Xadrez da volta das vivandeiras dos quarteis

Atualizado às 21:45

Há em andamento uma tentativa de jogar as Forças Armadas na tarefa menor da repressão interna.

Entenda.

Peça 1 – a volta das vivandeiras

Tem-se um quadro completo, com os principais personagens para a montagem desse jogo:

Os black blocs

Um grupo de ultraesquerda infiltrado nas manifestações, promovendo quebra-quebra e sendo tratado com um certo paternalismo por setores da esquerda. No seu primarismo político, os black bloc livram a PM do trabalho sujo de simular quebradeiras.

A PM

Uma PM capaz de bater em adolescentes, mas incapaz de reprimir os black blocs, porque são parte integrante da sua estratégia. Quem assistiu o documentário sobre a batalha de Seattle – as manifestações anti-OMC de 1999 – aprendeu bem as manhas da repressão. Infiltravam agentes para comandar quebra-quebra, visando desmoralizar as manifestações e encontrar álibi para a repressão. É prática corriqueira. Dispondo do apoio dos black blocs, o trabalho fica enormemente facilitado.

A imprensa vivandeira

Completa o quadro uma imprensa vivandeira que faz o jogo da PM e clama pelos quarteis, porque a PM não coíbe a quebradeira. Foi o caso do editorial da Folha (https://is.gd/uhtpu4) entrando no jogo da PM.

Os ataques de baixo nível a Ricardo Lewandowski e a atitude vil de expor o apartamento da mãe de Dilma Rousseff – e ainda taxá-lo falsamente de “apartamento de luxo” – comprovam que nem a vitória ajudará a impor um mínimo de grandeza à velha mídia. Continuarão apostando na guerra de extermínio sem receio do ridículo, como mostra reportagem da Folha acusando a Bolsa Família pela crise das comunidades indígenas (https://is.gd/r6lREB).

O governador Geraldo Alckmin recuou de sua intenção de proibir as manifestações de domingo. Mas é questão de tempo.

Do lado de dentro, espera-se o caldeirão entornar para o grande objetivo traçado pelo governo Temer: devolver às Forças Armadas o papel de repressão interna.

Antes disso, uma pequena explanação sobre a política de defesa na última década.

Peça 2 – a Política Nacional de Defesa

No final dos anos 90, os Estados Unidos se apresentavam como o guarda-chuva do mundo nos campos cibernético, nuclear e espacial. Por sua concepção, as Forças Armadas dos demais países serviam apenas para cuidar de bandido, da repressão e do combate às drogas.

Na última década, no Brasil houve  enorme avanço na Política Nacional de Defesa graças a três gigantes: José Genoíno, Nelson Jobim e Celso Amorim, três grandes brasileiros de formação política distinta, mas que entenderam perfeitamente o papel das Forças Armadas em uma nação moderna.

A concepção de defesa nacional baseou-se no modelo de países desenvolvidos e foi centrada em três tópicos principais:

1.     A energia nuclear, sob responsabilidade da Marinha, com as usinas, o enriquecimento do ciclo do urânio e os submarinos nucleares.

2.     A aeroespacial, por conta da Aeronáutica, com os novos caças e os satélites brasileiros.

3.     A cibernética, sob responsabilidade do Exército, com a responsabilidade de preparar o país para a guerra eletrônica.

Em cima desse tripé foram traçadas as grandes estratégias de defesa:

·       Defesa do pré-sal

·       Defesa da Amazônia

·       Defesa do cone-sul

Essas definições foram relevantes para garantir a governabilidade nessas regiões. Há um princípio internacional de montar forças inernacionais em países que não tenham condições de cuidar de suas áreas. Por isso mesmo, a Amazônia e a Bacia do Prata foram objeto de estudos e acordos. E o Exército sempre recusou aos Estados Unidos treinamento de tropa no centro de treinamento da Amazônia.

Leia também:  ‘Legalidade’ traz história que pedia para ser contada, por Wagner de Alcântara Aragão

Quando se decidiu ampliar a cooperação continental, o Brasil trocou a relação bilateral com os Estados Unidos por uma relação de cooperação.

A definição fixada na Unasul e no Conselho de Defesa Sul-Americano foi de que apenas para fora haveria a dissuasão; para dentro, a arbitragem e a cooperação. Todas as disputas haviam sido superadas pelo conceito de cooperação, definindo operações conjuntas para patrulhar essas áreas sensíveis.

A cooperação regional

Nesse período, o Brasil assumiu o papel de país central, exercendo a função de aconselhamento das nações vizinhas. Foi assim que seguraram-se por algum tempo as pirações na Venezuela e fortaleceu-se a ação mais responsável de Evo Moralez na Bolívia.

O acordo de paz entre as FARCs e o governo colombiano foi conquistado assim. Jobim aconselhou diretamente o governo colombiano e alertava para os riscos de se colocar bases norte-americanas no continente:

– Toda guerrilha quer alvo. Bases americanas são um baita alvo. Vocês têm que impedir as bases, negociar, porque guerrilha na selva e cordilheira é imbatível.

Juan  Manuel Santos, o presidente da Colômbia, aceitou os conselhos, negociou e o país está saindo da mais prolongada crise política da sua história.

Agora, com o presidente argentino Maurício Macri abrindo o país para bases norte-americanas, e José Serra exibindo uma subordinação desinformada e primária em relação aos Estados Unidos quebra-se o modelo.

Peça 3 – o desmonte da Defesa

O governo Dilma Rousseff “esqueceu” a política de defesa. Avançou na licitação FX, manteve os programas em execução, mas sem o olhar do presidente.

Com Michel Temer, vem o desastre.

Nas Relações Exteriores colocou um Ministro, José Serra, totalmente jejuno na matéria, subserviente aos Estados Unidos, uma ignorância rotunda. Para ficar no campo conservador, troca-se o conservadorismo culto e altivo de um Afonso Arinos, Celso Lafer e Rubens Ricúpero por um chanceler com o cérebro de Maguila.

Na Defesa, entra um Ministro inexpressivo, Raul Jungman, em que pese ter pensamento mais sofisticado que o de Serra. Por que se saliento a inexpressividade? Porque, na outra ponta, o desmonte está sendo comandado de fora para dentro, através do Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Sérgio Etchegoyen, e do Ministro da Justiça Alexandre de Moraes.

Na gestão Nelson Jobim na Defesa, tentou-se criar um Centro de Estudos que aproximasse a academia das Forças Armadas. Jobim criou o Instituto Pandiá Calógeras, visando:

1.     Produzir reflexões acerca dos aspectos políticos e estratégicos nos campos de segurança internacional e defesa.

2.     Atrair recursos humanos no campo da defesa.

3.     Estreitar relacionamento Defesa com meio acadêmico e internacional.

A primeira decisão conjunta de Jungmann e Etchegoyen foi fechar o Instituto.

Peça 4 – a segurança interna

No modelo norte-americano, há três órgãos distintos trabalhando a segurança interna: o FBI, a CIA e a Guarda Nacional. No Brasil, os correspondentes seriam a Polícia Federal, a ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) e a Guarda Nacional – que jamais foi criada.

A Estratégia Nacional de Defesa tratou o capítulo referente à garantia da lei e da ordem com a proposta de institucionalização da Força Nacional de Segurança. O modelo proposto era o da criação da Guarda Nacional para cuidar das fronteiras, portos e regiões de conflagração urbana.

Em um primeiro momento, o Exército entraria, tomaria conta da área e imediatamente a repassaria para a Guarda Nacional. As Forças Armadas toparam, mas a Polícia Federal reagiu. E como no governo Dilma não havia Ministro da Justiça nem da Defesa, ficou-se por isso mesmo.

Leia também:  Por que Bacurau incomoda com sua violência, misturando Vandré e iê-iê-iê romântico, por Álvaro Miranda

Hoje em dia, a PF usa armas camufladas e uniformes de combate simbolizando um poder a mais.

Não se ficou nisso.

Movimento 1 – a criação do GSI

No presidencialismo, o Presidente é o comandante supremo das Forças Armadas. Ele é eleito como chefe de governo e de Estado. A segunda autoridade é o Ministro da Defesa. Depois, o Chefe do Estado Maior das Forças Armadas, os Comandantes Militares e os Comandantes de Área. Assessorando o presidente tem também a Casa Militar.

Criado no segundo governo FHC, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) foi confiado ao general Alberto Cardoso e tornou-se um corpo estranho. Entrando Lula, este foi alertado para os riscos da criação de um poder paralelo. A saída encontrada foi entregar ao general Jorge Armando Félix, pouco efetivo.

No governo Dilma, o GSI foi corretamente extinto, ficando apenas o Gabinete Militar

Mal assumiu o interinato, Michel Temer recriou o GSI e nomeou o general Sérgio Etchegoyen, colocando debaixo dele a ABIN e a Sisbin (Sistema Brasileiro de Inteligência).

Consciente do novo poder que iria exercer, Etchgoyen imediatamente convocou para um jantar em sua casa o presidente da República, o Ministro da Defesa e os três Ministros militares, colocando-se simbolicamente acima deles. Em Brasília, na diplomacia e no poder, jantares têm significado em si.

Movimento 2 – a segurança nas Olimpíadas

Nas Olimpíadas, Temer nomeou o GSI responsável pela segurança, atropelando os responsáveis naturais, Ministro da Defesa ou da Justiça. O Chefe do Estado Maior conjunto sequer foi convidado para a abertura das Olimpíadas.

A segurança foi organizada pela burocracia das Forças Armadas – acantonada em Brasília – não pelas tropas de combate.

Movimento 3 – a desagregação da defesa

Na Estratégia Nacional de Defesa, a primeira preocupação foi criar o conceito de comando conjunto. Por exemplo, não adianta submarino sem satélite ou comando aéreo na Amazônica sem o Exército. Por isso foram criados comandos em cada região crítica, permitindo a integração das três forças e a definição de estratégias em cada região.

A criação de Unidades Militares de Combate, seja na Amazônia, Haiti ou África, deixa claro o verdadeiro papel das Forças Armadas er os malefícios advindos de sua transformação em polícia. Há levantamentos internacionais mostrando que, nos países em que se tornaram polícia, foram sucateadas, com os equipamentos tecnológicos de ponta – para a defesa nacional – substituídos por investimentos em tanques, brucutus, algemas, granadas e revólveres.

A diluição desse modelo começou com as UPPs (Unidades de Policias Pacificadoras). No início, pareceu dar certo no Rio, devido ao fato do Secretário de Segurança José Mariano Beltrame ser da PF e respeitado por ela. Ainda no governo Dilma, houve financiamento do governo federal e a parceria com o Exército.

O Exército burocrático gostou, porque dá visibilidade, nome e prestígio à força. O Exército de combatentes – inteligência, ciência e tecnologia – sabia que seria o início do sucateamento, com a burocracia voltando a tomar conta.

Com o abandono do modelo de integração, voltou-se à visão compartimentalizada, com cada tropa lutando por seu quinhão e perdendo a visão de conjunto e os objetivos nacionais.

Peça 5 – os caminhos da repressão

A repressão irá se tornar mais aguda devido a um conjunto de fatores adicionais.

Na sua gestão no Ministério da Justiça, o Ministro Tarso Genro cometeu um dos grandes erros estratégicos, ao descentralizar a inteligência na Polícia Federal. Em nenhum país do mundo comete-se essa imprudência, devido ao risco concreto de criar ilhas de poder em cada canto.

Leia também:  Confissões confirmam Golpe de 2016, por Márcia Lia

O mesmo ocorreu no Ministério Público Federal. A Constituição já garantia a autonomia de decisão de cada procurador. A AP 470 e a Lava Jato, no entanto, internalizou o conceito do direito penal do inimigo.

Aparentemente, o poder conferido pela parceria com a mídia e com a ralé (no sentido sociológico do termo) conquistou corações e mentes, ainda mais depois que erros sucessivos de governos do PT consagraram o corporativismo na eleição do Procurador Geral da República (PGR). A corporação passou a se comportar como classe média convencional, estimulando as ações de repressão contra o inimigo comum e criticando internamente as manifestações de crítica.

O MPF e o PGR são responsáveis diretos por esse estado de exceção, ao permitir a entronização no poder de Michel Temer, Geddel Vieira, Eliseu Padilha, Moreira Franco. Mas não se espere deles nenhuma ação visando coibir essa escalada antidemocrática. É mais fácil ver o MPF como linha auxiliar da repressão do que como baluarte da legalidade.

O STF (Supremo Tribunal Federal) dispunha de um quarteto legalista: Ricardo Lewandowski, Teori Zavascki, Luís Roberto Barroso, o corajoso Marco Aurélio de Mello e, eventualmente, Luiz Edson Fachin e Rosa Weber. Barroso e Fachin foram desencorajados por uma campanha infame produzida por blog de Curitiba e repercutida pelos blogueiros da Veja. Zavascki alvo de escrachos e de ameaças a ele e seus filho Bastou a Dias Toffoli aderir a Gilmar Mendes para, de alvo, se transformar em querido da mídia.

Bastam pequenas decisões contrárias à ralé para serem alvos de campanhas desmoralizadoras sem que os órgãos de controle atuem. Se alguém considerar esse estado de coisas incompatível com a normalidade democrática, que se cale para não sofrer as mesmas represálias.

Se o STF deixou na gaveta todas as denúncias contra políticos, não será agora que se poderá esperar uma atuação mais ativa.

Por outro lado, a cada dia que passar se verá um governo cada vez mais sem rumo e sem limite, explicitando progressivamente suas tendências autoritárias; na outra ponta, uma juventude a mil por hora, pegando o bastão da resistência democrática das mãos dos mais velhos. Eles não têm a força, mas tem a convicção. A rapaziada sabe que não está lutando por Dilma, mas pelas liberdades democráticas. Sabe que na outra ponta – dos grupos de poder – está o preconceito, a insensibilidade social, a arrogância de quem conquistou o poder sem passar pelo teste dos votos.

E daqui a pouco, as manifestações contra o impeachment chacoalharão todo o país.

Quem souber o resultado desse Xadrez, está blefando.

Atualização

Foi uma manifestação cívica, civilizada, disciplinada, alegre, com a presença de jovens, crianças, moças grávidas.

No final da manifestação, segundo relato de todos os veículos que acompanhavam – G1, UOL, Band, Globo – a Polícia Militar começou a jogar bombas sobre manifestantes, sem que nada tivesse ocorrido antes.

Completa-se o ciclo. A Folha pediu a violência, Gerlado Alckmin autorizou, a PM cumpriu à risca e dificilmente o MInistério Público atuará para investigar os fatos e punir os culpados.

Como se dizia nas equações, CQD (Como Queríamos Demonstrar)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

96 comentários

  1. Quando Nassif some,desaparece

    Quando Nassif some,desaparece um pouquinho,eu ponho em pratica a maxima de Brizola:Fico costeando o alambrado,pois sei exatamente o que esta fazendo:Jogando xadrez,para aprontar o que acabei de ler.Tornou-se imbativel nesse tipo de jogo,escreve seu Xadrez de forma sublimar,mas sempre no final joga o anzol,como agora”quem souber o resultado desse Xadrez,esta blefando”.Exatamente isso.Entro no jogo,chamando de cara atencao para um detalhe:Nao tera vida facil quem tentar instalar um regime de forca,dada a complexidade da coisa.A “rapaziada”voltou a ter o protagonismo adormecido.Um corpo,ou mais de um extirado no chao,em tempos de informacao instantanea,tem o mesmo impacto de um tsunami.Nao vejo capacidade operacional na camarilha palaciana para engendrar uma situacao tao complexa.Ademais,mesmo inconfiaveis,alguns proceres da direita nao vao embarcar nessa canoa,como se fosse um passeio a Paqueta de tempos atras.Duvidas?Leiam atentamente o artigo FHC de hoje.Piscou e piscou bonintinho,na forma mais ampla,geral e irrestrita de quem me le possa imaginar.Nassif sabe,nao tem sido nada facil combinar  com os russos.Dias dificies nos aguarda.

  2. Quando Nassif some,desaparece

    Quando Nassif some,desaparece um pouquinho,eu ponho em pratica a maxima de Brizola:Fico costeando o alambrado,pois sei exatamente o que esta fazendo:Jogando xadrez,para aprontar o que acabei de ler.Tornou-se imbativel nesse tipo de jogo,escreve seu Xadrez de forma sublimar,mas sempre no final joga o anzol,como agora”quem souber o resultado desse Xadrez,esta blefando”.Exatamente isso.Entro no jogo,chamando de cara atencao para um detalhe:Nao tera vida facil quem tentar instalar um regime de forca,dada a complexidade da coisa.A “rapaziada”voltou a ter o protagonismo adormecido.Um corpo,ou mais de um extirado no chao,em tempos de informacao instantanea,tem o mesmo impacto de um tsunami.Nao vejo capacidade operacional na camarilha palaciana para engendrar uma situacao tao complexa.Ademais,mesmo inconfiaveis,alguns proceres da direita nao vao embarcar nessa canoa,como se fosse um passeio a Paqueta de tempos atras.Duvidas?Leiam atentamente o artigo FHC de hoje.Piscou e piscou bonintinho,na forma mais ampla,geral e irrestrita de quem me le possa imaginar.Nassif sabe,nao tem sido nada facil combinar  com os russos.Dias dificies nos aguarda.

  3. A intimidação veste farda!

    A intimidação veste farda!

    Com o poder de matar, aleijar, prender e intimidar, sob o domínio do fetiche da farda, comandantes fanáticos, doutrinados, um aglomerado de desqualificados investidos de poderes ilimitados, que não precisam de um cérebro para se relacionar, sentir, pensar e agir, as leis que não protegem os civis e a sociedade, as justiças, leis e tribunais militares que os protegem e acobertam, sob a égide de um estado golpista, repressor; o golpe consumado, senha que faltava para estes seres darem vazão aos seus instintos bestiais, agora mais que antes a certeza da impunidade!

    Brasileiras e brasileiros que jamais desistirão dos seus direitos, deveres e obrigações de defender o nosso presente e futuro, enfrentando os golpes e golpistas para reconquistar a democracia usurpada por esses seres ignóbeis, instituições, organizações e corporações, nacionais e estrangeiras que buscam seus interesses, alheias e independentes das leis e constituição, representadas pela figura patética e carcomida do Temer Golpista e seus ministros denunciados, suspeitos de corrupção e mal feitos, protegidas em todas as instâncias e poderes da república por golpistas em cargos e funções de destaque, garantidas pelo marketing e lobby de uma imprensa nacional comprometida e interesseira!

    Caminhamos para uma guerra civil? Um novo 1964? Continuaremos sob esta ditadura jurídico-parlamentar-midiático?

    A nação brasileira em paz recuperará a democracia, retomará e decidirá seu destino pacificamente pelo poder do voto em novas eleições?

    Até a vitória Sempre!

  4. Ainda com relacao ao

    Ainda com relacao ao comentario que escrevi ha pouco.Ou o PT,parte do PMDB comandada por Renan Calheiros,aquela que votou pela manutecao dos direitos politicos de Dilma e o PSDB,sentam para conversar,ou vem coisa seria,muito seria,serissima pela frente.A vontade os xingamentos.

  5. Vai dar num desastre, mas

    quais caraterísticas deste desastre, ainda é difícil saber.

    Não sei por que, mas o Temer me lembra a figura sinistra do francês Pierre Laval, ministro da 3ª república e grande administrador da colaboração com a ocupação nazista.

  6. Quem nasceu para lacaio

    So de pensar que os cucarachos que hora governam nosso Pais são capazes de praticamente qualquer coisa para ganharem seu quinhão com os americanos do norte….  O Brasil podera voltar a ser o bananão, quintalzão dos Estados Unidos. Mas quem nasceu para mordomo…. Quanta gente mediocre em um so governo.

    Sera que Nelson Jobim teria aceito ou aceitaria convite de Temer para participar desse governo? Eu diria que não.

    A questão do papel das FFAA durante todo o processo do impeachment-golpista é para se aprofundar mais. Qual foi o pacto entre Temer e o general Sérgio Etchegoyen ? Se o golpe não passasse no Congresso, qual teria sido a reação das Forças Armadas? Isso precisa ainda ser esclarecido.

    Mas, Nassif, o roteiro que vc esboça é terrivel e de toda forma, como é que um governo sem legitimidade vai se sustentar, se não for pela truculência? Incluindo ai a truculência da midia… Porque o que vimos no processo do golpe a que eles chamam de impeachment foi de uma truculência para com Dilma Rousseff e o PT sem limites.

    E para dizer que não nos fez rir – e muito… O cérebro de Maguila é por conta da bolinha de papel, ô coitado.

     

  7. eu acho… já que ninguém sabe mesmo

    Quanto as FA, suspeito que mais de 90% delas tomam café da manhã assistindo o Bom Dia Brasil, almoçam com o Jornal Hoje, jantam assistindo o Jornal Nacional e muitos não dormem antes do Jornal da Globo.

    Quando querem ler notícias durante o dia, eles acessam o G1 e, sobrando um tempinho, a Folha/Uol. 

    Suspeito tbm, que nos finais de semana muitos lêem a Veja e, agora, a Época. 

    Resumindo, creio que a grande maioria das FA (oficiais, sargentos e cabos) se informam (e formam sua opinião) sobre o que está acontecendo no Brasil e no mundo através desses vários veículos de comunicação com seus analistas e comentaristas.

    Ah, quase ia esquecendo, quando estão em deslocamento, nos seus carros, eles escutam a CBN ou suas assemelhadas nos estados.

    Quanto aos BB vc acertou na nosca, Nassif.

    Aliás, um cara, há muito tempo atrás já tinha um diagnóstico sobre uma tal de “doença infantil”.

    Essa estratégia BB, já caiu em 2013 e vai cair de novo como uma luva na mão dos golpistas.

    Ou alguém acredita que os BB na rua serão o estopim para que a massa pobre e trabalhadora inicie sua marcha rumo aos palácios para tomar de assalto o poder. Ah, e se fizerem isso, qual o regime que irão implantar?

    A história parace que se repete.

    Como em 64 vão levantar a questão sobre a estratégia de luta: institucional X de massas X revolucionária? Ou uma combinação de ambas com prevalência da…

  8. Cilada black bloc

    A paciência esgotou,  então vamos partir pra… palhaçada. Vamos infernizar os golpistas com requintes de humor. Vamos ridicularizar, submeter ao vexame, acabar com a imagem dos canalhas. Isto sim tem efeito, é fácil viralizar e não vai reverter contra nós. Sugiro esta estratégia porque nós (nossa juventude principalmente) somos excelentes nesta tarefa desconstrutiva do inimigo.

    Agora, embarcar na armadilha black bloc é a isca para levar pancada e ainda sair como mau na foto, enquanto a PM sairá como vítima. Já pensou se algum PM morre na porrada em conflito de manifestação do Fora Temer? Conseguem imaginar os efeitos decorrentes deste exemplo quando temos um judiciário pusilânime, um MP politiqueiro, uma mídia mafiosa e um governo de bandidos? Game over!

  9. só vou arriscar um palpite…

    só vou arriscar um palpite… eu não acho que as forças armadas vão se conformar com tamanho retrocesso… para elas mesmas.. eu disse que eu acho. e tenho dito!! as forças armadas cometeram erros??? sim e bastante quando governou o país depois do golpe de 1964. mas nos deixaram como legado uma infraestrutura que sofreu desmonte depois… o espirito das forças armadas não é o de entreguismo, como dizem por aí…ou as forças armadas vão agir a luz do dia ou continuarão nas sombras até que mais uma invenção seja dificil de se manter na escuridão.. as forças armadas foram aliadas dos estados unidos. sim foram. mas para elas era crucial pois no periodo de 1930 até 1964  a defesa da patria dependia  do desenvolvimento industrial.  no final desse ciclo nos deixou empresas formadas, empresas de base e infraestrutura de comunicações. fora o projeto nuclear que se iniciou na decada de 1950. não foi pouco o trabalho que fizeram. eu acho que para as forças armadas ser aliado não se confunde com entreguismos… mas são achismos meus…

  10. Se há algum particular que

    Se há algum particular que nos destaca não de forma positiva frente às nações mais civilizadas ou do mesmo nível é a total imprevisibilidade. Que ninguém ouse neste belo país planejar, projetar, antecipar, qualquer coisa, por mínima que for, para um horizonte de tempo que ultrapasse cinco anos, dez anos, quinze anos, vinte anos? Que nada! Para meros 12 meses( um ano). Além disso é pura futurologia, palpitologia, astrologia. 

    Tenho pena, muita pena, dos que na esfera pública ou privada exercem a penosa missão do planejamento. Nos meus tempos de banco meus miolos sofriam quando era obrigado a apresentar o orçamento anual para as atividades de uma reles agência de banco numa esquecida e inexpressiva cidade do interior do Brasil. Agora imaginemos o sofrimento dos formuladores de projeções plurianuais para uma mega empresa e para um país num contexto de incertezas e inseridos numa cultura do imediatismo, portanto descompromissada com o futuro. 

    O xadrez para essa tema traz à lume esse imenso problema porque é na área de segurança – interna ou externa –  onde mais de prescinde da antecipação e projeção de cenários. Países que descuraram desse preceito pagaram caro, muito caro, pela desdita, 

    Pois é: quem imaginaria há dois anos que desembocaríamos numa conjuntura da espécie? Nem loucos chegaram a tanto. Seria interessante sabermos o que nesse ínterim fez a estrutura que dá apoio à Presidência da República, em especial o Gabinete Militar e a ABIN.

    Mas isso já é passado. O terrível é nossa total insegurança(sem trocadilho) com relação ao que estão fazendo AGORA com relação ao futuro. 

    PS: alguns equívocos aceitáveis no texto:

    1) A CIA não é um órgão voltado para a segurança interna dos EUA. Sua competência se volta para a coleta e análise de informações no exterior. A contra-espionagem está a cargo do FBI. Por esses aspectos, não há uma similaridade absoluta entre CIA-ABIN e FBI-Polícia Federal(na contra-espionagem).

    Na realidade, o coordenador do SISBIN não é o Chefe da GSI, mas o Chefe da ABIN. 

    2) A estrutura organizacional do  governo federal é do tipo Linha-Staff cuja autoridade é linear, ou seja, cada órgão se reporta a apenas um superior existindo órgãos de staff para assessorá-los. Assim, é mera pretensão do atual Chefe do GSI querer trazer para sua órbita o estamento militar cuja linha é: Presidência da República …….Ministro da Defesa……..Comandantes respectivos das três forças…….Comandantes de Unidades Militares.

    Estados-Maiores são órgãos de STAFF dentro da estrutura militar. Cada força tem o seu chefe subordinados aos respectivos COMANDANTES,

    Já o EMCFA: Estado Maior CONJUNTO das Forças Armadas subordina-se DIRETAMENTE ao Ministro da Defesa e este, claro, ao presidente da República, comandante SUPREMO das FFAA. O GSI, órgão também de staff, apenas assessora à presidência no que tange a assuntos de segurança e militares.  

    Em termos de precedência militar o Chefe do EMCFA, por óbvio, se equipara aos comandantes das três forças. 

    Em suma:  esse general de nome impronunciável é, como se diz aqui no Ceará, um “inxirido” ou usurpador como Temer, seu chefe. 

    http://www.gsi.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/competencias

    http://www.defesa.gov.br/forcas-armadas/estado-maior-conjunto

    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LCP/Lcp97.htm

    http://www.abin.gov.br/institucional/competencias/

  11. Do golpe muito se falou. E da
    Do golpe muito se falou. E da nova forma de ditadura que se instala?

    Ficou claro para a comunidade internacional e para setores nacionais comprometidos com o desenvolvimento do país que o impeachment contra Dilma se trata de golpe disfarçado para convencer (apenas os incautos) da sua legalidade.

    Sem legalidade e sem a legitimidade da entronização via escolha direta pelas urnas, o novo governo não se sustentará pelas vias democráticas.

    Golpe de circunstâncias semelhantes

    O momento presente, de fácil leitura em seus avanços inclusivos, com melhoria salarial, programas sociais diversos, foco na educação, resumindo, reformas de cunho social democráticos, exatamente em moldes como fizeram as democracias mais avançadas.

    Sempre que se tentou melhorar o padrão de vida do povo – atenção que aqui também está incluída a classe média – derrubadas de governos foram pactuados pela elite e cegamente receberam o apoio da nossa e ignorante classe média.

    A classe média brasileira é historicamente reconhecida como protetora e babadora da elite. Qualquer estudo irá apontar os invasores que por aqui chegarem para enviar nossas riquezas para Portugal. E os que ficavam com a sobra dela, os Capitães do Mato, os capatazes, e as formas mais sofisticadas de colonizados, como os juízes e parlamentares na defesa dos interesses dos ricos. Quem há de negar essa formação com base na casa grande e senzala, que perdura, derrubam governos e criam ditaduras?

    A classe média brasileira desconhece os benefícios para ela própria de reformas da social democracia.

    Aceita e aplaude a teoria da social democracia, mas derruba qualquer governo que tente aplicar os instrumentos inclusivos.

    A nova forma de golpe

    Outros defensores dos privilégios alguns poucos foram forças armadas que não só deram guarita, como correram promotoras em conluio com a elite civil do golpe de 64. Não vamos nos esquecer que a imprensa foi defensora do golpe, reconhecendo sua estupidez em editoral da Globo.

    Desta vez, quem se alia aos interesses exclusivistas e produz o golpe é o parlamento – que em 64 não foi autor, mais reafirmou cada um dos atos da ditadura – agora como autor e com auxílio do poder judiciário.

    Forma tão clara e preparada, que um estudo realizado em 2007 por Aníbal Pérez-Liñán pela Universidade de Cambridge, cujo título foi enfático e premonitório, “O Impeachment Presidencial e a Nova Política de Instabilidade na América Latina”‘, descreve: “após os regimes militares na América Latina, a opção foi por golpes não violentos, travestidos de impeachment”.

    A nova forma de ditadura que se instala

    Como dito, sem legalidade devidamente constatada e sem a legitimidade da entronização via escolha direta pelas urnas, o novo governo não se sustentará pelas vias democráticas.

    O governo nestas condições, a história comprova, terá que se utilizar da mesma forma que qualquer ditadura se sustenta.
    Assim, não é de se estranhar que Temer e sua equipe já tenha coopitado a grande mídia e tentado calar a mídia independente tirando recursos financeiros e articulando com a justiça uma série de ações judiciais contra os jornalistas que criticam o governo.

    Democracia vai muito além do voto. O exercício pleno dela inclui respeito à divergência, programas de inclusão e ampliação do que está posto, e todas as medidas possíveis que estabeleça condições semelhantes de oportunidades e disputas, tudo o que procure o equilíbrio, condição indispensável para que a democracia seja alcançada.

    A tentativa de esvaziamento da EBC corrobora tal afirmação. A famigerada proposta da “escola sem partido”, a disposição em acabar com o ministério da cultura, área eminentemente de crítica e propositiva, a derrubada de auxiliares e técnicos que divergem do pensamento. Tudo no sentido formar um pensamento único, de reprimir e calar todos os que possam criticar a criatura.

    Inocentemente (será?), o governo ora derrubado, apoiou uma série de ações e projetos de lei que visam reprimir qualquer manifestação contrária aí que está posto, como a cretina lei antiterrorismo, entre outras. A educação é esvaziada. O Ministério da Justiça se arma.

    O atual governo já aplicou, e ensaia uma série de outras ações para desmantelar as conquistas da social-democracia implementadas pelos governos anteriores, e isso é claro e insofismável.

    Se estamos presenciamos um golpe com nova formatação, também estamos entrando em um período de ditadura com nova roupagem.

  12. O que nos resta.

    Principalmente  na SEMANA da PÁTRIA. 

    Em breve, veremos a deterioração completa das nossas FFAA. Sem recursos, verbas e modernização. 

    Voltaremos a comprar um MINAS GERAIS. 

     

      • Juca Chaves foi um que falou

        Juca Chaves foi um que falou MUITA MERDA nos últimos meses…

        Ele tentando falar sério é uma desgraça

         

  13. O que nos resta.

    Principalmente  na SEMANA da PÁTRIA. 

    Em breve, veremos a deterioração completa das nossas FFAA. Sem recursos, verbas e modernização. 

    Voltaremos a comprar um MINAS GERAIS. 

     

    • Penso qie a Nassif está

      Penso qie a Nassif está completamente enganado na afirmação de que os black blocks são extrema esquerda.

      Para mim, não passam de grupos infiltrados e pagos para provocar baderna e desmoralizar justamente os movimentos de esquerda ou populares.

      Não passam de mercenários da extrema direita.

    • Plicplocs

      São adolescentes mimados que confundem a vida real com videogame. Mal conseguem diferenciar os lados direito e esquerdo do joystick.

  14. Temer quer ” devolver às
    Temer quer ” devolver às Forças Armadas o papel de repressão interna.” ???

    Isso, que venha.

    A depuração tem que continuar até atingir o fundo do poço. É a nossa única chance de expor nossos problemas intestinos e, finalmente, ingressarmos em um modelo de real democracia.

    A nossa classe média não teve a competência, que tiveram todos os outros países democráticos, de criar uma sociedade nova e progressista, a tal da social democracia que alavancou a cultura social e econômica da França, EUA, Europa.

    A depuração está ocorrendo pela implosão de cada dos guetos. Ministros do STF e STJ brigando entre si e sendo bombardeados por outros pares. MP brigando com MP, OAB sendo criticada pelos seus associados. Jornalistas conta jornalista até dentro de seus fechados veículos como ocorreu recentemente na Globo.

    Todos trocando tapas. Na política a imposição violenta com base em traição e golpe do candidato de Alckmin à prefeitura de São Paulo. O próprio Temer sendo, a todo tempo, ameaçado pelos seus aliados.

    Se levarem as FFAA às ruas, como parece pretender Temer, as Polícias Militares vão reagir, com violência, para garantir o seu espaço político e midiático.

    Essas guerras fratricidas entre corporações similares, e até mesmo dentro de uma própria corporação, é algo comum em ditaduras. Tal ocorre pela disputa de poder, aliada à desorganização e falta de respaldo de uma sociedade quando é organizada com o poder originário sendo do povo.

    Sem delegação do poder da população, como ocorre nas democracias e que mantém os equilíbrios característicos reconhecidos como peso e contrapeso entre todas as suas esferas de poder, sobra o desequilíbrio e a baderna da busca de poder, e cada vez mais poder; o poder insaciável, característica observada en todas os governos originados da força da traições e golpes.

    É tempo de depuração.

  15. Do comentario de

    Do comentario de Nassif,pincei uma frase magnifica :”uma junventude a mil hora”.Como naquela maxima infame das pesquisas eleitorais,o jacare abriu a boca.O Padrinho acertou na mosca em dialogo com aquele Senador com ares do inesquecivel ator Fernando Rey,vaticinou:Raupp,eu nao quero me meter nisso.Isso nao vai acabar bem.Nem bem comecou,a fatura esta liquidada,o caixao esta fechado.O Padrinho frouxo que e,nao tera coragem de dar ordens ao General Sergio E.para a carnificina.Se ja repararam na vestimenta do Padrinho,o que se sobressai sao os suspensorios,nao o cinto.

  16. A razão de existir das F Armadas é a guerra. Mas qual o inimigo?

    A missão, a razão de existir, das Forças Armadas (em qualquer país) é, e sempre foi e sempre será, a GUERRA.

    É claro que guerra não significa (nem poderia) intenção deliberada de guerra, e sim potencial de guerra, risco de guerra, perspectiva de guerra. Ou seja: foco quanto à guerra. Identificação de quem pode vir a ser o inimigo.

    Abandonada a visão de guerra contra nossos vizinhos (que prevaleceu no século XX), sobreveio a visão de guerra dissuasória contra a tomada das nossas riquezas (Amazônia, pré-sal, aquíferos, mar territorial).

    Essa visão é agora abandonada porque se torna PROJETO do governo usurpador a entrega, de mão beijada, dessas riquezas justamente a quem era, até ontem, o potencial inimigo.

    É uma senhora cusparada na cara de todos aqueles que, ao longo deste breve século XXI, lideraram as nossas Forças Armadas, na construção de um projeto soberano de nação.

    Mas o quadro é ainda muito pior: desde a crise de 2008, com o risco crescente de derrocada do dólar e, com ele, de toda a economia norte-americana, os Estados Unidos adotaram uma política de subjugação de todo e qualquer projeto nacional autônomo no planeta, especialmente os da China e Rússia, países que no entanto não irão se deixar dobrar de graça – e que são potências nucleares tanto quanto os Estados Unidos. Toda a imprensa ocidental esconde, mas a Terceira Guerra Mundial aproxima-se.  Hillary Clinton adota um discurso de campanha que acusa Donald Trump de manter uma aliança secreta com Vladimir Putin (ou seja, com o inimigo). Para demonizar Trump e ganhar as eleições, Hillary assume abertamente que a Rússia é a inimiga número um dos Estados Unidos – depois de eleita, só lhe restará concretizar a profecia, e fazer a guerra à Rússia em nome da segurança dos americanos (duvida? Assista a esse breve vídeo, com legendas em inglês disponíveis: https://www.youtube.com/watch?v=k4aIIpCDsLU).

    Ao longo dos últimos meses, traduzi alguns artigos a respeito para procurar alertar o público brasileiro. O acervo dessas traduções está em minha conta do Twitter, @ruben_bauer

    Se houver uma guerra nuclear, a grande massa da população americana, o “povão” de lá, sofrerá as consequências terríveis, mas as elites não – elas estarão confortavelmente abrigadas em seus bunkers de luxo, à prova explosões nucleares e de radioatividade. Senhores comandantes das Forças Armadas brasileiras: para ONDE vocês acham que essa gente irá querer se mudar, depois que o país deles tiver sido reduzido a cinzas?

    Em qualquer país, a missão, a razão de existir, das Forças Armadas é, e sempre foi, e sempre será, a guerra.

    O que esse governo usurpador tem a propor para as Forças Armadas é que o inimigo na guerra seja o próprio povo: o povo, reunido nas ruas, que não abre mão da manutenção do Estado Democrático de Direito, o povo que não aceita ver a Constituição vilipendiada, o povo que não tolera ser tomado por imbecil de ver um governo eleito ser removido em nome de um pretenso “combate à corrupção” para dar entrada a um governo muitíssimo mais corrupto, por qualquer parâmetro de comparação.

    Será esse o “inimigo” que as Forças Armadas elegerão? Será essa a guerra que elas travarão? Terá sido para ISSO que sacrificaram as suas próprias vidas Marcílio Dias, os Dezoito do Forte, os pracinhas de Monte Castelo??!!?

     

    • as forças armadas do brasil,

      as forças armadas do brasil, além da guerra, ainda tem a missão da segurança interna. por isso dessa vez as forças  armadas não serão a repressão. todos os motivos que me levam a essa aposta estão no texto do proprio luis nassif. mas os seus argumentos são decisivos. no meio dessa crise eu sempre vi que povo e forças armadas dessa vez estão de um mesmo lado. 

      • Dia 7

        Quero ver se os generais baterão continência para um golpista e sua trupe de corruptos no dia 7. Ai será uma vergonha completa que rasgaram a constituição.

      • Sinceramente ?? Eu duvido que

        Sinceramente ?? Eu duvido que os golpistas iriam levar esse impeachment a frente sem as forças armadas na retaguarda.

        Nunca saberemos a reação das FA no caso do golpe não passar no congresso.

        • e eu não consigo entender

          e eu não consigo entender como as forças armadas podem estar na retaguarda do golpisto sabendo do risco que correm. o proprio texto aponta a missão das forças armadas e o que perdem. 

  17. Nassif, do alto da sua

    Nassif, do alto da sua experiência em análises políticas e vendo as atuais(embora poucas e “encomendadas”)manifestações, vc acreditaria, que estes movimentos empurrarão o Congresso, a aceitar a vontade real das ruas, por novas eleições gerais ? 

  18. O golpe consumado

    Lembram do golpe de 64? começou na verdade em 54, após o suicídio de Getúlio.Este golpe somente será consumado após prenderem e condenarem Lula, que a elite e os militares nunca engoliram. É só esperar pra ver.

  19. Equívoco no texto

    Nos EUA, a segurança interna está dividida entre FBI (Federal Bureau Investigation), DHS (Department of Homeland Security), National Guard (NC), Polices Departments (PDs), NDA (National Defense Agency), etc. 

    A CIA (Central Intelligence Agency) é proibida de conduzir operações dentro do território americano. Sabemos que proibir alguém de alguma coisa não costuma dar muito certo, mas em tese é isso.

    Fato é que, pós 11/9, a coisa degringolou lá. Numa estimativa conservadora, existem “n” empresas terceirizadas lidando com dados de inteligência. São mais de 800 mil pessoas com acesso a informações secretas, o que explica o surgimento de vazadores como Manning e Snowden.

    • Terceirização ou as ” ISPs “

         Snowden não era um “servidor publico” , mas um terceirizado, admitido no bojo de um contrato de prestação de serviços, firmado entre a NSA e a KPMG LLC.

          No jargão não oficial, são as chamadas ISPs ( Intelligence Support Partners ), empresas terceirizadas que contratam para as varias agencias norte-americanas ( NSA, CIA, FBI, DHS, DEA…….).

          É ate incrivel, para quem nunca militou no ramo, ou ainda é “guerra fria”, que exista uma “agencia de empregos” especializada no recrutamento de profissionais para este ramo, é só entrar nesta pagina:

          http://www.clearancejobs.com/jobs?PAGE=2&limit=25, que neste momento possui 17.000 vagas “em aberto”

           Entrando na pagina, analisando os “endereços” das empresas contratantes, como Fort Meade, Alexandria, Quantico…., a maioria delas são sediadas em locais de bases militares ou próximas a elas, até mesmo a NSA ( Fort Meade ), FBI ( Quantico ), Arlington ( CIA ), Annapolis ( US Navy ), Mc Lean ( USAF ), ou seja : ex – funcionários destas instituições.

      • A CIA

        não se encontra baseada em Arlington, mas em Langley, bairro da cidade de Mclean, comarca de Fairfax. Todos as localidades por você citadas fazem parte da região metropolitana de Washington/DC.

  20. Outro xadrez que faltou.

    Nassif ficou devendo também o xadrez do impeachment sem perda de direitos políticos. Ah, também gostaria do xadrez das mulheres do STF principalmente no caso do impeachment. Votam coerente com suas historias, com sua consciência? Estão em condições de igualdade com seus pares homens? São ou se sentem intimidadas? etc. Talvez seja tema para tese de advogados(as) jejeje

  21. Costa, Diogo: Sobre as vivandeiras alvoroçadas (20/04/2016)

    A DEMOCRACIA BRASILEIRA FOI MORTA E ESQUARTEJADA; OU A RESSUSCITAMOS AGORA OU O CAOS RESTARÁ COMPLETO 

    As pessoas não tem, infelizmente, a noção exata do que aconteceu no último domingo. 

    Já escrevi aqui e vou repetir: a democracia brasileira foi assassinada no dia 17 de abril.

    Uma chusma de delinquentes, a começar por este marginal chamado Eduardo Cunha, implementaram o golpe de estado para acabar com as investigações da Lava Jato e, consequentemente, para tentar salvar a própria pele. 

    Mas o ponto principal nem é esse. 

    Em nenhum lugar civilizado do Planeta Terra se derruba um presidente legitimamente eleito em função de seis decretos e de um inadimplemento (é o que consta na denúncia contra Dilma). 

    É inacreditável o que fizeram com este país, levando-o a retroceder aos tempos pré golpe de 64, quando se derrubavam presidentes eleitos a granel e sem motivações algumas. 

    Lamentavelmente vejo tempos obscuros para o país, fazendo sempre a ressalva de que somente uma ampla mobilização popular será capaz de alterar este quadro. 

    Um governo Judas Temer/delinquente Cunha não terá um fiapo sequer de legitimidade. Nem das urnas, o que é óbvio, e nem de lugar algum. 

    A revolta social vai aumentar exponencialmente. 

    Basta que as pessoas vejam a cena de uma presidenta que não cometeu crime nenhum sendo retirada de forma ilegal, mediante um golpe, para que assuma a presidência um Joaquim Silvério dos Reis ladeado por um dos maiores marginais já surgidos na história do país. 

    A irresponsabilidade é tão imensa, o golpe que estão perpetrando é tão torpe que não há a menor possibilidade de as pessoas não virem a se revoltar. 

    E aí virá a repressão da parte dos usurpadores golpistas. Decerto tentarão impor a ferro e fogo pautas regressivas e que só beneficiam o setor financeiro e o patronato. 

    Pelos próximos 20 ou 30 anos (tomara que eu queime a língua) nenhum presidente conseguirá governar, a não ser por intermédio de uma ditadura. 

    É uma desgraça o que fizeram com o país. 

    Pior ainda, como foi e ainda é possível que um delinquente criminoso opere um golpe de estado, com o único intuito de fugir da cadeia? E fica tudo por isso mesmo!

    A democracia brasileira foi assassinada e o país desmoralizado em todo o cenário internacional. É vexaminoso. 

    A luta pelo mandato de Dilma não é por ela, por Lula ou pelo PT. É uma luta central para que se tente recuperar a democracia brasileira, fazendo-a ressurgir das cinzas. 

    Se o golpe for consumado este país vai explodir e não duvidem, pois se sabe bem qual é a história do Brasil, que a classe dominante e que sem vergonhas como Aécio, Temer, Cunha e outros tantos, procurem uma saída autoritária. 

    Inclusive com apelos aos militares (vivandeiras alvoroçadas e dispostas a ir aos bivaques para bulir com granadeiros e provocar extravagâncias ao Poder Militar é o que sempre houve em nosso país). 

    A luta central é a da resistência ao golpe, da denúncia permanente do mesmo no Brasil e no exterior, bem como a luta com todas as forças para preservar a soberania do voto popular, manifestada em 2014. 

    Fora disso, meus caros e caras, levará anos, talvez décadas para que o país recupere a sua historicamente frágil democracia.

  22. Protesto! O MAguila tem um

    Protesto! O MAguila tem um cérebro infinitamente maior e melhor que o do cherra! Além de ser um cara simpático, o que definitivamente não é uma virtude do coiso.

  23. Levantamentos necessários.

     

    Nassif e comentaristas, as Forças Armadas estão unidas politicamente ? Há uma espécie de pensamento único nas Forças Armadas ? O Exército baseado no Sul/Sudeste é o mesmo do baseado no Nordeste/Norte ? 

    Haveria um jovem oficialato progressista ? Qual a origem social dos jovens oficiais das Forças Armadas ? Os programas sociais dos governos Lula/Dilma beneficiaram esses jovens oficiais ? Esses jovens oficiais se informam através da internet ?

     

    • Não existem um conceito de

      Não existem um conceito de Forças Armadas do Sudeste ou do Nordeste, os oficiais fazem rotação a cada dois anos, não ficam estacionados  numa região. Os jovens oficiais sao em boa parte filhos de oficiais e sao basicamnete de classe media. Uma visão conservadora do mundo é proprio de forças armadas em qualquer lugar, até nos paises outrora comunistas. As Forças aqui são na linha da ordem e fortalecimento do Estado nacional, são contrarios a reservas indigenas em regiões estrategicas, invasões de propriedades e ações soi disant “progressistas”.

       

  24. de todos, o mais preocupante…

    o Xadrez do Ponto sem Volta que pode nos trazer novamente uma agonia……………………………………….

    passarmos dessa coisa que os senadores criaram, e chamo de coisa porque surgiu de uma histeria político-criminosa, para o antigo e nefasto regime político empresarial-militar

  25. Fascismo

    Um fotógrafo, em serviço, levou um tiro de borracha no olho. Tiro disparado pela Gestapo paulista. Posição do Judiciário? O fotógrafo é o culpado. Essa semana que se encerra uma defensora da democracia também foi vítima da Gestapo paulista. Ela e outros mais. Qual é posição dos tucanos lotados no Judiciário? Cinismo. Será que a partir de agora não seria viável pegar esses casos, montar um processo e protocolá-lo na Anistia Internacional, na corte Interamericana dos Direitos Humanos ou até mesmo na própria ONU? Estamos num estado totalitário em que os coturnos foram substituídos pela toga, portanto, qualquer processo que for protocolado no Brasil a vítima será  sempre a culpada.

  26. Estive na passeata.

    Estive na passeata. Impressionante calculo umas 100.000 pessoas alegres, pacíficas pedindo a saída de um golpista. A PM armada até os dentes passava a toda hora procurando pelo em casca de ovo. Não vi uma discussão sequer uma briga. Muito bonita a passeata.

    • Também estive  na Paulista e

      Também estive  na Paulista e reforçando o que o Nassif disse: muitos jovens participando e com muita criatividade.

  27. a vida é assim…

    o que é mais difícil:

    – alguém com mais de 30 anos compreender – não é CONCORDAR, é apenas compreender – os manifestantes que adotam a tática Black Bloc?

    – ou os próprios manifestantes que adotam a tática Black Bloc compreenderem que acabam por confundir tática com estratégia?

    o que é mais patético e representativo de uma plutocracia colonial e escravocrata:

    – Temer no cantinho da foto oficial do G20 na China?

    – ou Temer dar uma “escapadinha” para comprar sapatos num shopping de Hangzhou?

    o que é mais IMPROVÁVEL:

    – o golpe NÃO conduzir a um fechamento do regime, apoiado pela burocracia militar linha-dura e viúva do AI-5?

    – ou setores militares reagirem ao desmonte da Política Nacional de Defesa, que relegará o Brasil a um status de protetorado dos EUA?

    .

  28. END e “livro branco “

        Este governo pode até ser “constitucional “, mas mexer com quem esta quieto, seria uma péssima idéia, pois é forte a resistência, aliás desde anos muito passados, que as FFAA sejam utilizadas internamente, inclusive as ações realizadas no Rio de Janeiro e recentemente em Natal, foram muito contestadas internamente, inclusive na do RJ, o CFN e unidades do EB ( BgdPqd ), notaram na avaliação do comando, a ineficacia das PMs, incluindo as UPPs*, fato comunicado pelo EMCFfAa, ao SSP/RJ e ao MinJus, que não fizeram nada, engavetaram.

          * UPP : conceito de segurança territorial ultrapassado, originário das “aldeias estratégicas” firmadas na Insurreição Malaia ( anos 50 ), fracassaram no Vietnã, tiveram um resultado na Colombia razoavel, mas as condições foram diferentes, pois existiram ações subsidiarias do estado a apoia-las.

          O ” Centauro ” e seu partner mussolinesco, caso queriam transformar a END e o “Livro Branco” em peça de museu, irão enfrentar sérias resistências, e o ‘Centauro” alem de burro, mente blindada, que só pensa em papai, tem telhado de vidro.

          As FFAA possuem poucas unidades GLO operacionais/dedicadas, a 11a Bgda Inl Leve ( GLO – Campinas/Pirassununga/São Vicente – SP ), e na MB o ” Batalhão Tonelero ” no Rio de Janeiro.

          O problema são as forças estaduais, as quais somadas são muito superiores em numero, expertise no ramo, e quanto a disciplina : pararam no século XiX .

  29. Erro grave

    Há um erro factual grave na sua análise, Nassif.

    Você diz que o GSI foi extinto no Governo Dilma. Essa informação induz o leitor a pensar que Dilma, ao assumir, extinguiu o órgão, que só veio a ser recriado no Governo Temer.

    Na verdade, Dilma não deu a menor bola pro GSI e não mudou absolutamente nada nessa estrutura. Extinguiu-o apenas em outubro de 2015. Ou seja: passou quase TODO O SEU MANDATO com o GSI funcionando.

    Ainda mais grave foi você omitir o fato de que o GSI só veio a ser extinto na tal “reforma ministerial” imposta pela mídia e pela opinião pública para “cortar 10 ministério”. Como Dilma não conseguia compatibilizar todos os intere$$es envolvidos, botou o GSI no rol dos extintos simplesmente porque ele não tinha função. Para demonstrar isso, basta ver que o General Elito, antigo chefe do órgão, não foi recebido sequer uma vez pela presidente durante todo o seu mandato.

    Em resumo, o GSI funcionou por quase todo o período Dilma e só veio a ser extinto por conta de uma circunstância político-eleitoral momentânea, não tendo sido de mogo algum resultado de uma estratégia ou uma mudança de visão do governo em relação à área.

    Acho que seus leitores têm o direito de saber disso.

  30. Erro grave

    Há um erro factual grave na sua análise, Nassif.

    Você diz que o GSI foi extinto no Governo Dilma. Essa informação induz o leitor a pensar que Dilma, ao assumir, extinguiu o órgão, que só veio a ser recriado no Governo Temer.

    Na verdade, Dilma não deu a menor bola pro GSI e não mudou absolutamente nada nessa estrutura. Extinguiu-o apenas em outubro de 2015. Ou seja: passou quase TODO O SEU MANDATO com o GSI funcionando.

    Ainda mais grave foi você omitir o fato de que o GSI só veio a ser extinto na tal “reforma ministerial” imposta pela mídia e pela opinião pública para “cortar 10 ministério”. Como Dilma não conseguia compatibilizar todos os intere$$es envolvidos, botou o GSI no rol dos extintos simplesmente porque ele não tinha função. Para demonstrar isso, basta ver que o General Elito, antigo chefe do órgão, não foi recebido sequer uma vez pela presidente durante todo o seu mandato.

    Em resumo, o GSI funcionou por quase todo o período Dilma e só veio a ser extinto por conta de uma circunstância político-eleitoral momentânea, não tendo sido de mogo algum resultado de uma estratégia ou uma mudança de visão do governo em relação à área.

    Acho que seus leitores têm o direito de saber disso.

  31. Nassif por meio de minha
    Nassif por meio de minha conduta hoje entendi o porquê de nós estarmos passando
    por esta situação,fui a manifestação na Paulista e pensa a preguiça de sair de minha casa ,da minha ZONA DE CONFORTO ,mesmo tendo tempo,meios e a consciência da importância, realmente o Brasileiro típico é acomodado e por isso
    acredito nos blogs sujos como meio de superarmos essa questão cultural e para
    incentivar mais a ação e iniciativa do povão, vaaleu !!

  32. Comentários soltos sobre frases mais soltas ainda

    Agora, com o presidente argentino Maurício Macri abrindo o país para bases norte-americanas

    Tem três pontos aí:

    1) Bases na Argentina significa que as Forças Armadas dos EUA estarão às portas do Aquífero Guarani, da Bacia do Prata e do Pantanal.

    2) Bases na Argentina significa que as Forças Armadas dos EUA trancarão o último caminho ainda aberto para Rússia e China chegarem na Antártida, dentro do que está se desenhando, de que os EUA tentarão isolar Rússia e China de todas as maneiras (econômicas, políticas e militares). 

    3) Bases na Argentina poderão ser úteis em uma eventual (e, acho, inevitável, caso Maduro sobreviva ao revogatório) guerra dos EUA contra a Venezuela, em 2018, para ataques aéreos pelo sul (com, claro, a conivência do governo brasileiro).

    Aliás, sobre a guerra dos EUA contra a Venezuela, que será o gran finale de toda a guinada à direita no continente, olho nas eleições colombianas em 2018. Uma vitória do partido do Álvaro Uribe, falcão raivoso, pode ser o que a também falcoa Hillary Clinton precisava para lançar uma guerra contra Maduro (e os russos estacionados na Venezuela).

    No final dos anos 90, os Estados Unidos se apresentavam como o guarda-chuva do mundo nos campos cibernético, nuclear e espacial. Por sua concepção, as Forças Armadas dos demais países serviam apenas para cuidar de bandido, da repressão e do combate às drogas.

    E voltarão a se apresentar como o guarda-chuva do mundo contra Rússia e China.

    • Base na Argentina para atacar

      Base na Argentina para atacar a Venezuela? È muito mais perto a partir da Florida.

      Base na Argentina que se cogita é do tipo Colombia, pequenas bases de observação, sem qualquer valor estrategico.

      Se os EUA quisessem derrubar Maduro bastava parar por um mês a importação de petroleo venezuelano, a unica fonte de dolares de Maduro.

      A Russia e a China não são parte do condominio da Antartida e para ação desse tipo não precisa de base na Argentina,

      A ultima coisa que está na cabeça do Pentagono é uma guerra com a Russia e a China.

    • A pista é no Paraguai

      Imaginem voces que em 1964 o mineiro Magalhães Pinto ficou desconfiado. O famigerado torturador e agente da CIA, Dan Mitrione apresentara-se ao governador para comunicar-lhe que os EUA tinham condições de colocar coturnos no solo, em menos de seis horas depois de feita a solicitação. Magalhães estranhou a rapidez e calculou que os soldados ou já estariam dentro do Brasil ou viriam de alguma base estadunidense no Paraguai, pois dificilmente chegariam do Panamá — do Panamá — dentro daquele prazo (Moniz Bandeira). Para os que não sabem, Mitrione foi convidado para ensinar aos policiais mineiros pelo então golpista civil, governador Magalhães Pinto. ”The precise pain, in the precise place, in the precise amount, for the desired effect”. O agente estadunidense ensinou a prática de tortura aos repressores brasileiros e acabou recebendo uma condecoração por serviços prestados à polícia de Minas.

      Os EUA instalaram nos anos ’80 uma grande pista próxima da Triplice Fronteira, pertinho das reservas de hidrocarburo da Bolivia, com a desculpa de controlar grupos terroristas. Para isso o governo dos EUA pediu ao Paraguai – e obteve – do então presidente Duarte, a completa imunidade penal aos seus militares mesmo no caso de operações secretas, clara intenção de militarizar a região. Não esqueçamos que com Stroessner a CIA instalara o seu QG no Paraguai, onde até o FBI operou.

      Fala-se de uma possivel -e próxima- falta d’agua no planeta. O Aquífero Guarani pertence aos 4 paises fronteiriços. E’ estimado como a terceira maior reserva de água doce da Terra. Nos anos ’60, Rockefeller financiou um estudo patrocinado por Kissinger, chamado “Iron Mountain Plan”, demonstrando a necessidade imperiosa dos EUA ”bolarem” um modo silencioso de arrebatar zonas geográficas que sejam pra eles de vital interesse se quiserem manter a posição de big shot global. Entre as tantas alternativas do IMP prevaleceu a do ”papo ecológico” porque pode contar com um forte consenso social e faz imagem. Resultado: faz anos que o Banco Mundial está financiando um grande projeto de estudos com multinacionais, universidades públicas e privadas, Ongs, com a inevitáve perda de soberania desses quatro paises na gestão dessa fonte de vida futura. Quem está de olho grande pra controlar isso? As Multinacionais da água – que já tinham tentado submeter no sangue os bolivianos. Aquela pista foi um investimento estratégico.

    • Russo na Venezuela ?

          Só se for os que estão lá para receber o que Maduro está devendo, pois devido a falta de pagamento/financiamento os contratos de manutenção, dos equipamentos recentemente fornecidos, foram suspensos, inclusive ocorreou um acidente com um SU-30 MKV, resultando na morte dos ocupantes, e metade da frota destas aeronaves está groundeada, e o treinamento de novas tripulações que era, por contrato, realizado na Russia ( US$ 2 M por cabeça ), tambem parou.

  33. Nassif… Quando você vai

    Nassif… Quando você vai entender que José Serra é propositalmente imcompetente? Ele é um agente da CIA, cria da “guerra fria” e agora os cabeças-brancas estão usando ele para eliminar as relações exteriores do seu país. Guarde o que eu digo, o plano deles (os cabeças-brancas) é tornar o Brasil em outro Panamá ou em uma Nicarágua e eles estão conseguindo porquê vocês não estão mexendo um dedo sequer contra.

  34. A análise é interessante, mas

    A análise é interessante, mas não consegui entender. Como Dilma “esqueceu”  a política de defesa se foi quem nomeou Celso Amorim e manteve  Nelson Jobim, dois dos três gigantes citados no post?

    Ainda houve a omissão do nome de Aldo Rebelo, que teria sido muito bem recebido pelos comandantes militares, conforme publicado na época pelo próprio GGN.

    Dilma é mesmo uma Geni. 

     

    • Tão bem recebido que os

      Tão bem recebido que os militares fecharão o acordão com o jucá nas barbas sdo Aldo Rebelo.

  35. Sinceramente…

    Essas supostas trapalhadas dessa turma que entrou no baile sem convite me parecem ter um objetivo: destruir o país. Eles estão aí simplesmente para entregar tudo da maneira pior possível. Ninguém dessa turma é democrata, republicano, legalista ou patriota. São meros agentes desmontando o Estado em todas as suas áreas, sejam educação, saúde, tecnologia, defesa, indústria nacional… O lance é acabar com tudo o que der enquanto conseguem se manter no poder.

  36. Não acredito que o Black

    Não acredito que o Black Blocks sejam de esquerda como o Nassif disse..

    Na minha opinião eles não tem tendencia partidária, são apenas arruaceiros e oportunistas.

    Agora, o que chama atenção é que eles só aparecem em movimento de esquerda.

    Durante as passeatas dos coxinhas, com chamada de Globo a cada 10 minutos, os Black Blcoks nunca deram às  caras. Isso prova que não são de esquerda, senão estariam lá para detonar a passeata dos coxinhas.

    ////

    Ainda tem um outro grupo que quando for atingindo, aí sim, teremos confrontos diretos. As classes C,D,E

    Quando esse povão tomar pé do que de fato está acontecendo, não tenho dúvida esse país convulsiona, com exercito ou sem exercito nas ruas 

    O Temer pretende cortar 600 mil Bolsa família, por baixo vai atingir 1.800,000 pessoas

    Isso vai ser o estopim para esse golpe descambar de vez.

  37. Nassif,
    Você acredita mesmo

    Nassif,

    Você acredita mesmo que os tais “black blocs” são ultra esquerdistas?

    Ao que tudo indica, são somente infiltrados, mercenários mascarados que surgem pontual e profissionalmente sempre nos finais de protestos pacíficos, cumprindo um roteiro estratégico e atuando de forma muito bem treinada, agindo a tempo de serem filmados pela mídia golpista, dando-lhe as imagens e munição “jornalistica” que a mídia golpista espera. E esse tipo de manipulação não ocorre só no Brasil.

    Como crer que um grupelho que chega em horário conhecido (sempre no final dos protestos pacíficos) aja sem que nunca sejam pegos pela polícia? A Golpe News outro dia mostrou um grupelho pequeno quebrando e tentando, sem sucesso, virar um carro da pm, e a equipe de tv mostrando tudo demoradamente, ao vivo, e NENHUM policial apareceu para impedi-los. Mas havia policiais caminhando e confrontando outros manifestantes, conforme as imagens mostravam. Quando há notícia de prisão ou ferimento de manifestantes, as vítimas são sempre manifestantes comuns, sem máscaras, como o caso da pessoa que perdeu a visão após ser agredida pela ação da pm. Mas os violentos e depredadores “black blocs” agem sem dificuldade.

    • Black blocs são anarquistas

      Black blocs são anarquistas de extrema esquerda. Claro que eventualmente há policiais infiltrados entre eles. Aliás, nas organizações de esquerda sempre houve agentes infiltrados. Vide o infame cabo Anselmo.

  38. O Golpe de Estado do PMDB-PSDB é fascista

    O braço armado do Golpe, ao que parece, são as PMs. Não sei se o atual Ministro da Justiça tem ascendência sobre as Forças Armadas. Ignorante como um poste, duvido que compreenda a sofisticação das estratégias de defesa nacional. Por isso, suponho, deu carta branca à violência fascista das PMS estaduais.

    Ontem no Twitter vi imagens de soldados atirando à queima roupa em manifestantes de pelo menos 3 Estados (SP, CE e PA). Em SP, há imagens de pessoas atingidas por bombas atiradas dentro de ônibus e estações do metrô. A PM paulista atacou crianças, gestantes e idosos. Faltou pouco para produzirem um cadáver.

    Algo parecido aconteceu na Alemanha pré-nazista. A violência fascista era comanda por grupo paramiliares, como as milícias da SA, sob a anuência de Goebbels e Hitler. Essa violência, tanto lá como cá, teve apoio da imprensa, da classe média e das elites. Deu no que deu.

  39. O tempo passa, o tempo voa
    Um

    O tempo passa, o tempo voa

    Um dia virá a nossa revolução francesa

    E olha que é só revolução burguesa.

    •  A França é o pais das

       A França é o pais das revoluções, o Brasil, o pais dos golpes! A burguesia aqui faz revoluções ‘pelo alto’, sem povo.

      • revolução

        O objetivo das revoluções burguesas é substituir as monarquias e seus barões, ocupar seu lugar (dos barões) no banquete. Essa ja foi feita aquí quando demitiram o pedro banana.

  40. Pra acontecer o golpe teve de ser jurídico-midiático

    Pra acontecer o golpe teve de ser jurídico-midiático e para sobreviver precisará dos mesmos subterfúgios

    A PM corrupta dos governos estaduais do PSDB estrategicamente ataca ao final das passeatas para demonstrar que os atos terminam em vandalismo e violência, desestimulando a paticipação popular, tanto que a cobertura da mídia golpista foi nesse sentido: da violência e repressão

    A polícia é, historicamente, um órgão de repressão às demandas sociais e trabalhistas, além de um serviço público pago dos nossos bolsos, essa visão tem mudado ao longo dos tempos na gestão de alguns governos de esquerda nos estados

    Nossos gestores militares não tem inteligência suficiente para compreender o fenômeno democrático que é a mobilização popular, essas mobilizaçãoes, quando acontecem, demonstram que há a necessidade de amparo dessa mesma população no protesto pela polícia e não de repressão

    Pense só nisso: o cassetete que te bate é comprado com o teu próprio dinheiro, assim como o salário do delegado e do juíz que vai te prender e te punir, então ela deveria te proteger e não te reprimir, a PM só age com repressão se for mandada por terceiros

    A mídia tem sido e vai ser o grande algoz das mobilizaçãos populares e é ela quem vai demonizar as manifestações, transformando um ato pacífico em violento, uma demonstração de cidadania e participação popular em coisa de “comunista”, será a verdadeira mandatária da repressão aos movimentos sociais

    E ela vai ter o troco: o aumento cada vez maior da participação do povo nas manifestações e daqueles que nesse governo golpista passaram a ser novamente excluídos

     

    http://www.passapalavra.info/2015/09/106052

  41. GLOBO E FOLHA QUEREM SANGUE DE DILMA?

    >> a atitude vil de expor o apartamento da mãe de Dilma Rousseff – e ainda taxá-lo falsamente de “apartamento de luxo” – comprovam que nem a vitória ajudará a impor um mínimo de grandeza à velha mídia. Continuarão apostando na guerra de extermínio sem receio do ridículo

    Aqui os detalhes do ataque coordenado, de Globo e Folha, para expor a nova morada de Dilma, no Rio, a potenciais agressores.

    Globo e Folha nao a querem no Rio, falando aos muitos correspondentes estrangeiros que vivem na cidade.

    Querem ela no RS.

    De preferência no fundo do Rio Guaíba.

    No final do post, a explicação para tanto temor:

    *

    >> Temer, o PSDB, aliados – e Marina! – terão de aceitar: Dilma continuará sua trajetória rumo a construção de um mito político.

    Que ironia!

    Mas nada original:

    Não foi o julgamento injusto e a pena de morte que tornaram Sócrates maior como figura?

    Sem entrar em debate teológico / histórico: não foi o julgamento injusto e o sacrifício de Jesus de Nazaré (Deus e/ou homem) que fundou uma fé?

    Pois é…

    O mito do homem (e da mulher!) justo, injustiçado por poderes corrompidos ou por uma democracia já degenerada pela demagogia cala fundo na psique humana. Existe desde que o mundo é mundo.

    No golpe contra Dilma Rousseff, de 2016, temos os dois: poderes corrompidos, em conspiração aberta, aliando-se a demagogos (i) nas corporações do Estado – STF/Justiça, PGR/Janot, PF; (ii) nos grandes grupos de imprensa familiares; e (iii) nas instituições da sociedade civil organizada – OAB, FIESP, CNA, FEBRABAN, igrejas, etc., para julgar – e condenar! – alguém unanimemente reconhecida como justa.

    Dessa perspectiva, os algozes de Dilma “fizeram a sua fama”. Da mesma forma que, a seu tempo, o Sinédrio e os Romanos – secundados também por populares em frenesi, não é mesmo? – aumentaram a de Jesus de Nazaré, homem e/ou Deus. E ainda, o tribunal popular ateniense aumentou a dimensão da figura do filósofo Sócrates, ao condená-lo de forma iníqua à morte por envenenamento com cicuta.

    Quantos outros exemplos não haverá desse mito?

    Joana D’Arc queimada na fogueira da inquisição, Tiradentes enforcado e esquartejado como bode expiatório, Dreyfus, vítima do antissemitismo e de uma armação, o suicídio de Vargas, instado pelas mesmas forças que agora golpearam, novamente, a democracia no Brasil…

    *

    Deve-se ter cuidado ao brincar de feiticeiro. O caldeirão pode transbordar e queimar quem se supunha mais esperto do que de fato era.

    Dilma entrou a semana mais morta politicamente do que Getúlio Vargas.

    Terminou como liderança candidata a mito.

    Vivente!

    Como disse recentemente uma certa justa tratada com iniquidade atroz:

    – A vida é dura, Senador!

    *

    Mais em:

    >> Colunista da Globonews sem noção: de isentona a chapa branca em 24h, por Romulus

     

     ROMULUS

     SAB, 03/09/2016 – 14:52

     ATUALIZADO EM 04/09/2016 – 13:13

    Colunista da Globonews sem noção: de “isentona” a chapa branca em 24h! Ah… isso sim é que é “lavar” a jato…

    Pensa que é tudo? Não… agora os seus patrões querem linchar Dilma novamente. Mas, desta vez, não mais em sentido figurado…

    Por Romulus

    Bom, Nassif diz no post “Cristovam Buarque, o que foi sem nunca ter sido”, que a idade o deixou mais contido na maneira de criticar. Pode ser que um dia eu chegue lá.

    Enquanto não chego, fulanizo sim a crítica e digo quem é a “notável” colunista politica sem noção mencionada de forma desidentificada no post.

    Mesmo porque prometi à tal “notável” que o faria, ainda ontem à noite, depois de ver o seu disparate.

    Como promessa é dívida…

    LEIA MAIS »

  42. Escalada do fascismo

    Depoimento de Roberto Amaral, ex-presidente do PPS atingido por um tiro na perna pela PM, ontem em SP:
    http://www.bbc.com/portuguese/brasil-37273147

    Foto de mulher atingida por bomba da PM dentro de ônibus, ontem em SP:
    https://twitter.com/pierobl/status/772587737706889216

    Vídeo de criança de colo atingida por bomba da PM na estação Faria Lima do Metrô, ontem em SP:
    https://twitter.com/ailtonvieira/status/772646040189100032

    Vídeo de PM atirando à queima roupa em manifestante, que tomba no asfalto, ontem em Belém (PA):
    https://twitter.com/NoticiasdoPARA/status/771900820518559744

    Vídeo de PM atirando à queima roupa em manifestante, ontem em Recife (PE):
    https://www.youtube.com/watch?v=weyJsrGkSqQ

    Depoimento de repórter da BBC agredido pela PM, ontem em SP:
    http://www.bbc.com/portuguese/brasil-37273147

  43. Os grandes jogadores.
    Ao

    Os grandes jogadores.

    Ao montar seu xadrez, Nassif, comete um pecado mortal, não explicita quem são os principais jogadores, apenas mostra as peças se movimentando (peões, reis rainhas bispos, torres e cavalos).

    É preciso saber quem são os jogadores para que se possa saber qual a estratégia para o xeque mate.

    E tem mais, este não é um xadrez convencional, e os jogadores principais podem ser substituídos no decorrer da partida conforme as peças se mostrarem mais adequadas a outra forma de desfecho da partida (neste momento, um dos jogadores foi afastado – sofreu impeachment – e sua volta somente será possível em havendo nova conformação das peças).

    A aparente briga entre PSDB e DEM (aliados aos rentistas internacionais e grandes corporações) e o setor do PMDB que tomou o poder (que, em parte, se elegeu graças ao dinheiro das empreiteiras e capital nacional), é sobre qual projeto será implementado em sua integralidade, ou seja, qual deles ficará com o patrimônio nacional (Petrobrás e demais estatais), ou seja, eles ainda estão dividindo o espólio.

    De resto, em relação as reformas trabalhista e previdenciária, não haverá divergências de fundo e o trabalhador brasileiro e o serviço público tal como hoje esta estruturado será atingido de forma brutal em seus direitos e garantias.  

    Desta forma, caro Nassif, repisando algumas colocações em outros posts,  salvo melhor juízo, em tua análise faltam estes elementos essenciais – e sem estes, fica impossível se estabelecer cenários ou estratégias com um certo grau de previsão e hipóteses mais claras e definidas.

    Reitero o acima referido – ainda remanesce uma disputa entre o CAPITAL RENTISTA (PSDB DEM Moro Globo) e o CAPITAL NACIONAL (fruto do acordo pretérito entre PT e setor produtivo nacional que retirou do capital rentista (neoliberal do FHC), o controle da economia local – e do qual fazem parte, parcela do PMDB e congressistas eleitos com apoio destas grandes empreiteiras e que ainda não se jogaram para o campo contrário). Obs: isso explica, inclusive, a atitude de Renan e seu aceno ao PT – aparentemente para definir os contornos de seu poder, pois significa que mediante sua adesão a determinadas teses oposicionistas (PT PCdo B PSOL), poderá inviabilizar certos projetos deste grupo (na realidade não quer inviabilizar, mas negociar vantagens na consecução do plano de poder posto em prática).

    Aliás, en passant, em épocas pretéritas, muito se falou em projeto de poder – do PT – e agora se vê clara e descaradamente o Projeto de Poder dos setores golpistas PSDB e DEM e ninguém se manifesta.

    A aliança selada entre a oposição golpista de Aécio Serra Alckmin e outros tucanos e demos, com a estratégia expropriatória externa, é o fator a ser considerado como primordial.

    Deve ficar absolutamente claro que é o capital rentista internacional e suas grandes empresas transnacionais, em conluio com políticos entreguistas e setores definidos da elite econômica e midiática, que busca se apropriar do setor produtivo nacional,- através do PSDB DEM e seus braços jurisdicional, República de Curitiba e midiático –  sendo que, para isso, não hesitarão em usar todo seu dinheiro falso e seus executivos, políticos e mercenários, regiamente pagos.

    No caso, a  briga, que ainda remanesce –  é sobre o que sobrará das grandes empresas que compõem o Capitalismo Nacional – que esta sendo destruído.

    Com o devido reparo que, ao que parece, ainda não há uma clara compreensão desta situação, nem por parte do governo nem pelos demais componentes do setor produtivo, trabalhadores e empresários.

    Trata-se de coisa simples, no atual cenário o adversário (aparentemente oculto) não quer paz nem tranquilidade, e sim a ruptura do atual modelo econômico centrado nas forças produtivas nacionais, não adianta apostar nessa estratégia – nem fazer projeções sem considerar este cenário.

    Explico.

    É que, desta vez é o capital rentista internacional que esta promovendo a desestabilização interna (inimigo, em tese, oculto), para que se desajuste o setor produtivo nacional e que se acirre a contraposição capital trabalho.

    Para atingir seus objetivos, além de incentivar e promover, através de setores (político-midiáticos) comprometidos com sua estratégia, uma crescente desestabilização social, interessa  a este grupo econômico que primeiro haja uma grande depreciação no valor das empresas nacionais, bem como a retirada do mercado de setores internos com suficiente poder econômico para competirem com os produtos das empresas por eles controladas.

    Assim, se eles obtiverem sucesso, logo veremos as nossas empresas serem vendidas a preços irrisórios e assistiremos as gigantes americanas da construção civil e do setor petrolífero, aterrissarem em nosso país, tomando conta do mercado bilionário da construção pesada e da extração de nossas riquezas naturais.

    E, que não se enganem os liberais de plantão, apoiando este verdadeiro saque que se esta tentando fazer no patrimônio nacional, pois ninguém esta a salvo de tais predadores.

    Percam as ilusões, nenhum setor será poupado, nem a grande indústria, nem os conglomerados educacionais, de comunicação e serviços, e, por óbvio, menos ainda, o mais rentável , o setor financeiro nacional  e agroindústria.

    Os grandes  bancos que se preparem, a prosseguir esta estratégia de terra arrasada em relação as forças produtivas nacionais,  eles serão os próximos, logo depois dos setores da indústria pesada.

    O BTG Pactual, não foi um mero recado, foi um teste e, ao mesmo tempo uma confirmação, não há nenhum empresário grande o suficiente que não possa ser atingido de forma letal em sua atividade econômica.

    Neste ponto, chegamos a uma imponderável  encruzilhada.

    A resposta de Renan Calheiros e de parte do PMDB, mostra apenas uma parte do atual embate

    É que – esta atual composição do Congresso Nacional – em sua maioria foi eleita com o apoio e imensas quantias de dinheiro – destas empreiteiras e deste capital nacional hoje encurralado…

    Estes movimentos estranhos… servem ao menos para demonstrar que ainda que débil e não articulada– esta havendo uma reação deste setor…

    E como seria de esperar,  a resposta veio de forma clara – através dos representantes do rentismo internacional –  PSDB e DEM – explicitado através das diretrizes da Globo – venda de estatais – retirada do poder de Eduardo Cunha (fisiologismo criado a sombra do poder do dinheiro das empreiteiras) – e total submissão do poder do capital nacional…

    Talvez a atitude de Renan (mais provável) seja apenas um convite a negociação – que pode ser a capitulação final – ou uma reação real(imposição de certas condições) – que, ainda que resulte numa divisão predatória e com vistas a divisão do espólio, pode fugir ao controle…

    Existe um espaço a ser ocupado nestas disputa final – … mas primeiro é ter noção dos interesses em jogo…

     

  44.  
    Democracia sequestrada

     

    Democracia sequestrada pelos covardes golpistas canalhas [Perdão pelo pleonasmo!]

    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    O manifestante que enfrenta o caminhão israelita de Geraldo Alckmin foi sequestrado pela Tropa de Choque após essa cena. Helio Leandro Ramos foi brutalmente agredido dentro do caminhão da Polícia Militar, sendo encaminhado para o 14DP. Lá, o delegado responsável se recusou a atender o caso pela gravidade dos ferimentos, sendo ele encaminhado para o IML. Dois advogados acompanham o caso. O manifestante foi gravemente ferido na cabeça por causa das agressões.

    Vídeo da Revista Vaidapé com informações da Agência Democratize

    https://www.facebook.com/revistavaidape/videos/1009502602505294/

  45. Manifestacao pela Democracia!

    Blak Bloks, esta a FIESP por traz desta maneira para repetir 1964?O culpado esta na Ave Paulista, quartel dos Coxinhas.

  46. Citação solta, não explicada.

    Caro Nassif e atentos leitores-comentaristas.

    Nesta crônica da série “o Xadrez…” é feita uma citação de ofensas ao presiente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, aparece uma imagem do blog do “jornalista”, na verdade um porta-voz dos irmãos Marinho, ricardo noblat, mas nenhum detalhamento das agressões e ofensas é apresentado. As ofensas foram feitas por ricardo noblat? Ou esse “jornalista” apenas as republicou? Tais ofensas são passíveis de sujeitar o(s) autor(es) a processos judiciais por dano moral e desrespeito à autoridade constituída? O ministro Ricardo Lewandowski já tomou conhecimento das ofensas que sofreu e/ou anunciou que tomará alguma medida? 

    Espero que Luís Nassif publique reportagem respondendo a essas perguntas. Se atentos leitores-comentaristas puderem adiantar as respostas, fico agradecido.

    Quanto à crônica de ontem, atualizada às 21p5min, após encerramento das manifestçãoes em São Paulo e a ação truculenta do terrorismo de Estado – por meio da PM paulista, que aprendeu direitinho na gestão de Alexandre de Moraes como SSP as técnicas de reprimir os movimentos sociais e reivindicatórios, criminalizando, espancando e dando tiros em estudantes, professores, integrantes dos movimentos sociais e trabalhadores – é mais uma que deve integrar o livro que Luís Nassif deve lançar, sobre o golpe de Estado consumado em agosto de 2016, matando nossa frágil democracia.

  47. As bases

       A  futura base norte-americana na Argentina ( Patagonia ), não tem nada a ver com o Brasil, Venezuela, ou qualquer delirio neste sentido, o razão dela não é tão prosaica ou bocó como muitos articulistas intuem, aliás “chutam”, a intenção é estratégica, e o alvo é a Base chinesa instalada na Provincia de Neuquen ( Bajada del Agrio – Patagonia ), construida pela China Harbour Engineering Company,  que será operada, a partir de abril/17, pela CLTC, uma unidade do PLA ( People Liberation Army ), com direitos soberanos chineses na area

        Ambas estas instalações, a americana e a chinesa, afirmam que seus propósitos são exclusivamente cientificos ( monitoramento e telemetria de satélites ), alegações um pouco desacreditadas devido ao tamanho e complexidade destas instalações, e tb. fica obvio, que uma ficará vigiando a outra.

        Detalhe : Já existe, faz tempo, uma “base” da ESA ( European Space Agency ), na Argentina, a de Malargue ( prox a Mendoza ), e no ramo de defesa, quando se lê ESA, tambem le-se OCCAR e por consequencia direta : NATO.

        Até alguns um pouco paranóicos, americanos, acreditam que a estação chinesa de Del Agrio, está lá colocada para interferir nas comunicações dos satélites americanos que orbitam equatorialmente, pois a distancia dela da linha do equador, é quase identica a distancia de Washington para a mesma linha, o que teoricamente facilitaria a interceptação e/ou embaralhamento de sinais.

         Quem quiser saber mais ; http://www.thediplomat.com/2016/05/china-builds-space-monitoring-base-in-the-americas/

  48. Pandiá

        Nassif esta informação sobre o fechamento do Pandia Calógeras está correta ?

        Pois acho um pouco estranho, se bem que deste governo tudo é possivel, mas em julho passado, há menos de 60 dias, no XI Encontro Nacional da Associação Brasielria de Estudos de Defesa, o Jungmann não disse nada sobre isto, inclusive o pessoal do Pandiá lá se encontrava.

         O Jungmann até comentou sobre a 2a chamada referente ao ” Programa Alvaro Alberto “, um iniciativa do MDefesa, com o CNPQ , que é coordenada pelo Instituto Pandiá Calogeras.

  49. Nassif, eis um blefe logrando se tornar realidade

    Os grandes jogadores de xadrez (a nova jogada).

    Esta – logo abaixo – é a principal noticia do GGN (pois permite identificar os jogadores e as peças se movimentando no tabuleiro político econômico nacional e, desta forma, ainda que limitada, oportuniza seja oferecida, alguma defesa – se é que alguma ainda é passível de lhes ser oposta).

    “Entre as empresas investigadas estão Santander, Brookfied, WTorre, a vice-presidência de fundos de ativos da Caixa, Deloitte, GruPar (aeroporto de Guarulhos), Sete Brasil, Rio Bravo, Engevix, IBG Eletrônica (nova Gradiente), HAG Participações (holding da Gradiente) e Invepar, BRAM (Bradesco Asset management) e BEM DTVM (distribuidora de títulos e valores mobiliários), Bradesco, a massa falida do BVA, LD Consultoria, R.S. Consultoria e Lakeshore.”

    Com esta jogada da nova Lava Jato* (braço jurídico e MPF em nova frente) o plano cada vez fica mais explícito, nenhuma empresa nacional esta a salvo (como explicito abaixo, até mesmo o setor considerado mais sólido, o bancário, será uma caricatura do que é hoje), todo o setor ligado a cadeia do petróleo, já foi desmontado, todas as grandes empresas construtoras de grande porte também, agora é a vez de manietar os fundos de pensão, para que não sejam concorrentes em futuros leilões do patrimônio nacional e, ainda, sejam obrigados a se desfazerem de seus bilhões em ações que estão ancorados nas grandes empresas estatais (as que foram privatizadas e as que ainda não foram).

    Sob a justificativa de proteger os fundos de pensão, estes serão alijados do mercado, e a ruína deles, se isso acontecer, é certa.

    Novamente paralisarão toda a estrutura econômica e comercial destas instituições, e, sob a justificativa de punição a executivos, levarão a ruina todo o patrimônio dos contribuintes.  

    E, nestas considerações, não há nenhum blefe, apenas constatações antigas.

    Ao montar seu xadrez, ou cenário politico econômico nacional, a maioria comete um pecado mortal, não explicita quem são os principais jogadores, apenas mostra as peças se movimentando (peões, reis rainhas bispos, torres e cavalos).

    É preciso saber quem são os jogadores para que se possa saber qual a estratégia para o xeque mate.

    E tem mais, este não é um xadrez convencional, e os jogadores principais podem ser substituídos no decorrer da partida conforme as peças se mostrarem mais adequadas a outra forma de desfecho da partida (neste momento, um dos jogadores foi afastado – sofreu impeachment – e sua volta somente será possível em havendo nova conformação das peças).

    A aparente briga entre PSDB e DEM (aliados aos rentistas internacionais e grandes corporações) e o setor do PMDB que tomou o poder (que, em parte, se elegeu graças ao dinheiro das empreiteiras e capital nacional), é sobre qual projeto será implementado em sua integralidade, ou seja, qual deles ficará com o patrimônio nacional (Petrobrás e demais estatais), ou seja, eles ainda estão dividindo o espólio.

    De resto, em relação as reformas trabalhista e previdenciária, não haverá divergências de fundo e o trabalhador brasileiro e o serviço público tal como hoje esta estruturado será atingido de forma brutal em seus direitos e garantias.  

    Desta forma, caro Nassif, repisando algumas colocações em outros posts,  salvo melhor juízo, em tua análise faltam estes elementos essenciais – e sem estes, fica impossível se estabelecer cenários ou estratégias com um certo grau de previsão e hipóteses mais claras e definidas.

    Reitero o acima referido – ainda remanesce uma disputa entre o CAPITAL RENTISTA (PSDB DEM Moro Globo) e o CAPITAL NACIONAL (fruto do acordo pretérito entre PT e setor produtivo nacional que retirou do capital rentista (neoliberal do FHC), o controle da economia local – e do qual fazem parte, parcela do PMDB e congressistas eleitos com apoio destas grandes empreiteiras e que ainda não se jogaram para o campo contrário). Obs: isso explica, inclusive, a atitude de Renan e seu aceno ao PT – aparentemente para definir os contornos de seu poder, pois significa que mediante sua adesão a determinadas teses oposicionistas (PT PCdo B PSOL), poderá inviabilizar certos projetos deste grupo (na realidade não quer inviabilizar, mas negociar vantagens na consecução do plano de poder posto em prática).

    Aliás, en passant, em épocas pretéritas, muito se falou em projeto de poder – do PT – e agora se vê clara e descaradamente o Projeto de Poder dos setores golpistas PSDB e DEM e ninguém se manifesta.

    A aliança selada entre a oposição golpista de Aécio Serra Alckmin e outros tucanos e demos, com a estratégia expropriatória externa, é o fator a ser considerado como primordial.

    Deve ficar absolutamente claro que é o capital rentista internacional e suas grandes empresas transnacionais, em conluio com políticos entreguistas e setores definidos da elite econômica e midiática, que busca se apropriar do setor produtivo nacional,- através do PSDB DEM e seus braços jurisdicional, República de Curitiba e midiático –  sendo que, para isso, não hesitarão em usar todo seu dinheiro falso e seus executivos, políticos e mercenários, regiamente pagos.

    No caso, a  briga, que ainda remanesce –  é sobre o que sobrará das grandes empresas que compõem o Capitalismo Nacional – que esta sendo destruído.

    Com o devido reparo que, ao que parece, ainda não há uma clara compreensão desta situação, nem por parte do governo nem pelos demais componentes do setor produtivo, trabalhadores e empresários.

    Trata-se de coisa simples, no atual cenário o adversário (aparentemente oculto) não quer paz nem tranquilidade, e sim a ruptura do atual modelo econômico centrado nas forças produtivas nacionais, não adianta apostar nessa estratégia – nem fazer projeções sem considerar este cenário.

    Explico.

    É que, desta vez é o capital rentista internacional que esta promovendo a desestabilização interna (inimigo, em tese, oculto), para que se desajuste o setor produtivo nacional e que se acirre a contraposição capital trabalho.

    Para atingir seus objetivos, além de incentivar e promover, através de setores (político-midiáticos) comprometidos com sua estratégia, uma crescente desestabilização social, interessa  a este grupo econômico que primeiro haja uma grande depreciação no valor das empresas nacionais, bem como a retirada do mercado de setores internos com suficiente poder econômico para competirem com os produtos das empresas por eles controladas.

    Assim, se eles obtiverem sucesso, logo veremos as nossas empresas serem vendidas a preços irrisórios e assistiremos as gigantes americanas da construção civil e do setor petrolífero, aterrissarem em nosso país, tomando conta do mercado bilionário da construção pesada e da extração de nossas riquezas naturais.

    E, que não se enganem os liberais de plantão, apoiando este verdadeiro saque que se esta tentando fazer no patrimônio nacional, pois ninguém esta a salvo de tais predadores.

    Percam as ilusões, nenhum setor será poupado, nem a grande indústria, nem os conglomerados educacionais, de comunicação e serviços, e, por óbvio, menos ainda, o mais rentável , o setor financeiro nacional  e agroindústria.

    Os grandes  bancos que se preparem, a prosseguir esta estratégia de terra arrasada em relação as forças produtivas nacionais,  eles serão os próximos, logo depois dos setores da indústria pesada.

    O BTG Pactual, não foi um mero recado, foi um teste e, ao mesmo tempo uma confirmação, não há nenhum empresário grande o suficiente que não possa ser atingida de forma letal em sua atividade econômica.

    Neste ponto, chegamos a uma imponderável  encruzilhada.

    A resposta de Renan Calheiros e de parte do PMDB, mostra apenas uma parte do atual embate

    É que – esta atual composição do Congresso Nacional – em sua maioria foi eleita com o apoio e imensas quantias de dinheiro – destas empreiteiras e deste capital nacional hoje encurralado…

    Estes movimentos estranhos… servem ao menos para demonstrar que ainda que débil e não articulada– esta havendo uma reação deste setor…

    E como seria de esperar,  a resposta veio de forma clara – através dos representantes do rentismo internacional –  PSDB e DEM – explicitado através das diretrizes da Globo – venda de estatais – retirada do poder de Eduardo Cunha (fisiologismo criado a sombra do poder do dinheiro das empreiteiras) – e total submissão do poder do capital nacional…

    Talvez a atitude de Renan (mais provável) seja apenas um convite a negociação – que pode ser a capitulação final – ou uma reação real(imposição de certas condições) – que, ainda que resulte numa divisão predatória e com vistas a divisão do espólio, pode fugir ao controle…

    Existe um espaço a ser ocupado nestas disputa final – … mas primeiro é ter noção dos interesses em jogo…

    *Nesta mesma área de jurisdição, ver outros desdobramentos e atos que já atingiram diretamente o ex Presidente Lula e sua família…

     

  50. PRUDÊNCIA PRAGMÁTICA NA DEFESA DA DEMOCRACIA

    Todos os indícios de riscos e retrocessos elencados no artigo em tela evidenciam ainda mais a necessidade urgente de clamar por prudência na defesa da democracia.

    É indispensável que as lideranças e a militância progressista estejam muito atentas à importância da condução cautelosa de todas as atividades, com o objetivo expresso e eficaz de não fornecer justificativa para repressão. E para isto urge garantir que toda iniciativa popular seja pautada pelo rigoroso respeito aos direitos individuais e à legislação.

    Neste sentido, fica claro que ações que envolvam bloqueios de vias, ocupações de órgãos públicos e confrontação de indivíduos, grupos ou instituições devem ser amplamente repudiadas e desestimuladas, de modo que sejam realizadas apenas as manifestações e atividades estritamente regidas pelos princípios democráticos.

    Além disso, é indispensável que as instituições representativas da sociedade civil organizada manifestem veemente repúdio a todos os abusos da repressão policial.

    Urge promover a ampla conscientização acerca da necessidade extrema de exigir transparência na investigação das graves denúncias de ilícitos praticados por agentes de segurança na repressão de manifestações democráticas.

    E é indispensável também estar atento às ações de indivíduos e grupos infiltrados em manifestações de esquerda para praticar provocações e vandalismo, a fim de evitar o favorecimento dos interesses vinculados à construção do caos, para impedir a repetição de tragédias tais como aquelas vivenciadas na Ucrânia, na Líbia e na Síria…

    Por outro lado, é essencial não perder de vista a certeza de que a solução para a crise institucional responsável pelo golpe do impixe só será viabilizada pela via eleitoral, através da construção de alternativas políticas que possuam efetivo compromisso com os princípios democráticos e com um projeto de nação moderno e inclusivo.

    Assim, sem prejuízo da continuidade da reivindicação de busca efetiva de solução judicial para o absurdo impixe, imposto de maneira inconstitucional, é imprescindível promover o desenvolvimento de mecanismos de debate democrático e de construção da consciência coletiva, pois é no mundo das idéias e dos ideais que se trava a luta mais decisiva, que é aquela que busca, através da informação, conquistar corações e mentes.

    As perguntas para as quais a população de buscar respostas sustentáveis são referentes à definição de quem serão as pessoas que deverão ser eleitas para substituir os deputados e senadores que fizeram o impixe; quais devem ser as propostas a serrem votadas pelo futuro congresso para resgatar a legalidade e restaurar a democracia, quais as reformas adequadas para reestruturar as instituições estatais com vistas à garantia da estabilidade democrática e do crescimento econômico com inclusão social, quem serão as pessoas e grupos que serão habilitadas para compor um governo que possua efetivo compromisso com a democracia e com a ampliação dos direitos sociais.

  51. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome