Como a China vai mudar o mapa da geopolítca global

Do blog do Oswaldo Conti-Bosso

Blog Engenho Network:

Como a China vai mudar o mapa da geopolítca global

Prezados geonautas,

Comentários ao post do Nassif: Perspectivas tranquilas para 2014

Quando o Nassif diz: (…) “Com a economia chinesa também se recuperando, ...”, ou seja essa frase parte da hipótese da análise “mainstream” do mercado ocidental, é aí que mora o perigo, mas não são todos que tem essas visão no ocidente, por exemplo, comparando-se a análise de Martin Jacques, vê-se logo que ele caiu numa cilada, a cilada do Deus “mainstream” mercado, pois a China, nos últimos anos, apesar da propalada “crise” econômica global, vai mundo bem, obrigado, incluindo 2013.

Sds,

I- China’s Extraordinary Half-Decade, 2008-2012, by Martin Jacques:

Recent Western commentary on the Chinese economy has been decidedly negative, emphasising the problems and downbeat about the prospects. This, of course, is hardly new: indeed it is absolutely par for the course. In fact, as the figures below show, the Chinese economy has done extraordinarily well in the five years since 2008 and the Western financial crisis. The contrast with the performance of Western economies over the same period is sobering to say the least.

  1. China’s GDP nearly doubled from Rmb26.6tn ($4.3tn) in 2007 to Rmb51.9tn ($9.49tn) in 2012
  2. Government revenue more than doubled fromRmb5.1tn to Rmb11.7tn
  3. Urban incomes rose by an annual average of 8.8%; rural income increased by an annual average of9.9%
  4. 58.7m jobs were created in cities; 84.6m rural residents migrated to cities
  5. 19,700 km of new rail lines were built; 8,951 km of those were high-speed rail
  6. 609,000 km of new roads were built; 42,000 km were expressways
  7. 31 airports were built; 602 shipping berths for 10,000-ton ships were built
  8. The non-performing loan ratio of banks fell from6.1% to 0.95%; their capital adequacy ratio rose from 8.4% to 13.3%
  9. Government spending on education increased at an average annual rate of 21.6%; spending onscience and technology increased 18% a year
  10. Chinese investment overseas more than tripledfrom $24.8bn to $77.2bn

II- Chinese Military Expenditure, by Martin Jacques:

There has been much exaggerated talk about the rise of Chinese military expenditure. The first graph below gives an historical perspective. In 2012, Chinese military expenditure was less than a quarter of US military expenditure. As a proportion of GDP, China’s military expenditure was 2.0% compared with 4.4% for the US. The striking fact remains the US’s huge military expenditure. The second graph below gives the per capita military expenditure of a range of countries. As is clear, in per capita terms, China’s military expenditure remains still extremely low.


 

III- Martin Jacques: How China Will Change the Global Political Map (Transatlantic Academy, march 2013): Como a China vai mudar o mapa da geopolítca global

http://www.martinjacques.com/wordpress/wp-content/uploads/2013/04/Jacques_GlobalPoliticalMap_Mar13.pdf

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

12 comentários

  1. Título, conteúdo & língua.
    Caro Nassif, gosto muito do blog que acesso diariamente. Somos, entretanto, obrigados a criticar para tentar contribuir com a sua qualidade.
    1) Para um título como esse “Como a China vai mudar o mapa da geopolítca global” espera-se uma análise e não um desfile de estatísticas. Vamos com tanta sede ao pote que a decepção fica patente.
    2) A publicação de um texto em língua estrangeira chega a ser desrespeitoso com o leitor, porque ou ele entende o escrito, ou não entende de forma nenhuma, ou ainda tenta utilizar os tradutores da internet que fazem as vezes mais mal do que bem, dependendo do nível de compreensão do sujeito da língua. Poderia o comentarista, como conhecedor da língua, fazer esta tradução, assim como um dos elaboradores do blog.
    Desculpe amolar, mas, bola pra frente…

  2. mas a china somente assumira

    mas a china somente assumira o controle do mundo depois que adotou o jeito ocidental de gerenciar a economia e desenvolver o pais, como fez o Japão e Coreia.  O estilo ocidental venceu, considerar que o novo chefe ter feições asiaticas não significa que o ocidente perdeu!

     

     

    • Controle do mundo? Com que?

      Controle do mundo? Com que? Tem um único  porta aviões sucata da Ucrania que comrpou já bagaçado com 27 anos de uso  e reformou com solda-geladeira, essa é a marinha da China, como as pessoas não tem noção.

  3. O ocidente perde na medida

    O ocidente perde na medida que sendo a China o carro chefe mundia ela traz consigo seus ” valores “

    Ou seja totalitarismo, indiferença a regimes sanguinarios desde que os tais satisfaçam a predaçao chinesa para saciar seu mercadointerno

    Isso ocorreu com os EUA e a Inglaterra antes?

    Com certeza

    Ocorre que mesmo cheio de falhas , hipocrisias, o sistema de democracia liderado pelos EUA ainda é o menos malefico em que pese todo o historico

    Com a China teremos todos os itens negativos do predominio britanico e norte americano com o acrescimo da ” carta branca ” para paises serem tragados por movimentos totalitarios internos ( nao importa se de direita, esquerda, animista ou religioso ) e todos terao certeza que nao havera o impedimento que encontravam antes junto a comunidade internacional que estara a merce do poderio economico chines e neste caso pressoes para regimes totalitarios recem instaurados possam ser removidos pode ficar para “depois ” rs

    •   Leonidas, concordo com você

        Leonidas, concordo com você em parte.

        Pensar em governos chineses recentes realmente assusta, mas o sistema de lá tem mudado, mesmo que na tradicional longa marcha lenta dos chineses. De certo modo, é como um colega aí embaixo lembrou: a “sistemática” ocidental está levando a China mais adiante.

        De outro lado, a evolução dos acontecimentos no “Ocidente” é que tem caminhado em direção ao totalitarismo. Mesmo que o americano médio (por exemplo) ainda seja muito mais democrático que seu governo, este tem imprimido um caráter mais e mais imperial ao Estado, independente de quem o administre.

        Pra terminar, lembro que a existência de polos concorrentes de modo geral é benéfica a todos. Vale lembrar disso quando falamos em ascensão da China – movimento que não pressupõe, de modo algum, um “derretimento” dos EUA, apenas uma queda relativa.

  4. o pessoal realmente leu o texto?

    Se nao conseguem ler em ingles, uma dica: Crt C e Ctr V no texto, e passem para o World. ele traduz razoavelmente. 

    Agora, os comentarios sao um festival de besteiras. O texto chama a atençao para  a maneira totalmente diferente da cultura chinesa lidar com sua emergente liderança mundial. 

    E a grande sacada do texto é a maneira que o autor explica o porque a meritocracia chinesa de escolha de suas lideranças, nao pode ser desprezada pura e simplesmente em comparação com a democracia ocidental.

    Todos que ja se interessaram em ler Marx ( ao menos o essencial). sabem da critica feroz que sempre foi feita ao sistema democratico de eleicao de lideres: a manipulacao pelo poder economico, que realmente decide quem vai governar. E sempre em funcao dos interesses desse poder economico.

    Portanto, paremos de endeusar a democracia nos moldes atuais. A democracia ainda é muito mais uma promessa.

    E o mais imporante: a cultura chinesa e a valorizacao da familia, e sua extençao ao governo como uma entidade familiar, a qual todos pertencem. Agora deu para entender como um governante chines é escolhido. E nao tem nada a ver com ditadura.

    Excelente texto e extremamente atual, pois em 2030 a previsao é de a economia chinesa ser 2 vezes a americana. E ai alguem duvida? Ou tem argumentos contra? que se coloque, então.

  5. Não dará tempo

    A Chima, assim como todos os demais emergentes, apenas pegarão a raspa do tacho. As bombas da destruição do mundo velho capitalista será entre Rússia e EUA mesmo. Ouso apostar.

  6. Nada disso importa. A única

    Nada disso importa. A única coisa necessária é derrotar, obliterar, queimar e salgar o império estadunidense. O resto a gente cuida depois. Um problema de cada vez.

  7. A China é uma potencia

    A China é uma potencia economica. Ponto.  Nao é potencia militar, tecnologica, cultural, de valores, de atração de cerebros do mundo inteiro para lá criar e trabalhar, o que foi a caracteristica do Imperio Britanico e do EUA. 

    Em  seus quatro mil anos de Historia a China não saiu da China

     É um Pais interno e não internacional. Sua ação externa se dedica apenas a negocios.

  8. Esse tipo de livro

    Esse tipo de livro monoematico e com uma ideia fixa é especialidade de autores franceses.

    Jean Jacques Servan Schrieber escreveu “”Le Defis Americain” na decada de 70, com o mesmo enforque.

    Muitos livros naquela decada diziam que o Japão iria dominar o mundo. O metodo é o mesmo, pegam uma curva de crescimento da econoia e extrapolam para 20 anos, com isso já se provou que a Alemanha nazista, a URSS, a Comunidade Europeia iriam dominar a economia mundial. São livros de cerebros pobres e não valem nada.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome