O porrete da filha do general. Golpe limpinho e cheiroso já era, por Armando Coelho Neto

O STF finalmente resolveu fazer cosquinha no sovaco da fraude eleitoral/2018. Mamadeira de piroca é fichinha. Grana de origem duvidosa é o mínimo.

O porrete da filha do general. Golpe limpinho e cheiroso já era

por Armando Rodrigues Coelho Neto

Qual a avaliação possível sobre esse momento da Polícia Federal, em que, ao mesmo tempo em que cria embaraços para o “presidente” da República, serve de braço para atacar inimigos dele?

Por ter vivido mais de três décadas dentro da PF, o repórter supôs que esse ex-servidor público pudesse fazer uma análise sensata sobre mais uma pirotecnia policialesca dos tempos atuais. Aliás, não apenas policialesca, mas também judicialesca, ministerialesca, etc e tal.

Não dá para avaliar com clareza o atual momento, respondi. Continuo preso à ideia de que o país viveu um golpe de Estado e que as eleições presidenciais foram uma fraude. Portanto, o golpe ainda está em curso e desse modo é impossível fazer uma análise lógica do momento atual.

Em 18/05/2020, com base em informações de um site argentino (ámbito.com), registrei neste GGN parte da construção da candidatura Bozo. Os militares querem acabar com a esquerda. Pensam que esquerda é sigla. Esquerda é uma reflexão civilizada sobre as injustiças sociais. Não acaba, ressurge, viceja.

Por acharem que esquerda é uma sigla, vivem da ilusão de que podem acabar com ela. Como disse Lula, antes de ser sequestrado pelo golpe, eles podem matar algumas flores, mas jamais deterão a Primavera. Entendam a palavra primavera como a expressão mais elevada do humanismo.

Pois bem. Os militares estavam enfiados até o pescoço com o golpe. Supervisionaram a prisão e a soltura de Lula. Administraram a revolta, permitindo um acampamento catárquico em frente da PF. Em conluio com o STF, aqui ali soltavam uma notinha dizendo que iam julgar algo só para arrefecer os ânimos.

Um general bocudo chegou até a fazer previsões catastróficas sobre saída do Lula e o julgamento da prisão em segunda instância. Eles vivem de terror, da cultura do medo – no melhor estilo Steve Bannon. O presidente do STF tem como assessor um general de extrema direita, raivoso, com um pé no fascismo.

Para nossos covardes militares (respeitadas as exceções), os segredos presidenciais do Bozo são mais importantes do que os da então Presidenta Dilma Rousseff. Silenciaram sobre os vazamentos do Moro – o herói Zé Roela fabricado pelas famílias Marinho, Frias, Sirotsky, Abranavel, Saad et caterva.

Para os milicos, o celular do Bozo é mais importante que conversas particulares da Presidenta Dilma. Todo dia negam o golpe, até golpe no golpe. Bozo diz que só se dá golpe para chegar ao poder. Se ele já é poder, golpe para quê? Resposta: para governar sozinho sem Congresso Nacional, sem STF, ora pois!

A PF teve cinco minutos de republicanismo no governo PT. Sempre foi pau mandado e, hoje, nada republicana, atende interesses do Bozo. Só foi independente contra Lula e Dilma. Ou seja, a PF tem lado, mas brinca de limpinha e cheirosa, com suas Macabéas iluminadas.

Quando Alexandre Morais era ministro da Justiça, ele passeava com o diretor-geral da PF, anunciando que iria ter operação disso daquilo. Era “normal” e é disso que Bozo se ressente. Não por honestidade de Moro, mas por que Moro era um desagregador de instituições. Os próprios delegados denunciaram.

O STF que os fascistas querem fechar é o mesmo que eles aplaudiam quando praticava truculências contra Dilma Rousseff e Luís Inácio da Silva. Querem liberdade de expressão para pregar a ditadura, onde não há liberdade de expressão. Querem liberdade de ir e vir para expandir contágio, incitar genocídio.

O Ministério Público Federal está caladinho. Elegeu o Bozo mas não pode indicar o títere geral da República. O tal Aras sabe que se não se comportar direito não vai para o STF. Então, cumpre seu papel decorativo com maestria. O Brasil, portanto, não pode contar com seus bons ofícios. Quem fiscalizará o fiscal?

O Brasil está órfão, enquanto os milicos mergulham no fracasso. Querem partir para a porrada, mas a esquerda não aceita provocação. Neste final de semana, a PM paulista carregou no colo a filha de um general que saiu com um porrete para pedir intervenção. Ao invés de ser presa, foi acarinhada pelo policial sabujo.

Exército, PM, PF não sabem o que é República nem Estado. Constituição é discurso de conveniência para enganar trouxas. A Constituição que negam é a mesma que usam para procrastinar investigações, pedir imunidades, fraudar exames, portarias, reciclar AI-5… sobrepor interesse individual sobre o público.

O XVÍDEO liberado pelo STF é afrontoso. Querem acabar com o Banco do Brasil, vender tudo, acabar com o serviço público, prender governador, os vagabundos do STF, passar a boiada, ajudar grandes empresas e as pequenas que se…  E, só notas de desagravo. Até general faz desagravo pró sabujice!

Como analisar com clareza o atual momento? A TV Globo et caterva está debatendo vazamento na operação que chafurda atos de corrupção do governo Witzel (Rio de Janeiro), aquele que comemora com pulinhos a morte de um sequestrador. Mandou a polícia sobrevoar favelas e metralhar pobres, lembram?

Ora pois. Witzel é um Bozo mais letrado, se elegeu na cola do Bozo, igualzinho ao Dória. A diferença entre Bozo, Witzel, Dória e Moro é que Bozo se preocupa mais com a hemorroida dele do que com o Brasil. Está mais preocupado com os filhos do que com os mais de 30 mil mortos pela Covid-19. No mais, tudo igual.

O mais grotesco desse panorama calhorda é a TV Globo preocupada com o vazamento da operação do Bozo contra Witzel. O ex-juiz Sérgio Moro virou herói promovendo vazamentos seletivos, loteando até exclusividades. Protógenes Queirós foi demitido e exilado, Moro virou herói Zé Roela de vazamentos!

Até hoje o STF não decretou a parcialidade do Moro nem a nulidade da Farsa Jato. Bozo, o genocida é fruto dessa tramoia. Preconceituoso, linguagem chula, nada sabendo de economia, saúde, educação, negando instituições. Só queria acabar com tudo que está aí. E está. Eles sabiam, anuíram, apoiaram.

STF e milicos estavam no golpe. A dúvidas é se só Dilma foi espionada, se só o computador da Petrobrás foi surrupiado. Mais gente pode ter sido espionada e pode estar sob chantagem. Alguém já pensou o preço que Moro ia pagar para ser ministro do STF? Entendeu, leitor, como alguém se torna ministro do STF?

Foi assim, ou mais ou menos assim que expliquei ao repórter por que não consigo analisar o aparente papel contraditório da PF, futucando Bozo de um lado e atacando um inimigo político dele. Aí, ele perguntou diante desse quadro, se é possível vislumbrar alguma saída. Claro, que sim!

O STF finalmente resolveu fazer cosquinha no sovaco da fraude eleitoral/2018. Mamadeira de piroca é fichinha. Grana de origem duvidosa é o mínimo. Quantos telefones foram comprados? Quem pagava disparos de WhatsApp? Como a campanha mais cara se tornou a mais barata? Grana do exterior pode?

Sem voto para impeachment, Bozo comprou o centrão. Como tem podre demais na “eleição”, cassa a chapa Bozo-Mourão. Volta à normalidade democrática. Vão dizer que é golpe, a filha do general vai pra rua com seu porrete, recebe o abraço da PM assassina de São Paulo… Aí o golpe assume a sua verdadeira cara.

Armando Rodrigues Coelho Neto – jornalista, delegado aposentado da Polícia Federal, ex-integrante da Interpol em São Paulo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

11 comentários

  1. “Os militares querem acabar com a esquerda. Pensam que esquerda é sigla. Esquerda é uma reflexão civilizada sobre as injustiças sociais. Não acaba, ressurge, viceja.“

    Parabéns, Armando . Como sempre , você faz as exatas traduções .

  2. Resumindo ..o golpe esta em andamento ..BOZO foi um desvio de percurso indigesto ..hj, as mesmas forças golpistas quebram a cabeça pra colocar o plano original nos trilhos.
    Parece que caminhamos, como entre 64-68, pra uma intervenção do tipo “sal da terra”, com direito a expurgo e tudo ..claro, dependendo do que acontecer com a Pandemia e o MUNDO, pois as peças e interesses atuais. distam em muito dos tempos da guerra fria

    • Sua percepção quanto a similaridade entre hoje e o periodo entre 64 e 68 é perfeita.
      Vale lembrar que apos esta janela de tempo desembocamos no tal “triunvirato governamental”, em que o Brasil foi  “governado” por representantes militares das 3 armas (31 de agosto de 1969 até 30 de outubro de 1969.) A diferença é que hoje, além do exercito querer o protagonismo, precisam agregar as milícias, o que cria dificuldades para dividir o butim pois este player é complicado.

  3. O golpe foi sujão e, portanto,fedido.
    Não sei se cai bem essa metáfora: A PQP (não é palavrão, é a sigla da mater do partido dos que querem o poder) invadiu a casa do povo e querem legalizar o ato. A briga agora é interna, em nome de quem vão lavrar a escritura? quem fica na suíte presidencial?
    Enquanto disputam , será que o dono ainda pode reave-la antes da consumação do fato? Ou antes que o golpe limpinho e cheiroso ganhe força em nome do combate a ideia de que a esquerda pode voltar?
    Eis a questão. Penso que por isso ainda não bateram o martelo.
    Armando, admiro os seus artigos. Ousei comentar esse dessa forma.

  4. Dó Come Ananás: As comparações entre esses tempos que correm e a série The Walking Dead foram atualizadas. Neste domingo, na Avenida Paulista, a “filha de general” Cristina Rocha foi ter com manifestantes pró-Democracia empunhando um taco de beisebol. Na série, é um taco de beisebol o que o vilão Negan usa para arrebentar crânios e intimidar adversários. Negan deu até nome para seu taco siamês: Lucille. Na série, os adeptos de Negan respondem assim quando alguém pergunta seu nome: “eu sou Negan”, no melhor estilo “eu sou robô do Bolsonaro”. Na Paulista, Cristina Rocha foi escoltada pela PM até se juntar novamente ao seu grupelho verde-amarelo, apoiando impunemente no ombro seu taco de encher de porrada. Em janeiro de 2018, um jovem foi detido na cidade de Ouro Fino, em Minas Gerais, por porte ilegal de arma branca: uma réplica de Lucille. No mundo do e-commerce, é possível encontrar uma t-shirt de Trump apoiando Lucille no ombro e com os dizeres: “Which one of you democratic pricks is the leader?”. No Mercado Livre, acha-se um taco de beisebol com a inscrição “Bolsonaro-2018”.

  5. Nassif: a continuar essa BastilhaTupiniquim daqui há pouco nem biscoitos terão os do povão. Abaixo as Milícias militares e civís, “para o bem de todos e felicidade geral da Nação” (Pedro I). “Vem, vamos embora, que esperar não é fazer; quem sabe faz a hora, não espera acontecer” (Vandré, quando era socialista). Vem…

  6. O que é melhor para o povo brasileiro ?
    (a) aceitar que Bolsonaro instaure sua ditadura miliciana-militar
    (b) TSE cassar a chapa Bolsonaro e ter novas eleições.
    Penso que, neste momento, não há outras alternativas viáveis na realidade. Mas, no mundo da fantasia, podemos acreditar que um Dom Sebastião virá nos salvar.
    Escolha a sua opção.

  7. A Satiagraha, imaginava eu, fosse a redenção do caso Banestado. Também nunca vou conseguir entender a demissão de Protógenes,
    E ficamos assim, nem Chapolim Colorado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome