma conspiração criminosa de enormes dimensões.

Outro erro da Lava Jato mostra ter grandes consequências: eles subestimaram a estatura moral de Lula.

Lula surgiu das entranhas do sindicalismo oficial e converteu-se no maior líder operário de nossa história. Mostrou coragem e tirocínio político ao comandar as greves que puseram em xeque a ditadura. Esteve à frente do projeto de um partido de esquerda de novo tipo, tornou-se a voz maior das oposições e delineou um caminho próprio para alcançar e exercer o poder, que a literatura acadêmica hoje alcunha de “lulismo”.

O lulismo foi uma estratégia de transformação social muito moderada, a fim de evitar atrito com os grupos dominantes. Para seus muitos críticos, entre os quais sempre me incluí, Lula se acomodou bem demais à posição de gestor do nosso capitalismo subalterno. Tornou-se amigo de empreiteiros, de financistas e de oligarcas. Tornou-se um mestre da nossa política tradicional, corrompida e excludente. Levava adiante o combate à pobreza extrema e apontava para um horizonte de nacionalismo econômico, mas evitava ciosamente dar qualquer outro passo que melindrasse seus novos parceiros.

A fúria com que as nossas velhas elites se voltaram contra ele e contra seu partido claramente o pegou de surpresa. Mesmo depois do golpe, mesmo depois da prisão, Lula não deixou de expressar sua mágoa com aqueles que romperam unilateralmente um pacto que lhes era muito favorável e que o próprio Lula cumpriu com tanto zelo.

A Lava Jato apostou, então, que a perseguição – que culminou na absurda prisão, que se prolonga há quase ano e meio – produziria um Lula abatido. Um Lula alquebrado.

Um Lula incapaz de aceitar a mudança na sua vida – dos jantares de Estado e dos agrados dos poderosos ao banco dos réus e à pequena cela em Curitiba – e, portanto, disposto a aceitar todas as humilhações.

Em suma: se a campanha contra Lula não fora capaz de destruí-lo, ele, quebrado pela perseguição sofrida, destruiria a si mesmo.

Em vez disso, encontraram um gigante. Um homem com um sentido de honradez pessoal e uma consciência de seu papel histórico como poucas vezes se viu.

Quando Lula fala – e ele tem falado muito, desde que a censura a ele foi levantada – é possível discordar de muita coisa: de seu diagnóstico do passado recente, de sua avaliação da conjuntura, da estratégia que ele propõe para o campo popular.

Mas é impossível não admirar a dignidade e o sentido de sacrifício com que ele enfrenta a adversidade.

Como esperar que a Lava Jato se contraponha a isso? Moro e Dallagnol são nomes próprios que, no português brasileiro, estão se tornando quase sinônimos de abjeção. Carentes de uma régua moral que lhes permita medir alguém como Lula, enredam-se em seus próprios truques e, a cada dia que passa, se resumem, mais e mais, a meros sintomas da degradação do Brasil.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

9 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rui Ribeiro

- 2019-10-02 08:01:16

Se a montanha lavajatoeira não parir um rato, é porque ela abortou.

Rui Ribeiro

- 2019-10-02 07:42:02

Não se combate um crime praticando outro(s) crime(s), não se combate a corrupção sem o devido respeito ao contraditório e à ampla defesa. Two wrongs do not make a right. Em sendo assim, os réus delatados que continuarem prejudicados por não terem apresentado suas alegações finais após os réus delatores, não poderão exercer em sua plenitude o direito ao contraditório e a ampla defesa, o que desrespeitará o devido processo legal, contribuindo para elevar o desrespeito à ordem jurídica do Brasil. Mas o Brasil não é conhecido por seus juristas, mas por suas 'dançarinas'.

jossimar

- 2019-10-02 06:30:08

O Brasil é m país de vagabundos. Por este motivo o Lula está preso e o moro, dellagnol, temer, fhc, aécio, etc etc etc estão soltos. O que eu não imaginava até pouco tempo atrás é que o judiciário, mpf e forças armadas aram instituições formadas por uns 90% de vagabundos. Não há chance para o Brasil se estes vagabundos não forem afastados do poder.

Jorge Neto

- 2019-10-01 21:33:05

LI, não me recordo onde, que os criminosos da quadrilha de curitiba tinham certeza que no primeiro mês de prisão, o melhor Presidente que o Brasil já teve, LULA, estaria hospitalizado por crise de abstinência. Quem terá crise de abstinência serão esses criminosos da quadrilha de curitiba, quando o ocaso vier e não terem outra opção, e se entregarem ao álcool e as drogas. Sem falar no olhar acusador dos filhos, se estes não os abandonarem.

Stella

- 2019-10-01 19:19:25

Imagino que o ilustre Professor Luis Felipe Miguel, se estivesse no lugar do Lula no período em que ele foi Presidente, nos dois mandatos, certamente teria feito TUDO certo e teria com certeza desafiado os mega poderosos mafiosos e totalmente desumanos deste País, não é? E certamente o deixariam governar por quantos meses (?) mesmo? E tendo a "bola de cristal" como ferramenta para usar em conjunto com a "visão extraordinária e reconhecida mundialmente" que Lula possui, e que talvez pudesse como seu "crítico" auxiliá-lo neste governo tão absolutamente magnífico do honrado Professor, nenhum "golpe" seria sido gestado. Talvez a aprovação dos seus dois mandatos como Presidente tivesse sido de quanto? 100%, sim claro. Maior que a de Lula e também quem sabe não teríamos de ler e ouvir até das pessoas que tanto respeitamos MAIS críticas sobre coisas que NINGUÉM no mundo teria feito melhor e que ninguém FEZ. Caramba, tá osso, viu? Agora vamos esquecer de TUDO o que fizeram de maldade com este homem e sua família e vamos "discordar de muita coisa: de seu diagnóstico do passado recente, de sua avaliação da conjuntura, da estratégia que ele propõe para o campo popular." Sim, é disso mesmo que nós petistas, lulistas com orgulho de carregar esta bandeira estamos precisando para continuar com força e esperança neste hospício chamado Brasil. Incrível. Tá realmente osso.

Zé Sérgio

- 2019-10-01 17:27:43

Tudo junto e misturado. Hoje em GGN : ' Como Serra e Aécio escaparam da Lava Jato,'...' E se for jogo de cena? '...Lava Jato para um fim inglório.. Na Terra da Coincidência e da Inocência, é capaz que Alguns acreditem que o objetivo já não tenha sido alcançado. Uma vez Aloprados,...Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

Cristóvão Orlândi

- 2019-10-01 16:38:39

Lula é grande! Lula é grande não porque possui porte físico avantajado ou porque pertence a uma classe nobre, Lula é grande sempre quis ajudar os mais necessitados e dar oportunidade para todos. A lava-jato é tão pequena que descobrimos que seu super-herói é uma verdadeira farsa! A lava-jato causou um prejuízo imensurável para a nação brasileira, porém, boa parte dos brasileiros não reconhecem isso. A lava-jato é tão pequena, que ela mesma jamais vai repor ou corrigir o atraso que causou ao povo brasileiro. O problema é que a política ruim se estabeleceu junto ao judiciário brasileiro e parece que eles estão gostando deste jugo sujo, porém, judiciário tem que saber de uma linguagem popular que diz o seguinte: "não há mal que perdure e nem dor que não se cure", ou melhor um provérbio para judiciário brasileiro: "Não há mal que sempre dure, nem bem que não se acabe". LULA LIVRE!!!

jose adailton

- 2019-10-01 15:53:03

O tema do post tem um roteiro claro que é o de mostrar mais uma fotografia do processo político e jurídico que envolveu o país no período desde a posse de Lula. Uma personagem da foto que supostamente foi editada nesta galeria, é uma analogia ao apagão da imagem do Trótsky. No caso em questão o que está sendo “apagado” é a figura sinistra da corrupção.Aparentemente ela nunca existiu e muito muito menos foi um dos protagonistas da conturbada operação policial “revolucionária”

Luiz Alberto Antônio da Silva

- 2019-10-01 14:53:44

Agora eles sabem quem é Lula.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador